22.6 C
São Paulo
quinta-feira, maio 26, 2022

Prefeitura investirá R$ 80 milhões para repaginar o Vale do Anhangabaú


Prefeitura investirá R$ 80 milhões para repaginar o Vale do Anhangabaú

Ação faz parte de um amplo processo de recuperação do Centro (Imagem: Reprodução do Projeto)


Cidade

A Prefeitura de São Paulo inicia neste mês as obras de requalificação do Vale do Anhangabaú. O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas nesta segunda-feira (10), e prevê investimentos de cerca de R$ 80 milhões, destinados do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano (Fundurb). A previsão é que às obras sejam entregues em junho de 2020.

“Esse projeto vem da administração passada. Estamos dando continuidade pois entendemos que administração pública é uma corrida de revezamento. Não fazia sentido jogar o projeto no lixo. Esse é um projeto da administração e do povo de São Paulo”, destacou o prefeito Bruno Covas.

Reprodução do projeto

O local receberá cafés, floriculturas, sanitários, ludoteca, entre outras atividades que farão parte da vida cotidiana do Vale. A ação faz parte de um amplo processo de requalificação do centro, cujo objetivo é incentivar a sua ocupação e o seu uso, transformando os espaços públicos em lugares atrativos na vida cotidiana.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando Chucre, uma das áreas para eventos já deverá ficar pronta para a próxima Virada Cultural. “As obras serão feitas em etapas. Também vamos manter algumas áreas para que os pedestres possam circular nesse período”, disse.

Para fortalecer a sua característica como porta de acesso ao centro, o projeto do Vale qualifica as conexões com os meios de transporte público – metrô, ônibus; com os espaços culturais da cidade, museus, cinemas e teatros; além dos edifícios de escritório ao seu redor.

Nesse sentido, uma série de ações está prevista para o local. A proposta de mobilidade para o Vale do Anhangabaú valoriza a circulação dos pedestres, recuperando integralmente o eixo da Avenida São João ao dotá-lo com o pavimento adequado aos critérios de acessibilidade e de sinalização.

O piso do Vale formará uma superfície uniforme como uma plataforma para atividades e eventos, com acessibilidade universal que oferece o máximo de flexibilidade para o uso e com materiais de qualidade.

As funções e características das ruas Formosa e Anhangabaú serão reativadas, a partir da implantação de quiosques, bancas de jornal, ludoteca, abrigadas dentro de um novo mobiliário urbano. Nesse sentido, mais de 1.500 lugares serão distribuídos entre bancos e cadeiras, além de bebedouros, lixeiras e paraciclos. O objetivo é favorecer a permanência da população e a apropriação do espaço.

Com referência ao antigo rio que deu nome ao Vale do Anhangabaú, a água será reintroduzida como elemento principal, singular e ativo. A utilização da água no projeto tem papel fundamental na melhoria do microclima da região. A água é aspergida, molhando apenas o chão, e depois recolhida pelos ralos do equipamento. Serão 850 pontos de jatos d’água, com reaproveitamento de 90% do total e captação de 10% do restante através de poço artesiano. Um tanque de armazenamento subterrâneo com capacidade de 1.500 metros cúbicos coleta essa água que, uma vez pulsada, se expressa e volta ao ciclo através de drenagem. A água será organizada em diversas zonas que poderão ser controladas, ligadas e desligadas, de acordo com a necessidade, demanda e situação do uso do espaço.

O projeto também valoriza as áreas ajardinadas e as árvores da área de intervenção. Para isso, busca-se criar marquises verdes ao longo das ruas Anhangabaú e Formosa e da Avenida São João, formar ambientes sombreados, garantindo um bom microclima, escolher espécies com copas altas, permitindo visão desobstruídas através do Vale, e afastar as árvores da região dos túneis para que seu crescimento seja saudável. Em sua forma final, o Anhangabaú contará com 480 árvores – 355 serão mantidas e 125 novas espécies nativas serão plantadas.

A iluminação pública será automatizada com um sistema LED de alta eficiência energética, levando ao aumento da qualidade da iluminação, proporcionando economia de energia e aumentando a segurança da região. Serão 28 pontos de iluminação na esplanada, 105 pontos de iluminação sob as árvores, 900 metros lineares de iluminação sob os bancos e 217 pontos de iluminação na escala do pedestre.

A Prefeitura estuda o processo de gestão do espaço e de curadoria das atividades para o Vale, justamente no intuito de fomentar atividades culturais, comerciais e de lazer na região, complementadas por ações sociais de apoio a toda a população. Além disso, também está previsto o aprimoramento da infraestrutura com o enterramento da rede de energia e de telecomunicações, realizando o seu ordenamento em novas galerias técnicas e banco de dutos.

A proposta de renovação do Vale alavanca não somente a discussão das formas de uso e da recuperação das estruturas ambientais do espaço público, como também incrementa e renova a infraestrutura do Centro. Os temas abordados no projeto se remetem aos desejos pretendidos e identificados durante a elaboração do programa, inclusive resolvendo as preocupações apontadas pelo debate público e por especialistas. O processo de gestão se torna, portanto, uma ação que vai além dos perímetros do Vale e se configura como estruturante para as demais áreas da cidade.

Skate

As obras de reurbanização do Vale do Anhangabaú não vão prejudicar ou impedir a prática do skate no local. A proposta da Prefeitura é melhorar a área para todas as pessoas que frequentam a região e não prejudicar o que está dando certo, como o skatismo no Centro Velho. O Vale é um dos locais prediletos para a prática do “street skate” (skate de rua) no Centro e vai continuar sendo local de encontro dos skatistas, mesmo após a reforma.

Projeto

O projeto do Vale do Anhangabaú foi construído com a contribuição de diversos profissionais, técnicos municipais e profissionais da sociedade civil, por meio de um processo participativo iniciado em 2013. Tanto o conceito, quanto o projeto básico, foram coordenados pela SP-Urbanismo, empresa de planejamento urbano vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU).

Para consolidação do projeto, foram mapeadas a vida pública e a atuação nos espaços não somente pela óptica do desenho e da infraestrutura do Vale, mas também pela lógica da elaboração de um programa de atividades que renovasse e qualificasse o uso do espaço especialmente para pessoas, dando suporte à passagem e à permanência nos espaços.

A partir do debate iniciado, da leitura histórica e da leitura atual do espaço do Vale, foram constituídos consensos que resultaram numa planta do programa, setorizando as atividades desejadas para o Vale.

Requalificação do Centro

A reurbanização do Vale integra um conjunto de iniciativas para recuperação da região central que envolve um amplo processo de transformação do centro. São diversos projetos públicos, em diversas fases de desenvolvimento, que estão sendo pensados para a região central de São Paulo, que incluem desde amplos processos de transformação até projetos específicos, abordando temas como habitação de interesse social, mobilidade, saúde e lazer.

A requalificação da região central envolve ações como a recuperação dos calçadões na área do Triângulo Histórico – localizado entre as ruas Benjamin Constant, Boa Vista e Líbero Badaró -, o resgate de atividades econômicas, culturais e o incentivo à requalificação de edifícios e terrenos abandonados ou subutilizados, a viabilização do Parque Augusta, do Parque Minhocão, o Projeto de Intervenção Urbana (PIU) Setor Central, a revitalização do Largo do Arouche e Praça Roosevelt, além da concessão da cobertura do Martinelli à iniciativa privada, com programa de curadoria, loja e restaurante.

#Curtir SP

Parabéns, São Paulo! Museus abertos até mais tarde, tributo ao Charlie Brown Jr. e encontro com Supla. Tudo de graça para celebrar os 465 anos da Capital. Bora?

 

Local vai ter telões, palco e bares para a diversão dos torcedores (Foto: Rovena Rosa/ABR/Fotos Públicas)


Copa 2018

Anhangabaú receberá torcedores e Titãs na estreia do Brasil na Copa

Após receber a Fan Fest oficial da Copa de 2014, o Vale do Anhangabaú volta a sediar um evento relacionado ao Mundial em 2018. Uma arena será montada na região central da Capital para as transmissões dos jogos do Brasil, das semifinais e da decisão do torneio, que começa na próxima quinta-feira, 14, na Rússia.

No dia 17 de junho, na estreia da Seleção Brasileira na competição, o público poderá curtir um show dos Titãs no local. A banda, que já possui 35 anos de história, vai apresentar seu repertório de grandes sucessos, como “Epitáfio”, “Flores”, “Sonífera Ilha”, entre outros.

Sergio Britto e Tony Bellotto serão acompanhados por Beto Lee (guitarra), Mário Fabre (bateria) e Lee Marcucci (provisoriamente no baixo, até o retorno de Branco Mello). O público, além de ver o jogo e a apresentação da banda paulistana, poderá comer e beber nos pontos de vendas que serão instalados na arena.

Serviço:

 Data: 17/06/2018

Local: Vale do Anhangabaú, São Paulo – SP

Horário: 17:00h

Gratuito

 


VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL



 
  • Create an account
  • Forgot your username?
  • Forgot your password?
or
or




 

João (Rafael Vitti) ficará em choque ao ver Jerônimo beijar Manu (Foto: João Cotta / TV Globo)


Novelas


Verão 90

 

Luísa (Thaís Melchior) fica nervosa ao atender na padaria Salvador e Débora (Reprodução / SBT)


Novelas

As Aventuras de Poliana

 

Isabel (Alinne Moraes) vai ser presa por atentado contra Cris (Reprodução / TV Globo)


Novelas

Espelho da Vida

 

Jade (Yara Charri) lamenta não ter sido convidada para cantar na Europa (Divulgação / TV Globo)


Novelas

Malhação – Vidas Brasileiras

O Sétimo Guardião

Jesus

Articulistas

  •  

    Cristiano Medina Rocha

    Articulista

  •  

    Célia Leão

    Articulista

  •  

    Edmilson Souza

    Articulista

  •  

    Jorge Tadeu Mudalen

    Articulista

  •  

    Leandro Cano

    Articulista

  •  

    Rodrigo Merli Antunes

    Articulista

  •  

    Sandra Tadeu

    Articulista

Colunistas

  •  

    Mauricio Nunes

    Colunista

  •  

    Tony Auad

    Colunista

 

O Brasil se converteu em um país de desempregados, infortúnio que, desde 2014, vem se acentuando


Opinião

 

Militares das Forças Armadas distribuem rosas na comunidade da Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no Dia Internacional da Mulher de 2018 (Foto: Tania Rego / Agência Brasil)


Opinião

 

A histeria da sociedade tem transformado mentiras evidentes em verdades absolutas (Foto: José Cruz/Agência Brasil)


Opinião


Ponto de vista: Sociedade histérica

 

O Estado de São Paulo é o segundo que mais fatura com o Carnaval, atrás apenas do Rio de Janeiro (Foto: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO)


Opinião

LEIA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS