23
Ter, Out

Modelo foi lançado em janeiro e readaptado para agradar brasileiros em abril (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

Disponível no Brasil desde janeiro, o Kia Sorento ganhou duas opções All Wheel Drive (AWD) desde abril. Equipadas com motorizações 2.4 16 V de 172 CV e 3.5 V6 de 280 CV, as versões complementam a linha do SUV médio-grande no País, oferecendo tração integral nas quatro rodas.

Segundo Ary Jorge Ribeiro, diretor de Vendas da Kia Motors do Brasil, o retorno das versões AWD atende à demanda de clientes e admiradores da marca, uma vez que desde 2014 o Sorento não era oferecido com tração integral no País. “Além de diversificarmos nosso portfólio com produtos modernos e tecnológicos, passamos a oferecer novas opções para quem busca veículos espaçosos, robustos e com excelentes desempenhos não apenas nas cidades e rodovias, mas também em áreas rurais e condições off-road”, ressaltou Ribeiro.

Presente na rede autorizada de concessionárias, a versão AWD com configuração mais simples, denominada S.172, possui transmissão automática de seis velocidades com opção de trocas sequenciais e motorização Theta II de 2.4 litros, Dohc, 16 válvulas, Dual CVVT, a gasolina, capaz de desenvolver 172 CV a 6 mil RPM e 22,5 kgf de torque a 4 mil RPM.

Com acomodação para sete passageiros, o modelo possui diversos recursos de segurança, como airbags laterais e de cortina, vidro com sistema antiesmagamento, assistente de partidas em subida (HAC), controles de estabilidade e tração e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros. A versão S.172 ainda conta com luz diurna de navegação em LED, faróis de neblina, bagageiro no teto e novas rodas de liga leve aro 18.

O SUV também vem equipado com ar-condicionado digital Dual Zone com comando traseiro, central multimídia com câmera de ré, sistema bluetooth, entrada USB, espelho retrovisor interno eletrocrômico e chave inteligente para abertura das portas e partida do motor, além de controle de áudio, computador de bordo e piloto automático no volante. 

S.275: a versão topo de linha

A versão S.275, topo de linha, que chegou às concessionárias no mês passado, possui nova transmissão automática de oito velocidades com opção de trocas sequenciais e motorização Lambda II, 3.5 litros V6, injeção eletrônica sequencial, Dohc, 24 válvulas, Dual CVVT, a gasolina, com 280 CV a 6,3 mil RPM e 33,6 kgf de torque a 5 mil RPM. Conta com freio de estacionamento eletrônico, faróis e lanternas em LED, revestimento interno em couro, novas rodas de liga leve aro 19, soleira das portas com iluminação, teto solar elétrico e panorâmico, detector de ponto cego (BSD), abertura automática do porta-malas sensível à aproximação e bancos dianteiros com ajustes elétricos e aquecimento, além de memória para o motorista.

Com grade dianteira, ponteira de escapamento, faróis e para-choques dianteiro e traseiro reestilizados, as novas versões do Sorento possuem 4.780 mm de comprimento, 1.890 mm de largura, 1.690 mm de altura e 2.780 mm de entre-eixos. Em condição especial de lançamento, a versão S.172 está disponível na rede autorizada de concessionárias por R$ 169.990. Já o preço público sugerido da versão S.275 será de R$ 218.990.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Linhas orgânicas e frente alta caracterizam o novo modelo da Citröen (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A francesa Citroën apresenta as primeiras imagens de seu SUV C4 Cactus. O modelo, que tem previsão de chegada ao mercado brasileiro no segundo semestre de 2018, foi desenvolvido com o ambicioso objetivo de oferecer o melhor do design, da tecnologia e do conforto na concorrida categoria.

Fruto de um projeto global, com desenvolvimento e produção realizados na América Latina, o Citroën C4 Cactus representa com exatidão a nova assinatura Inspired By You, inspirada pela vida e atitude das pessoas.

Conectado e tecnológico, o Citroën C4 Cactus reflete a própria ousadia da marca, caracterizado por um desenho provocante, um desempenho surpreendente e um conforto global de referência, uma marca registrada da fabricante fundada por André Citroen, em 1919.

O C4 Cactus traz, desta forma, respostas às necessidades de um amplo leque de novos consumidores, que valorizam a estética, a modernidade e o bem-estar em seu dia a dia, aliadas às amplas possibilidades oferecidas pelo território dos veículos utilitarios esportivos.

“Mais do que um produto estratégico, o C4 Cactus representa, para nós, a renovação da Citroën, totalmente conectada aos desejos e necessidades de nossos clientes. Ele é a essência da marca hoje e chega para romper com os códigos do segmento”, afirma Ana Theresa Borsari, diretora-geral da Peugeot do Brasil, Citroën e DS.

Um design provocador

Com uma silhueta marcante, o Novo C4 Cactus nasce da inspiração das equipes de design do Groupe PSA da América Latina para atender as demandas e o gosto dos clientes latino-americanos.

Idealizado e desenvolvido no Brasil – e posteriormente exportado para outros mercados mundiais –, o C4 Cactus honra a tradição Citroën na produção de veículos icônicos e à frente de seu tempo.

Logo no primeiro olhar, o modelo seduz por seu estilo moderno e disruptivo, caracterizado por linhas orgânicas e pela frente alta e expressiva. Um design ao mesmo tempo forte e equilibrado, mas que ousa ao reinterpretar os códigos tradicionais do universo SUV, propondo uma silhueta mais dinâmica.

Assim como os últimos lançamentos da marca, a frente se destaca pelo grupo ótico em dois níveis, que valorizam a expressão e a identidade.

No perfil, uma silhueta com um equilíbrio moderno que propõe uma nova visão do segmento, aliando os principais elementos do universo SUV. Destaque para o exclusivo teto “flutuante”, as belas e funcionais barras de teto, as rodas com aro de 17 polegadas diamantadas com pneus de uso misto e os protetivos Airbump, verdadeira assinatura estilística do modelo.

Na traseira, reconhecível por suas formas musculosas, destaque para o aerofólio integrado e para os módulos em LED com efeito 3D, que asseguram uma assinatura luminosa gráfica e tecnológica.

Um modelo, enfim, que reinterpreta os códigos do território SUV e que vai permitir aos consumidores serem o centro de novas experiências, ligadas à essência de cada um.

Versão XL se destaca pelo custo-benefício (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A Ford inicia este mês a venda da linha 2019 da Ranger, com novos modelos que ampliam a oferta e a competitividade da picape no segmento diesel. A principal novidade é a volta da versão XL de entrada, que se destaca pelo custo-benefício com as opções cabine simples, cabine dupla e chassi. Outro lançamento é a versão intermediária XLS 4x2 automática, também equipada com o moderno motor 2.2 diesel de 160 cv.

A nova Ford Ranger XL tem uma configuração que reforça seus atrativos como veículo de trabalho, com tração 4x4 e transmissão manual de seis velocidades. Além do conhecido desempenho fora de estrada e excelente dirigibilidade, ela tem a maior capacidade de carga da categoria, com 1.234 kg na versão cabine simples. E já vem de série com equipamentos e tecnologias que nem mesmo séries topo de linha das concorrentes oferecem, como controle de estabilidade e tração, controle anticapotamento e diferencial traseiro blocante eletrônico.

A linha Ranger 2019 também traz como novidade, na versão XLS, a inclusão de maçanetas e retrovisores na cor do veículo e para-choque traseiro na cor London Gray. E a versão XLT agora tem banco elétrico com ajuste em oito posições.

A picape da Ford ganha ainda uma nova opção de cor: a sólida vermelho Bari. Também estão disponíveis branco Ártico sólida, prata Geada e prata Viena metálicas e vermelho Toscana, cinza Moscou, preto Gales e azul Aurora perolizadas.

Nova Ranger XL para pequenas cargas

Desenvolvida para atender o segmento de transporte de pequenas cargas, a nova Ranger XL permite transportar diversos tipos de mercadoria de forma ágil, segura e econômica, inclusive em grandes centros urbanos com restrições à circulação de veículos de carga. Entre outros diferenciais, ela é a única picape de entrada do segmento equipada com controle adaptativo de carga e controle de estabilidade e tração AdvanceTrac. A Ranger XL tem preço de R$ 129.300 na versão cabine simples e traz também outros itens que as picapes concorrentes não oferecem. O veículo vem de série com direção elétrica, diferencial traseiro blocante eletrônico, controle automático de descidas, controle anticapotamento, assistente de frenagem de emergência, assistente de partida em rampa, piloto automático, rádio com comandos de voz e controles no volante e provisão elétrica para reboque. A versão cabine dupla custa R$ 139.590 e possui também cintos de segurança de três pontos nos bancos traseiros, encostos de cabeça ajustáveis e ganchos para cadeiras infantis Isofix. O modelo chassi pode ser equipado com diferentes implementos, de acordo com as necessidades do cliente, e sai por R$ 124.200.

  

XLS Automática

A Nova Ranger 2.2 diesel XLS 4x2 automática, equipada com tração 4x2, oferece uma nova alternativa para o consumidor que não necessita de um veículo com tração 4x4, mas faz questão de uma picape robusta com transmissão automática e muita tecnologia embarcada, por R$ 151.890. Ela vem equipada com o melhor pacote de segurança do segmento, incluindo sete airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração AdvanceTrac,  assistente de partida em rampa, controle adaptativo de carga, assistente de frenagem de emergência, controle de estabilidade anticapotamento e controle automático em descidas. Tem também central multimídia Sync com comandos de voz para áudio e telefone, piloto automático, câmera de ré e computador de bordo, entre outros equipamentos.

Dependendo do ângulo de visão, a tonalidade muda e cria um aspecto rico em efeitos (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A Ford inovou no lançamento do EcoSport Storm, versão 4WD do utilitário esportivo, com a escolha de uma nova cor, o marrom Trancoso metálico, tonalidade há muito tempo fora do portfólio da marca no Brasil. O Ka FreeStyle, futuro utilitário compacto, também foi exibido em um protótipo na cor bronze, sinalizando uma tendência no segmento.

Por ser a cor da terra e da madeira, o marrom é normalmente associado à natureza e estilo de vida saudável. Pode representar também seriedade, maturidade, segurança e prosperidade material. No utilitário esportivo, os tons de cobre naturais acenam para o estilo de vida ao ar livre.

“Para o lançamento do Storm, queríamos uma cor atual, diferente da paleta de tons neutros do setor e que se destacasse na multidão sem ser vibrante demais”, explica Adília Afonso, supervisora de Design da Ford América do Sul. “Escolhemos esse tom quente e trabalhamos com o fornecedor de tinta para enriquecê-lo com partículas de pérola, que acrescentam luminosidade.”

Assim, dependendo do ângulo de visão, a tonalidade muda e cria um aspecto rico em efeitos. A beleza da cor marrom Trancoso não está somente nela mesma, mas no fato de valorizar os planos e ângulos do veículo, destacando as suas linhas de caráter.

Já o nome Trancoso foi uma homenagem à Bahia, Estado onde está instalada a fábrica do EcoSport e o Ka. Ele é inspirado nas famosas falésias da Praia de Trancoso, que são a marca registrada da bela cidade do Sul do Estado, antigo povoado fundado pelos colonizadores portugueses no século 16.

O SUV equipado com motor 2.0 Flex, tração inteligente 4WD e transmissão automática oferece também como opções as cores branco Ártico sólido, prata Dublin metálico e preto Bristol perolizado, combinadas com elementos em preto e prata e grafismos exclusivos.

Criação começou quatro anos antes de lançamento

O processo de criação do design de um carro começa cerca de quatro anos antes da sua chegada ao mercado. Para ter uma ideia da direção das tendências, os designers observam o que está acontecendo em áreas como arquitetura, vestuário e produtos de consumo e também precisam pensar como cientistas sociais, pois, além da personalidade do consumidor, a escolha da cor é reflexo das circunstâncias da época.

Exemplo disso é o que ocorreu após a crise financeira de 2008, quando a preocupação com o valor de revenda aumentou a preferência por cores neutras. Sem contar que cores exuberantes poderiam ser vistas como ostentação e desrespeito. Por esses e outros fatores culturais, uma cor que funciona bem em um mercado não necessariamente tem a mesma aceitação em outro.

Na maioria dos veículos, cores básicas como tons de branco, preto e vermelho normalmente não mudam. Mas, periodicamente, avanços na tecnologia de pintura fazem a mudança valer a pena. A evolução das formas e dos materiais dos carros também fazem a pintura responder de maneira diferente, como é o caso do marrom Trancoso do EcoSport Storm. 

Um dos grandes sedãs do mundo, Jaguar XJ50 é preferência de celebridades, políticos e membros da realeza britânica (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A Jaguar está comemorando 50 anos de seu sedã top de linha, o XJ, que tem sido o preferido de líderes empresariais, celebridades, políticos e realeza por cinco décadas. Para celebrar meio século de desempenho, tecnologia e luxo, a marca britânica lançou uma edição especial, o XJ50, que foi revelado no Salão de Pequim.

Disponível com entre-eixos padrão ou estendido, o XJ50 possui uma opção de motor a gasolina 3 litros de 340 CV e uma a diesel de 300 CV. As atualizações externas do XJ50 incluem para-choques frontais e traseiros no estilo Autobiography, que marcam a edição de aniversário, juntamente com as novas rodas Venom de 20 polegadas, uma grade dianteira preta e um emblema exclusivo para as saídas de ar laterais e traseiras. A paleta de cores exteriores inclui Fuji white, Santorini black, Loire blue e Rosello red.

No interior, a luxuosa cabine possui assentos acolchoados com costura que formam o contorno de diamantes e um logotipo XJ50 no braço central. A marca exclusiva de entalhe e as soleiras com o emblema iluminado XJ50 também diferenciam a edição de aniversário.

O XJ Série 1 começou a distinta dinastia em 1968 e, por oito gerações, o sedã de luxo vem atraindo a atenção de todo o mundo. Seja transportando VIPs e políticos, ou como o veículo preferido de líderes empresariais e da realeza, o XJ tem sido um dos pilares da estrada da Jaguar por cinco décadas.

Participação em filmes do James Bond

Inovando desde a sua chegada, o XJ sintetizou a abordagem inovadora, que definiu o sedã de luxo da Jaguar nos últimos 50 anos. Quatro anos depois, tornou-se o único carro de quatro portas de 12 cilindros produzido em massa e, com uma velocidade máxima de 225 km/h, foi também o mais rápido modelo de quatro lugares do seu tempo.

Outros modelos foram lançados em seguida, com distâncias entre-eixos padrão e estendidas, além de carrocerias com duas e quatro portas. O Série 2 foi o primeiro a oferecer um modelo cupê de duas portas em 1975 e o XJ40, em produção por oito anos a partir de 1986, apresentou a famosa alavanca de câmbio “J” gate e suspensão autonivelante.

Uma revolucionária carroceria de alumínio ajudou a reduzir o peso do XJ em 40% desde 2003, antes que o atual modelo XJ trouxesse tecnologias adicionais, como tração nas quatro rodas e um painel de instrumentos virtual. Com a introdução da linguagem de design icônica do diretor Ian Callum, o modelo também foi lançado com luzes traseiras inspiradas em garras de gato.

Em constante evolução, ao mesmo tempo em que continua a ser um dos grandes sedãs do mundo, o XJ fez uma série de aparições nas telas do cinema. Suas participações em filmes como Simplesmente Amor (2003) e Caçada na Noite (1979), bem como na franquia 007 de James Bond, são a prova do apelo cultural duradouro do Jaguar XJ.

O XJ50 é um tributo adequado ao estilo e desempenho duradouros do sedã de luxo da Jaguar. Não há previsão de chegada deste modelo para o mercado brasileiro.

Modelo chega em maio com preços entre R$ 124.990 e R$ 179.990 (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A Volkswagen do Brasil inicia a maior ofensiva de utilitários esportivos da sua história. O Tiguan Allspace é o primeiro de cinco SUVs que serão lançados no mercado brasileiro até 2020. É também o primeiro utilitário esportivo à venda no País desenvolvido sobre a matriz transversal modular ou MQB (sigla para modular querbaukasten, em alemão). Isso possibilitou ao modelo Volkswagen trazer excelente aproveitamento de espaço interno e receber vários recursos de tecnologia e de segurança inéditos no segmento de SUVs premium no Brasil.

Em sua segunda geração, o Tiguan Allspace começa a chegar às concessionárias no fim de maio em três versões de acabamento. Oferece também duas opções de motorização TSI, que combinam injeção direta de combustível e sobrealimentação por turbocompressor. Essa tecnologia permite ao SUV entregar alto desempenho, baixo consumo de combustível e prazer ao dirigir. Pela primeira vez na história, o Tiguan Allspace contará também com motor 1.4 TSI Total Flex – que pode ser abastecido com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção.

Parte interna da Tiguan  Allspace

Segunda geração do utilitário esportivo chega em maio, com inovação e tecnologia sem precedentes (Foto: Divulgação)

Outra grande novidade é o retorno da grife R-Line ao segmento, com equipamentos exclusivos, design diferenciado e ainda mais esportividade e sofisticação. O Tiguan Allspace R-Line 350 TSI traz o motor 2.0 TSI com 220 CV – mesmo motor do Golf GTI – associado à inédita transmissão DSG de sete marchas.

O Tiguan Allspace será fabricado na planta de Puebla, no México, e estará disponível nas configurações com cinco e sete lugares. Na realidade, será o primeiro SUV da Volkswagen no Brasil com essa capacidade.

E mais: o Tiguan Allspace contará com o melhor plano de manutenção de seu segmento no mercado brasileiro. O benefício chamado “revisão de série” estará presente em todas as versões do modelo em que as três primeiras revisões (10.000 km / 12 meses, 20.000 km / 24 meses e 30.000 km / 36 meses) serão gratuitas, um grande diferencial. Nessas revisões estão incluídas peças substituídas e itens verificados no serviço de manutenção, além do valor de mão de obra na concessionária. Para se ter ideia do que representa esse benefício, o custo médio das revisões dos modelos deste segmento é de R$ 1.465.

O Tiguan Allspace terá três anos de garantia total e será oferecido em cinco cores: uma sólida (branco puro), três metálicas (vermelho ruby, prata snow e cinza platinum e uma perolizada (preto mystic).

Fiat Toro Freedom 2.0 Diesel AT9 4x4 (Foto: Divulgação)

Opinião

Um jovem que já nasceu vencedor. Reconhecido pela imprensa e pelos consumidores. Esse é o Fiat Toro, que inaugurou no Brasil o novo conceito de SUP (Sport Utility Pick-up) ao combinar a força e robustez de uma picape com o conforto e dirigibilidade de um SUV. O modelo, que completa dois anos desde o seu lançamento, agora chega à linha 2019 com novas versões, configurações e  equipamentos para continuar forte no mercado.

Uma das novidades é o desembaçador do vidro traseiro de série em todos os modelos. Também chegam ao mercado duas novas versões: a Endurance 1.8 AT6 Flex, de entrada, e a Volcano 2.4 AT9 Flex, a topo da gama com motores flexíveis. Nessa última, a picape é equipada com o motor 2.4 Tigershark de 186 CV e 24,9 kgfm, combinado ao câmbio automático de nove marchas, exclusivo no segmento, além de diversas soluções da Volcano 2.0 Diesel.

Endurance 1.8 Flex AT6 R$ 90.990

Freedom 1.8 Flex AT6 R$ 102.990

Volcano 2.4 Flex AT9 R$ 115.690

Blackjack 2.4 Flex AT9 R$ 117.490 (inclui pintura metálica)

Freedom 2.0 Diesel AT9 4x4 R$ 131.590

Volcano 2.0 Diesel AT9 4x4 R$ 142.990

Fiat Toro Endurance

Fiat Toro Endurence 1.8 Flex AT6 (Foto: Divulgação) 

Nova versão inicial da linha, ela é oferecida apenas com o propulsor 1.8 E.torQ EVO pareado à transmissão automática de seis marchas. Dentro da boa lista de equipamentos de série se destacam: ar-condicionado, computador de bordo, controles de tração e de estabilidade, direção elétrica, Hill Holder, quadro de instrumentos com tela multifuncional em TFT de 3,5”, sensores de pressão dos pneus, travas e vidros elétricos (estes com acionamento um toque) e volante regulável em altura e profundidade, entre outros.

Fiat Toro Freedom 2

Fiat Toro Freedom 2.0 Diesel AT9 4X4

As versões Freedom 1.8 AT6 e Freedom 2.0 AT9 Diesel ganharam novos itens de série, como faróis de neblina com moldura cromada, retrovisores elétricos com memória, ar-condicionado digital dual zone, câmera de ré, sistema Uconnect Touch Nav 5, seis alto-falantes com comandos no volante em couro e reconhecimento de voz, segunda tomada 12 V, segunda entrada USB, barras longitudinais de teto, luz elevada de freio e iluminação da caçamba, apoia-braço dianteiro e traseiro, além de maçanetas e retrovisores na cor da carroceria. Na configuração flex, a novidade são as rodas de liga leve de 16 polegadas de série (aro 17 na diesel, também de liga leve). Ambas contam com bancos em couro, air bag de joelhos para o motorista e side bags, como opcionais.

Fiat Toro Volcano 2

Fiat Toro Volcano 2.4 Flex AT9

Novos itens de série também estão disponíveis para as versões Volcano 2.4 AT9 Flex e Volcano 2.0 AT9 Diesel. Elas passam a contar com Keyless Enter’n’go (entrada no veículo sem usar a chave e acionamento do motor por botão), partida remota, banco do motorista com regulagem elétrica, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor interno eletrocrômico e sensores individuais de pressão dos pneus.

A Volcano 2.0 AT9 Diesel oferece ainda as inéditas rodas de liga leve de 18 polegadas. A lista de opcionais tem os já citados na Freedom e também o teto solar panorâmico (que na versão 2.4 Flex estará disponível a partir de junho). A recém-lançada versão Blackjack 2.4 continua na linha 2019 sem alterações. Ou seja, mantém seu diferencial no acabamento sem cromados, com todos os detalhes em preto, tanto por fora quanto por dentro. O visual externo é dominado pelo tom grafite em rodas (de liga leve aro 17), retrovisores externos, friso da grade dianteira e barras de teto. Para completar o tema all black, há uma faixa preta no capô e na tampa da caçamba e todos os emblemas foram escurecidos – até mesmo o vermelho do emblema Fiat foi trocado pelo preto, algo inédito desde que a logomarca atual foi implantada.

O Toro Blackjack é vendido exclusivamente na cor preta carbon. Já as outras versões estão disponíveis em oito cores, sendo duas sólidas (vermelho colorado e branco ambiente), uma perolizada (branco polar) e cinco metálicas (marrom horizon, prata melfi, preto carbon, cinza antique e vermelho tribal).

 

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

or
or