19
Sex, Out

Grid List

Índices de vacinação apresentam queda entre as crianças paulistas nos últimos anos (Foto: Marcelo Camargo/ABR)

Saúde

A vacinação infantil no Brasil sempre foi vista como algo importante para garantir a saúde das crianças. No entanto, de uns tempos para cá, o assunto foi perdendo relevância, resultando na pior taxa de adesão dos últimos 16 anos, segundo dados do Ministério da Saúde. Parte desta queda se deve ao próprio sucesso do programa de imunizações. Isto porque muitas doenças, antes comuns no passado, foram erradicadas ou tiveram uma diminuição significativa no número de casos, dando a im ...

Produtos devem estar dentro do prazo de validade e não podem ser usados por outras pessoas (Foto: Divulgação)

Saúde

Eles têm a tarefa de embelezar e ressaltar a beleza das pessoas. No entanto, nem sempre os produtos de maquiagem conseguem cumprir este papel. Isso porque muitas vezes estes cosméticos podem desencadear irritações e alergias, além de manchas, acnes e flacidez em todo o rosto. Geralmente, este tipo de reação ocorre por conta de algum componente alérgeno presente na formulação, determinados conservantes e até mesmo fragrâncias. No entanto, nem sempre a culpa pela reação é exclusiva ...

Idosos são os mais afetados por este tipo de câncer e dor nas costas pode ser sinal de alerta (Foto: Divulgação)

Saúde

De uma hora para outra uma dor nas costas persistente começa a chamar a atenção. Se o incômodo for acompanhado de anemia e alteração na função renal, acenda o sinal de alerta. Estes são os principais sinais do mieloma múltiplo, um tipo de câncer raro, que não tem cura, e que atinge, na maioria dos casos, pessoas idosas, com mais de 60 anos. Estima-se que no mundo existam cerca de 230 mil pessoas convivendo com a doença, número que, no Brasil, oscila entre 7 mil e 8 mil casos anuais ...

Cigarro traz sérias complicações à saúde, apontam especialistas (Foto: Divulgação)

Saúde

Quase três a cada quatro pacientes diagnosticados com câncer de bexiga no Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo são ou eram fumantes, segundo levantamento feito pela própria instituição e divulgado ontem.   Entre as 1.130 cirurgias realizadas no hospital para retirada deste tipo de tumor, desde 2013, 854 foram feitas em homens e 276 em mulheres. No total, 823 pacientes relataram ter o vício, sendo 657 do gênero masculino e 169 do feminino, o equivalente a 73% dos pacientes. ...

Durante as crises de asma, pacientes costumam apelar para as bombinhas para conseguir respirar (Foto: Divulgação)

Saúde

Seis pessoas morrem diariamente no Brasil por causa da asma, uma doença respiratória crônica, de origem genética, e que causa inflamação e obstrução das vias aéreas. Entre os principais sintomas de asma estão chiado, tosse, sensação de aperto no peito e falta de ar, sinal este que pode levar à morte, dependendo da gravidade. Geralmente, estes incômodos costumam se manifestar à noite, no meio da madrugada, quando os brônquios fecham. “Tem doentes que têm crises diferentes, com ...

Dores na região pélvica e após a relação sexual podem indicar a presença de miomas (Foto: Divulgação)

Saúde

Quando de uma hora para outra a mulher passa a sentir dores pélvicas, mais precisamente na região mais baixa do abdome, e percebe que o fluxo menstrual está muito mais intenso e irregular, é bom acender o sinal de alerta: é possível que esteja com mioma uterino, doença que costuma atingir mulheres em idade reprodutiva – na faixa dos 30 a 50 anos – e que forma tumores pélvicos benignos, dentro ou fora do útero. Estima-se que 75% das mulheres desenvolverão este problema ao longo da v ...

Controle de peso e do nível de gordura ajudam mulheres (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Saúde

Cerca de 10 mil novos casos de câncer, entre eles o de mama e o de cólon, poderiam ser evitados no Brasil se houvesse mais adesão à prática da atividade física entre a população. Os resultados fazem parte de uma pesquisa feita no Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em parceria com a Universidade de Harvard, Universidade de Cambridge e Universidade de Queensland. Um artigo sobre o assunto foi publicado na revista científica internacional Cancer Ep ...

Souza e Letícia estão na expectativa da chegada de Liv (Foto: Arquivo Pessoal)

Saúde

Você está tranquilo e calmo quando, de repente, um acontecimento impactante muda a sua vida e permeia seus pensamentos pelos próximos nove meses: você vai ser pai! Foi essa notícia que transformou a rotina de Danilo Souza, que vai ser pai em setembro, aos 19 anos de idade. “Foi uma surpresa! Descobrimos a gravidez quando ela [Letícia, também de 19 anos, namorada de Danilo] já estava com dois meses de gestação. Mas eu sabia que era uma grande responsabilidade. Quando contei à minha ...

Antônio busca fazer Bruno feliz a cada dia (Foto: Rômulo Magalhães)

Saúde

Quando Antônio Marques de Carvalho decidiu ter mais um filho, aos 60 anos, ele não estava pensando nele, mas na mulher, Raquel Matias, de 39 anos. Ele já tinha dois filhos, mas a companheira ainda não havia experimentado a maternidade. Até que, depois de quase dez anos de relacionamento, a vontade dela de ser mãe se tornou realidade e, o pai, mais experiente e com mais tempo disponível do que na criação dos dois primeiros filhos, revelou que o garoto, Bruno Martins de Carvalho, de sete ...

Fatores psicossociais, como dupla jornada e excesso de trabalho, podem levar à depressão (Foto: Divulgação)

Saúde

Tristeza, cansaço extremo, falta de disposição e interesse, perda ou ganho de peso excessivo, pessimismo. Estes são alguns dos sintomas de depressão, que atinge mais de 322 milhões de pessoas em todo o mundo e 11,5 milhões de brasileiros (cerca de 5,8% de pessoas), segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Brasil, aliás, é o quinto país mais depressivo do mundo, ficando atrás somente de Ucrânia (6,3%), Austrália (5,9%), Estônia (5,9%) e Estados Unidos (5,9%).  Chamada ta ...

Massoterapeuta só respondeu uma pergunta na delegacia (Foto: ARMANDO PAIVA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Saúde

Policiais do 42º DP (Recreio) prenderam nesta segunda-feira, 6, a massoterapeuta Patrícia Silvia dos Santos, conhecida Paty Bumbum, de 47 anos. Segundo informações da TV Globo, a prisão foi feita no bairro de Curicica, na zona oeste do Rio de Janeiro. Patrícia já havia sido presa no dia 25, acusada de realizar procedimentos estéticos irregulares em uma clínica localizada na região de Jacarepaguá. Na quarta-feira, ela prestou depoimento à Delegacia do Consumidor (Decon) do Rio de Ja ...

Hospitais recorrem à filantropia para captar doações (Foto: Ascom/Hol/Fotos Públicas)

Saúde

Com o objetivo de conseguir doações alguns hospitais estão investindo na forma de capitação, para assistência, ensino e pesquisa contra o câncer. Hospitais como A.C. Camargo Câncer Cente, Incor e Hospital das Clinicas desenvolveram métodos para incentivar a filantropia. O primeiro está abrindo um escritório somente para buscar doadores. O Incor planeja lançar até o final desse semestre o programa Incor+100, que tem a expectativa de alcançar um volume de R$ 100 milhões em doaçõ ...

Produtos, se não descartados ou esterilizados, podem contagiar doenças (Foto: Divulgação)

Saúde

Não são poucas as doenças que podem ser contraídas na manicure. A lista de doenças transmissíveis é extensa e estas podem ocorrer não só por meio da contaminação via alicate da unha.  Lixa, tesourinha, empurrador, palito e até mesmo o esmalte podem transmitir doenças desencadeadas por vírus, fungos e bactérias. E estes indesejados micro-organismos são capazes de gerar problemas como hepatites B e C, micoses, sífilis e até mesmo a Aids. “O problema maior são ferimentos que podem ocorrer na hora da retirada da cutícula. Se houver sangramento e o material não estiver esterilizado de forma devida pode haver transmissão de várias doenças”, afirma Roberto Focaccia, livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). Ele lembra ainda que a cutícula é a grande protetora da unha, pois impede a entrada de vírus e fungos. Por isso não deve ser retirada, somente empurrada para dentro. Focaccia explica que o ideal para evitar qualquer tipo de contágio é que cada pessoa leve o seu próprio material de uso (incluindo o esmalte) ou que o profissional utilize produtos descartáveis. No que se refere a esterilização, não basta os produtos ficarem na autoclave por alguns instantes. Os equipamentos devem permanecer por no mínimo uma hora a 170 graus e ser lavados previamente. “Esses procedimentos são necessários para matar estes micro-organismos. Vale lembrar que muitos resistem se estiverem dentro de uma célula. Então, por exemplo, uma célula do sangue que contenha qualquer tipo de micro-organismo, e estiver no equipamento, se este não for lavado, há o risco de que continue vivo”, explica o professor. E não se pode menosprezar os riscos. As hepatites, por exemplo, desenvolvem de forma silenciosa e, muitas vezes, só se chega ao diagnóstico muitos anos depois, após o aparecimento de alguns sintomas característicos. Os principais indicativos da doença são olhos amarelos, febre, urina escura e a dor abdominal. Se não tratada devidamente, pode gerar problemas mais graves, como tumores no fígado. Já as micoses são mais fáceis de serem detectadas, mas não menos simples de serem tratadas. O cuidado costuma incluir medicamentos tópicos e orais, que devem ser mantidos por cerca de um ano.  Esmaltes contaminados Apesar dos componentes químicos presentes na formulação de um esmalte, existe a possibilidade de vírus, fungos e bactérias se desenvolverem dentro do produto. Por isso, por intermédio do uso de esmalte contaminado, pode se contrair diversos tipos de doenças, que incluem não só hepatites e micoses, como também alergias. Tânia Cardoso, diretora da Blant, especializada no tratamento das unhas, ressalta que é importante cuidar da saúde das unhas e ter o seu próprio kit, que inclui alicate, tesourinha, palito, lixa, base e esmalte. Lixas e palitos devem ser descartáveis, para evitar a proliferação de fungos . “Quando os utensílios estão contaminados, o fungo, vírus ou bactéria fica encubado dentro do esmalte. E a ação desse componente, ao ser aplicado em uma unha saudável, é desastrosa”, conclui.  Manicure e pedicure – como se proteger da contaminação Ter o seu próprio kit (equipamentos e esmaltes) Pedir para a manicure usar luvas descartáveis Confirmar se os equipamentos são esterilizados Caso não tenha o kit próprio, usar todos os materiais descartáveis  

Vários fatores podem aumentar as chances de ataque cardiovascular; consulta ao médico é recomendada (Foto: Divulgação)

Saúde

As doenças cardiovasculares ainda são as que mais matam no mundo, segundo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS).  São mais de 17,5 milhões mortes por ano, sendo o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC) as patologias mais frequentes dentro desse contexto. No Brasil, as estatísticas também não são animadoras. Dados da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) revelam que, só entre os meses de janeiro e agosto de 2018, 260 mil pessoas morreram por conta de algum tipo de doença cardiovascular, número que, até o final do ano, deve chegar a 400 mil. Entre as patologias relacionadas ao coração que mais atingem os brasileiros está a insuficiência cardíaca. A doença afeta quase 3 milhões de pessoas, mata até três vezes mais que os casos de câncer avançado e 50% dos acometidos não sobrevivem após cinco anos do diagnóstico. Aumento da expectativa de vida, sedentarismo, obesidade, estresse e uma má alimentação estão entre os fatores para o surgimento do problema, que costuma vitimar pessoas acima de 60 anos, mas também pode ocorrer em crianças e adolescentes, em situações mais raras. “A insuficiência cardíaca é a condição onde o músculo cardíaco passa a não ser capaz de estabelecer um bombeamento adequado de sangue para os outros órgãos. Ela tem várias causas e uma delas é a necrose de parte desse músculo devido ao infarto. Quanto maior o infarto, maior o grau de comprometimento muscular e maior a chance de se desenvolver a insuficiência cardíaca pós-infarto”, diz César Rocha Medeiros, cardiologista intervencionista e diretor de comunicação da SBHCI.  A insuficiência cardíaca não é uma doença única e pode ser ocasionada por vários problemas. A principal causa ainda são as doenças coronarianas, seguida das doenças ligadas a pressão alta (hipertensão) e não tratadas, além de cardiomiopatias dilatadas idiopáticas que podem ocorrer devido a infecções, por exemplo. “No Brasil, especificamente, cerca de 10% dos casos de insuficiência cardíaca também ocorre por conta da doença de Chagas”, relata Paulo Bertini, doutor em cardiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e fellow pelo Colégio Americano de Cardiologia.  Segundo ele, entre os sintomas mais frequentes estão a sensação de cansaço aos pequenos esforços, falta de ar (mais acentuada durante a noite, quando se está deitado), pernas inchadas e coração acelerado. O diagnóstico é realizado por intermédio de exame clínico e de exames laboratoriais como eletrocardiograma, ecocardiograma, um exame de sangue para medir o BNP (peptídeo natriurético cerebral) e, em alguns casos, raios X de tórax, para averiguar se existe líquido nos pulmões. Em casos mais específicos, cateterismo e ressonância magnética também são solicitados. “Primeiramente, é necessário tratar as causas e descobrir o que está causando a insuficiência cardíaca, para realizar o tratamento adequado. No que se refere a medicação, geralmente o tratamento é feito com betabloqueadores, espironolactona e inibidores da enzima de conversão. Recentemente, outro medicamento, Sacubitril/Valsartana (cujo nome comercial é Entresto), tem sido indicado para o tratamento da doença com excelentes resultados”, afirma Bertini.  Insuficiência cardíaca: como prevenir  Atividade física e alimentação adequada são primordiais para reduzirem as chances do acometimento de doenças cardiovasculares, já que essas ações reduzem diretamente os fatores de risco para esse evento. Uma alimentação balanceada (contendo mais produtos naturais e menos produtos industrializados), aliada a exercícios físicos regulares e redução do consumo de sal ajudam a controlar pressão arterial, diabetes, colesterol, obesidade e o estresse. César Rocha Medeiros, cardiologista intervencionista e diretor de Comunicação da SBHCI, esclarece algumas dúvidas no que se refere às doenças cardíacas.  Mulheres com problemas cardíacos podem tomar pílula anticoncepcional? Sob supervisão médica, sim. Há que se avaliar individualmente a medicação e a gravidade do problema cardíaco.  Amamentar faz a mulher ter menos chances de ter uma doença cardiovascular? A mulher em período fértil está relativamente protegida das doenças cardiovasculares pelos hormônios comuns nessa fase, o que não quer dizer que os fatores de risco não devam ser controlados.  É possível limpar naturalmente artérias do coração que estão ficando entupidas? É possível retardar ou mesmo frear o processo de aterosclerose com o controle dos fatores de risco. Alimentação adequada e atividade física podem ser encaradas como métodos naturais de fazê-lo. Remover placas de gordura que já estão estabelecidas não é possível senão por métodos invasivos.  

Câncer de cólon e reto pode atingir 36 mil pessoas neste ano (Foto: Divulgação)

Saúde

O câncer colorretal (de intestino) costuma se desenvolver sem apresentar sintomas aparentes e já é o terceiro tipo de neoplasia com maior incidência no Brasil. Entre as mulheres, só perde para o câncer de mama e, entre os homens, a patologia aparece em terceiro lugar, ficando atrás somente dos de próstata e pulmão, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), que estima o surgimento de 36 mil casos desta patologia até o final de 2018.  A doença pode surgir em qualquer parte do intestino grosso e em algumas regiões do reto, e sua primeira manifestação no organismo é por meio dos pólipos, tecidos que se desenvolvem em forma de verrugas ou cogumelos. Na maioria das vezes, os pólipos são assintomáticos e sua manifestação só costuma ser detectada quando há sintomas como sangramento nas fezes, dor abdominal e mudança dos hábitos intestinais. Por isso, costuma se dizer que é uma doença silenciosa, e os exames preventivos são a grande arma para fazer o rastreamento e prevenção. “O tipo colorretal é o único câncer previsível que existe. Ele tem mais de 90% de chances de cura, se detectado precocemente, e, por isso, é importante que os exames preventivos sejam realizados sazonalmente”, afirma Maria Cristina Sartor, membro da Comissão de Prevenção do Câncer Colorretal da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed).  A recomendação, para as pessoas que não possuem histórico familiar ou antecedentes de doenças relacionadas ao trato intestinal, é de que os exames preventivos aconteçam a partir dos 50 anos. Contudo, em um estudo da Sociedade Americana do Câncer, publicado recentemente, foi concluído que esta idade deve ser antecipada em cinco anos. Entre os exames solicitados estão o sangue oculto nas fezes, o teste imunoquímico fecal (FIT) e a colonoscopia. Caso seja detectada a presença de pólipos durante a realização da colonoscopia, o médico pode, na mesma hora, retirá-lo. “Isto vai impedir a evolução da doença, pois interrompemos o ciclo. Contudo, vale lembrar que, uma vez que o organismo foi capaz de formar um pólipo, ele pode gerar outros. Por isso, a prevenção deve ser periódica”, explica a Dra. Maria Cristina.  Os principais sintomas do câncer colorretal são sangramento ao evacuar, alteração do hábito intestinal (com oscilações de diarreia e prisão de ventre), sensação de estufamento e cólicas abdominais, emagrecimento e anemia. No entanto, vale destacar que outras doenças podem gerar os mesmos sintomas e só um acompanhamento médico, aliado a exame clínico e exames laboratoriais podem chegar, de fato, ao diagnóstico. O tratamento vai depender de fatores como localização do tumor, estágio, se houve ou não metástase e imunidade do paciente. Mas, de uma maneira geral, costuma envolver cirurgia, quimioterapia e, em alguns casos, sessões de radioterapia. “O método laparoscópico veio trazer as vantagens da cirurgia minimamente invasiva ao tratamento, incluindo menores incisões abdominais, menor tempo de recuperação, menor dor pós-operatória e maior rapidez de início da quimioterapia”, declara Ulysses Ribeiro, coordenador do Serviço de Cirurgia Oncológica do HCor.   Alimentos que causam câncer colorretal Uma alimentação saudável, aliada a atividade física e a ingestão regular de água são os grandes aliados para combater o câncer colorretal. Estima-se que a alimentação inadequada, composta de gorduras, excesso de proteínas e alimentos industrializados chega a desencadear 20% dos casos de câncer no País. “A dieta deve ser rica em fibras, com alimentos como frutas frescas, cereais, verduras, legumes, grãos e sementes”, descreve Ulysses Ribeiro, coordenador do Serviço de Cirurgia Oncológica do HCor. De acordo com o especialista, associado a estes hábitos, deve-se parar de fumar, diminuir o consumo de bebidas alcoólicas e de quantidades altas de carne vermelha. A recomendação é o consumo máximo de 300 gramas de carne vermelha por semana.   Incidência de câncer no Brasil 2018-2019  Pele não melanoma: 165.580 casos Próstata: 68.220 casos Mama feminina: 59.700 casos Cólon e reto (câncer de intestino): 36.360 casos Pulmão – 31.270

Segundo dados do Ministério da Saúde, 74% dos óbitos no Brasil acontecem por doenças associadas à obesidade (Foto: Reprodução/Pixabay)

Saúde

 Considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) uma doença em epidemia, a obesidade está longe de ser apenas um desafio individual a ser superado - estudos indicam que o excesso de peso já é a segunda maior causa de mortes no mundo. Segundo dados do Ministério da Saúde, 74% dos óbitos no Brasil acontecem por doenças associadas à obesidade. Apesar disto, ela não é vista como doença por grande parte das pessoas, incluindo os próprios pacientes. Para atrair atenção sobre a gravidade da situação e fortalecer o olhar sobre a obesidade enquanto doença crônica, a ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), em conjunto com a empresa global de saúde Novo Nordisk, lança a terceira edição da campanha Saúde não se pesa. O movimento está alinhado ao Dia Mundial da Obesidade, 11 de outubro. Este ano, com o mote "Obesidade é o que você não vê: chegou a hora de colocar uma luz sobre ela", a intenção é fazer um alerta, colocando foco também nos perigos das doenças associadas ao excesso de peso, como diabetes e problemas cardiovasculares, e conscientizar que obesidade também é o que não aparece no espelho ou não se mede na balança. A campanha se propõe, ainda, a desconstruir o uso de clichês, evitar estigmas e esclarecer a definição de obesidade mostrando que, como qualquer patologia, ela requer acompanhamento médico. "A obesidade diminui a expectativa de vida em até dez anos e necessita de tratamento a longo prazo, mas ainda é uma doença negligenciada", afirma a endocrinologista e presidente da ABESO, Dra. Maria Edna de Melo. Estudos indicam que uma perda de 5% a 10% do peso em pessoas com obesidade traz benefícios expressivos à saúde, incluindo melhora dos níveis de glicemia, da pressão arterial, dos níveis de colesterol e da apneia obstrutiva do sono. “Precisamos mostrar as verdades por trás da doença e que a obesidade pode ser controlada. Muito além de questões estéticas, a perda de peso traz mais saúde e pode, inclusive, significar mais tempo de vida a uma pessoa", complementa. Segundo a OMS, o excesso de peso é uma epidemia acometendo mais de 1,9 bilhão de adultos em todo mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde calcula que mais de 100 milhões de pessoas estão acima do peso. As ações da campanha não se encerram no Dia Mundial da Obesidade e devem acontecer ainda durante os meses seguintes. No site oficial do Saúde não se pesa é possível encontrar informações sobre a obesidade e as doenças relacionadas ao excesso de peso, além de conhecer os fatores que ajudam a determinar o peso de um indivíduo, entender como funciona o apetite de uma pessoa com obesidade e por que o organismo pode recuperar rapidamente os quilos perdidos. Também é possível calcular o IMC (Índice de Massa Corporal), ver os mitos mais comuns sobre a perda de peso e saber quais as ferramentas disponíveis para tratar a obesidade. Para saber mais, acesse www.saudenaosepesa.com.br.  

Além de ajudar na reabilitação, pilates também auxilia na prevenção do câncer de mama (Foto: Reprodução/Facebook)

Saúde

Com o objetivo de levar conscientização sobre o câncer de mama, a MetaLife, líder sul americana na fabricação de equipamentos de Pilates, desenvolveu uma campanha para o mês de outubro. Durante o período, a MetaLife oferece treinos específicos e gratuitos para todas as mulheres. São seis unidades da Rede MetaLife Studios participantes no Brasil.  Para se inscrever basta acessar o site da empresa e fazer o cadastro. De acordo com diretor comercial da MetaLife, Rogério Flores, o objetivo é difundir a atividade como um auxílio na recuperação da doença, além de incentivar a prevenção, já que há estudos que apontam os benefícios de se praticar exercícios físicos. “Nada mais importante do que participar de uma atividade física, queimar calorias e ainda melhorar o ânimo, fatores essenciais para a saúde”, reforça o diretor da MetaLife. A técnica de Pilates envolve uma conexão entre o corpo e a mente por meio de princípios como respiração, concentração, alinhamento, precisão, controle, ritmo e resistência. A prática de atividades físicas é capaz de motivar e elevar a autoestima de quem trava uma batalha contra a doença.  Por intermédio de exercícios supervisionados é possível diminuir a porcentagem de gordura corporal e abdominal. Para isso, utiliza passos simples de diversos ritmos para promover o trabalho aeróbico que exercita toda a musculatura do corpo. Participe da campanha com as hashtags: #MetalifeSeMEXE # SeMexe #OpilatesAjuda Conheça os estúdios participantes:  Studio Fit Berrini Rua Quintana, 887 – cobertura Cidade Monções – São Paulo/SP CEP: 04569-011  Living Pilates Quadra SHCES, 503 – loja 38 Cruzeiro Novo – Brasília/DF CEP: 70650-530 (O estúdio fica na Academia Live 3.3)   Korper Pilates Av. Presidente Itamar Franco, 2105 – sala 105 São Mateus – Juiz de Fora/ MG CEP: 36025-290   Espaço Pró Saúde Rua João Dadona, 120 Pq. Dr. Dimas Céra Ometto – Iracemápolis/SP CEP:36025-290   Espaço Viva Bem Rua Padre Agra, 87 – Botucatu/SP CEP: 18609-020   CTA Pilates Av. Elizeu di Bernardi, 646 Campinas – São José/SC CEP: 88101-050

Brinquedos que indicam cores, números, formas, letras, animais e alimentos estimulam a aprendizagem das crianças (Foto: Divulgação)

Saúde

Muitos pais se perguntam o que dar de presente aos seus filhos no Dia das Crianças. Alguns fatores são analisados nesta hora: idade, valor, gostos, entre outros. No entanto, muitas vezes, não se pensa em algo que estimule a inteligência dos pequenos. De acordo com a psicóloga e coach Aline Carvalho, os pais precisam incentivar seus filhos a usarem brinquedos educativos. “Quando as crianças brincam, os desenvolvimentos cognitivo e motor são estimulados. É quando elas aprendem a ter consciência de tamanho e formas”, disse a especialista. “Por isto, no período de alfabetização, é importante o contato com brinquedos que possuam números, letras e cores. Isto auxilia na aprendizagem”, avaliou. A técnica de laboratório Thamyris Figueiredo, mãe de Helena Pavia Rizzato, de 3 anos, afirmou que se preocupa com a educação de sua filha na hora de escolher um presente. “Ela já sabe contar até 20, conhece cores, nomes de animais e canta em inglês por causa dos brinquedos”, pontuou. Já a editora Mariana Barioni, mãe de Antônio Barioni, de 5 anos, prefere deixar seu filho livre para brincar no quintal. “Ele usa a criatividade para utilizar o que tem ali e criar suas próprias brincadeiras, que vão desde se equilibrar num tronco caído até achar um pedaço de carvão e descobrir que pode desenhar com ele. Ou, ainda, que sai tinta de algumas plantas”, declarou. “Tem um balanço que ele usa de diversas maneiras. E reinventa os seus brinquedos dando diversas utilidades para eles. Assim, ele percebe também seus limites. Até onde pode subir, por exemplo”, completou. A medida adotada por Mariana é apoiada pela psicóloga Aline Carvalho. “Usar os recursos disponíveis em um quintal faz com que as crianças sejam criativas”.  Evite brinquedos violentos A psicóloga Aline Carvalho ainda alertou sobre os riscos de presentear crianças com armas de brinquedo. “Isto passa uma informação ruim aos filhos. Eles não podem relacionar a violência a uma brincadeira. Precisam saber que é algo sério, por mais que pareça um negócio bobo. Não é legal quando uma criança diz: ‘Ah, vou te matar’, por exemplo”, argumentou. Na contramão desta violência, Luiz Fiorini, diretor de marketing da Fun Divirta-se, ressaltou a importância de se ter brinquedos educativos no mercado. “Contamos com produtos como Pocket Morphers, que estimula o interesse pelos números. Além de itens desenvolvidos com a Play Doh, conhecida por brinquedos que encorajam o aprendizado e a coordenação motora, que cativam não só crianças, mas também os pais”, salientou.   

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Desde 2013, o Ibope realiza a Pesquisa Brasileira de Mídia, a pedido do governo federal. O objetivo é saber por quais meios os brasileiros se informam. Desde o início, o estudo – que é feito nacionalmente e com uma amostra de cerca de 15 mil pessoas, distribuídas por todas as Unidades da Federação – revela a prevalência da TV sobre os demais meios. Mas, desde 2016 (último ano da análise, publicada em 2017) há evidências do avanço da Internet, que se consolidou como o segundo meio de comunicação mais usado (49% da amostragem), ameaçando inclusive a soberania televisiva (89%). A soma é superior a 100% porque se pode indicar mais de uma opção. E as eleições deste ano reforçam o poder da internet e dos meios digitais. Para o bem ou para o mal, estas formas se cristalizaram como o caminho preferido de muitos brasileiros para o consumo de notícias. E não são poucos aqueles que fazem isso de modo exclusivo, bebendo apenas na fonte de sites, blogues, aplicativos e redes sociais. E, ainda que estes não sejam maioria, dedicam mais tempo nestes acessos. Enquanto o tempo médio em frente à TV é de três horas e 21 minutos, entre aqueles que utilizam a web (segundo a mesma pesquisa Ibope) é de quatro horas e 40 minutos, superando seis horas entre o público de 16 a 24 anos. Mais importante que a quantidade de informação disponível na web e redes sociais são a relevância e qualidade do conteúdo oferecido. Evidentemente, no universo digital há muitas empresas e grupos sérios, que primam pela credibilidade do que oferta. No entanto, há um sem número de virulentos guetos, que servem de fábrica para as fake news. Assim, nunca é demais ressaltar que estar na internet, Facebook ou WhatsApp não representa selo de veracidade. Ainda são os meios tradicionais que têm o compromisso com a verdade, por não sair noticiando o que não foi confirmado. Falta isso nos rincões digitais. E até que se separe o joio do trigo, esta revolução representará não um avanço, mas um retrocesso. Nesta nova era, a verdade já não basta para a formação da opinião pública, nem é antídoto à manipulação. Agora se consome aquilo em que se quer acreditar, acriticamente e ainda que falso, desprezando o que vai contra as próprias convicções. A isso se convencionou chamar de “pós-verdade”.

Mais uma pesquisa dá empate técnico entre os dois oponentes (Fotos: Klaus Silva /TJSP/ Fotos Públicas e Reprodução/Twitter)

Cidade

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) estão tecnicamente empatados na disputa para o segundo turno, aponta a mais recente pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão divulgada nesta quarta-feira, 17. Doria tem 52% dos votos válidos - quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos - e Márcio França, 48%. A margem de erro é de três pontos porcentuais. É a primeira pesquisa Ibope para o governo de São Paulo neste segundo turno das eleições 2018. Se considerados os votos totais, Doria tem 46% das menções e França, 42%. Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou nulo são 10%; 2% não sabem ou preferiram não responder. A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 17 de outubro. Na intenção de voto espontânea, na qual os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Doria aparece com 28% das intenções de voto, também empatado tecnicamente com França, que tem 26%. Neste caso, os indecisos são um quarto dos entrevistados. Outros 15% manifestam a intenção de votar branco ou nulo, e 6% disseram nomes diferentes, que não estão na disputa. A rejeição de Doria é a maior - 32% apontaram que não votariam nele de jeito nenhum. A de França, que vinha se mantendo baixa no primeiro turno - subiu e agora está em 20%. No dia 6 de outubro, véspera do primeiro turno, era de 9%. Também chama a atenção a quantidade de eleitores que não os conhecem - 18% disseram não conhecer Doria o suficiente para opinar. No caso de França, o número é de 28%. A pesquisa ouviu 1.512 votantes e a margem de erro estimada é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95% - esta é a chance de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o protocolo Nº SP-07777/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-BR-07265/2018.

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Confesso que essa batalha do #elenão e #elesim algumas vezes me deixa confuso. Afinal, quem é o seu “ele não”? Ou o “ele sim”? Parece que as pessoas têm medo de falar esse nome que supostamente não pode ser dito. Vejo um enorme questionamento sobre machismo. Geralmente, quem fala isso é uma mulher. Vi, inclusive, a vice do Haddad criticando o machismo e em uma certa frase ela usou a palavra feminismo três vezes. Eu fico confuso: o machismo é proibido, errado, questionado, uma coisa que deve ser totalmente excluída da sociedade, mas o feminismo radical pode? Sempre fui a favor dos direitos iguais. Há dez anos, quando ganhei a guarda definitiva do meu filho, defendia essa postura sem hipocrisia. Eu acho que não existe nenhuma diferença entre homem e mulher. Se fosse há 2 mil anos, quando tudo era à base da força física, faria sim diferença em uma caça, batalha, onde era necessário usar espada, ou armadura pesada para defender uma civilização. Mas hoje, você precisa de uma espada para decidir alguma coisa? Não, uma caneta decide. As mulheres são atuantes nas universidades e ocupam altos cargos. Sei que ainda existe diferenciação, fruto de uma cultura absurda, subdesenvolvida. Afinal, a mulher é tão capaz quanto o homem, e o contrário também, e ambos podem sozinhos gerir uma família, assim como aconteceu comigo. Eu administro as tarefas de ser pai, empresário, profissional e empreendedor. Fiquei com nosso filho porque chegamos a um acordo, o que não significa que eu, naquela situação, era melhor ou pior do que a mãe dele. Quem questiona o machismo, assim como quem questiona o feminismo ou a homossexualidade é tão preconceituoso ou mais do que aquele que está só externando a sua possibilidade ou vontade política. Essa campanha #elesim e #elenão, vou fazer isso ou vou fazer aquilo, é desgastante. Meu filho tem 12 anos e eu o criei sem a ajuda de ninguém, absolutamente sozinho, nem minha família tão pouco a da mãe dele. Sempre eu e ele a vida inteirinha. Basta a gente querer, e deixar o preconceito de lado. Daniel Toledo é Advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios e sócio fundador da Loyalty Miami

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião

Bolsonaro nada de braçada no Estado de São Paulo onde, segundo a última sondagem do instituto Paraná Pesquisas tem quase 70% das intenções de voto do eleitorado local. Daí não ser surpresa o fato de tanto João Doria (PSDB) quanto Márcio França (PSB) desejarem e precisarem dos votos dos correligionários do capitão reformado para vencer a disputa ao Palácio dos Bandeirantes. França até que saiu na frente nesta disputa particular, ao obter de primeiro momento o apoio do futuro senador Major Olímpio (PSL), simplesmente o mais bem votado para o cargo em todo o País. Também obteve a preferência do Major Costa e Silva (DC), aliado de Bolsonaro e quinto colocado na disputa estadual. Mas Doria reagiu rápido. Primeiro atraiu o PRTB, partido do general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro, e, em seguida, buscou uma aproximação direta com o próprio presidenciável, ao tentar um encontro com ele no Rio de Janeiro. Embora não tenha sido recebido, o ex-prefeito paulistano saiu de lá com um excelente recorte de uma declaração mais ampla do pesselista, que logo passou a ser usada na campanha do tucano. “Eu sei que ele (Doria) é uma oposição ao PT. Somos oposição ao PT. E eu sei que o outro lado, o França, tem o apoio velado do PT. Então, no momento eu desejo boa sorte ao Doria”, disse Bolsonaro, depois de destacar sua neutralidade na disputa paulista. França até que tentou descolar a eleição no Estado da polarização nacional, mas sem sucesso. Mas, por fim pode ser sugado pelo sentimento anti-PT que varre o País. Enquanto busca se afastar do seu vínculo histórico, seu adversário faz questão de explorá-lo. Com isso, as propostas vão ficando em segundo plano, mascaradas por ataques e tentativas de defesa de ambos os lados. Desta forma, segundo o Paraná Pesquisas, os dois estão em situação de empate técnico (52,3% de Doria contra 47,7% de França), inclusive com rejeição similar (39,8% contra 37%). Diante de linha tão tênue entre a vitória e a derrota, pode ganhar mais votos aquele que mais endurecer o discurso, ainda que, contraditoriamente, em um momento em que o presidenciável do PSL busca mais equilíbrio em suas falas. Ainda assim, quem conseguir convencer essa parte do eleitorado paulista que pode jogar no mesmo time do ex-militar do Exército certamente não ficará de urnas vazias.
or
or

Articulistas

Colunistas

Decisão do STF preserva direito de trabalho à grávida, mesmo se ela desconhecer a gestação (Foto: André Borges/Agência Brasília/Fotos Públicas)

Opinião

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião