15.2 C
São Paulo
quinta-feira, julho 7, 2022

Copa do Mundo de futebol feminino: Brasil faz 2 a 0, mas leva virada da Austrália


Copa do Mundo de futebol feminino: Brasil faz 2 a 0, mas leva virada da Austrália

Marta fez o primeiro gol, de pênalti, e depois a Cristiane, mas o Brasil não conseguiu segurar o resultado (Foto: Rener Pinheiro / MoWa Press)


Esporte

A seleção brasileira entrou em campo contra a Austrália podendo garantir a classificação para a próxima fase da Copa do Mundo. No primeiro tempo, o Brasil surpreendeu as australianas e abriu 2 a 0 no placar, com gols de Marta, aos 27 minutos, e de Cristiane, aos 38 minutos. Mas aos 46 minutos, Foord descontou para a Austrália.

Na segunda etapa, o Brasil voltou sem Marta e Formiga e as australianas viraram o placar. Logarzo marcou aos 13 minutos e Mônica, contra, fez o terceiro para a Austrália. O Brasil até tentou empatar, mas sentiu na parte física e não conseguiu o empate.

Com o resultado, a seleção continua com três pontos, em segundo lugar no Grupo C. Na última rodada, o Brasil enfrenta a Itália (líder do grupo), que venceram as australianas por 2 a 1 na estreia na competição. A partida será realizada na próxima terça-feira (18).

 

A zagueira francesa Wendie Renard, de 1m87, fez dois gols de cabeça e facilitou caminho das europeias (Foto: Fifa.com)


Esporte

Copa do Mundo de Futebol Feminino: França estreia bem e faz 4 a 0 na Coreia do Sul

A França mostrou força na abertura da Copa do Mundo de futebol feminino, que começou nesta sexta-feira (7) em solo francês, e venceu a Coreia do Sul por 4 a 0. Desde o início, a equipe europeia pressionou e não demorou muito para mudar o placar. Aos 9 minutos, as asiáticas perderam a bola para Amandine Henry ao tentar sair do seu campo. A França adiantou com três jogadoras, com a zaga adversária totalmente desarticuladas. A bola foi lançada para Eugenie Le Sommer próximo à marca do pênalti, que chutou firme. A goleira Kim Minjung ainda tocou na bola, mas não o suficiente para evitar o primeiro gol da Copa do Mundo da França de futebol feminino.

O gol não mudou a intensidade francesa e, aos 26 minutos, foi a vez da zagueirona Griedge Mbock Bathi mandar de novo para as redes, depois de um belo voleio. Mas o VAR revisou a jogada e, para tristeza da torcida francesa, que lotou o estádio Parque dos Princípes, o gol foi anulado por um impedimento milimétrico. Mas aos 35, não teve jeito. Gaetane Thiney cobrou escanteio e a zagueira Wendie Renard, de 1m87, subiu para cabecear e vencer de novo a sul-coreana Kim. E aos 47, praticamente um replay. De novo Renard bateu a partir do corner e a jogadora do Lyon – que esteve nas duas últimas Olimpíadas – não teve dificuldade para, de cabeça, acerta o cantinho direito de Kim. Assim terminou o primeiro tempo, com amplo domínio das francesas e sem que as asiáticas desse um chute ao gol adversário.

No segundo tempo, a França começou a administrar o resultado e diminuiu a pressão. Ainda assim, ficou com a bola, que ia de pé em pé, mas sem mais ameaçar a goleira Kim. Do outro lado, a Coreia do Sul mal conseguia ultrapassar a linha de meio de campo. Só aos 24 minutos, conseguiu o primeiro chute ao gol, com Kang Chaerim, que passou por cima do travessão. Sete minutos depois, a melhor chance das sul-coreanas no jogo. Renard falhou e Lee ficou cara a cara para marcar o gol de honra, mas falhou na execução.

E, conforme a máxima do futebol, quem não faz, toma. No finzinho, Amandine Henry conduziu a bola e chutou cruzado de fora da área para fazer um belo gol. Assim, a camisa 6 e capitã do time francês coroou a bela exibição francesa em sua estreia. O próximo jogo da França é contra a dura Noruega, na quarta-feira (12), às 16h. Já as sul-coreanas decidem seu destino na Copa do Mundo contra a Nigéria, no mesmo dia, as 10h.

 

A final da Copa do Mundo ocorrerá no dia 7 de julho, às 17h, no Estádio de Lyon (Foto: fifa.com)


Esporte

Copa do Mundo de Futebol Feminino: conheça as 24 seleções; Brasil estreia domingo

A França é a sede da 8ª Copa do Mundo de Futebol Feminino. A competição começou nesta sexta-feira (7) com o jogo de abertura entre França e Coreia do Sul. Vitória das francesas por 4 a 0, com mais de 45 mil torcedores no Estádio Parque dos Príncipes. A final ocorrerá no dia 7 de julho, às 17h, no Estádio de Lyon.

Ao todo 24 equipes estão divididas em seis grupos:

Grupo A:

França, Coréia do Sul, Noruega e Nigéria

Grupo B:

Alemanha, China, Espanha e África do Sul

Grupo C:

Austrália, Itália, Brasil e Jamaica

Grupo D:

Inglaterra, Escócia, Argentina e Japão

Grupo E:

Canadá, Camarões, Nova Zelândia e Holanda

Grupo F:

Estados Unidos, Tailândia, Chile e Suécia

GRUPO A

França

Ocupa o 4º lugar no ranking da Fifa. Já participou de três Copas do Mundo. A melhor colocação foi em 2003, quando chegou a fase semifinal. A seleção não participou das eliminatórias por ser o país anfitrião. Se preparou para competição com uma série de amistosos. A técnica é a ex-jogadora Corinne Diacre, a primeira mulher a assumir o comando de uma equipe masculina profissional na França. A capitã da equipe é Amandine Henry, que atua no Olympique Lyonnais.

Coreia do Sul

Ocupa a 14ª posição no ranking da Fifa. Participou de duas Copas do Mundo. O melhor resultado alcançado foi em 2003 – as oitavas de final. O técnico e ex-jogador Yoon Deokyeo comanda a equipe desde 2012. O ponto forte da equipe é a defesa. A Coreia passou pela Copa Asiática sem levar gols e garantiu vaga na Copa da França. A estrela do time é Ji Soyun. A meiocampista atua pelo Chelsea e faz sucesso na liga inglesa.

Noruega

Ocupa a 12ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Garantiu vaga na Copa da França ao liderar o grupo 3 nas eliminatórias europeia. O treinador sueco Martin Sjogren sucede Even Pellerud, o homem que levou a Noruega ao título mundial em 1995. A estrela do time é Maren Mjelde, jogadora do Chelsea.

Nigéria

Ocupa a 38ª posição do rancking da Fifa. Participou de todas as Copas do Mundo. O melhor resultado foi a classificação para as quartas de final em 1991.O título de campeã da Copa da África 2018 alcançado nos penaltis. A recompensa valeu vaga na Copa da França. O treinador da seleção nigeriana é o sueco Thomas Dennerby. O destaque da equipe é a atacante Asisat Oshoala, que joga no Barcelona e eleita melhor jogadora africana três vezes (2014, 2016 e 2017).

GRUPO B

Alemanha

Ocupa o 2º lugar no ranking da Fifa. Participou de todas as Copas do Mundo. É Bicampeã. Na campanha de classificação para Copa na França, sofreu apenas uma derrota contra a Islândia e venceu as outras sete partidas sem levar gols. A técnica é Martina Voss-Tecklenburg. A estrela do time é Dzsenifer Marozsan. A jogadora concorreu ao prêmio de melhor jogadora do mundo em 2018 e ficou na terceira colocação. Atualmente joga no Olympique Lyonnais.

China

Ocupa o 16º lugar no ranking da Fifa. Já participou seis vezes da Copa do Mundo de Futebol Feminino. O primeiro título quase foi alcançado em 1999, quando ficou com o vice-campeonato ao perder para Noruega. A equipe é comandada pelo ex-jogador Jia Xiuquan. A estrela do time é a atacante Li Ying.

Espanha

Ocupa a 13ª posição no ranking da Fifa. Participa do Mundial pela segunda vez. Foi a primeira equipe a confirmar participação na Copa da França de forma invicta nos oito jogos disputados. O técnico Jorge Vilda comanda a seleção espanhola desde 2015, quando iniciou uma renovação na equipe e mudanças táticas. A jogadora Irene Paredes é líder nata e considerada uma das melhores zagueiras do mundo. Apesar de jogar na defesa, a jogadora do Paris Saint-Germain foi a segunda artilheira nas eliminatórias para Copa da França 2019.

África do Sul

Ocupa a 49ª posição no ranking da Fifa. Depois de várias tentativas, conseguiu a oportunidade de participar pela primeira vez da Copa do Mundo. A técnica é Desiree Ellis, pioneira no futebol feminino na África do Sul. A zagueira Janine Van Wyk, que atua no time americano Houston Dash, soma 160 convocações para defender a seleção sul-africana.

GRUPO C

Austrália

Ocupa a 6ª posição no ranking da Fifa. Disputou seis Copas do Mundo. O melhor resultado foi a classificação para as quartas de final em 1995. As Matildas são vice-campeãs da Copa da Ásia de Futebol Feminino. O técnico da equipe é o croata Ante Milicic e a estrela do time é atacante Sam Kerr.

Itália

Ocupa a 15ª posição do ranking da Fifa. Disputou duas Copas do Mundo. O melhor desempenho foi em 1991 quando foi eliminada nas quartas de final. A seleção italiana carimbou o passaporte para a França com uma atuação impecável. Registrou apenas uma derrota contra a seleção belga quando a classificação já estava garantida. As italianas são comandadas pela técnica Milena Bertolini há 15 anos. A estrela do time é Barbara Bonansea, que atua no meio de campo e ataque.

Brasil

Ocupa a 10ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. O melhor resultado foi o vice-campeonato em 2007. A seleção canarinho é campeã da Copa América 2018. A conquista levou a equipe à Copa da França. O treinador é Vadão. Ele já comandou a seleção feminina na Copa do Canadá (2015), venceu o Pan-Americano (2015), ficou em 4º lugar nas Olimpíadas 2016 e venceu a última Copa América. Dentro de campo, além de Marta (eleita a melhor jogadora do mundo seis vezes e a maior artilheira da história do Mundial), a seleção brasileira também conta com Formiga (a única jogadora que participou de todas as Copas do Mundo).

Jamaica

Ocupa o 53º lugar no ranking da Fifa. É o primeiro país caribenho a participar de uma Copa do Mundo de Futebol Feminino. Garantiu a vaga no Mundial da França ao eliminar o Panamá nos pênaltis. As estreantes são comandadas pelo experiente técnico Hue Menzies desde 2014. A estrela do time é a atacante Jody Brown.

GRUPO D

Inglaterra

Ocupa o 3º lugar do ranking da Fifa. Já participou quatro vezes da Copa do Mundo. A melhor posição foi o 3º lugar em 2015. Confirmou participação na Copa da França ao terminar em primeiro lugar no Grupo 1 da Eurocopa. O técnico é Phil Neville, ex-jogador do Manchester United. A atacante Fran Kirby, que atua no Chelsea, é a principal aposta da equipe inglesa.

Escócia

Ocupa a 20ª posição no ranking da Fifa. Participa pela primeira vez da Copa do Mundo. A ex-capitã escocesa Shelley Kerr foi a primeira mulher a ser técnica de um time masculino sênior no Reino Unido. Assumiu o comando da seleção em 2017. Uma das principais jogadora da equipe é Kim Little. A atacante já representou a Grã-Bretanha nas Olimpíadas de 2012 e agora, pela primeira vez, participará de uma competição representando a Escócia.

Argentina

Ocupa a 37ª posição no ranking da Fifa. Participou de dois Mundiais. Nunca passou da fase de grupos. Garantiu vaga na Copa da França pela repescagem ao eliminar o Panamá. O treinador é Carlos Borrello. A capitã é a meio-campista Estefania Banini, que atua no time espanhol Levante.

Japão

Ocupa a 7ª posição do ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Disputou duas finais e conquistou o primeiro título em 2011. É o atual campeão asiático de futebol feminino. A técnica da seleção japonesa é a ex-jogadora Asako Takakura-Takemoto. A estrela do time é Mana Iwabuchi. Esta será a terceira participação em Copa do Mundo da atacante que despontou para o futebol mundial aos 15 anos.

GRUPO E

Canadá

Ocupa a 5ª posição do ranking da Fifa. Soma seis participações em Copas do Mundo. O melhor resultado conquistado foi o 4º lugar em 1995. As canadenses não encontraram dificuldades para chegar até a disputa na França. Sofreram apenas uma derrota contra as americanas na fase de classificação. O técnico da equipe é o dinamarquês Kenneth Heiner-Moller. A atacante e artilheira Christine Sinclair participa pela quinta vez do Mundial, joga no time americano Portland Thorns FC.

Camarões

Ocupa a 46ª posição do ranking da Fifa. Participa pela segunda vez Copa do Mundo de Futebol Feminino. O melhor resultado foi em 2015 quando avançou para as oitavas de final. A equipe é comandada pelo técnico Alain Djeumfa. A estrela do time é a atacante Gabrielle Onguene, que joga no PFC CSKA Moscow.

Nova Zelândia

Ocupa a 19ª posição no ranking da Fifa. Participou quatro vezes da Copa do Mundo, mas nunca passou da primeira fase. É a atual campeã da Copa da Oceania. Conquistou vaga no Mundial ao vencer o Peru na repescagem intercontinental. O técnico da Nova Zelândia é escocês o Tom Sermanni, que já disputou três copas. A equipe conta com a também veterana Ali Riley, que atua no Chelsea.

Holanda

Ocupa o 8º lugar do ranking da Fifa. Na única vez que participou da Copa do Mundo (2015), foi eliminada nas oitavas de final. Desta vez, garantiu vaga na Copa da França pela repescagem. A técnica da seleção holandesa é Sarina Wiegman, eleita a melhor treinadora da Europa em 2017. A atacante Lieke Martens, que joga no Barcelona, foi eleita a melhor jogadora da Europa em 2017.

GRUPO F

Estados Unidos

A líder do ranking da Fifa participou de todas as edições da Copa do Mundo. As americanas são campeãs da América do Norte, Central e Caribe de 2018. O título garantiu vaga na Copa da França 2018. A técnica é Jill Ellis. Em 2015, ela recebeu o título de melhor treinadora mundial feminina, mesmo ano em que conquistou o tricampeonato mundial. Julie Ertz é uma das principais jogadoras da equipe. Apesar de jogar na defesa já provou que é marcadora de gol também. Ela chega à Copa da França de 2019 no auge da sua carreira. Atualmente joga no Chicago Red Stars.

Tailândia

Ocupa a 34ª posição no ranking da Fifa. Participa pela segunda vez da Copa do Mundo. Confirmou vaga no mundial da França ao terminar em quarto lugar na Copa da Ásia, em uma disputa nos pênaltis contra a Austrália nas quartas de final. A equipe é comandada pela treinadora Nuengruethai Sathongwien. A seleção tailandesa conta com a atacante veterana Kanjana Sungngoen, jogadora veloz e forte do time.

Chile

Ocupa a 39ª posição no ranking da Fifa. A estreante na Copa da França 2019 é vice-campeã da Copa América de Futebol Feminina 2018. O técnico da equipe é o ex-goleiro Jose Letelier. Ele também soma títulos no futebol feminino desde 2010 e está a frente da seleção chilena desde 2015. A capitã do time é a goleira Christiane Endler, que atua no Paris Saint-Germain.

Suécia

Ocupa a 9ª posição no ranking da Fifa. Participou de todas as edições da Copa do Mundo. Confirmou a vaga no mundial ao terminar em primeiro lugar do grupo 4 na fase eliminatórias para França 2019. O experiente técnico Peter Gerhardsson já treinou também a seleção masculina e outras categorias. Uma das principais jogadoras é Stima Blackstenius, uma atacante rápida, ágil e com chute forte. Joga no time sueco Linköpings FC.

 

Para a Copa do Mundo de futebol feminino de 2023, a Fifa recebeu nove candidaturas, incluindo as do Brasil e Coreia do Sul (Foto: Ricardo Stuckert / CBF)


Esporte

Com Brasil e Coreias, Fifa tem recorde de candidaturas para Mundial Feminino


A Fifa anunciou nesta terça-feira, 19, os países que apresentaram interesse em sediar o Mundial Feminino de 2023. Em um número recorde para a competição realizada de quatro em quatro anos, a entidade recebeu nove candidaturas. Entre elas estão as do Brasil e da Coreia do Sul, que expressou a vontade de se juntar à vizinha Coreia do Norte.

Além do Brasil e das Coreias, as outras sete candidaturas para sediar o evento são: Argentina, Austrália, Bolívia, Colômbia, Japão, Nova Zelândia e África do Sul. Nenhum dos concorrentes recebeu o torneio até hoje e essa é a maior lista de interessados desde o começo da competição, em 1991.

De acordo com a Fifa, os países têm até o próximo dia 16 de abril para submeter os seus projetos para apreciação da entidade. Esses planos serão divulgados no site da Fifa em outubro. A escolha da sede está programada para março do ano que vem.

A Fifa comunicou que será realizado um processo de seleção “justo e transparente”, além de buscar nas candidaturas um compromisso concreto com a sustentabilidade e os direitos humanos.

China (em 1991 e 2007) e Estados Unidos (1999 e 2003) já receberam o Mundial em duas oportunidades. As outras edições aconteceram na Suécia (1995), Alemanha (2011) e Canadá (2015). A próxima edição será na França, de 7 de junho a 7 de julho deste ano. O Brasil está no Grupo C e estreia no dia 9 contra a Jamaica. Quatro dias depois, enfrenta a Austrália. E encerra a participação na primeira fase diante da Itália, no dia 18.
 

Brasil só precisa empatar contra a Colômbia para ganhar a Copa América (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)


Futebol

Seleção feminina vence Argentina e se classifica para o Mundial

Horas após fazer sua parte, com vitória sobre a Argentina, a seleção brasileira feminina de futebol assegurou na noite desta quinta-feira a vaga no Mundial da França, no próximo ano. A vaga foi garantida com o empate entre Chile e Colômbia, na sequência do quadrangular final da Copa América, no Chile.

Com este resultado, o Brasil só pode ser alcançado por uma das outras seleções do quadrangular. E, como a Copa América garante duas vagas no Mundial, a equipe brasileira está classificada. A terceira colocada da competição continental terá que disputar repescagem com a Concacaf para tentar a vaga na Copa do Mundo.

A seleção brasileira lidera o quadrangular final da Copa América com seis pontos. A Argentina derrotada pelas brasileiras por 3 a 0 nesta quinta, vem em segundo lugar, com três pontos e é a única que pode alcançar o Brasil na rodada final desta fase, no domingo.

Na última rodada do quadrangular, o Brasil enfrentará a Colômbia. E só precisa de um empate para sacramentar o título da Copa América. Argentina e Chile farão o outro confronto.


VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

times paulistas

Corinthians

 

Palmeiras

 

Santos

 

São Paulo

 



 
  • Create an account
  • Forgot your username?
  • Forgot your password?
or
or




Articulistas

  • Sample avatar

    Cristiano Medina Rocha

    Articulista

  • Sample avatar

    Célia Leão

    Articulista

  • Sample avatar

    Edmilson Souza

    Articulista

  • Sample avatar

    Jorge Tadeu Mudalen

    Articulista

  • Sample avatar

    Leandro Cano

    Articulista

  • Sample avatar

    Rodrigo Merli Antunes

    Articulista

  • Sample avatar

    Sandra Tadeu

    Articulista

Colunistas

  • Sample avatar

    Mauricio Nunes

    Colunista

  • Sample avatar

    Tony Auad

    Colunista

 

A fila de desempregados no Centro de São Paulo revela o verdadeiro problema

O Brasil se converteu em um país de desempregados, infortúnio que, desde 2014, vem se acentuando


Opinião

 

Dia Internacional da Mulher: dia de luta

Militares das Forças Armadas distribuem rosas na comunidade da Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no Dia Internacional da Mulher de 2018 (Foto: Tania Rego / Agência Brasil)


Opinião

 

STF

A histeria da sociedade tem transformado mentiras evidentes em verdades absolutas (Foto: José Cruz/Agência Brasil)


Opinião


Ponto de vista: Sociedade histérica

 

Bloco de carnaval

O Estado de São Paulo é o segundo que mais fatura com o Carnaval, atrás apenas do Rio de Janeiro (Foto: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO)


Opinião

LEIA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS