23
Ter, Out

Produtos, se não descartados ou esterilizados, podem contagiar doenças (Foto: Divulgação)

Saúde

Não são poucas as doenças que podem ser contraídas na manicure. A lista de doenças transmissíveis é extensa e estas podem ocorrer não só por meio da contaminação via alicate da unha.  Lixa, tesourinha, empurrador, palito e até mesmo o esmalte podem transmitir doenças desencadeadas por vírus, fungos e bactérias.

E estes indesejados micro-organismos são capazes de gerar problemas como hepatites B e C, micoses, sífilis e até mesmo a Aids. “O problema maior são ferimentos que podem ocorrer na hora da retirada da cutícula. Se houver sangramento e o material não estiver esterilizado de forma devida pode haver transmissão de várias doenças”, afirma Roberto Focaccia, livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). Ele lembra ainda que a cutícula é a grande protetora da unha, pois impede a entrada de vírus e fungos. Por isso não deve ser retirada, somente empurrada para dentro.

Focaccia explica que o ideal para evitar qualquer tipo de contágio é que cada pessoa leve o seu próprio material de uso (incluindo o esmalte) ou que o profissional utilize produtos descartáveis. No que se refere a esterilização, não basta os produtos ficarem na autoclave por alguns instantes. Os equipamentos devem permanecer por no mínimo uma hora a 170 graus e ser lavados previamente.

“Esses procedimentos são necessários para matar estes micro-organismos. Vale lembrar que muitos resistem se estiverem dentro de uma célula. Então, por exemplo, uma célula do sangue que contenha qualquer tipo de micro-organismo, e estiver no equipamento, se este não for lavado, há o risco de que continue vivo”, explica o professor.

E não se pode menosprezar os riscos. As hepatites, por exemplo, desenvolvem de forma silenciosa e, muitas vezes, só se chega ao diagnóstico muitos anos depois, após o aparecimento de alguns sintomas característicos. Os principais indicativos da doença são olhos amarelos, febre, urina escura e a dor abdominal. Se não tratada devidamente, pode gerar problemas mais graves, como tumores no fígado. Já as micoses são mais fáceis de serem detectadas, mas não menos simples de serem tratadas. O cuidado costuma incluir medicamentos tópicos e orais, que devem ser mantidos por cerca de um ano. 

Esmaltes contaminados

Apesar dos componentes químicos presentes na formulação de um esmalte, existe a possibilidade de vírus, fungos e bactérias se desenvolverem dentro do produto. Por isso, por intermédio do uso de esmalte contaminado, pode se contrair diversos tipos de doenças, que incluem não só hepatites e micoses, como também alergias.

Tânia Cardoso, diretora da Blant, especializada no tratamento das unhas, ressalta que é importante cuidar da saúde das unhas e ter o seu próprio kit, que inclui alicate, tesourinha, palito, lixa, base e esmalte. Lixas e palitos devem ser descartáveis, para evitar a proliferação de fungos . “Quando os utensílios estão contaminados, o fungo, vírus ou bactéria fica encubado dentro do esmalte. E a ação desse componente, ao ser aplicado em uma unha saudável, é desastrosa”, conclui. 

Manicure e pedicure – como se proteger da contaminação

Ter o seu próprio kit (equipamentos e esmaltes)

Pedir para a manicure usar luvas descartáveis

Confirmar se os equipamentos são esterilizados

Caso não tenha o kit próprio, usar todos os materiais descartáveis

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

O técnico Levir Culpi apontou que o clima político do Santos, que passará por eleições presidenciais no fim do ano, vem afetando o desempenho do time dentro de campo. Essa foi a avaliação do treinador após o empate por 1 a 1 com o Sport, na Ilha do Retiro, na noite de quinta-feira, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

“Tenho certeza. Já trabalhei em vários clubes que tinham o mesmo problema. As eleições serão em dezembro e vocês já sabem o que vai acontecer”, afirmou Levir, que não tem permanência assegurada no Santos para 2018 e indicou pessimismo nas suas palavras sobre a possibilidade de seguir à frente do time.

 

Ao mesmo tempo, porém, o treinador assegurou que há boa relação entre jogadores e membros da comissão técnica do Santos, apontando que o time segue firme na briga por uma vaga na edição de 2018 da Copa Libertadores. “O ambiente está bom no elenco, mas nós queremos classificar o time para a Libertadores”, disse.

 

O empate com o Sport foi o terceiro consecutivo do Santos no Brasileirão e o impediu de se aproximar do líder Corinthians, o deixando com 50 pontos, na quarta colocação, a nove do primeiro colocado. Questionado se a equipe ainda tem chances de alcançar o rival, Levir se irritou na sua entrevista coletiva no Recife.

 

“É uma resposta boba. O que você quer que eu responda?. O Corinthians está muito na frente. A gente pode alcançar, é muito difícil, mas é possível. Temos que acreditar no trabalho e buscar a vitória. A pergunta foi inteligente, mas não existe resposta”, concluiu.

 

O Santos voltará a jogar pelo Brasileirão no domingo, quando vai receber o Atlético Goianiense, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada.

Esportivo – Motor desenvolve 400 CV, tem aceleração de 0 a 100 km/h e é feita em apenas 3,7 segundos. Foto: Divulgação

Autos e Afins

Chega ao País o novo Audi TT RS Coupé, versão mais apimentada do TT Coupé. Equipado com motor 2.5 de cinco cilindros capaz de desenvolver 400 CV, o esportivo tem desempenho poderoso, dirigibilidade incrível e oferece boa estabilidade e segurança. Seu preço sugerido é de R$ 424.990.

Graças à utilização de ligas de metais leves, diminuição dos atritos internos e aprimorado desdobramento de potência, o novo motor 2.5 TFSI entrega um desempenho 17% maior, apesar de não haver mudança no deslocamento volumétrico de 2.480 cm³. O cárter e bloco do motor foram concebidos em ligas de alumínio, o que reduz seu peso em 18 kg. O propulsor 2.5l é compacto, medindo menos de 50 cm de comprimento, além de ser, no total, 26 kg mais leve que o anterior. Com 400 cv, ele oferece um nível de potência nunca antes atingido. 

O torque máximo de 480 Nm é oferecido entre 1.700 e 5.850 rpm, o que garante uma força surpreendente, acompanhada de um som inconfundível. Devido à sequência de ignição 1-2-4-5-3, alternando entre os cilindros externos e, por fim, no central, impõe um ritmo de funcionamento característico e especial.

O TT RS Coupé acelera de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos, o que corresponde aos níveis alcançados pelos superesportivos. A velocidade máxima é de 250 km/h, limitada eletronicamente. Apesar do aumento no desempenho, o modelo reduz o consumo de combustível.

 

Potência e diversão

A potência do motor 2.5 TFSI alcança o asfalto por meio do sistema de tração integral quattro acoplado à transmissão S tronic de sete velocidades, com trocas de marchas feitas em frações de segundo. A embreagem multidisco eletro-hidráulica, do sistema de tração, distribui a força de forma variável entre os dois eixos e conforme a necessidade. Isso assegura uma alta aderência ao piso aumentando ainda mais a diversão ao volante. A vetorização de torque contribui para uma condução ainda mais ágil, eficiente e segura.

Audi TT Motor

 

Ampla lista de equipamentos

A lista de equipamentos inclui Audi virtual cockpit, bancos esportivos de couro napa fina, acabamento interno em fibra de carbono, volante multifuncional esportivo com base aplanada revestido em couro, capas dos retrovisores na cor preto brilhante, escapamento esportivo RS, faróis Full LED, lanternas traseiras em Oled, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, além de câmera de ré, Audi drive select, sistema Keyless-Go, suspensão esportiva RS, Audi smartphone interface, sistema de som Bang & Olufsen e rádio MMI com sistema de navegação.

Audi TT Painel

Prezados amigos, recentemente li um magnífico artigo do Dr. Fernando Maluf, oncologista clínico, sobre o câncer de próstata, que segue abaixo.

“O desenvolvimento do câncer de próstata está relacionado, sobretudo, ao envelhecimento masculino. Embora a doença possa ser diagnosticada em homens jovens, inclusive com menos de 40 anos, o risco aumenta significativamente após os 50, correspondendo a 40% dos tumores nessa faixa etária. A idade média dos homens diagnosticados é de 69 anos.

Depois do câncer da pele, ele é o tumor maligno mais comum no sexo masculino, representando cerca de 10% de todos os cânceres diagnosticados no mundo. Felizmente, apesar da incidência crescente, observa-se um declínio das taxas de mortalidade, que diminuíram 40% nos últimos 15 anos nos países desenvolvidos. Essa redução se deve, principalmente, ao diagnóstico precoce e ao aperfeiçoamento das formas de tratamento.

Sem compromisso no próximo final de semana, o Corinthians continua aproveitando os dias livres para dar ritmo de jogo para todos os atletas. Um time praticamente reserva participou de um jogo-treino contra o Atibaia, nesta quinta-feira, no CT Joaquim Grava, e não saiu do 0 a 0. O destaque da atividade foi Kazim, que se esforçou, lamentou, teve boas chances de marcar, mas continua sem balançar as redes. O zagueiro Vilson, sem jogar desde março, também participou da atividade.

O time iniciou o jogo-treino com Walter; Warian, Vilson, Pedro Henrique e Moisés; Paulo Roberto, Camacho, Fellipe Bastos, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto; Kazim. No segundo tempo, o técnico Fábio Carille tirou os dois zagueiros e o goleiro e colocou Rodrigo Figueiredo, Pablo e Matheus Vidotto. Assim, a formação ficou com Matheus Vidotto; Paulo Roberto, Pablo, Warian e Moisés; Fellipe Bastos, Camacho, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Rodrigo Figueiredo; Kazim.

Kazim foi uma atração durante o jogo-treino. Ele teve pelo menos quatro chances de marcar, sendo duas delas bem claras. Na primeira, ele finalizou e o goleiro Ariel fez uma grande defesa. O turco brincou com o adversário: “Quer aparecer na foto, né?”, disse, se referindo à bonita defesa. Em seguida, deu um carrinho na bola e novamente o goleiro defendeu.

Em um lance do segundo tempo da atividade, Moisés cruzou forte e muito alto e Kazim reclamou: “Pô, você cruza a 100 quilômetros por hora!”, esbravejou. O lateral respondeu mandando ele ir de cabeça na jogada. Minutos depois, ambos conversaram tranquilamente.

Após cada lance perdido, Kazim sofria, se lamentava, balançava a cabeça e parecia não acreditar. Situação parecida com a ocorrida na partida contra o Atlético Goianiense, no último sábado, quando deixou o gramado se desculpando com os companheiros pelas chances desperdiçadas e por ter falhado no posicionamento no gol dos goianos. Kazim tem 20 jogos pelo Corinthians e apenas um gol marcado. Seu único gol saiu em 18 de fevereiro, contra o Audax.

Outra atração foi a presença do zagueiro Vilson. Recuperado de uma artroscopia, ele participou pela primeira vez de um teste um pouco mais intenso e mostrou estar recuperado fisicamente. Cometeu alguns erros na saída de bola e, naturalmente, mostrou falta de ritmo de jogo em alguns lances.

Apesar do empate sem gols e de uma atuação pouco inspirada da equipe, Marquinhos Gabriel foi o destaque positivo da atividade com bons lançamentos e movimentação. O meia criou diversas jogadas, principalmente no primeiro tempo do jogo-treino, que contou com dois tempos de 30 minutos.

Os titulares, que fizeram um jogo-treino contra o sub-20, na quarta-feira, ficaram no outro gramado, realizaram trabalho tático. Os desfalques do treino foram o zagueiro Léo Santos, que se recupera de dores no púbis, além de Danilo, que sofreu uma lesão na panturrilha e ficará fora do time por mais um mês. Cássio e Fagner estão com a seleção brasileira e Balbuena e Romero defendem a seleção paraguaia.

No dia 16 de dezembro acontece, pela primeira vez no Brasil, o Monster Jam, maior e mais famoso evento de big foots do mundo. A competição, que acontece em São Paulo, na Arena Corinthians, apresenta os caminhões mais reconhecidos do mundo, dirigidos por pilotos experientes, que sempre buscam impressionar o público. Durante o show, os espectadores vão ver de perto os carros voarem pelas pistas customizadas, cheias de obstáculos, e diversas manobras como “Backflip”, quando o caminhão faz um giro de 360° no ar, partindo de um obstáculo vertical; “Donut”, movimentos de giros em círculos; “Wheelie” em que o piloto dirige o caminhão apenas com as rodas traseiras no chão, mantendo as dianteiras suspensas no ar; entre outras.

 

Voltado para toda a família, o Monster Jam traz ao Brasil os mais famosos caminhões da categoria, como Grave Digger, Max-D, El Toro Loco, Monster Mutt Dalmatian, Alien Invasion, Zombie e New Earth Authority (NEA). Além de curtir o evento, o público poderá votar em cada performance realizada pelos veículos no portal Judges Zone. No dia do show os participantes receberão um código e, ao incluí-lo no site, terão acesso à plataforma de votação.

 

“O Monster Jam é um evento reconhecido mundialmente e que atrai diversos públicos, desde as crianças até os amantes de esportes radicais. Por isso, é muito importante podermos realizar esse show aqui no Brasil, onde temos alguns dos fãs de motorsports mais apaixonados do mundo”, diz Bruno Klotz, diretor Executivo do Instituto Zambini, intermediador da atração.

 

Pit Party – No mesmo dia acontece a Pit Party (festa nos boxes), uma oportunidade exclusiva para os fãs se aproximarem pessoalmente dos veículos Monster Jam, tirar fotografias com as máquinas e pilotos, pegar autógrafos, além de apreciarem as comidas típicas. Essa festa acontece previamente ao evento principal, das 12h às 17h, e os ingressos devem ser adquiridos separadamente.

 

O evento – Realizado há mais de 25 anos, o Monster Jam é um tradicional evento americano que percorre grandes arenas em todo o mundo. A atração entretém mais de 4 milhões de fãs por ano em 125 locais diferentes, em mais de 350 apresentações. Só em 2017 mais de 90 arenas e 36 estádios ao redor do mundo já receberam o evento. Seis novos países tiveram a oportunidade de ver de perto os caminhões monstros, como Arábia Saudita, Argentina, França, China, Singapura e, agora, Brasil. O Monster Jam é realizado pela Feld Entertainment, líder mundial em produzir e apresentar eventos de experiência em entretenimento familiar. Os ingressos podem ser adquiridos no site do Monster Jam (www.monsterjamoficial.com.br) e variam de R$ 65 a R$ 350.

 

Novidade – Monster Jam vai acontecer, em dezembro na Arena Corinthians(Foto: Divulgação)

 

Monster Jam

 

Data: 16 de dezembro. Horário: 19h (abertura dos portões às 17h). Local: Arena Corinthians – Av. Miguel Ignácio Curi, 111, Itaquera.

 

Mais informações: https://monsterjamoficial.com.br

Mais de 6,8 mil itens são perdidos mensalmente no Metrô de São Paulo. Em sua maioria, documentos, que completam quase 63% do total de itens. O número já supera a média mensal registrada no ano passado, de 6,6 mil objetos – no total de 2016, foram 80 mil artefatos enviados à Central de Achados e Perdidos. O índice de recuperação era de 24% e teve uma pequena queda para 22% este ano. 

Segundo Marcos Borges, coordenador de Atendimento e Serviços ao Usuário do Metrô, a taxa ainda é baixa. “As pessoas acabam não acreditando que existe uma consciência boa, que vá entregar um objeto achado para os funcionários”, disse. De acordo com ele, qualquer trabalhador, desde o setor de limpeza até a segurança, está treinado para agir. 

O pequeno espaço da central não estava lotado, como costuma ficar, no dia em que a reportagem visitou o local, pois os itens ficam por dois meses disponíveis ali, até que são entregues ao Fundo Social de Solidariedade do Estado, que decide a destinação de cada material. 

Dentre o que foi encontrado pelo Metrô News, muitos documentos, celulares, carteiras, mochilas e bolsas. “É importante destacar que os usuários podem confiar e devem nos procurar sempre que precisarem de ajuda, seja encontrando um item ou procurando por algo”, explicou o coordenador. Hoje o Metrô conta com 4,5 milhões de usuários por dia.

Inusitado – Até próteses de perna foram esquecidas por usuários do Metrô de São Paulo recentemente (Foto: Lucas Dantas)

 

Espada e até máquina de escrever 

Dentaduras, próteses de perna, um alcorão escrito em árabe e intacto, uma espada com inscrições japonesas, um violão elétrico, algemas e várias muletas. Tudo isso está dentre os objetos perdidos nos vagões do Metrô. “Tem algumas histórias engraçadas”, alerta o coordenador Marcos Borges, enquanto entra na sala. 

Ele contou que um dos acontecimentos mais hilários foi quando um senhor procurou o espaço questionando sobre uma dentadura. Depois de algumas perguntas e um teste feito pelo próprio usuário, finalmente ele teria encontrado o objeto desejado e levou de volta a sua preciosa prótese dentária. “Só que ele retornou, três dias depois, para devolver. Não era a dele, que nunca foi achada”, contou, gargalhando, o coordenador.

 

Documentos são maioria 

Os objetos mais encontrados são cartões, documentos, bilhetes de transporte, artigos de papelaria, artigos pessoais e peças de vestuário. Só que algumas coisas são bem curiosas: no alto de uma prateleira, um isopor de motoboy, com a inscrição do Uber Eats, aguarda o dono talvez voltar para recuperá-lo.

 

Despercebido – Dentaduras e instrumentos musicais são esquecidos (Foto: Lucas Dantas)

  

Foto: Lucas Dantas

 

Consulta informatizada 

A Central de Achados e Perdidos do Metrô foi inaugurada em 15 de junho de 1975, na estação São Judas da Linha 1-Azul (Jabaquara/Tucuruvi). Em 1981, o posto foi transferido para a estação Sé, onde permanece até hoje. O local conta com um sistema informatizado, que permite a consulta de um item esquecido a partir de qualquer estação.

  

Foto: Lucas Dantas

 

Falta atenção 

De acordo com a professora do curso de Psicologia da Universidade UNG, Solange Rodrigues Martins Camargo dos Santos, os smartphones são os “vilões” das distrações. “Se tem gente que é até atropelada na rua porque não presta atenção ao trânsito, imagina esquecer um documento no Metrô? Isso distrai muito e a nossa memória precisa de atenção. Se a pessoa não está focada no que ocorre à sua volta, vai perder um monte de coisas mesmo”. O professor de Psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Eduardo Fraga, concordou. “No mundo moderno, com os acessórios eletrônicos, é muito mais fácil dispersar a atenção e perder as coisas”, falou. “O importante é que, mesmo em uma sociedade competitiva, em que todos querem ganhar, os objetos são devolvidos”, afirmou o especialista.

  

 

Quem procura, acha! 

O atendimento pessoal é feito na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 20h, e abrange todas as linhas, inclusive a Linha 4-Amarela. As consultas de documentos e objetos identificados também podem ser realizadas na Central de Informações do Metrô pelo telefone 0800-7707722, todos os dias, das 5h30 às 23h30, ou ainda pelo site do Metrô (www.metro.sp.gov.br).

 

Foto: Lucas Dantas 

  

Foto: Lucas Dantas

 

Foto: Lucas Dantas

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Bolsonaro é visto como um candidato "teflon", pois nada gruda nele (Fotos: Tãnia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Nacional

Especialistas em Ciência Política acreditam que muito dificilmente a vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) poderá ser revertida nos próximos dias, que precedem a eleição presidencial. De acordo com o cientista político Eduardo Grin, professor da FGV EAESP, nada “cola” no candidato preferido dos eleitores – segundo pesquisa do BTF/FSB, ele tem 60% dos votos válidos, contra 40% de Fernando Haddad (PT). “Já teve declaração desastrosa de companheiros políticos, aquela denúncia do pacote do Whatsapp, mas nada parece abalar a candidatura do Bolsonaro”, disse. Neste momento, 94% dos que votariam em Bolsonaro afirmaram que estão convictos da decisão. Nos eleitores do petista, o índice é de 90%. Foram entrevistados 2 mil eleitores, entre 20 e 21 de outubro, segundo o levantamento. A margem de erro segue sendo de dois pontos percentuais. O mestre em Ciência Política e doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade de São Paulo (USP), Philippe Franco Scerb, analisou que a imagem “antissistema” do ex-capitão o favorece muito nesta corrida presidencial. “A denúncia de um possível Caixa 2, por exemplo, se tornou motivo de ironia entre o eleitorado”. No último estudo, publicado em 14 de outubro, Bolsonaro aparecia com 59% das intenções de voto, contra 41% do petista. Na intenção de voto estimulada, o candidato do PSL cresceu um ponto percentual, de 51 para 52%. Haddad permaneceu com 35%. Votos brancos e nulos somaram 4%, não souberam 4% e 5% responderam que não escolheriam nenhum dos dois.Votação expressiva pode gerar capital político maior Segundo Grin, a ideia da campanha de Bolsonaro, agora, é de vencer com maior número de votos do que os últimos presidentes eleitos no Brasil. Luís Inácio Lula da Silva (PT) obteve 52,7 milhões de votos (61,27%) em 2002 e 58,2 (60,83%) em 2006. Já Dilma Rousseff (PT) ganhou com 55,7 milhões (56,05%) em 2010 e 54,5 milhões (51,64%) em 2014. “Se obtiver maior percentagem do que Lula em 2002, por exemplo, ele terá um poder político maior para negociar com o Congresso no início do mandato”, explicou o especialista. “Sem dúvidas, uma votação bastante expressiva pode levar Bolsonaro a aprovar sua pauta junto a partidos que nem o apoiaram formalmente”, disse Scerb. “Candidatos com uma base semelhante entendem que seus eleitores querem que aquela agenda seja aprovada e isso gera mais força ao governo”. Ibope e Datafolha também divulgarão pesquisas Hoje será a vez do Ibope divulgar sua segunda pesquisa deste turno das eleições. Em 15 de outubro, Bolsonaro tinha 59% dos votos válidos, contra 41% de Haddad. O Datafolha vai publicar levantamento na quinta-feira, 25. No último estudo, os candidatos contavam com o mesmo percentual levantado pelo Ibope.

Bolsonaro é um fenômeno que boa parte da imprensa insiste em ignorar, mas que a população tem como única solução (Foto: Tânia Rêgo/ABR)

Opinião

No último domingo, apesar de boa parte da mídia ignorar, por questões de interesse, milhões de pessoas foram às ruas, por vontade própria, num admirável gesto de democracia, apoiar o candidato que, de forma extremamente inovadora, com praticamente custo zero perto do que se gastam com campanhas políticas, lidera as pesquisas. Ao que parece, o povo se desprendeu das garras do quarto poder e democraticamente exige mudança. Se esta será boa ou não, o tempo vai dizer, mas uma coisa é fato: a alternância de poder é saudável em qualquer democracia e por aqui já se passou da hora de mudar. A dita esquerda no Brasil tentou a todo custo um projeto criminoso de poder que, graças à Operação Lava Jato, resultou na prisão de diversos políticos poderosos e apresentou ao Brasil os bastidores sujos e asquerosos da política que desviou trilhões da educação, segurança, saúde, etc... A todo custo tentam ainda agarrar-se ao poder com mentiras, ataques e o velho jogo sujo da política sifilítica. Culpar o aplicativo de mensagem WhatsApp pelas atrocidades que o próprio partido cometeu é tão estúpido e absurdo quanto tentar comparar Bolsonaro com Trump. O norte-americano venceu apenas no colégio eleitoral, mas Bolsonaro pode vir a vencer na maioria absoluta de votos, o que numa democracia é literalmente a voz e o desejo do povo. Se você não enxerga isto, precisa urgente sair da bolha, e se não respeita, está muito próximo do palavrão que costuma xingar os colegas que discordam de você. Trump é bilionário e teve total apoio da máquina do Partido Republicano na campanha. Bolsonaro está em um partido anão e possuía oito segundos na TV. Trump tem as nuances e vícios de todo gênio comunicador, pois por anos liderou a audiência na TV americana. Bolsonaro é um sujeito simples com discurso coloquial, por vezes até rasteiro, mas que vai ao encontro das massas, sem esforço para tal.Goste você ou não, é um fenômeno popular maior ainda até do que Lula, que diferentemente do “capitão” foi programado e produzido por esquemas publicitários, a custo de ouro do dinheiro público, para transformá-lo num “mito”. Bolsonaro é um fenômeno que boa parte da imprensa insiste em ignorar, mas que a população tem como única solução, como comprovou a manifestação gigantesca no domingo. Isto chama-se democracia, senhores. Aprendam com isto e deixem o País seguir. Bolsonaro foi o primeiro brasileiro, em campanha, a sofrer um atentado político; o primeiro a não fazer os velhos acordos; o primeiro a ter um nome (até aqui) limpo, algo que nem sonharíamos existir na política; e pode vir a ser o primeiro presidente a vencer uma eleição com o menor investimento já feito em campanha, comprovando que o tal fundo partidário é desnecessário e deveria ser direcionado para o que importa à população. O sujeito com uma caneta Bic nas mãos, um relógio Cassio e roupas simples, sozinho, sem verba, peitou a maior emissora do País, desafiou a imprensa e toda turma arrogante que se diz intelectual sem nunca ter produzido nada que valha o adjetivo. Amigos, se isto não é, no mínimo, uma expressiva revolução política e total quebra de paradigmas do status quo, você realmente precisa sair do jardim da infância e viver no mundo real.

Na capital, tucano tem rejeição de quase 40% (Fotos: Reprodução/Twitter e Carlos Bassan/Fotos Públicas)

Cidade

De acordo com levantamento divulgado nesta segunda, 22,  pelo Instituto Paraná Pesquisas, o candidato tucano ao governo do Estado, João Doria, cresceu quase dois pontos percentuais na disputa contra Márcio França (PSB). O ex-prefeito da Capital tem 54,1% das intenções de voto (antes, eram 52,3%). Já o atual governador caiu de 47,7% para 45,9%. Dentre o eleitorado paulistano, 37,6% afirmaram que votariam com certeza em Doria, enquanto 21,7% poderiam votar nele. O índice de rejeição do tucano é de 38,9%. No caso de Márcio França, 31,7% contaram que têm convicção na escolha por ele, 25,8% disseram que poderiam votar e 40% não votariam de jeito nenhum. Ainda segundo a pesquisa, a grande maioria dos paulistas acredita que João Doria será o próximo governador do Estado: 58,5% dos entrevistados têm essa percepção. Apenas 31,6% imaginam que França pode ganhar a eleição.No caso da opção de voto para presidente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 69,1% do eleitorado paulista, enquanto Fernando Haddad (PT) te, 30,9%. Foram entrevistados 2.010 eleitores, entre os dias 18 e 21 de outubro, em 88 municípios do Estado.

Ex-capitão lidera em todas as pesquisas (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Nacional

Nova pesquisa do BTG/FSB, divulgada nesta segunda-feira, 22,  mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) aumentou sua vantagem dentro da margem de erro contra Fernando Haddad (PT). Segundo o levantamento, o ex-capitão conta com 60% dos votos válidos, contra 40% do adversário. A margem de erro continua sendo de dois pontos percentuais. No último estudo, publicado em 14 de outubro, Bolsonaro aparecia com 59% das intenções de voto, contra 41% do petista. No cenário espontâneo, quando o nome dos candidatos não é dito ao entrevistado, o ex-militar caiu um ponto percentual, ficando com 48%, enquanto Haddad cresceu um ponto, chegando a 31%. Os votos brancos e nulos atingem 6%, enquanto 5% responderam “nenhum” e 11% não souberam opinar. Na intenção de voto estimulada, porém, o candidato do PSL cresceu um ponto percentual, de 51 para 52%. Haddad permaneceu com 35%. Votos brancos e nulos somaram 4%, não souberam 4% e 5% responderam que não escolheriam nenhum dos dois. A pesquisa também abordou a decisão definitiva de votos de cada eleitor. Neste momento, 94% dos que votariam em Bolsonaro afirmaram que estão convictos da decisão. Nos eleitores do petista, o índice é de 90%. A rejeição dos candidatos ficou em 52% para Fernando Haddad e 38% para Bolsonaro. Foram entrevistados 2 mil eleitores, entre 20 e 21 de outubro.
or
or

Articulistas

Colunistas

Bolsonaro é um fenômeno que boa parte da imprensa insiste em ignorar, mas que a população tem como única solução (Foto: Tânia Rêgo/ABR)

Opinião

Profissionais consagram suas vidas ao serviço da humanidade (Foto: ASCOM SUSIPE/Fotos Públicas)

Opinião

O último bastião do PT ainda é o Nordeste, mas este já não é tão inexpugnável (Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/ Fotos Públicas)

Opinião

Apesar de constar no ordenamento jurídico pátrio, o Princípio da Isonomia quase não é observado e aplicado (Foto: Nelson Jr./SCO/STF )

Opinião