19
Sex, Out

Grid List

Veículo estava em alta velocidade (Foto: MARIVALDO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO)

Cidade

Três pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida após um carro colidir em um poste na madrugada desta segunda-feira, 15, na Avenida Engenheiro Billings (Marginal Pinheiros), sentido Interlagos, no Jaguaré, na zona oeste da capital. De acordo com a Polícia Militar, o carro estava em alta velocidade pela pista local, quando o motorista bateu em um poste, por volta das 4h. Três pessoas morreram no local e uma vítima, gravemente ferida, foi socorrida para o Hospital das Clínicas. De aco ...

Candidatos mantiveram postura agressiva, já vista no primeiro turno (Fotos: GOVSP e Marcos Corrêa/PR)

Cidade

Candidatos ao governo do Estado de São Paulo usaram o primeiro programa eleitoral para se atacarem. João Doria (PSDB) acusa seu adversário de ser "esquerdista" e de defender Lula e o PT. Doria também afirmou que defende o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e condena Fernando Haddad (PT). Já Márcio França (PSB) afirmou que o candidato tucano "mente" e "não tem palavra" e "não cumpre seus compromissos". Paulo Skaf (MDB), que ficou em 3º lugar no primeiro turno, apareceu na propaganda ...

Adoniran Barbosa é um dos grandes nomes da música brasileira (Foto: Arquivo/AE)

Cidade

Desde ontem, a Estação Santana, da Linha 1-Azul do Metrô, recebe uma exposição sobre a relação de Adoniran Barbosa (1910-1982) com a Zona Norte da Capital. São 11 imagens cedidas pelo acervo oficial do artista. Os passageiros do transporte público podem conhecer um pouco mais sobre a vida e a obra do sambista. Autor do grande sucesso “Trem das Onze”, que versa sobre o bairro Jaçanã, o compositor nunca morou no local, como a música sugere. Na letra, Adoniran diz “Não posso fic ...

Mesmo com problema no local, não havia agentes da CET na região (Foto: Reprodução/Google Street View)

Cidade

Dois faróis de trânsito, localizados no cruzamento das ruas Abílio Pedro Ramos e Bernardo Lopes, no extremo da Zona Norte da Capital, estão há pelo menos três dias totalmente apagados. O problema gera um congestionamento gigantesco para quem pretende acessar a Rodovia Fernão Dias, já que a alça de acesso fica bloqueada pelos carros. A situação acontece praticamente na divisa com a cidade de Guarulhos, mas ainda na região que é administrada pela Prefeitura de São Paulo. “Não é ...

Jogos de tabuleiros ainda fazem sucesso entre as crianças (Foto: Divulgação)

Cidade

A reportagem do Metrô News resolveu ajudar quem vai aproveitar o feriado de amanhã, 12 de outubro, que coincide com o Dia das Crianças, para fazer um passeio com os baixinhos. Foram escolhidas opções bastantes diferentes: desde lançamento de livros, oficina de origami, estreia de filmes infanto-juvenis nos cinemas e teatro. As telonas merecem destaque, pois três estreantes são voltados para o público infantil. Enquanto “Tudo por um Pop Star”, estrelado por Maísa Silva, Klara Casta ...

MC Sophia, presente na apresentação da pesquisa, afirmou que é necessário conversar com a juventude na periferia (Foto: Ivo Lindbergh)

Cidade

Para a grande maioria dos paulistanos, o uso de álcool e drogas por crianças ou adolescentes aumentou nos últimos 12 meses na cidade de São Paulo. Segundo pesquisa realizada pela Rede Nossa São Paulo, oito a cada dez (cerca de 82%) das pessoas que vivem na Capital têm a sensação de que houve aumento no consumo de substâncias ilícitas por este público. A constatação faz parte de levantamento mensal realizado pela entidade, chamado de “Viver em São Paulo”. No caso de outubro, o ...

Eleito senador, Major Olímpio rechaça apoio de Doria, mesmo com tucano apoiando Bolsonaro (Foto: Jaélcio Santana /Força Sindical/Fotos Públicas)

Cidade

Principal aliado de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo, o deputado federal Major Olímpio, presidente do partido no Estado e eleito senador no domingo, dia 7, disse ao Estadão/Broadcast que vai votar em Márcio França (PSB) no segundo turno da disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. "Eu não alimento meu carrasco. Não subo no palanque do PSDB. Por exclusão, vou votar em Márcio França", disse Olímpio nesta quarta-feira, 10. Ainda segundo o dirigente do PSL, o partido decidiu ficar neutr ...

Entre os animais que serão estudados pelas crianças, estão os leões (Foto: Reprodução/Facebook)

Cidade

O Zoológico de São Paulo preparou uma programação especial para o Dia das Crianças neste mês de outubro. As ações vão desde atividades didáticas para os pequenos conhecerem melhor os hábitos dos animais até sessões educativas, que mostram aspectos da infância na cultura indígena. Até o dia 14 deste mês, as crianças vão aprender mais sobre as girafas, leões-marinhos, leões e conhecer alguns animais que ficaram famosos por serem representados por desenhos animados. Neste ano ...

Uma das responsáveis pelo impeachment de Dilma Rousseff, Jananían Paschoal bateu recorde nas eleições (Foto: Divulgação)

Cidade

Se os políticos que estavam na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) acharam que seria fácil buscar a reeleição, as urnas deram o recado de que eles estavam enganados. Dos 75 deputados que tentavam a reeleição, apenas 42 foram reeleitos, o que significa que as outras 52 cadeiras das 94 da Casa de Leis serão preenchidas por marinheiros de primeira viagem no Legislativo Estadual. O efeito Bolsonaro também é responsável por esta renovação, equivalente a 55% dos cargos. Na atual ...

Rivalidade enter os dois candidatos se acentuou nas últimas semanas (Fotos: Luiz Cláudio Barbosa/AE e Divulgação)

Cidade

Após garantir vaga no segundo turno em uma virada de última hora na eleição de São Paulo, o governador e candidato à reeleição, Márcio França (PSB), iniciou no domingo, 7, dois movimentos para tentar atrair o apoio de tucanos do grupo de Geraldo Alckmin e do terceiro colocado Paulo Skaf (MDB) na disputa contra João Doria (PSDB). Já o ex-prefeito reforçou o discurso antipetista e declarou apoio a Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial. No domingo à noite, França fez questã ...

Crianças terão a oportunidade de assistirem a peças de teatro, musicais e a outros espetáculos. Além disto, elas poderão participar de oficinas (Foto: Jefferson Coppola/Divulgação)

Cidade

O mês de outubro chega no Sesc Santo Amaro com muitas atrações para crianças de todas as idades. Tem os shows musicais Little Lions (Pequenos Leões), com uma das principais bandas de reggae do país, Leões de Israel, dias 12 e 13 - com repertório acessível em Libras (Língua Brasileira de Sinais); Iaiá e os Erês, nome do primeiro disco infantil de Iara Rennó, dia 21; e no dia 28 a apresentação Gonzagão para Crianças, convidando o público a vivenciar o xote, o baião, o xaxado, en ...

Bolha gigante é uma das principais atrações do Dia das Crianças no clube (Foto: Reprodução/Facebook)

Cidade

O Clube Atlético Juventus quer fazer do Dia das Crianças uma data inesquecível para os Molequinhos e Molequinhas. Pensando em agradar todos os pequenos, o clube confirmou mais duas atrações para a festa. Além do futebol de sabão, da bolha gigante na piscina e do pula-pula, haverá uma atração cultural. Para aqueles que gostam de ler, a festa será palco do lançamento do livro infantil “As aventuras dos pensamentos mágicos”, de Ricardo Magalhães. Os direitos autorais do autor ...

Incêndio foi controlado rapidamente pelos Bombeiros (Foto: Reprodução)

Cidade

Um apartamento localizado na Rua Jaraguá, no bairro do Bom Retiro, região central de São Paulo, pegou fogo na manhã desta quarta-feira, 19. Segundo o Corpo de Bombeiros, não havia ninguém no imóvel, portanto, não houve vítimas. Ainda de acordo com a Corporação, dez viaturas participaram da ocorrência. A chamada foi efetuada às 7h54 e o fogo foi extinto completamente às 8h20. Os bombeiros não souberam informar a causa do incêndio.  Fogo foi controlado às 8h20 desta quarta-feira, 19 (Foto: Reprodução)  

Toninho quer desmilitarização da PM e armas à população (Foto: Ivo Lindbergh)

Cidade

Candidato ao governo do Estado pelo PSTU, o advogado e sindicalista Antônio Donizete Ferreira, conhecido como Toninho Ferreira, de 60 anos, defende que a população “derrube” Jair Bolsonaro do poder, caso o ex-capitão seja eleito presidente da República nas próximas eleições. “Ele não respeita os direitos individuais das minorias. Arrepia ver um discurso dele. Sua candidatura cresceu por causa da desilusão dos brasileiros com o PT”, avalia. Mineiro da cidade de Guaranésia, Ferreira está em terras paulistas desde 1977 e mora em São José dos Campos, município no qual entrou em contato com o sindicalismo e com a política. Filiado ao PSTU desde sua fundação, o candidato afirma que a Lei de Responsabilidade Fiscal, sancionada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, serve “apenas para banqueiros”. Por isto, ele acredita que ela deve ser desrespeitada. “O estado tem que ter responsabilidade com o social”, afirmou. Em relação à segurança, o advogado diz que a polícia deve ser desmilitarizada. Inclusive, ele ressalta que as pessoas que vivem nas regiões periféricas dos grandes centros necessitam se proteger também da PM. “Defendo pelo menos a posse de arma, mas não compactuo com a ideia do Bolsonaro. Ele acha que tudo se resolve na bala. Não penso assim”.   Ferreira é contra a Lei de Responsabilidade Fiscal (Foto: Ivo Linbergh) Candidato, qual seria a sua primeira medida como governador de São Paulo? Seria retomar as empresas que foram privatizadas, como a Sabesp e a Eletropaulo. Acabaríamos com as Organizações Sociais de Saúde A saúde está privatizada hoje no Estado. Sabemos que estas organizações existem para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas somos contra ela. Esta lei só serve para pagar banqueiros e dívidas públicas.  Vamos desrespeitá-la. Como assim? Achamos que deve haver a Lei de Responsabilidade Social. O Estado tem que ter responsabilidade com o social. São Paulo precisa batalhar por isto. A gente propõe que a população se organize por comitês e lute por seus direitos. Não é só a Lei de Responsabilidade Fiscal. Todas as leis beneficiam os poderosos. É preciso fazer uma rebelião para lutar contra uma sociedade na qual seis pessoas têm a mesma riqueza de 100 milhões. Como governador não teria que dialogar com esta elite para não agravar mais a divisão do País? O País está dividido, mas os outros candidatos estão todos do mesmo lado. Eles são todos capitalistas.  Nas eleições parece que há um Corinthians x Palmeiras, mas não é assim. Eu penso que 99% da sociedade têm que se organizar contra este 1% da elite. As mãos que produzem a riqueza não são as mesmas que a distribuem. Não penso que há alguma forma de se entender com banqueiros. Nós temos interesses completamente diferentes. Eles querem que o mercado regularize tudo. Nós pensamos que este papel é do Estado. Para candidato, a população tem que se proteger. Inclusive da PM (Foto: Ivo Lindbergh) Qual é a sua opinião sobre a reforma trabalhista? Dizem que é moderna, mas penso que remonta ao século 19. Carga horária desregulamentada, horário de almoço desregulamentado e as férias também não são mais regulamentadas. Retiraram toda a conquista de uma sociedade. E para quê? Para sobrar mais dinheiro para um setor. Para facilitar a vida dos banqueiros. O discurso do PSTU é contra a classe empresarial, mas hoje há muitos microempresários no Brasil... Este microempresário tem uma situação um pouco melhor em relação aos trabalhadores. Eles não detêm os meios de produção. Quando falamos da classe empresarial, estamos falando das grandes marcas. Quando falamos em estatizar as 100 maiores empresas brasileiras, estamos falando de 80% do PIB. E elas empregam pouca gente. Este pequeno empreendedor nem consegue empréstimo no BNDES. E quais são seus planos para amenizar o desemprego? Muitos dos 5 milhões de desempregados do Estado estão desalentados. Desalento é uma palavra triste. Há algumas propostas federais, mas falamos delas porque o Brasil não está isolado em uma ilha. A primeira seria reduzir a jornada de trabalho para 36 horas semanais sem a redução salarial. Alguns países europeus têm feito isto. Depois, acabaríamos com as reformas trabalhista e da previdência.  Já em São Paulo seria necessário abrir frentes de trabalho. É possível fazer isto sem conversar com o poder privado? Eu acho que é possível. O Estado pode fazer. No fundo, no fundo é o Estado que faz. As Parcerias Público-Privadas (PPPs) são fontes de corrupção. Vamos pegar o exemplo do saneamento básico. Ninguém quer investir porque não dá lucro, mas investindo nesta área, você economiza na saúde e até na educação. Um jovem que vive à beira de um esgoto a céu aberto tem muitas dificuldades. Devemos construir mais escolas e hospitais, que fiquem com o Estado, valorizando o funcionalismo. Não construir mais presídios. Como o senhor vê o cenário do transporte sobre trilhos em São Paulo? A nossa linha metroviária é uma das menores do mundo. E, além disto, o governo constrói grandes estações para depois entregar à iniciativa privada. Somos contra isto. O Metrô tem que ser do Estado. Até porque muitas empresas privadas que atuam no transporte sobre os trilhos estão envolvidas em escândalos de corrupção. Muitas linhas são sucateadas para a população apoiar a privatização. Aí, depois que privatizam, falam que melhorou o serviço. Não é que melhorou. Isto é uma estratégia. Quais são os planos para a segurança? A Polícia Militar é uma aberração. Vem da época da ditadura militar. É violenta. A polícia deveria ser mais democrática e unificada. Hoje, ela chega à periferia e mata as pessoas, em sua maioria, negras. Na verdade, é pobre matando pobre. Porque o soldado também é pobre. Esta guerra precisa acabar. O combate ao tráfico de drogas deve ser diferente. Um jovem usuário sai pior da prisão do que entrou. É necessário fazer um trabalho social forte nas comunidades, por meio de comitês, para que a população se defenda da polícia também. É um absurdo, mas esta é a realidade. Defendo pelo menos a posse da arma, mas não como o Bolsonaro. Não acredito que tudo se resolva na bala. Quem ele quer armar, nós queremos desarmar. Ou vocês acham que os grandes latifundiários já não são armados? Falando em Bolsonaro, como seria um diálogo com ele, caso os dois sejam eleitos? Primeiro queria dizer que ele é fruto de uma desilusão da política. O PT foi uma desilusão para a população. As coisas estão rolando. Acho que é possível reverter o favoritismo dele no primeiro turno. Mas qualquer um que ganhar, não vai governar o País. Eu acredito que terá um impeachment no próximo governo. A situação não vai melhorar. Vai piorar. Se eu e ele formos eleitos, vamos ter que organizar o povo em comitês, porque o Bolsonaro não respeita os direitos individuais. Arrepia ver um discurso dele. Agora ele nega, mas as coisas estão gravadas. E o Mourão pensa da mesma maneira. Temos que organizar o povo para derrubar um cara destes da Presidência, caso ele ganhe as eleições.  

Jogos de tabuleiros ainda fazem sucesso entre as crianças (Foto: Divulgação)

Cidade

A reportagem do Metrô News resolveu ajudar quem vai aproveitar o feriado de amanhã, 12 de outubro, que coincide com o Dia das Crianças, para fazer um passeio com os baixinhos. Foram escolhidas opções bastantes diferentes: desde lançamento de livros, oficina de origami, estreia de filmes infanto-juvenis nos cinemas e teatro. As telonas merecem destaque, pois três estreantes são voltados para o público infantil. Enquanto “Tudo por um Pop Star”, estrelado por Maísa Silva, Klara Castanho e Mel Maia, é voltado para os adolescentes, a animação “Cinderela e o Príncipe Secreto” promete deixar os mais baixinhos vidrados com sua história empolgante. Quem decidir visitar a Avenida Paulista, que fica totalmente aberta aos pedestres durante feriados e domingos, também terá várias opções de lazer. Na Japan House, os pequenos poderão participar de uma oficina de origamis. No Itaú Cultural, ênfase para a possibilidade de “novas” experiências aos baixinhos: pião, peteca e jogos de tabuleiro tomam a cena no local. O Sesc Consolação comemora Dia das Crianças com projeto Pé de Letras, uma tarde inteira de diversão na Praça Rotary e na Biblioteca Monteiro Lobato. São várias atividades gratuitas, entre brincadeiras e leitura. O evento ocorre amanhã, das 12h às 18h, na Praça Rotary e dentro da biblioteca. A Fundación Mapfre também promoverá atividades no Zoológico de São Paulo. Estreias nas telonas Tudo por um Pop Star- As adolescentes e melhores amigas Gabi (Maísa Silva), Manu (Klara Castanho) e Ritinha (Mel Maia), fãs da banda pop Slavabody Disco Disco Boys, descobrem que os ídolos vão tocar no Rio de Janeiro. Elas farão de tudo para que seus pais deixem elas assistirem a um show fora da cidade onde moram. Cinderela e o Príncipe Secreto – Essa história da Cinderela é bem diferente de tudo o que já foi apresentado ao público: ela descobre, no Baile Real, que o príncipe é uma farsa. O verdadeiro representante do reino foi transformado em rato por uma bruxa malvada. A futura princesa precisa embarcar em uma grande aventura para reverter o feitiço e restaurar a ordem no lugar. Goosebumps 2 – Estados Unidos, vésperas do Halloween. Sonny (Jeremy Ray Taylor) e Sam (Caleel Harris) são grandes amigos, que encontram um livro incompleto guardado dentro de um baú, em uma casa abandonada. Ao abri-lo, eles despertam um boneco maligno. Ele usa os jovens para criar sua própria família de monstros. Lançamento de livro e oficina de origamis A Japan House São Paulo realiza, amanhã, o lançamento do livro “Vovó veio do Japão”, da Companhia das Letras, e uma oficina de origamis para crianças de 5 a 10 anos de idade. Durante o fim de semana, acontece em horários especiais uma oficina com tema “Construção de Soluções Solares”, para conscientizar os pequenos sobre o acesso à energia no Brasil e no mundo. O espaço fica na Avenida Paulista, 52, no Bela Vista. Central de Jogos no Itaú Cultural Amanhã, às 11h, o Itaú Cultural promove gratuitamente a "Central de Jogos". Brinquedos tradicionais, como pião e peteca, e jogos de tabuleiro ganham espaço em meio à inovação tecnológica no local. A atividade oferece nostalgia aos pais e novas experiências às crianças. O Itaú Cultural fica na Avenida Paulista, 149, no Bela Vista. Muita festa e até Fliperama No Juventus, a festa acontece no sábado, 13, das 10h às 18h. Além do futebol de sabão, da bolha gigante na piscina e do pula-pula, haverá também o lançamento do livro infantil “As Aventuras dos Pensamentos Mágicos”, de Ricardo Magalhães. Para quem gosta de jogos eletrônicos, o local terá um campeonato de Fliperama. A inscrição é gratuita e haverá premiação (os interessados em participar devem se inscrever através do telefone: 2271-2000/ Ramal 2041). Crianças e adolescentes de até 17 anos e sócios possuem entrada franca. Os demais pagam R$ 5. O clube fica na Rua Comendador Roberto Ugolini, 20, na Mooca.  Teatro também é opção De amanhã a domingo, sempre às 17h30, o Shopping Metrô Tatuapé (Rua Domingos Agostim, 91, Tatuapé) recebe a peça “Abracadabra – Entre Bruxas e Fadas”, que conta a história de uma fada que queria ser bruxa e resolve se disfarçar. Ela apronta muita confusão em uma escola de aprendiz de feiticeiros. O espetáculo promete além de diversão, mostrar que aprender a viver com as diferenças pode se tornar uma grande aventura. O ingresso custa R$ 40, com possibilidade de meia-entrada pelo http://bit.ly/2RFtaVg. Serviços Japan House São Paulo Lançamento do livro “Vovó veio do Japão” e oficina de origamis para crianças de 5 a 10 anos de idade – entrada gratuita Amanhã, às 11h Avenida Paulista, 52, Bela Vista  Itaú Cultural Central de Jogos – entrada gratuita Amanhã, às 11h Avenida Paulista, 149, Bela Vista  Juventus Futebol de sabão, bolha gigante, pula-pula, Fliperama e lançamento do livro infantil “As Aventuras dos Pensamentos Mágicos” – entrada gratuita para crianças e adolescentes até 17 anos. O restante paga R$ 5. Sábado, 13, das 10h às 18h Rua Comendador Roberto Ugolini, 20, Mooca  Shopping Metrô Tatuapé Peça teatral “Abracadabra – Entre Bruxas e Fadas” - Ingressos a R$ 40, pelo http://bit.ly/2RFtaVg Amanhã, sábado e domingo, 13 e 14, às 17h30 Rua Domingos Agostim, 91, Tatuapé  Praça Rotary Atividades gratuitas Amanhã, das 12h às 18h Rua Major Sertório, Vila Buarque  Biblioteca Monteiro Lobato Atividades gratuitas Amanhã, das 12h às 18h Rua General Jardim, 485, Vila Buarque  Zoológico de São Paulo Oficinas Viver com Saúde – Crianças de até 5 anos não pagam. Entre 6 e 12, R$ 15. Acima desta idade, a entrada custa R$ 36 Amanhã, sábado e domingo, às 11h e às 14h Avenida Miguel Stéfano, 4241, Água Funda

Eleito senador, Major Olímpio rechaça apoio de Doria, mesmo com tucano apoiando Bolsonaro (Foto: Jaélcio Santana /Força Sindical/Fotos Públicas)

Cidade

Principal aliado de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo, o deputado federal Major Olímpio, presidente do partido no Estado e eleito senador no domingo, dia 7, disse ao Estadão/Broadcast que vai votar em Márcio França (PSB) no segundo turno da disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. "Eu não alimento meu carrasco. Não subo no palanque do PSDB. Por exclusão, vou votar em Márcio França", disse Olímpio nesta quarta-feira, 10. Ainda segundo o dirigente do PSL, o partido decidiu ficar neutro na disputa estadual e liberou seus militantes. "Não vamos entrar em lutas domésticas. O PSL liberou inclusive nos Estados onde está no segundo turno. Nosso foco é a campanha do Jair Bolsonaro". Na manhã desta quarta-feira, França faz campanha em Suzano ao lado do presidente licenciado da Fiesp, Paulo Skaf (MDB), candidato derrotado do MDB ao governo paulista. O governador do PSB busca se aproximar do eleitorado de Jair Bolsonaro, apesar do seu partido ter optado por apoiar Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial. Os diretórios do PSB em São Paulo e no Distrito Federal foram os únicos liberados de seguir a orientação nacional. O candidato do PSDB ao governo, João Doria, tenta colar em Márcio França o selo de "petista", apesar de o PT não ter declarado apoio formal ao governador.

Veículo estava em alta velocidade (Foto: MARIVALDO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO)

Cidade

Três pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida após um carro colidir em um poste na madrugada desta segunda-feira, 15, na Avenida Engenheiro Billings (Marginal Pinheiros), sentido Interlagos, no Jaguaré, na zona oeste da capital. De acordo com a Polícia Militar, o carro estava em alta velocidade pela pista local, quando o motorista bateu em um poste, por volta das 4h. Três pessoas morreram no local e uma vítima, gravemente ferida, foi socorrida para o Hospital das Clínicas. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a faixa da direita da pista local da Avenida Engenheiro Billings permanecia interditada por volta das 9h30 para trabalho da perícia. O caso foi registrado no 93°DP, no Jaguaré.

Há quatro anos, Geraldo Alckmin (PSDB) gastou mais do que todos os candidatos de 2018 juntos (Foto: Divulgação/RedeTV!)

Cidade

Sem as doações empresariais, os candidatos ao Governo do Estado de São Paulo arrecadaram para suas campanhas menos da metade do que foi arrecadado durante o mesmo pleito em 2014. Neste ano, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizados até sexta-feira, 28, os candidatos somam R$ 40.285.809,93, contra R$ 94.002.844,54 arrecadados pelos nove políticos que disputaram a mesma função em 2014. Em ambos os períodos, os maiores gastos são com gravações para TV e internet. Para efeito de comparação, os gastos do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) durante sua reeleição – mais de R$ 40 milhões – superam os recursos financeiros de todos os 11 candidatos deste ano. A maior parte das doações de 2018, cerca de 90%, foi dos diretórios nacionais e estaduais dos respectivos partidos dos candidatos. Este ano, o mais gastão é o tucano João Doria, que tem R$ 14.135.325,60 de despesas contratadas e apenas R$ 8 milhões arrecadados até aqui. Ele também é o candidato cuja receita teve mais doações de pessoas físicas, cerca de 30%. Já França é o candidato que até o momento declarou mais receita, com mais de R$ 14 milhões, e menos gastos: pouco mais de R$ 2 milhões. A maior parte dos gastos de todos é com gravações. Skaf, que gastou quase R$ 30 milhões em 2014, agora ainda não chegou a R$ 10 milhões. Eleitores rejeitam política Segundo o consultor político Carlos Manhanelli, “o eleitor brasileiro é muito mais acostumado a receber do que a doar” durante as eleições, um problema cultural que não deve ter uma mudança significativa “por um longo tempo”. O cientista político da USP Rubens Figueiredo também concorda com o problema cultural apontado por Manhanelli. Para ele, os eleitores não se identificam com os partidos e associam política à corrupção. E sobre o porquê de os candidatos gastarem tanto em sua campanha por um salário que financeiramente não supera os gastos, a resposta é o poder. “Governar o Estado é nomear secretários, definir rumos, autorizar orçamento, discutir despesas”, apontou. Dados das campanhas Total arrecadado Total de despesas contratadas Maior gasto Maior doador João Doria (PSDB) R$ 7.935-000,00 R$ 14.135.325,00 Digital 21: R$ 3.600.000,00 Diretório Nacional: R$ 4.800.000.00 Luiz Marinho (PT) R$ 5.566.600,00 R$ 2.737.264,83 Sr(a) Silva projetos de comunicação: R$ 1.000.000,00 Diretório Nacional: R$ 5.530.000,00 Major Costa e Silva (DC) R$ 24.808,00 R$ 6.000,00 Athiva Contabilidade: R$ 5.000,00 Diretório Estadual:R$ 24,808,00 Marcelo Cândido (PDT) R$ 1.571.000,00 R$ 1.613.643,70 Campanha Digital Proc. de Dados: R$ 500.000,00 Diretório Nacional: R$ 1.548.000,00 Márcio França (PSB) R$ 14.348.743,13 R$ 2,267.512,74 Red Vision Produtora R$ 600.000,00 Diretório Nacional: R$ 10.348.734,13 Paulo Skaf (MDB) R$ 9.759.006,07 R$ 9.595.167,34  MKP Comunicação e Imagem: R$ 1.239.100,00 Diretório Nacional: R$ 8.000.000,00 Cláudio Fernando Aguiar (PMN) R$ 21.500,00 R$ 0 R$ Nenhum Ana Paula Carvalho Beathalter: R$ 21.500,00 Professora Lisete (Psol) R$ 178.273,17 R$ 55.079,64 Forma Certa Gráfica Digital: R$ 25.100,00 Diretório Estadual: R$ 170.471,17 Rodrigo Tavares (PRTB) R$ 60.000,00 R$ 17.651,35 Ronny Nunes Moura: R$ 7.180,00  Diretório Estadual: R$ 60.000,00 Rogerio Chequer (Novo) R$ 742.500,56 R$ 395.232,53 William Christian Hertz: R$ 145.200,00 Diretório Estadual: R$ 679.200,00 Toninho Ferreira (PSTU) R$ 78.388,00 R$ 47.554,90 Diego Fernando de Souza Artes Gráficas: R$ 42.450,00 Diretório Nacional: R$ 78.000,00

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Desde 2013, o Ibope realiza a Pesquisa Brasileira de Mídia, a pedido do governo federal. O objetivo é saber por quais meios os brasileiros se informam. Desde o início, o estudo – que é feito nacionalmente e com uma amostra de cerca de 15 mil pessoas, distribuídas por todas as Unidades da Federação – revela a prevalência da TV sobre os demais meios. Mas, desde 2016 (último ano da análise, publicada em 2017) há evidências do avanço da Internet, que se consolidou como o segundo meio de comunicação mais usado (49% da amostragem), ameaçando inclusive a soberania televisiva (89%). A soma é superior a 100% porque se pode indicar mais de uma opção. E as eleições deste ano reforçam o poder da internet e dos meios digitais. Para o bem ou para o mal, estas formas se cristalizaram como o caminho preferido de muitos brasileiros para o consumo de notícias. E não são poucos aqueles que fazem isso de modo exclusivo, bebendo apenas na fonte de sites, blogues, aplicativos e redes sociais. E, ainda que estes não sejam maioria, dedicam mais tempo nestes acessos. Enquanto o tempo médio em frente à TV é de três horas e 21 minutos, entre aqueles que utilizam a web (segundo a mesma pesquisa Ibope) é de quatro horas e 40 minutos, superando seis horas entre o público de 16 a 24 anos. Mais importante que a quantidade de informação disponível na web e redes sociais são a relevância e qualidade do conteúdo oferecido. Evidentemente, no universo digital há muitas empresas e grupos sérios, que primam pela credibilidade do que oferta. No entanto, há um sem número de virulentos guetos, que servem de fábrica para as fake news. Assim, nunca é demais ressaltar que estar na internet, Facebook ou WhatsApp não representa selo de veracidade. Ainda são os meios tradicionais que têm o compromisso com a verdade, por não sair noticiando o que não foi confirmado. Falta isso nos rincões digitais. E até que se separe o joio do trigo, esta revolução representará não um avanço, mas um retrocesso. Nesta nova era, a verdade já não basta para a formação da opinião pública, nem é antídoto à manipulação. Agora se consome aquilo em que se quer acreditar, acriticamente e ainda que falso, desprezando o que vai contra as próprias convicções. A isso se convencionou chamar de “pós-verdade”.

Mais uma pesquisa dá empate técnico entre os dois oponentes (Fotos: Klaus Silva /TJSP/ Fotos Públicas e Reprodução/Twitter)

Cidade

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) estão tecnicamente empatados na disputa para o segundo turno, aponta a mais recente pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão divulgada nesta quarta-feira, 17. Doria tem 52% dos votos válidos - quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos - e Márcio França, 48%. A margem de erro é de três pontos porcentuais. É a primeira pesquisa Ibope para o governo de São Paulo neste segundo turno das eleições 2018. Se considerados os votos totais, Doria tem 46% das menções e França, 42%. Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou nulo são 10%; 2% não sabem ou preferiram não responder. A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 17 de outubro. Na intenção de voto espontânea, na qual os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Doria aparece com 28% das intenções de voto, também empatado tecnicamente com França, que tem 26%. Neste caso, os indecisos são um quarto dos entrevistados. Outros 15% manifestam a intenção de votar branco ou nulo, e 6% disseram nomes diferentes, que não estão na disputa. A rejeição de Doria é a maior - 32% apontaram que não votariam nele de jeito nenhum. A de França, que vinha se mantendo baixa no primeiro turno - subiu e agora está em 20%. No dia 6 de outubro, véspera do primeiro turno, era de 9%. Também chama a atenção a quantidade de eleitores que não os conhecem - 18% disseram não conhecer Doria o suficiente para opinar. No caso de França, o número é de 28%. A pesquisa ouviu 1.512 votantes e a margem de erro estimada é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95% - esta é a chance de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o protocolo Nº SP-07777/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-BR-07265/2018.

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Confesso que essa batalha do #elenão e #elesim algumas vezes me deixa confuso. Afinal, quem é o seu “ele não”? Ou o “ele sim”? Parece que as pessoas têm medo de falar esse nome que supostamente não pode ser dito. Vejo um enorme questionamento sobre machismo. Geralmente, quem fala isso é uma mulher. Vi, inclusive, a vice do Haddad criticando o machismo e em uma certa frase ela usou a palavra feminismo três vezes. Eu fico confuso: o machismo é proibido, errado, questionado, uma coisa que deve ser totalmente excluída da sociedade, mas o feminismo radical pode? Sempre fui a favor dos direitos iguais. Há dez anos, quando ganhei a guarda definitiva do meu filho, defendia essa postura sem hipocrisia. Eu acho que não existe nenhuma diferença entre homem e mulher. Se fosse há 2 mil anos, quando tudo era à base da força física, faria sim diferença em uma caça, batalha, onde era necessário usar espada, ou armadura pesada para defender uma civilização. Mas hoje, você precisa de uma espada para decidir alguma coisa? Não, uma caneta decide. As mulheres são atuantes nas universidades e ocupam altos cargos. Sei que ainda existe diferenciação, fruto de uma cultura absurda, subdesenvolvida. Afinal, a mulher é tão capaz quanto o homem, e o contrário também, e ambos podem sozinhos gerir uma família, assim como aconteceu comigo. Eu administro as tarefas de ser pai, empresário, profissional e empreendedor. Fiquei com nosso filho porque chegamos a um acordo, o que não significa que eu, naquela situação, era melhor ou pior do que a mãe dele. Quem questiona o machismo, assim como quem questiona o feminismo ou a homossexualidade é tão preconceituoso ou mais do que aquele que está só externando a sua possibilidade ou vontade política. Essa campanha #elesim e #elenão, vou fazer isso ou vou fazer aquilo, é desgastante. Meu filho tem 12 anos e eu o criei sem a ajuda de ninguém, absolutamente sozinho, nem minha família tão pouco a da mãe dele. Sempre eu e ele a vida inteirinha. Basta a gente querer, e deixar o preconceito de lado. Daniel Toledo é Advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios e sócio fundador da Loyalty Miami

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião

Bolsonaro nada de braçada no Estado de São Paulo onde, segundo a última sondagem do instituto Paraná Pesquisas tem quase 70% das intenções de voto do eleitorado local. Daí não ser surpresa o fato de tanto João Doria (PSDB) quanto Márcio França (PSB) desejarem e precisarem dos votos dos correligionários do capitão reformado para vencer a disputa ao Palácio dos Bandeirantes. França até que saiu na frente nesta disputa particular, ao obter de primeiro momento o apoio do futuro senador Major Olímpio (PSL), simplesmente o mais bem votado para o cargo em todo o País. Também obteve a preferência do Major Costa e Silva (DC), aliado de Bolsonaro e quinto colocado na disputa estadual. Mas Doria reagiu rápido. Primeiro atraiu o PRTB, partido do general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro, e, em seguida, buscou uma aproximação direta com o próprio presidenciável, ao tentar um encontro com ele no Rio de Janeiro. Embora não tenha sido recebido, o ex-prefeito paulistano saiu de lá com um excelente recorte de uma declaração mais ampla do pesselista, que logo passou a ser usada na campanha do tucano. “Eu sei que ele (Doria) é uma oposição ao PT. Somos oposição ao PT. E eu sei que o outro lado, o França, tem o apoio velado do PT. Então, no momento eu desejo boa sorte ao Doria”, disse Bolsonaro, depois de destacar sua neutralidade na disputa paulista. França até que tentou descolar a eleição no Estado da polarização nacional, mas sem sucesso. Mas, por fim pode ser sugado pelo sentimento anti-PT que varre o País. Enquanto busca se afastar do seu vínculo histórico, seu adversário faz questão de explorá-lo. Com isso, as propostas vão ficando em segundo plano, mascaradas por ataques e tentativas de defesa de ambos os lados. Desta forma, segundo o Paraná Pesquisas, os dois estão em situação de empate técnico (52,3% de Doria contra 47,7% de França), inclusive com rejeição similar (39,8% contra 37%). Diante de linha tão tênue entre a vitória e a derrota, pode ganhar mais votos aquele que mais endurecer o discurso, ainda que, contraditoriamente, em um momento em que o presidenciável do PSL busca mais equilíbrio em suas falas. Ainda assim, quem conseguir convencer essa parte do eleitorado paulista que pode jogar no mesmo time do ex-militar do Exército certamente não ficará de urnas vazias.
or
or

Articulistas

Colunistas

Decisão do STF preserva direito de trabalho à grávida, mesmo se ela desconhecer a gestação (Foto: André Borges/Agência Brasília/Fotos Públicas)

Opinião

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião