16
Sex, Nov

Principal ferramenta de vídeos na internet, o YouTube oferece boas opções para estudantes (Foto: Divulgação)

Tecnologia

É cada vez mais comum brasileiros usarem o Youtube para as mais diversas funções. Seja para ouvir música, ver notícias ou até estudar, a plataforma é acessada mensalmente por 95% da população online do País, segundo o relatório YouTube Insights. Entre os pesquisados, 79% afirmam que preferem assistir a tutoriais a ler instruções escritas.  Além disto, 31% das pessoas entrevistadas consideram o YouTube como uma fonte de aprendizado. 

Pensando nisto, professores e alunos recorrem à plataforma na preparação para vestibulares. Como é o caso da estudante Marina Munhos, de 20 anos.  Ela chegou a fazer um cursinho presencial, mas depois que descobriu o canal “Descomplica”, sua nota na redação subiu mais de cem pontos.  

“O ‘Descomplica’ até ensina técnicas de relaxamento para o vestibulando não surtar na hora da prova. Sem falar que os professores são muito bons e a abordagem que eles usam é mais divertida, o que facilita a aprendizagem”, argumentou. 

Responsáveis pelo “Vlog Mediários”, que possui 79, 8 mil inscritos no YouTube, Bianca Gabriela e Fabio Yuji, estudantes do 6º ano da Faculdade de Medicina da USP, ressaltam que hoje é difícil encontrar um vestibulando que não veja aulas pela plataforma. 

“Isto acontece porque os vídeos estão cada vez melhores. Antes, estudar apenas pela internet era considerado "loucura". Hoje é uma possibilidade real e bem razoável. Conhecemos muitos estudantes que foram aprovados em cursos concorridos e em ótimas universidades apenas utilizando recursos online”, declarou o casal de 25 anos. 

Para Tatiany Leite e Augusto Assis, do Canal “Vá ler um Livro”, com 97 mil inscritos, a dedicação que dispensam aos vestibulandos não dá retorno financeiro e, ainda, causa um desgaste psicológico. 

“Porém, quando recebemos mensagens de gente que mudou de opinião e/ou que começou a amar os livros por nossa causa, tudo se compensa. É a melhor parte do nosso trabalho. É sempre muito emocionante saber que, de alguma maneira, ajudamos pessoas dos mais distintos lugares e classes”, salientaram.  

Diferenças para uma sala de aula 

Professor de História do Brasil e Sociologia no Sistema Anglo de Ensino, Jucenir da Silva Rocha, de 64 anos, leciona em salas de aula há mais de quatro décadas. Para ele, o vídeo é um recurso rico aos estudantes, mas que não substitui a interatividade gerada por encontros presenciais. 

“A aula presencial dá mais prazer e permite uma interação muito maior entre alunos e professores. O vídeo, evidentemente, é algo mais frio. O recurso tecnológico é abrangente e veio para ficar, porém não vai acabar com a sala de aula. É um complemento que enriquece a aprendizagem”. 

Jornalista e responsável pelo Canal “Ler Antes de Morrer”, que tem 203 mil inscritos, Isabella Lubrano concorda com Rocha. “O máximo que podemos fazer é complementar o ensino de sala de aula com nossos comentários mais livres e fáceis de entender, mas não iremos jamais substituir o trabalho dos professores de Literatura, História ou qualquer outra matéria”, opinou. 

Para a estudante Marina Munhos, o estudo por meio de vídeos exige mais determinação do vestibulando. “É mais fácil se distrair em casa”, justificou

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Ex-vereadora foi alvo de diversos atos contra sua memória (Reprodução/ Facebook)

Nacional

Em decisão liminar divulgada nesta sexta-feira, 23, a juíza Márcia Holanda deferiu parcialmente o pedido de liminar feito pela irmã Anielle Barbosa e pela companheira Monica Tereza Benício, da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada no dia 14 no Rio de Janeiro, para a retirada da internet de vídeos que propagam mentiras sobre a parlamentar.

Na ação protocolada na quarta-feira, Anielle Barboza e Mônica Benício pedem que o canal YouTube e o site de busca Google retirem do ar todos os vídeos caluniosos contra a vereadora, listando 38 links. A ação foi assinada pelas advogadas Evelyn Melo, Juliana Durães e Samara de Castro, que também promoveram uma campanha para receber denúncia de compartilhamento de informações falsas sobre Marielle.

A juíza afirma que na análise dos vídeos alguns “extrapolaram o que a Constituição fixou como limite ao direito de livremente se manifestar”, vinculando, sem provas, o nome de Marielle “as facções criminosas e tráfico ou imputações maliciosas sobre as suas bandeiras políticas”, o que, para Márcia, “podem caracterizar violação à honra e à imagem da falecida e que certamente causam desconforto e angústia a seus familiares”.

Com isso, a juíza determinou que 16 deles sejam retirados do ar no prazo de 72 horas, além de multa de R$1 mil por dia em caso de descumprimento. Não foi aceito o pedido para a retirada de vídeos que trazem críticas duras à atuação do PSOL e com debates ou entrevistas jornalísticas de repercussão do assassinato, além de críticas pessoais sem “excessos ou ataques diretos à honra, à moral ou à memória de Marielle”.

A juíza concluiu que não há como impedir a divulgação de novos vídeos, mas pede que o réu “exerça o controle a posteriori dos conteúdos inapropriados, promovendo sua exclusão em prazo razoável, seja por indicação expressa do novo conteúdo, pelo exercício de seu dever de responsabilidade sobre o que permite seja divulgado através de seus serviços”.

A reportagem procurou o Google, responsável pelo YouTube, para se posicionar sobre a questão, mas ainda não obteve retorno.

 

 

Estudante que não permitir vistoria em quipá ou burca, poderá ser eliminado do exame (Foto: Arquivo/ABR)

Nacional

Os candidatos que participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia, que reúne conteúdos de ciências da natureza e matemática. Segundo o edital da prova deste ano, publicado nesta quarta, no Diário Oficial da União, os estudantes terão cinco horas para fazer a prova no segundo dia e cinco horas e meia no primeiro dia.

O edital continua prevendo a realização de revista eletrônica nos locais de prova, por meio do uso de detectores de metais. A novidade deste ano é que os alunos também deverão permitir que os artigos religiosos, como burca e quipá, sejam revistados pelo aplicador das provas. Quem não permitir a revista, poderá ser eliminado.

Assim como em 2017, neste ano, as provas do Enem serão realizadas em dois domingos seguidos: nos dias 4 e 11 de novembro. A estrutura da prova também não mudou: no primeiro dia serão aplicadas as provas de Redação, Linguagens e ciências humanas, com duração de cinco horas e meia, e no segundo dia, as provas de ciências da natureza e matemática, com cinco horas de duração.

As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano. A taxa de inscrição foi mantida em R$ 82. O pagamento deve ser feito entre os dias 7 e 23 de maio.

Isenções

A solicitação de isenção da taxa de inscrição deve ser feita entre os dias 2 e 11 de abril. Serão isentos os estudantes que cursam a última série do ensino médio em escola pública.

Alunos que fizeram todo o ensino médio na rede pública, bolsistas em instituições privadas ou pessoas que tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio também não pagam a taxa. 

Também tem isenção o participante que declarar estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal . Neste ano, também são isentos os participantes do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado.

Os participantes isentos da taxa de inscrição que não compareceram nos dias de prova no Enem do ano passado terão que justificar a ausência por meio de atestado médico, documento judicial ou boletim de ocorrência para fazer o Enem 2018 gratuitamente. O prazo para justificar a ausência no Enem do ano passado vai de 2 a 11 de abril.

Imprevistos

Segundo o edital deste ano, o participante afetado por problemas logísticos durante a aplicação poderá solicitar reaplicação do exame em até cinco dias úteis após o último dia de aplicação. Os casos serão julgados individualmente pela Comissão de Demandas.

No ano passado, cerca de 3,5 mil estudantes tiveram que refazer as provas em outra data por problemas como falta de energia nos locais do exame.

Direitos Humanos

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) retirou do edital o item que determinava que a redação que desrespeitasse os direitos humanos teria nota zero. No ano passado, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou a suspensão da regra que previa a anulação da redação que violasse os direitos humanos.

Os resultados do Enem poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Cursinhos preparam alunos com atmosfera semelhante à de um vestibular (Foto: Reprodução/Facebook Poliedro)

Nacional

Celular, televisão, música alta, conversas e até uma olhadinha na geladeira. Estudar em casa, sozinho, exige uma dedicação ímpar e raramente dá certo. Por isso, os cursinhos pré-vestibulares são a melhor forma de se preparar para a hora das avaliações, segundo especialistas.

Segundo Daniel Perry, coordenador do Anglo Vestibulares, além da preparação para o conteúdo que cai na prova, os cursinhos têm capacidade de melhorar o potencial psicológico do candidato. “Por exemplo, em um simulado, a gente faz um clima de vestibular. Quando ele for prestar a Fuvest, já terá vivido aquilo e terá mais calma para enfrentar o desafio”.

De acordo com Vinicius de Carvalho Haidar, coordenador do Curso Poliedro, a modalidade ajuda os estudantes a se cobrarem. “Tem uma preparação mais rápida, mas não há uma cobrança de nossa parte. Quem sabe o que deve estudar para se superar são os alunos”, disse. Outro ponto importante é a troca de experiências entre os candidatos.

O diretor do Cursinho Maximize, Tony Manzi, concordou. “O cursinho tem uma ênfase na motivação, pois os alunos percebem que, se esforçando e se preparando, vão conseguir os resultados esperados”, comentou. Eles disseram que, em caso de dúvidas, os cursinhos estão de portas abertas para conversarem e indicarem o melhor caminho.

Atriz superou timidez para obter sucesso na carreira (Foto: Pedro Curi/TV Globo)

Fora dos Trilhos

Em vídeo no seu canal no YouTube, a atriz Giovanna Ewbank contou como se tornou atriz e apresentadora, além de revelar que quando criança seu desejo nunca foi ter seguido nessa carreira: ela queria ter sido veterinária.

“Nunca pensei em ser atriz, em ser apresentadora, modelo, em ser conhecida. Meu sonho sempre foi ser veterinária. Sempre amei animais, peguei na rua, cuidava deles. Em certo momento, eu percebi que não ia conseguir ser veterinária. O meu amor por eles era tão grande que eu não conseguia vê-los sofrer. Quando o animal não sobrevivia, ficava muito mal, eu sofria muito. Decidi que não seria veterinária e iria ajudar todos os bichos que passassem pela minha vida”, contou Giovanna.

A mulher de Bruno Gagliasso disse que só depois decidiu fazer moda para seguir os passos da mãe, a estilista Deborah Ewbank. Ela também falou que, apesar de fazer comerciais desde criança, a vontade de virar atriz só veio após fazer escola de teatro, para vencer a timidez. 

Quem sonha em ingressar na faculdade neste semestre ainda pode aproveitar todo mês (Foto: Divulgação)

Cidade

Com o fim dos principais vestibulares de universidades públicas, os candidatos têm pouco tempo para realizar os trâmites e tentar estudar ainda neste semestre. Quem quiser utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em entidades particulares ou para o Programa Universidade para Todos (Prouni) ainda tem algumas opções.

Os chamados vestibulares “fora de época”, realizados após o início das aulas, estão com inscrições abertas durante o mês de março. Além disso, o Prouni está disponível até amanhã e o cadastro deve ser realizado por meio do site do programa.

O Metrô News buscou as principais instituições particulares de ensino superior do Estado de São Paulo para questionar sobre o processo seletivo. Na Universidade Paulista (Unip), os descontos para ingresso com a nota do Enem podem chegar a 100%. As provas tradicionais ocorrem até 18 de março e mais informações podem ser obtidas no site da instituição.

Na Anhembi, as provas vão até o dia 10 e as inscrições custam R$ 25. Já na Universidade Cidade de São Paulo e na Unicsul, o prazo vai até dia 18 e o custo é de R$ 30. Na Faculdade Sumaré, a matrícula ocorre no mesmo dia do vestibular, com desconto de 70% na mensalidade de março.

Aprovados precisam ir até a Cidade Universitária (Foto: Marcos Santos/USP)

Cidade

Quem foi aprovado na 3ª chamada da Fuvest, para estudar na Universidade de São Paulo (USP), deve realizar a matrícula presencial, obrigatoriamente, nesta sexta-feira. Não há nenhum procedimento on-line necessário. O resultado e a convocação foram publicados na quinta, e podem ser conferidos por meio do http://bit.ly/2oqbLlE.

De acordo com a organização, foram 1.297 nomes divulgados (955 novos e 302 matriculados da chamada anterior que tiveram a solicitação de remanejamento atendida). Caso o candidato não possa comparecer, deverá enviar um responsável com uma procuração assinada.

Os aprovados ou os procuradores devem apresentar certificado de conclusão do Ensino Médio, histórico escolar ou diploma de curso superior, devidamente registrado (original e uma cópia), documento de identidade oficial (original e cópia) e foto 3x4 recente.

Como cada candidato selecionou duas opções de curso, na matrícula deve-se marcar as opções “matriculado satisfeito”, “matriculado aguardando nova convocação” ou “desistente aguardando nova convocação”. Assim, os que quiserem, podem continuar concorrendo em outras chamadas.

A quarta chamada está programada para ser divulgada em 27 de fevereiro, próxima terça-feira, com matrícula um dia depois. A quinta ocorre em 2 de março, com matrículas em 5 e 6, e a sexta, dia 8, com inscrição no dia 9. Os locais das matrículas de cada curso e

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

or
or