18.4 C
São Paulo
quinta-feira, julho 7, 2022

Procuradora sofre agressão intensa por colega e admite ‘medo’

A cidade de Registro, no interior de São Paulo, viveu um episódio de agressão física na Prefeitura municipal. Uma procuradora-geral foi violentada por um colega de trabalho dentro do estabelecimento. Ela admitiu viver com tensão durante os momentos pré e pós agressão no ambiente profissional.

“Eu tinha medo, sim. Tinha medo de que fosse acontecer isso, mas não imaginava que fosse ser uma violência física, achava que fosse um ‘bate boca’, uma discussão”, frisa Gabriela Samadello Monteiro de Barros, em entrevista à TV Tribuna, emissora afiliada à Rede Globo.

Acima de tudo, a agressão teria tido como razão a criação de um processo administrativo contra o procurador por causa de sua conduta no ambiente profissional.

Com 39 anos de idade, ela atua como procuradora chefe do departamento. O agressor atende pelo nome de Demétrius Oliveira Macedo, tem 34 anos, e também exercia a função de procurador. Conduzido ao 1º Distrito Policial (DP) de Registro, o autor do crime realizou um boletim de ocorrência (BO) sobre o caso, porém foi liberado na sequência.

Samadello estava no exercício profissional quando recebeu os primeiros ataques de Macedo. De acordo com o anunciado no BO, ele desferiu uma cotovelada na cabeça e, na sequência, socou o rosto da colega de departamento. Ainda no depoimento, a procuradora-geral do município detalhou o ocorrido.

“Eu estava saindo da repartição quando ele veio em direção a mim de forma violenta e me desferiu uma cotovelada. Fui arremessada contra a parede. E ele começou a bater muito em mim, desferir muitos golpes. Socos e pontapés. Chutou muito o meu rosto”, explicou.

No vídeo, é possível identificar uma funcionária da prefeitura tentando parar Demétrius, mas ela também acaba empurrada.

“Ela ficou prensada contra a porta. Levantei cambaleando, ele desferiu mais um soco no rosto. Consegui escapar para a sala da Thais, que é nossa outra colega procuradora. Ela trancou a porta, e ai chegaram as outras pessoas da sala ao lado, que ouviram meus gritos de socorro”, acrescenta.

Por fim, as agressões do advogado Demétrius Oliveira Macedo aconteceram na tarde da última segunda-feira (20), por volta das 16h50. Por causa da divulgação do vídeo, a Prefeitura de Registro decidiu que o agressor seja suspenso temporariamente por 30 dias. A decisão está registrada em edição do Diário Oficial do Município do último dia 20 de junho deste ano..

LEIA MAIS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS