Mustang chega para pré-venda (Foto: Divulgação)

Opinião

O primeiro lote comercial do Mustang chegou ao Brasil com unidades destinadas aos clientes que adquiriram o veículo no programa de pré-venda. O desembarque aconteceu no terminal portuário privativo da Ford no Canal de Cotegipe, na Bahia, responsável pelas operações logísticas da empresa no País.

Após os trâmites legais de desembaraço aduaneiro, os carros foram para os distribuidores Ford, onde serão feitas as preparações de entrega para os clientes a partir do final de março. Produzido na avançada fábrica de Flat Rock, no Estado de Michigan, nos Estados Unidos, para todos os mercados globais, o Mustang está sendo trazido oficialmente ao Brasil pela primeira vez em seus mais de 50 anos.

Oferecido na versão topo de linha GT Premium, o novo Mustang faz jus à fama de alto desempenho e inovação. É equipado com motor V8 5.0 de 466 CV, nova transmissão automática de dez velocidades e pacote de alta performance. Para atender o estilo de cada comprador, conta com 11 opções de cores: branco Ártico, preto Astúrias, vermelho Arizona, cinza Moscou, azul Creta, azul Belize, prata Dublin, vermelho Vermont, amarelo Silverstone, laranja Daytona e vermelho Bucareste.

Mustang Porto 1

Guardando expectativas, linha chega no nordeste (Foto: Divulgação)

Liderança na linha top desde dezembro

Desde o início da pré-venda, em dezembro, o Mustang lidera com folga o segmento de veículos esportivos e esportivos premium no Brasil, com mais de 200 unidades comercializadas até fevereiro. O programa, feito por meio do site www.mustangford.com.br, continua aberto até o final de março. Como presente especial para marcar a iniciativa, os primeiros compradores do Mustang também estão recebendo da Ford um capacete exclusivo assinado pelo lendário piloto Dan Gurney, da Nascar e da Indy.

Modelos serão visto pelas ruas em breve

“Este é um lançamento histórico, que faz valer a pena espera para ter o Mustang no Brasil. Em breve, será possível ver os primeiros exemplares nas ruas, mudando a paisagem com seu espírito de liberdade e emoção”, afirmou Fernando Pfeiffer, gerente de Produto da Ford.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Motor 2.0 TFSI desenvolve 190 cv de potência (Foto: Divulgação)

Autos e Afins

A Audi lança no Brasil uma série especial para o A4 nas carrocerias Sedan e Avant, chamada Limited Edition. Baseada na versão ambiente, o modelo recebe uma série de equipamentos e design diferenciado por um preço atrativo: R$ 210.990 para o A4 Sedan Limited Edition e R$ 217.990 para o A4 Avant Limited Edition.

As novidades para as duas versões incluem kit esportivo S Line, que traz saias laterais, entradas de ar mais largas, soleira iluminada, emblemas S Line nos para-lamas e difusor esportivo, acabamento externo na cor preto brilhante, rodas de 18” com design exclusivo, spoiler traseiro, faróis Full LED – que incluem LED diurno, setas dinâmicas e lanternas de LEDs – e teto solar elétrico, sendo panorâmico na Avant.

Esse pacote é acrescentado a uma lista já bem recheada de equipamentos da versão ambiente, com destaque para o painel digital Audi virtual cockpit, volante multifuncional com câmbio borboleta (shift paddles, em inglês), controle de cruzeiro, bancos esportivos de couro, smartphone interface, sistema Audi Drive Select, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro com câmera de ré e banco do motorista com ajuste elétrico.

Audi A4

Disponível para as categorias Sedan e Avant, modelo recebe pacota de equipamento e design (Foto: Divulgação)

O A4 é equipado com motor 2.0 TFSI ultra, com 1.984 cm³ de cilindrada, que desenvolve 190 CV de potência e torque de 320 Nm entre 1.450 e 4.200 RPM. Esses dados resultam em um ótimo desempenho: aceleração de 0 a 100 km/h feita em 7,3 segundos (Sedan) e 7,5 segundos (Avant) e velocidade máxima de 240 km/h (Sedan) e 238 km/h (Avant).

A eficiência do 2.0 TFSI é resultado de um método de combustão inovador. Seus principais refinamentos técnicos são o coletor de exaustão integrado ao cabeçote, modelo de gerenciamento térmico com válvula rotativa, Audi Valvelift System (AVS – sistema de levantamento de válvulas), válvula de alívio (wastegate) elétrica do turbocompressor e dupla injeção de combustível. Com um estilo de condução moderado, é possível experimentar as vantagens econômicas de um motor pequeno, mas sem desvantagens de uma tocada mais esportiva.

O A4 Limited Edition já está disponível em todas as concessionárias Audi do País. As cores disponíveis são preto brilhante, cinza Manhattan e branco geleira. Serão oferecidas 300 unidades da série especial, sendo 200 A4 Sedan e 100 A4 Avant.

Especificações técnicas

Motor: 2.0 TFSI

Cilindros/cilindrada: 4 em linha/1.984 cm³

Potência: 190 CV entre 4.200 e 6.000 RPM

Torque máximo: 320 Nm entre 1.450 e 4.200 RPM

Tração: dianteira

Transmissão: S tronic, 7 velocidades

Peso: 1.405 kg (Sedan)/1.460 kg (Avant)

Comprimento: 4.726 mm (Sedan)/4.725 mm (Avant)

Largura: 1.842 mm

Altura: 1.427 mm (Sedan)/1.434 mm (Avant)

Distância entre-eixos: 2.820 mm

Tanque de combustível: 54 l

Porta-malas: 480 l (Sedan)/505 l (Avant)

Aceleração 0-100 km/h: 7,3 s (Sedan)/7,5 s (Avant)

Velocidade máxima: 240 km/h (Sedan)/238 km/h (Avant)

Onix 2015 teve um desempenho favorável nas vendas de seminovos no mercado nacional (Foto: Divulgação)

Economia

O valor de mercado do Chevrolet Onix ano 2015 permaneceu quase que estável no último ano no Brasil. Segundo levantamento da plataforma AutoAvaliar, o modelo da General Motors teve uma desvalorização de 0,09% entre 2016 e 2017, período em que foi negociado no País a um preço médio de R$ 35 mil.

O Fiat Uno Vivace 2015 e o Renault Sandero 2012 tiveram variação de desvalorização do preço de 0,12% e 0,31%, respectivamente.

“O fato de um veículo seminovo praticamente não se desvalorizar de um ano para outro deixa o consumidor mais confortável para comprar um automóvel usado”, explicou J.R. Caporal, presidente da AutoAvaliar.

O comércio eletrônico de seminovos no Brasil movimentou cerca de R$ 20 bilhões em 2017. De janeiro até dezembro do ano passado, foram vendidos cerca de 96 mil veículos no pregão on-line da empresa, uma venda a cada cinco minutos.

Dez veículos seminovos que menos perderam valor de mercado entre 2016 e 2017

MARCA......................................... MODELO..................................... ANO............................... PERCENTUAL

CHEVROLET...................................... ONIX........................................ 2016............................................0,09%

FIAT............................................ UNO VIVACE.................................. 2015............................................ 0,12%

REANULT...................................... SANDERO.................................... 2012........................................... 0,31%

VOLKSVAGEN................................ VOYAGE..................................... 2014........................................... 0,43%

PEUGEOT........................................... 206......................................... 2008............................................ 1,86%

FIAT.................................................. TORO....................................... 2016............................................ 0,21%

FORD................................................... KA.......................................... 2016............................................ 0,63%

HYUNDAI....................................... TUCSON..................................... 2016............................................ 0,34%

FIAT................................................ STRADA..................................... 2011............................................ 1,27%

VOLKSVAGEN....................................GOL.........................................2011..............................................2,57%

Fiest ST 2018, que é a 3º geração do modelo, possui um sistema que melhora o desempenho nas curvas (Foto: Divulgação)

Opinião

O novo Fiesta ST vai ser lançado no mercado europeu no segundo trimestre deste ano. A Ford revelou detalhes do modelo, que conta com tecnologias sofisticadas voltadas ao desempenho e prazer de dirigir.

Além de suspensão traseira com molas de força vetorial, inovação patenteada pela Ford, o hatch oferece diferencial de escorregamento limitado e controle de arrancada como opcionais.

Com novo motor EcoBoost 1.5 de três cilindros, de 200 CV, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos e chega à máxima de 232 km/h. Ele usa uma tecnologia de desativação de cilindros para reduzir o consumo e as emissões e conta com válvula de escapamento ativa para amplificar o ronco do motor.

Os três modos de direção – normal, esporte e pista – dão flexibilidade ao veículo, fazendo o melhor ajuste do motor, da direção e dos controles de estabilidade, tração e torque vetorial para cada condição de uso.

O novo Fiesta ST tem também tecnologias de assistência, como controle de cruzeiro adaptativo, assistente de manutenção na faixa e reconhecimento de sinais de trânsito, além de central multimídia Sync 3 com tela de 6,5 ou 8 polegadas e som premium B&O Play. Seu design renovado inclui rodas de 17 ou 18 polegadas, bancos esportivos Recaro e volante de base reta.

“Os fãs de hatches esportivos esperam grandes coisas desse compacto. Nós aplicamos no novo Fiesta ST o que aprendemos com os recentes modelos da Ford Performance, incluindo o Focus RS e o Ford GT, para ser a referência em prazer de dirigir no segmento”, diz Leo Roeks, diretor da Ford Performance na Europa.

O Fiesta ST de terceira geração é o primeiro a oferecer o escorregamento limitado Quaife, que aumenta o controle em curvas, limitando a distribuição de torque para a roda que tiver a tração reduzida. Ele atua junto com o controle de torque vetorial, que reduz o subesterço aplicando os freios na roda dianteira interna em curvas.

NovoFiestaST 2 dIVULGAÇÃO

(Carro vai ser lançado no segundo semestre Foto: Divulgação)

Inovador - Design de caráter esportiva e personalidade própria, sem abrir mão de amplo espaço interno (Foto: Divulgação)

Opinião

Arrojado, moderno, espaçoso, refinado e inovador. Estas foram algumas das expressões utilizadas para definir o novo Fiat Cronos pelas primeiras pessoas que conheceram o modelo de perto durante as clínicas com compradores de sedãs compactos, realizada recentemente pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Esses adjetivos foram concedidos ao Fiat Cronos com justiça. A começar pelo design das linhas dinâmicas que percorrem e unificam os elementos da carroceria. A dianteira se destaca por traços fortes, com aspecto musculoso, e capô alongado, estilo típico de modelos esportivos. Essa característica é reforçada pelos faróis, que invadem as laterais com uma assinatura em LED, e é complementada pela grade com elemento central cromado, que demonstra o refinamento do sedã.

As laterais revelam uma superfície vigorosa que se conecta harmonicamente à traseira alta e ampla, com lanternas em LED e desenho angulado. A tampa abriga um dos maiores porta-malas da categoria, com 525 litros de capacidade.

O design do Fiat Cronos é envolvente, estimulante, moderno e cheio de personalidade. O Cronos traduz um novo tempo para o desenho dos sedãs no mercado brasileiro. O estilo arrojado aliado à sofisticação se reflete no interior, com espaço e modernidade. O olhar é atraído para o sistema multimídia Uconnect Touch de 7 polegadas, em estilo flutuante como um tablet e compatível com Apple CarPlay e Android Auto, de série em quatro das cinco versões, permitindo acessar Waze e WhatsApp, entre outros aplicativos. O equipamento pode ser controlado a partir do volante multifuncional.

Este, porém, é apenas o abre-alas do pacote tecnológico que abraça o novo Fiat Cronos. A lista é grande, mas pode-se destacar o iTPMS – sensor de pressão dos pneus, outro item de série em todas as versões –, o quadro de instrumentos com display digital de sete polegadas em alta definição, o sistema Start&Stop para economia de combustível, partida por botão sem chave, espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico, tilt down e puddle lamps (luzes de cortesia que iluminam o piso à frente das portas), sensores de chuva, crepuscular e ofuscamento, ar-condicionado automático digital, câmera de ré com linhas dinâmicas, sensor de estacionamento, direção elétrica e o sistema de partida a frio sem tanquinho.      

CRONOS PRECISION 1

O estilo arrojado aliado à sofisticação se reflete no interior, com espaço e modernidade (Foto: Divulgação)

 

 

Motorização

São duas opções de motorização flex (1.3 Firefly e 1.8 E.torQ EVO) e três de transmissão (manual, GSR Comfort automatizada e automática de 6 marchas). No quesito segurança, o Fiat Cronos traz um novo tempo para o segmento. O moderno sedã da Fiat oferece air bags laterais, ESC (controle eletrônico de estabilidade), TC (controle de tração), HH (Hill Holder) e sistema Isofix de fixação para cadeirinhas infantis. 

Preços de lançamento

Cronos 1.3: R$ 53.990
Drive 1.3: R$ 55.990
Drive 1.3 GSR: R$ 60.990
Precision 1.8: R$ 62.990
Precision 1.8 AT6: R$ 69.990

Veículo tem condições especiais de compra até domingo (Foto: Divulgação)

Cidade

A Ford promove entre esta sexta-feira,16, e domingo, 18, um feirão com os distribuidores da sua rede no Brasil. O evento traz ofertas do Ka hatch e sedã, do New Fiesta hatch e do EcoSport linha 2018.

Além de financiamento em 36 meses com taxa zero, a marca também vai oferecer a primeira revisão grátis para os clientes na compra desses modelos.

A principal oferta do feirão é o Ka 1.0 S com preço à vista de R$ 39.990, ou financiado com entrada mais 36 parcelas de R$ 364. Equipado com motor 1.0 TiVCT de 85 cv, ele já vem com direção elétrica, ar-condicionado, travas e vidros dianteiros elétricos, abertura elétrica do porta-malas e compartimento My Ford Dock para fixação do celular no painel com entrada USB para carregamento. A linha oferece também as versões SE, SE Plus, SE Tecno, Trail e SEL, com a opção do motor 1.5.

Ícone dos SUVs, o EcoSport está disponível nas versões SE Direct, SE, FreeStyle e FreeStyle Plus com o novo motor 1.5 Flex de 137 CV e transmissão manual ou automática, além da Titanium 2.0 Automática e a nova Storm 2.0 AWD Automática, com tração integral e estilo inovador.

O New Fiesta, hatch premium com design esportivo, também estará no feirão com as versões SE, SE Style, SE Plus, SEL, Titanium e Titanium Plus, equipadas com motor 1.6 Sigma, e SEL Style EcoBoost com o premiado motor turbo de 125 cv.

“Março é o mês em que o consumidor sai para buscar seu carro zero-quilômetro. Estamos aproveitando esse momento para trazer uma oferta especial, com a tranquilidade da primeira revisão grátis e a segurança da taxa zero”, diz Bruno Venditti, gerente de Marketing de Varejo da Ford.  

No dia 16 de dezembro acontece, pela primeira vez no Brasil, o Monster Jam, maior e mais famoso evento de big foots do mundo. A competição, que acontece em São Paulo, na Arena Corinthians, apresenta os caminhões mais reconhecidos do mundo, dirigidos por pilotos experientes, que sempre buscam impressionar o público. Durante o show, os espectadores vão ver de perto os carros voarem pelas pistas customizadas, cheias de obstáculos, e diversas manobras como “Backflip”, quando o caminhão faz um giro de 360° no ar, partindo de um obstáculo vertical; “Donut”, movimentos de giros em círculos; “Wheelie” em que o piloto dirige o caminhão apenas com as rodas traseiras no chão, mantendo as dianteiras suspensas no ar; entre outras.

 

Voltado para toda a família, o Monster Jam traz ao Brasil os mais famosos caminhões da categoria, como Grave Digger, Max-D, El Toro Loco, Monster Mutt Dalmatian, Alien Invasion, Zombie e New Earth Authority (NEA). Além de curtir o evento, o público poderá votar em cada performance realizada pelos veículos no portal Judges Zone. No dia do show os participantes receberão um código e, ao incluí-lo no site, terão acesso à plataforma de votação.

 

“O Monster Jam é um evento reconhecido mundialmente e que atrai diversos públicos, desde as crianças até os amantes de esportes radicais. Por isso, é muito importante podermos realizar esse show aqui no Brasil, onde temos alguns dos fãs de motorsports mais apaixonados do mundo”, diz Bruno Klotz, diretor Executivo do Instituto Zambini, intermediador da atração.

 

Pit Party – No mesmo dia acontece a Pit Party (festa nos boxes), uma oportunidade exclusiva para os fãs se aproximarem pessoalmente dos veículos Monster Jam, tirar fotografias com as máquinas e pilotos, pegar autógrafos, além de apreciarem as comidas típicas. Essa festa acontece previamente ao evento principal, das 12h às 17h, e os ingressos devem ser adquiridos separadamente.

 

O evento – Realizado há mais de 25 anos, o Monster Jam é um tradicional evento americano que percorre grandes arenas em todo o mundo. A atração entretém mais de 4 milhões de fãs por ano em 125 locais diferentes, em mais de 350 apresentações. Só em 2017 mais de 90 arenas e 36 estádios ao redor do mundo já receberam o evento. Seis novos países tiveram a oportunidade de ver de perto os caminhões monstros, como Arábia Saudita, Argentina, França, China, Singapura e, agora, Brasil. O Monster Jam é realizado pela Feld Entertainment, líder mundial em produzir e apresentar eventos de experiência em entretenimento familiar. Os ingressos podem ser adquiridos no site do Monster Jam (www.monsterjamoficial.com.br) e variam de R$ 65 a R$ 350.

 

Novidade – Monster Jam vai acontecer, em dezembro na Arena Corinthians(Foto: Divulgação)

 

Monster Jam

 

Data: 16 de dezembro. Horário: 19h (abertura dos portões às 17h). Local: Arena Corinthians – Av. Miguel Ignácio Curi, 111, Itaquera.

 

Mais informações: https://monsterjamoficial.com.br

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Manter o voto em sigilo é garantia de paz (Foto: Antônio Cruz/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Na década de 1950, a teoria da “unanimidade burra”, de Solomon Asch, comprovou a tese de que  algumas pessoas, quando em grupo, acreditam nas coisas mais absurdas e patéticas, ignorando a lógica e a verdade. A experiência colocava um inocente voluntário dentro de um grupo formado por atores, todos dispostos a um teste que consistia em examinar uma placa com uma linha vertical à direita e três linhas verticais díspares à esquerda, onde apenas uma delas era igual à da direita. O examinador perguntava qual das alternativas era a idêntica e, por mais óbvia que fosse a resposta, os atores, cúmplices e combinados, respondiam a alternativa errada. A cobaia, mesmo tendo absoluta certeza do correto, duvidada da própria razão e concordava com a maioria, escolhendo a alternativa falsa, confirmando a tendência humana da maioria seguir a opinião dos outros. O poder da mídia sobre a opinião pública é um bom exemplo disto, pois desvia a atenção para a verdade, dando foco a inverdades tendenciosas. A propaganda induz o estúpido, mas não convence a mente atenta. Quanto mais se promove opiniões medíocres e ignorantes, mais as pessoas abandonam por convicção a racionalidade e o senso crítico, transformando-se em massa de manobra a ser conduzida por um caminho pavimentado por mentiras rumo ao final de um arco-íris, onde não há pote de ouro, mas sim uma ratoeira à espera. Em tempos de eleições isto fica muito mais evidente quando o grupo dominante ignora os desejos da população e cria, em conluio com que há de mais nefasto, uma tendência a se seguir. Talvez você não se recorde, mas, na eleição passada, a tendência era “mulher votar em mulher”, afinal, sem a força da militância, a presidente, que afundou o País, jamais seria reeleita. Hoje, a única mulher candidata não recebe este apelo, talvez por não fazer parte do grupo de interesse, que aliás contém uma candidata que se diz empoderada e independente, mas se rendeu às ordens de um presidiário, macho opressor, aceitando abandonar sua própria candidatura para ser vice decorativa numa chapa confusa na qual sequer aparece em algumas propagandas oficiais da campanha. O candidato líder nas pesquisas, mesmo sem apelo algum de publicidade, vai na contramão do establishment e recebe adjetivos depreciativos até quando atacado violentamente num atentado à sua própria vida. O trinômio “machista-racista-homofóbico” foi tatuado a contragosto em suas costas, já que a população nada questiona e tudo aceita. Ironicamente, seu mais forte adversário é publicamente conhecido por ser autoritário, arrogante, violento e representar o que há de pior e mais retrógrado na política brasileira. Mas, apesar das diversas provas de seu real machismo, racismo, homofobia, coronelismo, e suas constantes declarações polêmicas, estúpidas e discrepantes, é blindado pela mídia e acariciado pela bolha asquerosa e egoísta de uma medíocre parte da classe artística e “intelectual” brasileira. Tudo é um jogo sujo e inescrupuloso de interesses que em nada compartilham com os da população. Não se deixe levar pela minoria que se finge maioria. Não acredite no que lê, no que ouve. Esteja atento, não tema a discordância e vote sabiamente. Para se viver em paz, vote calado, vote em segredo, pois esta é a única arma que você possui.

Não devemos temer uma ideologia radical no próximo governo (Foto: Reprodução/Flickr)

Opinião

Esta eleição se apresenta como uma das mais importantes de nossa historia. De um lado, trata-se da oportunidade de escolher a pessoa mais capaz de comandar o País, governantes dos Estados que o compõem e representantes na esfera parlamentar. De outro, trata-se de eleger os núcleos ideológicos que definirão políticas de Estado.   Portanto, no caso da eleição para a Presidência, o pleito leva em consideração uma visão de mundo, o modo como os protagonistas  enxergam as tarefas do Estado, o mercado e a economia (cunho mais estatal e/ou mais privado), programas sociais, infraestrutura, potenciais e riquezas naturais etc. Numa tentativa de sumarizar tais visões,  chega-se às três principais correntes políticas que governam os Estados modernos: o socialismo, a social-democracia e o capitalismo.   O primeiro tem seu eixo fincado na transformação social por meio da distribuição de riquezas e da propriedade, abarcando a luta de classes, a extinção da propriedade privada, a igualdade de todos. Na teoria marxista, o socialismo encarna a fase intermediária entre o fim do capitalismo e a implantação do comunismo. O capitalismo se ancora na propriedade privada e na acumulação do capital, tendo como motivação a busca pelo lucro. Portanto, constitui o contraponto do socialismo. Já a social-democracia abriga a intervenção do Estado na economia (distribuição de renda mais igualitária) e nos programas sociais, sob o escopo do bem-estar social e, no território político, dá guarida à democracia representativa. Emerge como sistema que combina aspectos do socialismo e do capitalismo. O fato é que a derrocada do socialismo clássico, a partir do desmantelamento da URSS e a queda do Muro de Berlim, em 1989, estendeu o território da social-democracia, sendo este o modelo de nações democráticas, principalmente no continente europeu.Seja qual for o vencedor dessa eleição, a real política brasileira imporá barreiras intransponíveis para a instalação de uma ideologia radical. Disso não devemos ter receio. *Gaudêncio Torquato é jornalista, professor titular da USP e consultor político e de comunicação

Num possível segundo turno contra Haddad, Bolsonaro deve ganhar apoio de outros partidos (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

A cada pesquisa divulgada mais se revela um cenário polarizado entre o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Assim, quem pode ficar de fora já começa a pensar nas alternativas após 7 de outubro. Um deles é o bloco de partidos que apostou no ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Formados por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade, essa aliança garantiu ao tucano um gordo tempo na TV, mas que, pelos menos até agora, não se reverteu em intenção de votos. O deputado federal gaúcho Onyx Lorenzoni (DEM) é um dos que nunca escondeu sua preferência pelo ex-capitão do Exército. Foi ele, por exemplo, quem idealizou a viagem de Bolsonaro à Asia, em fevereiro deste ano, e esteve lá, ao lado do colega de Câmara. Outro que já disse que não tem como apoiar Haddad em um ainda hipotético segundo turno foi o ex-ministro da Educação de Michel Temer e atual candidato ao Senado Mendonça Filho, de Pernambuco. Ele foi um dos primeiros do DEM a sugerir o caminho em direção a Alckmin, sendo, inclusive, apontado com alternativa a vice na chapa. Ontem, foi a vez de Major Olímpio, um dos coordenadores da campanha bolsonarista em São Paulo, declarar que “muitos quadros” do Centrão devem se debandar da campanha de Alckmin e declarar apoio ao candidato do PSL. “Já estão fazendo missa de corpo presente há alguns dias”, ironizou. Dentro do governo Temer, que oficialmente apoia Henrique Meirelles, também já tem gente olhando para depois do primeiro turno. Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo, segundo o blog Radar, da Veja, defende que, em havendo o confronto PSL-PT, que o MDB e o presidente declarem apoio a Bolsonaro. Duílio Malfatti, secretário de Publicidade e Promoção do Planalto foi mais específico em sua página no Facebook, ao se referir ao pesselista logo após o atentado: “Tomara [que] ganhe no 1º turno”. E assim, os organizadores da campanha de Bolsonaro vão reiterando a confiança. E o reforço natural de sua base de apoiadores revela que esta percepção extravasou o núcleo mais leal, podendo desta forma fazer o fiel da balança pender para o lado deles. Assim, aquilo que estava tão distante até alguns meses, já parece bem factível a essa altura da disputa.

Vice de presidenciável do PSL acredita que lar com presença paterna seria diferente (Foto: HENRIQUE BARRETO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Nacional

Vice na chapa de Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) disse na segunda-feira, 17, em São Paulo, que famílias pobres "onde não há pai e avô, mas, sim, mãe e avó" são "fábricas de desajustados" que fornecem mão de obra ao narcotráfico. "A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas, sim, mãe e avó, por isso é fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narcoquadrilhas", disse ele, durante palestra a empresários, fazendo um paralelo entre formação da família e ação de bandidos em áreas carentes. Mourão também criticou a política externa adotada nos governos petistas de aproximação com outras economistas emergentes. Ele se referiu a esses países como "mulambada". "E aí nos ligamos com toda a mulambada, me perdoem o termo, existente do outro lado do oceano, do lado de cá, que não resultou em nada, só em dívidas que foram contraídas e que nós estamos tomando calote disso aí." Na semana passada, Mourão já havia feito declarações consideradas polêmicas. Ele disse que o País precisaria de uma nova Constituição, mais enxuta e focada em "princípios e valores imutáveis", mas não necessariamente por meio de uma Assembleia Constituinte. Para ele, o processo ideal envolveria uma comissão de notáveis, que depois submeteria o texto a um plebiscito, para aprovação popular - o que, hoje, não se enquadra nas hipóteses previstas em lei. Nesta segunda, ele voltou a citar o tema da Constituição. Segundo o candidato a vice, a reforma da Carta representaria a "mãe de todas as reformas", uma vez que ela está desatualizada, apesar das emendas que sofreu. Bolsonaro Adotando um tom presidencial, o candidato a vice discursou por cerca de uma hora no evento promovido pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) com outras 21 entidades, que se reuniram num grupo chamado Reformar Para Mudar. Em sua fala, Mourão citou apenas uma vez Bolsonaro, que continua internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, se recuperando do atentado que sofreu em Juiz de Fora (MG). "Bolsonaro é um estadista, não pensa apenas nesta eleição, mas nas próximas gerações", afirmou ele. Mourão reclamou também da forma como as forças policiais são criticadas quando atuam, na sua definição, "como polícia". "Temos de lembrar que direitos humanos são para humanos direitos", disse o general. "Se a polícia age como polícia, é duramente criticada: é o genocídio, o martírio da população brasileira. É trabalho enfrentar isso daí", disse ele, que foi aplaudido pela plateia. O militar foi aplaudido outras duas vezes enquanto discursava, ambas ao defender o livre mercado e a iniciativa privada. Ele defendeu, por exemplo, a privatização das áreas de refino e distribuição da Petrobras.
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Manter o voto em sigilo é garantia de paz (Foto: Antônio Cruz/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Não devemos temer uma ideologia radical no próximo governo (Foto: Reprodução/Flickr)

Opinião

Num possível segundo turno contra Haddad, Bolsonaro deve ganhar apoio de outros partidos (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Legislação deve ser mudada, pois a violência cresce a cada dia no Brasil (Foto: Wilson Dias/ABR/Fotos Públicas)

Opinião