12.4 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022

Combate à poluição aquática auxilia financeiramente pescadores em SP

O trabalho de pesca em São Paulo ganhou um alicerce fortificante por parte da Fundação Florestal (FF). Conectada à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado paulista, o órgão criou o projeto Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) Mar Sem Lixo. O projeto visa incentivar a coleta de resíduos junto ao crustáceo.

Dessa maneira, essa iniciativa tem sido exemplo para outros países, visto que ganhou repercussão em eventos mundiais como a Conferência dos Oceanos, da Organização das Nações Unidas (ONU), em Lisboa.

“Percebemos que os problemas são os mesmos e as soluções estão aí. Tivemos uma conversa boa com o governo de Portugal para a gestão de áreas protegidas e com o governo de Moçambique, que também tem problemas de ordenamento sustentável da pesca e do lixo no mar. A ideia é que a gente possa avançar nas parcerias”, explicou Rodrigo Levkovicz, diretor executivo da Fundação Florestal-SP, em entrevista à revista EXAME.

Segundo ele, o projeto remunera, há três meses, pescadores com vales alimentação de até R$ 600 em Ubatuba, Cananéia e Itanhaém. “Quando eles jogam a rede no fundo do mar vem o camarão e o lixo. Alguns pescadores já traziam o lixo e deixavam em postos de coleta, e outros não. Agora, todos são incentivados pelo pagamento”, declarou.

Essa iniciativa também compreende prefeituras municipais para endereçar o lixo de forma adequada, além de catadores de lixo e cooperativas de reciclagem. A intenção do projeto é propor visibilidade à temática e conscientizar a causa do lixo, sobretudo, pelas áreas urbanas.

Um estudo realizado pelo Blue Keepers, projeto com apoio da Plataforma de Ação pela Água e Oceano do Pacto Global da ONU no Brasil, contabiliza que cada brasileiro pode ter responsabilidade por poluir os mares com 16kg de plásticos por ano.

No total, isso gera cerca de 3,44 milhões de toneladas do material no meio ambiente, isto é, 1/3 do plástico produzido no país com risco de chegar ao oceano.

LEIA MAIS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS