14
Qua, Nov

Grid List

Pesquisa de boca de urna divulgada na terça-feira, 6, pela CNN aponta que 55% dos eleitores rejeitam Trump (Foto

Mundo

As eleições de meio de mandato nos Estados Unidos, que ocorreram na terça-feira, 6, e elegeram representantes para as 435 cadeiras da Câmara e um terço do Senado, além de 36 dos 50 governadores, tornarão o novo Congresso mais diverso. O perfil dos candidatos que concorreram a uma vaga na Câmara ou no Senado aponta para maior participação feminina e jovem. Pesquisa de boca de urna divulgada na terça-feira, 6, pela CNN aponta que 55% dos eleitores rejeitam Trump enquanto 44% aprovam o ...

Exame facilita acesso de estudantes no ensino superior (Foto: Divulgação)

Mundo

No dia 18 de janeiro, os 5,5 milhões de estudantes que se dedicaram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) finalmente descobrirão qual foi a nota obtida no teste e o quanto este resultado os aproximará do sonho de entrar na faculdade, mas muitos não têm ideia de que além do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é possível também usar a nota para outras instituições, até mesmo estrangeiras. Claro que existe quem já está decidido a ingressar numa faculdade pública por meio do Si ...

Antonio Bernardini saiu satisfeito do encontro com Bolsonaro (Foto: Tânia Rêgo/ABR)

Mundo

O embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, visitou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na manhã desta segunda-feira, 5, para tratar do futuro da relação entre os dois países e discutir a situação do ativista italiano Cesare Battisti, condenado no país europeu por terrorismo. Bernardini deixou o condomínio onde Bolsonaro mora, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, demonstrando satisfação pelo encontro. "O caso Battisti é muito claro. A Itália está pedindo a extrad ...

Presidente norte-americano também criticou política imigratória adotada pelos democratas (Foto: Joyce N. Boghosian/White House/Fotos Públicas)

Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender seus feitos na economia do país, como a baixa taxa de desemprego, os salários mais altos para os trabalhadores americanos, e a forte criação de postos de trabalho, à medida que as eleições de meio de mandato se aproximam. "Se os democratas vencerem, haverá uma bola de demolição gigante contra a nossa economia", afirmou o líder republicano. Em comício realizado na cidade de Huntington, Virgínia Ocidental, Trump voltou ...

No local foram descobertas outras armas e cerca de 30 quilos de dinamite em gel, informou o ministro do Interior, Juan Ernesto Villamayor (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

Três brasileiros que supostamente pertenciam à facção criminosa Comando Vermelho foram mortos nesta quarta-feira, 24, pela polícia paraguaia após uma operação em uma casa em Puerto Franco, a 330 quilômetros de Assunção, na Tríplice Fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina. O procurador Hugo Volpe, que acompanhou a operação, disse que a polícia entrou no local e que os ocupantes reagiram. "Um dos brasileiros mortos tinha um (fuzil) AK-47 em seu poder e outro, um AR-15 calibre ...

Prefeito de NY, Bill de Blasio afirmou que foi um "ato de terror" (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

 Autoridades dos Estados Unidos realizaram uma entrevista coletiva nesta quarta-feira para tratar dos pacotes suspeitos encontrados mais cedo, endereçados a locais como a Casa Branca, residências dos ex-presidentes Barack Obama e Bill Clinton e para a sede da emissora CNN, entre outros. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, qualificou o episódio como um "ato de terror", enquanto o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, afirmou que os pacotes foram "uma tentativa terrorista, um a ...

Segundo órgãos, a democracia americana pode ser afetada (Foto: NASA / Joel Kowsky/Fotos Públicas)

Mundo

Em um comunicado conjunto, o gabinete do diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, o Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês), o Departamento de Justiça (DoJ, na sigla em inglês) e o FBI disseram estar preocupados com "campanhas em andamento" pela Rússia, China, Irã e outros países para minar a confiança na democracia americana. No documento, as agências de inteligência alegaram preocupação com atividades que "procuram influenciar as percepções e a t ...

Ação deixou 17 mortos e 40 feridos (Foto: ASSOCIATED PRESS/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Mundo

Autoridades russas informaram que o ataque em uma faculdade politécnica na Crimeia nesta quarta-feira, 17, foi realizado por um estudante. Vladislav Roslyakov, de 18 anos, foi identificado como o autor do ataque, matando 17 e ferindo mais de 40, antes de cometer suicídio na Faculdade Politécnica Kerch, na cidade de Kerch, no Mar Negro. Inicialmente, o caso foi relatado como uma explosão de gás na cafeteria da faculdade. Depois, autoridades informaram que se tratava de uma explosão causad ...

Primeira-ministra britânica se preocupa com uma possível tensão no Reino Unido (Foto: Number10/Fotos Públicas)

Mundo

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta segunda-feira que a União Europeia consentiu em torno de "explorar" uma "solução aduaneira" que valha para todo o Reino Unido no caso de um eventual acordo do Brexit ainda não estar integralmente em vigor ao fim do período de implementação, em 1º de janeiro de 2021. Essa solução, se futuramente concretizada, serviria como uma "apólice de seguro" para evitar que se erga uma fronteira física entre a Irlanda do Norte, que é ...

Tradicionalmente, o sexo dos herdeiros só é divulgado após o nascimento (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

Horas após o anúncio da gravidez de Meghan Markle, casas de apostas locais já se movimentam em torno do nome do novo "bebê real". Tradicionalmente, o sexo dos herdeiros só é divulgado após o nascimento. Em abril, aconteceu o mesmo com o terceiro filho de Kate Middleton e do príncipe William. O nome mais cotado na ocasião foi Arthur, que era um dos reis mais conhecidos da Inglaterra, seguido de Albert, nome do marido da rainha. Por fim, o casal escolheu Louis Arthur Charles. O duque e ...

Francesa afirmou que Bolsonaro não pertence à extrema direita (Foto: Front Nacional/Fotos Públicas)

Mundo

A líder da extrema direita na França, Marine Le Pen, criticou nesta quinta-feira, 11, o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) por dizer coisas "extremamente desagradáveis", segundo a rádio francesa RFI. Le Pen fez a declaração em entrevista ao canal France 2. "Ele tem dito coisas que são extremamente desagradáveis, que não podem ser transferidas para nosso país, é uma cultura diferente", disse Le Pen, referindo-se a declarações polêmicas de Bolsonaro sobre homossexuais e ...

Furacão matou 13 pessoas na América Central (Foto: NOAA/Fotos Públicas)

Mundo

O furacão Michael se intensificou e atingiu a categoria 2 nas águas quentes do Golfo do México nesta terça-feira, em meio aos temores de que ele possa atingir a Flórida amanhã com ainda mais força. Autoridades determinaram que pessoas na rota provável do furacão deixassem suas casas. O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu as pessoas no noroeste do Estado para a chegada do "furacão monstruoso" em algumas horas, com riscos de mortes por causa dos fortes ventos e temporais. Cerc ...

Prefeito de NY, Bill de Blasio afirmou que foi um "ato de terror" (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

 Autoridades dos Estados Unidos realizaram uma entrevista coletiva nesta quarta-feira para tratar dos pacotes suspeitos encontrados mais cedo, endereçados a locais como a Casa Branca, residências dos ex-presidentes Barack Obama e Bill Clinton e para a sede da emissora CNN, entre outros. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, qualificou o episódio como um "ato de terror", enquanto o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, afirmou que os pacotes foram "uma tentativa terrorista, um ataque terrorista", destinado a provocar medo na população. Cuomo comentou que um pacote foi enviado inclusive para seu próprio escritório e disse que não seria surpresa se outros ainda fossem enviados. "Nossa cidade para alguns é um alvo internacional", disse Cuomo. Comissário de polícia de Nova York, James O'Neill afirmou que aparentemente foi enviado à CNN um pacote com dispositivo explosivo capaz de funcionar. A polícia comentou ainda que foi encontrado um pó dentro de um dos pacotes, que está sendo testado, e que o pacote enviado à emissora parece estar relacionado aos demais. Agente especial do FBI, Bryan Paarmann disse que aparentemente um ou mais indivíduos mandaram vários pacotes suspeitos e que o esquadrão de bombas desativou um dispositivo em um dos pacotes. Apesar de o governador ter falado na possibilidade de outros pacotes terem sido enviados, o prefeito disse na coletiva que "não há outras ameaças dignas de crédito" neste momento. Ainda assim, Cuomo comentou que haveria reforço policial nas ruas, "como precaução". Na entrevista coletiva, Cuomo, do Partido Democrata, ainda fez uma crítica velada ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que tem criticado bastante a oposição nas semanas anteriores à eleição legislativa no país. O governador afirmou que as diferenças políticas devem ser respeitadas, mas pediu que se evite o extremismo. Também do partido oposicionista, Di Blasio afirmou que é preciso "evitar declarações de ódio, inclusive desde o topo".

Segundo órgãos, a democracia americana pode ser afetada (Foto: NASA / Joel Kowsky/Fotos Públicas)

Mundo

Em um comunicado conjunto, o gabinete do diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, o Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês), o Departamento de Justiça (DoJ, na sigla em inglês) e o FBI disseram estar preocupados com "campanhas em andamento" pela Rússia, China, Irã e outros países para minar a confiança na democracia americana. No documento, as agências de inteligência alegaram preocupação com atividades que "procuram influenciar as percepções e a tomada de decisão dos eleitores" nas eleições de meio de mandato deste ano e nas eleições gerais de 2020. De acordo com as agências, as "campanhas em andamento" podem assumir muitas formas. Os exemplos incluem tentativas de influenciar os eleitores por meio de redes sociais, patrocinando conteúdo em língua inglesa, como o canal russo RT, ou "disseminando desinformação por meio de porta-vozes simpatizantes em relação a candidatos políticos e disseminando propaganda estrangeira". Autoridades de inteligência disseram, no ano passado, que a Rússia tentou interferir na eleição presidencial de 2016 por meios similares. Após a divulgação do comunicado, o DoJ acusou uma mulher russa de interferir nas eleições americanas, inclusive no pleito de meio de mandato, que irá ocorrer em novembro, por meio das redes sociais. De acordo com o DoJ, Elena Alekseevna Khusyaynova trabalhou para uma organização cujos integrantes se dedicam a criar conflitos e divisão em interações nas redes sociais. Esse grupo já foi indiciado em fevereiro pelo conselheiro especial Robert Mueller, que investiga a interferência russa na eleição americana de 2016. Fonte: Associated Press.

No local foram descobertas outras armas e cerca de 30 quilos de dinamite em gel, informou o ministro do Interior, Juan Ernesto Villamayor (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

Três brasileiros que supostamente pertenciam à facção criminosa Comando Vermelho foram mortos nesta quarta-feira, 24, pela polícia paraguaia após uma operação em uma casa em Puerto Franco, a 330 quilômetros de Assunção, na Tríplice Fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina. O procurador Hugo Volpe, que acompanhou a operação, disse que a polícia entrou no local e que os ocupantes reagiram. "Um dos brasileiros mortos tinha um (fuzil) AK-47 em seu poder e outro, um AR-15 calibre 5.56. O terceiro estava com uma pistola", afirmou Volpe. No local foram descobertas outras armas e cerca de 30 quilos de dinamite em gel, informou o ministro do Interior, Juan Ernesto Villamayor. Os brasileiros faziam parte de uma quadrilha que planejava resgatar Marcelo Pinheiro Veiga, mais conhecido como Marcelo Piloto, um dos chefes do Comando Vermelho. Veiga está preso no Agrupamento Especializado da Polícia em Assunção. Villamayor explicou que a operação foi resultado de uma ação que monitorou, desde outubro, cinco pessoas que planejavam libertar um líder da facção preso no país. A identificação dos mortos está sendo feita em parceria com a polícia brasileira.No Twitter, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, elogiou a operação. "Seguimos combatendo o crime organizado em todas as suas expressões e lugares." Com agências internacionais.

Ação deixou 17 mortos e 40 feridos (Foto: ASSOCIATED PRESS/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Mundo

Autoridades russas informaram que o ataque em uma faculdade politécnica na Crimeia nesta quarta-feira, 17, foi realizado por um estudante. Vladislav Roslyakov, de 18 anos, foi identificado como o autor do ataque, matando 17 e ferindo mais de 40, antes de cometer suicídio na Faculdade Politécnica Kerch, na cidade de Kerch, no Mar Negro. Inicialmente, o caso foi relatado como uma explosão de gás na cafeteria da faculdade. Depois, autoridades informaram que se tratava de uma explosão causada por um dispositivo caseiro. As informações sobre o ataque a tiros são as mais recentes, e foram relatadas pelo líder regional na Crimeia, Serguei Askyonov. Testemunhas, no entanto, relataram que ao menos algumas das vítimas foram mortas em um ataque perpetrado por um homem armado. Akysonov disse que o estudante, agindo sozinho, se matou depois de realizar o ataque. Segundo o comitê que investiga o crime, Roslyakov foi registrado por câmeras de segurança entrando na faculdade com um rifle e disparando contra estudantes. O comitê afirmou que todas as vítimas morreram de ferimentos a bala, contrastando com as declarações anteriores feitas por outros funcionários, afirmando que os ferimentos eram resultado de uma explosão. Após o ataque, a administração local da península declarou estado de emergência. Além disso, a segurança da ponte que liga a Crimeia com a Rússia foi reforçada, e unidades militares foram colocadas na área ao redor da faculdade. Ainda não está claro se o suposto autor dos tiros detonou a bomba. Segundo o vice-chefe da Guarda Nacional Russa, Serguei Melikov, o dispositivo explosivo era de fabricação caseira. Após a explosão, soldados iniciaram uma inspeção no local em busca de outras possíveis bombas, disse o porta-voz do comitê Antiterrorismo, Andrei Przhezdomsky. Testemunhas do caso não falaram de uma explosão, mas disseram que mais de um homem armado atacou a escola. O jornal Komsomlskaya Pravda citou o estudante Seymon Gavrilov, que disse que adormeceu durante uma palestra e acordou ao som do tiroteio. Ele afirmou que olhou para fora e viu um jovem atirando contra pessoas com um rifle. "Eu tranquei a porta, torcendo para que ele não me ouvisse", disse Gavrilov. Segundo o estudante, a polícia chegou cerca de 10 minutos depois, para retirar as pessoas do local, e ele disse ter visto corpos no chão e paredes chamuscadas, presumivelmente em razão de um incêndio ou explosão. Outro estudante, Yuri Kerpek, disse à agência de notícias estatal RIA Novosti, que o ataque a tiros durou cerca de 15 minutos. A diretora da faculdade, Olga Grebennikova, disse a um canal local que homens armados com rifles invadiram a instituição e "mataram todos os que viram". Grebennikova afirmou que havia deixado o local pouco antes do início do ataque e que funcionários estavam entre as vítimas. A ministra da Saúde da Rússia, Veronika Skvortsova, foi até a área para ajudar na coordenação de assistência aos feridos e helicópteros que transportavam equipes médicas de emergência. A anexação da Crimeia pela Ucrânia na Rússia desencadeou sanções ocidentais. A Rússia também apoiou os separatistas que combatem o governo ucraniano no leste da Ucrânia, um conflito que deixou pelo menos 10 mil mortos desde 2014. Nos últimos anos, as agências de segurança russas prenderam vários ucranianos acusados de tramar ataques terroristas na Crimeia, mas nenhum ataque ocorreu. Fonte: Associated Press

Presidente norte-americano também criticou política imigratória adotada pelos democratas (Foto: Joyce N. Boghosian/White House/Fotos Públicas)

Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender seus feitos na economia do país, como a baixa taxa de desemprego, os salários mais altos para os trabalhadores americanos, e a forte criação de postos de trabalho, à medida que as eleições de meio de mandato se aproximam. "Se os democratas vencerem, haverá uma bola de demolição gigante contra a nossa economia", afirmou o líder republicano. Em comício realizado na cidade de Huntington, Virgínia Ocidental, Trump voltou a fazer comentários negativos sobre a questão imigratória no país. Ele afirmou que os democratas são responsáveis por problemas relativos a crimes em solo americano. "Democratas querem abrir fronteiras para deixar caravanas de imigrantes entrarem aqui. Uma está a caminho e outras três estão se formando. Um congresso republicano indica menos crimes e mais empregos. Um Congresso democrata indica mais crimes e menos empregos. A escolha é simples." Trump disse, ainda, que a votação na Virgínia Ocidental será "poderosa" porque pode definir quem comandará o país. "Estaremos aqui observando os números na próxima terça-feira", afirmou o presidente cujo comício contou com o candidato republicano ao Senado no Estado, Patrick Morrisey. O republicano irá enfrentar o democrata Joe Manchin, que é o atual representante da Virgínia Ocidental no Senado americano. Trump fará outro comício no Estado na próxima segunda-feira.

Exame facilita acesso de estudantes no ensino superior (Foto: Divulgação)

Mundo

No dia 18 de janeiro, os 5,5 milhões de estudantes que se dedicaram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) finalmente descobrirão qual foi a nota obtida no teste e o quanto este resultado os aproximará do sonho de entrar na faculdade, mas muitos não têm ideia de que além do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é possível também usar a nota para outras instituições, até mesmo estrangeiras. Claro que existe quem já está decidido a ingressar numa faculdade pública por meio do Sisu, como é o caso de Guilherme Garbin Leite Moreira de Carvalho, de 17 anos, que pretende cursar odontologia. “Prefiro cursar uma faculdade pública pela qualidade do ensino”, comentou. Mas o Enem é muito mais do que apenas uma nota para universidades públicas. Existem ainda possibilidades de bolsas parciais e integrais pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), faculdades portuguesas que aceitam as notas do teste como vestibular e até faculdades privadas que também aceitam o resultado da prova para substituir o vestibular e, em alguns casos, conceder algum desconto na mensalidade. “É interessante pesquisar, são muitas possibilidades. Claro que o aluno que vai estudar em Portugal deve prestar atenção também no custo de vida, uma vez que tudo lá será pago em euros”, afirmou Daniel Perry, coordenador dos cursinhos Anglo. “Com Enem e Sisu, o aluno tem chances duas vezes ao ano, tanto no primeiro quanto no segundo semestre”, comentou. Para quem vai focar no Sisu, o professor e coordenador do cursinho Maximize, Tony Manzi, afirmou que é preciso acertar as questões fáceis para que o sistema do Ministério da Educação não entenda que houve um chute quando o aluno acertar uma questão difícil, o que pode diminuir a nota. “São quinze questões para cada nível, divididos entre fácil, médio e difícil. Teoricamente, o bom aluno acerta todas as fáceis”, concluiu. Vejas como cursar uma graduação com a nota do Enem: Faculdades e Universidades portuguesas Ao todo, 18 instituições de Portugal, número que deve chegar a 20 no ano que vem, aceitam a nota do Enem para graduação. O único curso cujo Enem não é válido é para medicina, já que a legislação local obriga os estrangeiros a realizar o vestibular. Entre as instituições que aceitam o Enem estão as Universidades de Coimbra, Aveiro e Açores. Cada instituição tem sua meta de corte e seu processo seletivo, por isso é preciso estar atento ao período de inscrições. Sisu O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre inscrições duas vezes ao ano, geralmente em janeiro e junho, por meio do site http://sisu.mec.gov.br/. O aluno pode escolher entre duas opções de curso e instituição e vai disputar uma vaga de acordo com a nota de corte. De acordo com os especialistas ouvidos pela reportagem, é importante que o aluno se mantenha atento a nota de corte do curso desejado durante o período de inscrições, uma vez que pode haver uma variação de acordo com o número de vagas e candidatos. ProUni O Programa Universidade para Todos (ProUni) concede bolsa de estudos parciais (50%) e integrais (100%) para candidatos de acordo com a nota obtida e com a renda familiar. O processo também é feito duas vezes ao ano e é necessário fazer a inscrição pelo site http://prouniportal.mec.gov.br/. Quem tiver interesse em conseguir uma bolsa pelo ProUni já no primeiro semestre de 2019 deve ficar atento ao prazo de inscrição, que vai de 29 de outubro a 19 de novembro. Faculdades Privadas Algumas instituições privadas aceitam a nota do Enem como válidas para substituir o vestibular e até mesmo para concessão de bolsas parciais, mas o candidato precisa verificar a proposta de cada instituição.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

A solução dos problemas começa com um diálogo franco e aberto. Daí ser louvável a reunião agendada para hoje, em Brasília, entre o presidente eleito Jair Bolsonaro e os 27 novos governadores do País. Todos eles têm um grande desafio pela frente, mas, evidentemente, se trabalharem em parceria, e não boicotando o que pode ser bom para o Brasil, haverá grande chance de que os remédios necessários sejam encontrados e o trabalho seja bem feito. Os futuros chefes do Executivo estadual têm muito a contribuir com o presidente eleito. E, politicamente, também têm muito a ganhar, quando o projeto deste novo Brasil der certo. Percebe-se que, aos poucos, as nuvens negras de uma campanha desgastante vão se dissipando, a razão começa a prevalecer e, ao invés de torcer contra, é cada vez maior o número daqueles que preferem alimentar a esperança que a descrença. Aliás, uma célebre frase do escritor latino Públio Siro, diz que “quem perdeu a confiança não tem mais o que perder.” A hora não é para isso. Na verdade, o momento pede que se dê crédito aos novos condutores da Nação e que se guardem as pedras previamente preparadas para serem jogadas na vidraça. E muitos dos novos governadores estão dispostos a ajudar Bolsonaro, inclusive na aprovação da reforma da Previdência, essencial para o ajuste das contas públicas do País. Por sua vez, a maioria das Unidades da Federação também está com suas contas no vermelho, por gastarem mais do que arrecadam, e esperam suporte da União para manter a máquina funcionando. Relatório do Tesouro Nacional, por exemplo, apontou que 16 Estados mais o DF descumpriram a Lei de Responsabilidade Fiscal no ano passado, ao destinar mais de 60% da receita para o pagamento de salários e aposentadorias. Assim, sobra cada vez menos para serviços básicos, como segurança e educação. Os problemas são complexos, daí a necessidade do diálogo e da busca por novas perspectivas. E a reunião de hoje em Brasília, com Bolsonaro e os governadores, oferece exatamente esta oportunidade. Desde agora, a capacidade de cada um deles estará colocada à prova, mas já começam bem, buscando o apoio e o entendimento mútuo, ao invés da divisão pura e simples. No final, quem ganha mesmo com isso é o Brasil e os brasileiros. Ainda bem!
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião