22
Seg, Out

Apresentação acontece domingo, 14, a partir das 17h (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

A cantora, compositora e atriz Tchella é a próxima atração do projeto Sons do Brasil no Lab Mundo Pensante. A apresentação, que tem entrada gratuita, será no domingo, 14, a partir das 17h.

A proposta do projeto é disseminar arte e cultura, promovendo shows de novos artistas de diferentes gêneros musicais. Já passaram pelo Sons do Brasil no Lab Mundo Pensante os músicos Jota.pê, Caio Bars, Calango Bravo, Anna Tréa, CA CAU e Duas Casas.

O próximo show fica por conta de Tchella que irá apresentar as faixas do disco Transmutante (2018). Com uma pegada pop e vibrante, o álbum conta com dez canções que transitam entre diferentes estilos: do indie pop, nova MPB, bossa nova até o rock brasileiro.

Veja o clipe de "Coração Aflito"

:

Apesar da pouca idade, Tchella possui uma vasta experiência artística. Dos 30 anos de idade, quase 20 anos foram dedicados à carreira, atuando em diversas áreas cultuais como, por exemplo, circo, teatro, cinema e música.


Formada em Artes Cênicas e especialista em Canção Popular, Tchella apresenta um espetáculo musical com forte influência teatral, que, além de cenários e figurinos construídos sob medida, destaca a presença performática da artista, que se transfigura entre os personagens que criou para compor suas músicas.

O Projeto


Sons do Brasil foi criado há oito anos pelo produtor e radialista, Serginho Sagitta. “A ideia do Sons do Brasil é dar vez e voz para músicos e bandas talentosas, mas que não tinham espaço para mostrar seu trabalho”, explica.

Em 2015, o projeto ganhou uma versão no formato programa de rádio, transmitido semanalmente pela Rádio USP (São Paulo - 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e pela internet. O programa já recebeu artistas e profissionais da música como, por exemplo, Kamau, DJ Erick Jay, O Teatro Mágico, João Suplicy, Blubell, Xaxado Novo, Peu Del Rey e Marcelo Manso, fundador do projeto Mais Brasil.

Em 2016, recebeu a indicação ao APCA e venceu o PPM como Melhor Programa de Rádio do Ano por dois anos consecutivos (2017 e 2018). O evento conta com o apoio do Núcleo de Fomento Linguagens (Música) da Secretária do Municipal de Cultura de São Paulo. A produção executiva fica por conta de Ana Luíza Pradella.


Serviço:
1º edição do Sons do Brasil no Lab Mundo Pensante (Tchella)
Onde: Lab Mundo Pensante (R. Treze de Maio, 733, São Paulo)
Entrada Gratuita
Data: domingo, dia 14 de outubro.
Abertura da Casa: 17h
Show: 18h30
Realização: Sagitta Produções
Mais informações: Facebook 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Dicas culturais gratuitas para os dia 22, 23 e 24 de junho de 2018.

Evento celebra aniversário de sindicato e leva arte a locais públicos (Foto: Divulgação)

Copa 2018

Uma série de eventos comemora os 70 anos do Sindicato de Atletas de São Paulo. Entre eles, a entidade promove a exposição "Football Parade", na qual artistas desenvolvem seus trabalhos em 70 bolas gigantes.

O resultado pode ser visto a partir de 14 de junho até 15 de julho, período em que ocorre a Copa do Mundo na Rússia, em locais da Grande São Paulo, como o Aeroporto de Guarulhos, Avenida Faria Lima, Parque do Ibirapuera, entre outros.

As pessoas que passarem por estes lugares verão pinturas relacionadas ao futebol. Dribles, comemorações e todos os outros elementos, que tornam este esporte o mais popular do mundo, estarão expressos em painéis com o formato de uma bola.  

Algumas das 70 bolas ainda não estão prontas e o publico poderá acompanhar de perto a produção das obras restantes. Nesta terça-feira, 12, três artistas plásticos, Paulo Tatu, Bia Doria e Antonio Cabral, trabalharão em um ateliê no Shopping Light (Centro) até as 17h.

Além do Light, outros shoppings do Grupo Gazit participam da ação: Internacional Shopping de Guarulhos, Mais Shopping Santo Amaro e Morumbi Town. Em todos estes locais, os artistas vão interagir com as pessoas enquanto criam seus painéis.  

Exposição é aberta a todos os públicos (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Cidade

Abandono, racismo, machismo, violência. Com interpretações e técnicas distintas, mas sempre com a colagem em comum, as artistas plásticas Bárbara Scarambone, de Brasília, Bruna Alcantara, de Curitiba, e Luiza de Alexandre, do Rio de Janeiro, trazem para a Galeria Recorte, espaço multicultural localizado na região do Baixo Augusta, em São Paulo, a exposição coletiva "Sobre a mulher livre". A abertura da exposição acontece no próximo dia 28, a partir das 19h.

O feminismo é tema recorrente no trabalho das três artistas, mas cada uma aborda a questão de maneira distinta.

Bruna Alcantara, "bordadeira compulsiva" como se define, mescla a colagem com fotografias e bordados como forma de falar sobre mães solteiras e criticar o machismo. Seu trabalho revela momentos de sua vida, como a descoberta de uma gravidez não planejada ao se mudar para Portugal, onde foi estudar. Bruna participou por duas edições do "Festival Feminista do Porto" e também coleciona individuais em Curitiba, cidade onde vive e trabalha atualmente.

Bárbara Scarambone é uma artista autodidata nascida em Brasília, mas vive e trabalha em São Paulo desde 2006. Inspirada pela estética, pelas cores e sons psicodélicos dos anos 60, pelo surrealismo, pela força do feminino e do verdadeiro experimentalismo livre da geração "Beat", ela cria colagens feitas à mão com a técnica "cut & paste", faz experimentos com aquarela e assemblagens com papéis rasgados. Seus trabalhos são frequentemente encontrados em revistas e periódicos.

Luiza de Alexandre, carioca de Macaé e recém-chegada a São Paulo, encontrou na colagem a maneira de escoar pensamentos e sentimentos. Ela faz uso recorrente de imagens de mulheres negras até desdobrar no uso de cores e texturas puras. Autodidata, Luiza colaborou com trabalho de outros artistas "colab", e tem algumas de suas colagens publicadas em editoriais de moda e comportamento.

 "O feminismo une essas três mulheres, mas cada uma aborda a questão do seu ponto de vista. Bruna tem uma pegada mais política, crítica, chegando a demostrar isso com fotos do próprio corpo, bordadas e com colagens; Bárbara apresenta belos trabalhos minimalistas e cheio de cores, retratados com muita leveza, e Luiza mistura inúmeros elementos da natureza, sombras de personagens e temas fazendo um caos imagético", afirma Michele Micheletto, curadora da Galeria Recorte.

A exposição estará aberta ao público até 11 de agosto. Clique aqui para ver algumas obras da mostra.

"Escombros" é uma peça que fala sobre perdas materiais e morais (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

O Metrô News  três dicas para os paulistanos curtirem o final de semana sem gastar nada. Há indicação de uma peça gratuita que será encenada ao lado do Metrô Bresser, sugestão de exposições e espetáculos relacionados ao Dia Internacional da Dança e uma opção alusiva ao Dia do Índio, celebrado nesta quinta-feira, 19. Confira no vídeo. 

Apresentação começa nesta quinta, 19, e vai até domingo, 22 (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

“Kuarup ou a Questão do Índio” teve sua estreia em 1977, num dos períodos mais obscuros da história política do Brasil e vai se apresentar gratuitamente nos dias 19, 20 , 21 e 22 de abril, no centro de São Paulo.

A obra é considerada um marco da dança por apontar uma política cultural para o país, rompendo amarras e limites entre arte, educação e consciência histórica. A coreografia foi apresentada em todo o território nacional, América Latina e Europa, que somam mais de 400 apresentações.

As questões das sociedades indígenas inseridas no contexto atual tiveram retrocessos mais que significativos, tanto nas demarcações das terras como no detrimento de suas identidades. As leis recuam ao invés de se legitimarem.

Serviço

"KUARUP ou a Questão do Índio".

Informações: Direção teatral de Márika Gidali/ Corografia de Décio Otero.

Data: De 19 a 22 de abril(de quinta a sábado às 20:00  e domingo às 19:00 horas).

Local: Galeria OLIDO - Sala Paissandú - Av. São João, 473 - centro

Valor: Gratuito e livre

Retirada dos ingressos uma hora antes das apresentações

Ingleses devem tocar músicas inéditas ao público brasileiro neste domingo no Allianz Parque (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

Nove anos depois do primeiro show que fez no Brasil, o Radiohead retorna para as terras tupiniquins e vai se apresentar, no próximo domingo, 22, no Soundhearts Festival, no Allianz Parque, na Barra Funda.

Radiohead é uma banda inglesa de rock alternativo formada em 1985, em Oxford. O conjunto ganhou notoriedade em 1993, com a música Creep, que em uma tradução literal significa arrepio, do álbum Pablo Honey, de 1992.

A banda, formada por Thom Yorke (vocal, guitarra, piano), Jonny Greenwood (guitarra, piano, ondas martenot), Ed O’Brien (guitarra), Colin Greenwood (baixo, sintetizador) e Phil Selway (bateria, percussão) tem uma discografia de nove títulos, sendo A Moon Shaped Pool o último lançamento.

Quando vieram ao Brasil pela primeira vez, os ingleses tinham apenas três álbuns, o que significa que os fãs que não saíram do País para ver a banda terão a oportunidade de ouvir diversos sucessos nunca interpretados por aqui. Em seu show na Argentina, no dia 15 deste mês, o Radiohead tocou 27 músicas, entre as quais, além de Creep, estavam Paranoid Android e There There.   

O line-up do festival conta ainda com o multi-instrumentista Flying Lotus, que mistura rap e eletrônica, o pop eletrônico e dançante do Aldo The Band e Junun, projeto do compositor israelita Ben Tzur e do guitarrista do Radiohead Greenwood, que tem um estilo alternativo com pegadas indianas.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Na capital, tucano tem rejeição de quase 40% (Fotos: Reprodução/Twitter e Carlos Bassan/Fotos Públicas)

Cidade

De acordo com levantamento divulgado nesta segunda, 22,  pelo Instituto Paraná Pesquisas, o candidato tucano ao governo do Estado, João Doria, cresceu quase dois pontos percentuais na disputa contra Márcio França (PSB). O ex-prefeito da Capital tem 54,1% das intenções de voto (antes, eram 52,3%). Já o atual governador caiu de 47,7% para 45,9%. Dentre o eleitorado paulistano, 37,6% afirmaram que votariam com certeza em Doria, enquanto 21,7% poderiam votar nele. O índice de rejeição do tucano é de 38,9%. No caso de Márcio França, 31,7% contaram que têm convicção na escolha por ele, 25,8% disseram que poderiam votar e 40% não votariam de jeito nenhum. Ainda segundo a pesquisa, a grande maioria dos paulistas acredita que João Doria será o próximo governador do Estado: 58,5% dos entrevistados têm essa percepção. Apenas 31,6% imaginam que França pode ganhar a eleição.No caso da opção de voto para presidente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 69,1% do eleitorado paulista, enquanto Fernando Haddad (PT) te, 30,9%. Foram entrevistados 2.010 eleitores, entre os dias 18 e 21 de outubro, em 88 municípios do Estado.

Ex-capitão lidera em todas as pesquisas (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Nacional

Nova pesquisa do BTG/FSB, divulgada nesta segunda-feira, 22,  mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) aumentou sua vantagem dentro da margem de erro contra Fernando Haddad (PT). Segundo o levantamento, o ex-capitão conta com 60% dos votos válidos, contra 40% do adversário. A margem de erro continua sendo de dois pontos percentuais. No último estudo, publicado em 14 de outubro, Bolsonaro aparecia com 59% das intenções de voto, contra 41% do petista. No cenário espontâneo, quando o nome dos candidatos não é dito ao entrevistado, o ex-militar caiu um ponto percentual, ficando com 48%, enquanto Haddad cresceu um ponto, chegando a 31%. Os votos brancos e nulos atingem 6%, enquanto 5% responderam “nenhum” e 11% não souberam opinar. Na intenção de voto estimulada, porém, o candidato do PSL cresceu um ponto percentual, de 51 para 52%. Haddad permaneceu com 35%. Votos brancos e nulos somaram 4%, não souberam 4% e 5% responderam que não escolheriam nenhum dos dois. A pesquisa também abordou a decisão definitiva de votos de cada eleitor. Neste momento, 94% dos que votariam em Bolsonaro afirmaram que estão convictos da decisão. Nos eleitores do petista, o índice é de 90%. A rejeição dos candidatos ficou em 52% para Fernando Haddad e 38% para Bolsonaro. Foram entrevistados 2 mil eleitores, entre 20 e 21 de outubro.

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de toda a riqueza produzida no País, foi de 1%. O avanço parece pequeno, mas foi muito comemorado depois de dois anos seguidos de queda. Talvez isso tenha contaminado os especialistas, que começaram 2018 otimistas, apostando que este importante marcador da economia chegaria a 2,7%. Essa percepção foi se atenuando ao longo dos meses e, atualmente, a previsão é de que, ao fechar dezembro, alcance 1,5%, o que não seria desprezível. Até lá, isso é um problema para a equipe econômica de Michel Temer. Mas, e para 2019, com qual margem de crescimento trabalham o estafe dos dois presidenciáveis? O leitor já perguntou isso para o seu candidato? Em meio a campanhas empobrecidas, até aqui os postulantes à Presidência da República não têm dado muita importância à difícil tarefa de oferecer soluções factíveis para os problemas reais da Nação. Certamente um tópico que interessa diretamente a pelo menos 13 milhões de brasileiros é saber qual a meta de criação de emprego para o ano que vem ou para os próximos quatro? Henrique Meirelles, por exemplo, saiu da disputa, mas tornou célebre a promessa de abrir 10 milhões de postos de trabalho durante seu mandato, se fosse eleito. Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, por enquanto, não externaram um número, mas devem saber que esta é uma questão central. Se o tema preocupa a eles, então deveriam responder qual é a receita deles para combater o desemprego. Para isso, não é segredo, vão precisar movimentar a economia novamente. Mas não em marcha lenta, que é o estado em que se encontra atualmente. O País precisa de um motor de crescimento poderoso, e alguém precisará vir a público e explicar se este será o próprio governo, por intermédio de investimento público, principalmente em infraestrutura; o setor privado, apostando no agronegócio ou na indústria nacional; ou simplesmente as famílias, que com uma injeção de otimismo se sentiriam mais confiantes em consumir e, assim, dariam início a um círculo virtuoso, de mais compra, mais fabricação, mais necessidade de mão de obra. E se o assunto é trabalho formal, porque não falar em salário mínimo. A previsão inicial para 2019 é de aumento dos atuais R$ 954 para R$ 1.006. Será confirmada? Tantas perguntas mais importantes para discutir e por enquanto ficamos na sessão de perfumaria.

Candidato do PSL mantém grande vantagem sobre adversário (Fotos: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABR e Ricardo Stucket/Fotos Públicas)

Nacional

A segunda pesquisa Datafolha do segundo turno da eleição presidencial mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) se manteve à frente de Fernando Haddad (PT). O capitão reformado do Exército passou de 58% para 59% das intenções de voto válidas em relação ao levantamento da semana passada, enquanto o petista foi de 42% para 41%. Considerando os votos totais, Bolsonaro tem 50%, contra 35% de Haddad. Brancos e nulos somaram 10% e indecisos, 5%. A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. Rejeição A rejeição ao candidato Fernando Haddad (PT) superou a de Jair Bolsonaro (PSL) no último levantamento realizado pelo Datafolha para o segundo turno das eleições deste ano. Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não votaria de jeito nenhum no petista, contra 41% para o capitão do Exército.Considerando os votos por região, Bolsonaro continua vencendo em todas, exceção feita ao Nordeste, onde Haddad tem 53% das intenções de voto, contra 31% do capitão reformado do Exército. No Sudeste, região mais populosa do País, o presidenciável do PSL bate o petista por 55% a 29%. No sul, a diferença chega a 61% contra 27%.A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. 
or
or

Articulistas

Colunistas

Apesar de constar no ordenamento jurídico pátrio, o Princípio da Isonomia quase não é observado e aplicado (Foto: Nelson Jr./SCO/STF )

Opinião

Crescimento do número de suicídios revela que sociedade brasileira está doente. Campanha Setembro Amarelo alertou para os riscos (Foto: Leonardo Sá/Agência Senado)

Opinião

Nem o diabo, que é o pai da mentira (Jo 8:44), deve acreditar que existam socialistas cristãos (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião