Apps permitem agendar horário em salões e clínicas ou levar o serviço estético até a casa da cliente (Foto: Divulgação)

Tecnologia

Depois dos aplicativos de transporte individual e de alimentação entrarem no cotidiano dos brasileiros, chegou a vez de outro nicho começar a utilizar a tecnologia a seu favor. Trata-se do mercado da beleza, que também ganhou aplicativos que permitem solicitar um profissional da área, que vai até o (ou a) cliente, ou mesmo escolher o salão ou clínica e agendar serviços.  No Brasil, o mercado ainda engatinha, mas já existem opções bastante consolidadas que têm garantido comodidade e economia ao freguês e lucro para os profissionais e empresários.

Dois aplicativos beauty delivery que saíram na frente foram o Singu e a Faci.ly. Em ambos, o usuário informa o local, a data e o horário que necessita de atendimento, a plataforma busca um profissional e pronto: basta aguardar. Eles oferecem serviços como manicure, pedicure e depilação. O primeiro tem ainda a opção de massagem, enquanto o segundo tem no leque o design de sobrancelhas.

Se depender do histórico de seus líderes, as empresas têm bastante a crescer. Enquanto a Faci.ly é atualmente comandada por Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook para a América Latina, o criador do Singu é Tallis Gomes, que fundou também o Easy Taxi, aplicativo que chegou a 35 países em apenas quatro anos e que, em 2017, foi adquirido pela Cabify.

Gomes, o empreendedor de apenas 31 anos e fala mansa, teve a ideia de criar o dispositivo no fim de 2015. “Eu quis ajudar os profissionais do segmento e vi que não havia nenhuma inovação neste sentido. Eles podem ganhar até três vezes mais do que se trabalhassem em um salão”, explicou.  

Faturamento turbinado 

De acordo com a manicure Elaine Cristina Geraldi, 37, uma das “artistas” do Singu, a média de faturamento mensal é de R$ 3 mil. “Eu trabalho com isso há sete anos e, com o aplicativo, há um ano e meio. Entrei porque vi um anúncio no Facebook e me surpreendi, pois eu mesma faço meus horários. Quanto mais trabalho, mais consigo faturar”, disse. Atualmente, a plataforma fica com 30% do valor pago pelos clientes e os profissionais com o restante.

Nos dois aplicativos, há processos seletivos para os profissionais que oferecerão serviços por meio das plataformas. “Temos um processo criterioso de aprovação, no qual checamos qualidade e experiência de todos os parceiros”, disse Luciano Freitas, CMO da Faci.ly.

Na outra ponta do negócio, a relações públicas Fernanda Fernandes, de 32 anos, moradora do Itaim, é cliente “de carteirinha” da tecnologia. “Uso há pouco menos de dois anos. Uma amiga minha me indicou e eu não larguei mais. Posso marcar, por exemplo, um atendimento de domingo, coisa que no salão é mais difícil”, afirmou. E o melhor, segundo ela, é que o preço costuma ser menor do que o encontrado nos estabelecimentos físicos. 

Agendamento em salões pelo celular é tendência

Outros aplicativos que têm pouca concorrência no mercado de beleza são o Trinks.com e o Beauty Date. A proposta destes é de agendar atendimento nos próprios salões e ainda oferecer um software para os empresários gerirem seus estabelecimentos.

O Trinks.com foi pensado por Carina Gewerc. “Ele surgiu de uma necessidade pessoal. Eu viajei para Goiânia, em 2011, e tive muitas dificuldades em conseguir agendamento. Quando voltei, pensei que o setor precisava de uma mudança com inovação”, argumentou. Só no Estado de São Paulo, já são quase 8 mil estabelecimentos de beleza cadastrados. Para os consumidores, o aplicativo é gratuito e está disponível no Sistema Android e iOS.

Já o Beauty Date, criado pelos jovens curitibanos Giovanni Bonetti, Fabrizzio Zampieri e Alexandre Kleis, recebeu um investimento de R$ 28 milhões do Valor Capital Group, em 2016, para começar a operar.

Serviço

Singu – Atendimento todos os dias, das 7h às 19h,

na Grande São Paulo e no Rio de Janeiro.

Faci.ly – Atendimento todos os dias, das 8h às 20h,

na cidade de São Paulo.

Trinks.com – Horários de atendimento dos salões de beleza. Presente em todo o território nacional. 

Beauty Date – Horários de atendimento dos salões de beleza. Presente nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul, Maranhão, Paraíba, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Alagoas, Espírito Santo, Ceará, Rondônia, Mato Grosso, Piauí, Sergipe, Pará, Tocantins, Roraima e Amapá.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

O ciclo de palestras reunirá, nessa edição, Fofão, Guga Stocco, Tonico Novaes e um seleto grupo de influenciadores digitais para palestras beneficentes, no dia 1º de setembro (Foto: Reprodução/Facebook)

Economia

Em sua quinta edição, o Talk retorna as suas origens e traz novamente ao Nippon Country Club, em Arujá, nomes consagrados do meio artístico, empresarial e ligados ao empreendedorismo para transmitirem ao público suas experiências e histórias de superação e sucesso, e ainda beneficiar entidades assistenciais. O evento será no dia 1º de setembro, no Salão Nobre do clube, a partir das 13h30. 

Neste ano, estarão presentes no Talk 2018 a ex-atleta de vôlei e tri-medalhista olímpica, Hélia Pinto, a Fofão; o executivo de empresas como Microsoft, Buscapé e Banco Original, Guga Stocco; e o diretor geral da Campus Party Brasil – maior evento de tecnologia da América Latina –, Tonico Novaes. Em comum, eles abordarão suas trajetórias de sucesso, com o intuito de levar inspiração para os jovens que ingressarão no mercado de trabalho e para todo o público presente. 

Arena Talk

Na sequência das palestras, o público participará da Arena Talk, um momento mais informal do evento, em que os palestrantes convidados farão reflexões construtivas sobre a presença da tecnologia no mundo atual. Quem estiver presente poderá ter um contato mais próximo com os convidados, fazer perguntas, receber dicas e buscar inspiração em suas trajetórias. 

Em uma Era onde a tecnologia está transformando as nossas vidas, impactando nossos hábitos e até as nossas carreiras, quatro grandes influenciadores digitais – que possuem milhões de seguidores em suas redes sociais – irão falar sobre os desafios desse universo e de suas profissões. São eles: Albano Barros, fundador do canal "seja 1 pessoa melhor"; Joyce Kitamura, influenciadora especialista em beleza; Pyong Lee, influenciador especialista em mágica, hipnose e talk show; e Tata Estaniecki, influenciadora especialista em moda. 

Como participar

Além de levar conhecimento e histórias inspiradoras ao público, o Talk tem como missão colaborar com a manutenção do trabalho realizado por entidades assistenciais. Por isso, a entrada no evento se dá por meio do ingresso social. 

Para participar, basta se inscrever no site bit.ly/talk2018 e levar 5kg de alimentos não-perecíveis (por pessoa) no dia do evento, que serão doados para quatro entidades assistenciais da comunidade nipo-brasileira: Sociedade Beneficente Casa da Esperança - Kibô-no-Iê, Associação Pró-Excepcionais Kodomo-no-Sono, Assistência Social Dom José Gaspar – Ikoi-no-sono; e Yassuragui Home.  

Parceria Social

O Talk 2018 tem mais uma novidade na área social: a parceria com a associação sem fins lucrativos, Parceiros da Educação (parceirosdaeducacao.org.br), que trabalha por uma educação pública de qualidade no Brasil. 

Por meio da parceria, o evento contará com a participação de mais de 500 alunos de escolas públicas do estado de São Paulo, que assistirão as palestras e poderão se inspirar com as histórias de superação dos convidados. 

A ação conta com o apoio do Atacado Bate Forte, que fará a doação de alimentos, referente a taxa de inscrição dos alunos, e da Viação Breda, que cuidará do transporte dos jovens de suas escolas até o Nippon. 

Serviço

Quando: 01 de setembro de 2018

Onde: Nippon Country Club (Estrada dos Vados, 260 – Bairro Fontes / Arujá – SP – rodovia Presidente Dutra, km 205,5)

Horário: das 13h30 às 17h30

Ingressos sociais: 5 kg de alimentos não perecíveis que serão destinados às entidades assistenciais da comunidade nipo-brasileira

Mais informaçõesfacebook.com/talkbrfacebook.com/nipponcountrycluboficial

Mesmo depois de passar no vestibular e cursar uma faculdade, profissional deve continuar estudando (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Opinião

O mundo está cada dia mais volátil, incerto, complexo e ambíguo. E, diante de tantas transformações, os executivos estão encontrando situações cada vez mais desafiadoras. Isso quer dizer que anos de estudo e experiência não têm sido suficiente para enfrentar os dilemas atuais.

Resta aos executivos incluírem os estudos e atualizações profissionais em suas rotinas. E, não estamos falando de educação tradicional, como pós-graduação, MBA, mestrados e doutorados. O executivo atual precisa conhecer de tudo um pouco.


Por isso, participação em feiras, congressos, palestras e eventos tem sido de grande valia. Ter contato com pessoas e mercados diferentes em poucos dias ou horas é relevante para abrir a mente e ampliar os horizontes. Sair do dia a dia da empresa oxigena as ideias e pode tornar o executivo mais criativo.

Outra opção são os grupos de networking, que permitem troca entre os membros. Se a falta de tempo ou recursos financeiros não possibilitarem esse tipo de experiência, o executivo tem ainda uma infinidade de opções de cursos até gratuitos na internet. Hoje, só não aprende quem não quiser, pois há conhecimento farto e disponível a qualquer pessoa por meio da rede mundial de computadores.


Para aqueles que estão em busca de conhecimentos mais ligados à formação humana, os cursos de curta duração de coaching e programação neurolinguística têm sido uma boa opção. Atualmente, espera-se de um líder mais do que conhecimento técnico. O olhar humano, de gestor, precisa ser muito bem desenvolvido.


Cabe destacar a importância de teoria e prática andarem sempre juntas. De nada adianta um executivo com formação impecável e baixos níveis de experiência. Do mesmo modo, muita vivência sem capacitação técnica também limitam.


O mais importante é que estudar faça parte da rotina do profissional. Ninguém mais pode se dar ao luxo de cumprir as suas funções apenas, sem acompanhar o que acontece no Brasil e no mundo. Todo executivo precisa tirar algumas horas por semana, ou 30 minutos por dia, para se dedicar aos estudos. Há bons livros, revistas técnicas e sites que podem ajudar nessa tarefa. Basta ter disciplina, foco e força de vontade.

*Fernanda Andrade é gerente de Hunting e Outplacement da NVH - Human Intelligence

Administrar uma franquia não é missão simples. Saiba como empreender (Foto: Foto: Milton Michida/GESP/Fotos Públicas)

Economia

Empreender tem se tornado uma maneira eficaz, e muitas vezes necessária, de se livrar da crise financeira e garantir uma fonte de renda. De acordo com uma pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, de cada 10 pessoas no Brasil, ao menos quatro estão envolvidas em algum tipo de empreendimento. Investir em franquias pode ser uma boa sacada, já que o mercado teve um aumento de 7% no faturamento no último ano, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Mas é preciso ter paciência para alcançar os lucros do negócio.

Segundo especialistas, as franquias levam, em média, 12 meses para começar a dar um retorno positivo, prazo que pode variar até 24 meses, de acordo com o custo da operação. Segundo Georgios Frangulis, CEO da rede de franquias Oakberry Açaí Bowls, Lucas Moreira, fundador e CEO da Splash cafés e bebidas urbanas, e Adrielle Freitas, contadora da Contabilizei, escritório de contabilidade para micro e pequenas empresas, cinco dicas essenciais podem te auxiliar na lucratividade do negócio.

  1. Monte uma estratégia

Apresente uma proposta diferente das tradicionais do mercado. Uma demanda de mercado reprimida é um excelente início. "Trabalhar de maneira estruturada e com um formato operacional, que ofereça pouca margem de erro de gestão por parte do franqueado e dos fornecedores, é essencial, principalmente no início", destacou Georgios Frangulis.

  1. Escolha um ponto comercial

O fluxo de pessoas que passam por determinado local é o primeiro fator a ser considerado, ainda mais quando se pretende consolidar o nome de uma marca.

  1. Simplifique sua operação

Uma operação sem complexidade, além de trazer agilidade ao serviço prestado, também diminui bastante a margem de erro do seu negócio, evitando gastos desnecessários que podem se transformar em ganhos positivos.

  1. Mantenha o padrão

Franqueado e franqueador devem manter o padrão estabelecido no fechamento do contrato. "O lucro acontece exatamente com uma gestão próxima do franqueado, conseguindo manter o baixo custo, boa margem nos produtos, estancar perdas e aumentar as vendas", explicou Lucas Moreira.

  1. Fique de olho na contabilidade

Apesar de ser um comércio varejista, as franquias possuem detalhes que deverão ser cuidadosamente avaliados, principalmente em relação aos dados contábeis. "É importante encontrar uma empresa especializada no assunto para tomar conta de todos os seus dados contábeis e ainda te orientar sempre que precisar", alertou Adrielle Freitas.

Renata consegue mais tempo para a pequena Carolina (Foto: Divulgação)

Economia

Conciliar a carreira com a criação dos filhos é algo muito mais difícil para as mães do que para os pais. Segundo pesquisa divulgada pela Catho, no ano passado, após a chegada dos filhos, as mulheres deixam o mercado de trabalho cinco vezes mais que os homens.

A pesquisa, feita com 13.161 pessoas, concluiu que 28% das mulheres deixaram o emprego para cuidar dos filhos. No caso dos homens, o índice é de 5%. Segundo a empresária executiva de carreiras Madalena Feliciano, da Outliers Careers, empreender pode ser uma boa saída, não porque se trabalha menos, mas porque a flexibilidade de horários é maior. “A gente trabalha, no mínimo, o dobro”, afirmou a empresária.

Madalena diz que mulheres com filhos trabalham mais (Foto: Divulgação)

De acordo com Madalena, retomar a carreira é realmente mais desafiador nos primeiros anos de criação de um filho. Mesmo no período de licença maternidade é possível fazer cursos on-line e até estudar para concursos públicos. Já no caso de empreender, a especialista alerta que “o primeiro passo é o autoconhecimento, saber quais são seus talentos, fazer um planejamento, saber quais negócios de fato que pode se ter um retorno, para ver qual o capital que se pode investir e qual é o tempo que a gente tem para fazer isso”.

Um filho pode ser um caminho para se tomar ciência de uma veia empreendedora. A secretária Vanessa Manso não abriu mão da carreira por conta do filho. Ao contrário, conseguiu mudar de horário no trabalho e ainda teve uma ideia nova de venda de peças de roupas infantis. “Precisei comprar para meu filho e passei a conhecer melhor modelos e tipos de roupas. Durante uma atividade conheci uma pessoa que trabalhava com roupas infantis. Vi que eram boas peças e daria para encarar. Assim comecei a vender”, contou.

Vanessa mudou seu horário de trabalho para ficar com Vitor (Foto: Divulgação)

A vida não pode parar

No caso de mulheres que já empreendem antes da gravidez, muitas vezes não é possível ter tempo para planejar um novo rumo. É preciso trocar o pneu com o carro em movimento.

A publicitária Renata Alarcon é consultora amorosa e idealizadora da TV Armário Feminino, um serviço à la Netflix com 22 programas voltados ao público feminino. Mãe de Maria Carolina, de um ano e nove meses, a publicitária contou que quando soube da gravidez estava em um ritmo alucinante, pois já tinha o blog Armário Feminino e se preocupava em como adequar a vida de mãe com a rotina de empresária.

Antes mesmo de nascer, Maria Carolina foi decisiva na vida profissional da mãe. “Estava sozinha em casa e conversava muito com a barriga. Falei para minha filha que ela podia me dar uma luz para eu saber o que fazer para mudar um pouco esta história de trabalhar tanto e ter tempo para você. No dia seguinte, eu acordei com a ideia da televisão na cabeça”, contou.

Carolina influenciou na criação de outros subprodutos para o canal virtual e mudou a visão de mundo de Renata.

Descansar é necessário. Mesmo para empresários (Foto: Marcelo Lelis/ Ag. Pará/Fotos Públicas

Opinião

Ser empresário, para muitos, não é exatamente um mar de rosas. Muitas vezes, ele é o primeiro a entrar e o último a sair. Décimo terceiro salário é apenas para os colaboradores e as férias nem sempre vêm como ele quer. Mas, então há um paradoxo por trás disso, pois quase todo empresário montou sua empresa com o sonho de ter liberdade financeira, de tempo e de escolha. E, férias pelo tempo que quiser sem ter de pensar na própria empresa, estão inclusas aí. A pergunta que fica é: quantos dos empresários estão obtendo estes benefícios? Quando faço essa pergunta aos empresários que participam dos nossos eventos, vejo que quase nenhum responde afirmativamente.


Muitas vezes estão estressados, com a saúde já não tão boa e até a família entra na dança. Diferentemente do que muitos pensam, isso não deveria ser assim. Muito trabalho não é sinônimo de resultados e, a consequência é mais sofrimento que prazer em ter a empresa que sonhou.


A questão muitas vezes está mais ligada à forma como pensa o empresário do que a outras questões em si. Até porque a forma como ele pensa leva à forma como decide e, consequentemente, leva às ações tomadas que, por sua vez, tornam-se os resultados. Se os resultados não estão a contento é porque as formas de pensar também não estão.


Como pensa o empresário? Muitos pensam que ele tem de ficar na empresa todo tempo, caso contrário ela não funcionará. Bom, verifique melhor a forma como faz as coisas, porque muitos donos estão assim e não se deram conta disso ainda.
Seria improvável o dono conseguir chegar a dirigir uma empresa média ou grande com eficácia, sozinho. E é exatamente por isso que existem equipes, sistemas e processos dentro de uma empresa. Para que ela funcione sem o dono operando.


Sendo assim, para tirar férias efetivas (muitos têm férias, mas não são efetivas), em primeiro lugar o dono deve mudar a forma de pensar. Deve pensar que em médio/longo prazo, a empresa não deveria ser operada por ele. Isso vai forçá-lo a montar as melhores equipes, sistemas e processos. O que no final das contas significa melhorar a produtividade e, consequentemente, os resultados.

*Marcos Guglielmi é treinador de empresários e sócio fundador da ActionCOACH São Paulo

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou