12.5 C
São Paulo
sábado, julho 20, 2024

Madrasta morre após ser condenada por matar filho de lutador

O ano era 2020 quando Jéssica Leite Ribeiro, recebeu condenação ter matado o filho, de apenas um ano de idade, do lutador de MMA, Joel Tigre. Três anos depois, ela apareceu morta, na última quarta-feira (5), dentro do presídio feminino Carlos Alberto Jonas Giordano. O caso aconteceu na cidade de Corumbá (MS).

Casada com Joel, a mulher era madrasta da vítima. Mas, por volta das 23h, as duas detentas que dividiam a cela com Jéssica a encontraram já sem vida. As informações são do portal UOL. Em depoimento, as internas relataram que estavam dormindo, quando acionaram a equipe de segurança ao  notarem que ela estava morta.

Em seguida, a Polícia Civil foi acionada pela penitenciária. Uma das detentas inclusive tentava reanimar a vítima quando as equipes da corporação e da perícia chegaram ao local, de acordo com o Boletim de Ocorrência. As circunstâncias da morte, no entanto, não foram divulgadas.

A princípio, Jéssica Leite Ribeiro estava sob custódia no presídio de Corumbá desde 31 de agosto de 2018. Em resumo, ela cumpria pena de 17 anos e cinco meses de prisão. Existia também a previsão de que ela teria direito ao regime semiaberto a partir de junho de 2024, ainda conforme a publicação.

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS