Karen ficará revoltada por ser destratada e contará a verdade para Edgar (Foto:Raquel Cunha/TV Globo)

Fora dos Trilhos

O arquiteto Edgar (Caco Ciocler) vai se decepcionar ainda mais com o próprio pai, Severo Athayde (Odilon Wagner), nos próximos capítulos de Segundo Sol. Na novela das 21h da Globo, o rapaz descobrirá que não é filho de Claudine (Cássia Kiss), mas sim da empregada Zefa (Claudia Di Moura). Isso implica numa reviravolta em sua relação com Roberval (Fabrício Boliveira), já que o empresário é seu irmão.


As cenas estão previstas para irem ao ar no dia 24 de agosto e mostrarão um Edgar diferente do personagem sério e calmo que Ciocler interpretou até agora. Karen (Maria Luisa Mendonça) vai ser avisada por sua filha, Rochelle (Giovanna Lancellotti), sobre a verdade. Em uma reunião de família, a loira vai insinuar que sabe do segredo, mas será impedida de contá-lo por Severo.


Edgar, a esta altura já separado da mãe de sua filha, irá atrás dela e vai implorar para saber a verdade. Transtornada por ter sido destratada na mansão dos Athayde, ela dirá na lata que o rapaz é irmão de sangue de Roberval. Os dois chegam à conclusão de que o ódio do ricaço tem motivo: Zefa escolheu ficar com o arquiteto e com Severo quando ele resolveu sair de casa.


Edgar confrontará sua mãe por não ter lhe contado a verdade antes. Severo explicará que Claudine não podia ter filhos, gerando mais ira no rapaz. “Só ficou com o filho branco. O negro, o senhor não quis, é isso? Vocês são todos podres”, gritará o arquiteto.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Terça, 10/7

Manuela se desespera e Ícaro tenta acalmar a irmã. Ícaro não conta para Laureta o que descobriu sobre Luzia/Ariella. Edgar discute com Karen. Roberval tenta se reconciliar com Cacau. Dodô se alarma quando Clóvis afirma que reconhecerá Badu como seu filho. Manuela conta para Zefa que a DJ Ariella é sua mãeCacau e Edgar se beijam.

 

Quarta, 11/7

Beto/Miguel pensa em Luzia/Ariella, enquanto namora Karola. Beto/Miguel incentiva Valentim a compor uma música. Luzia compõe uma letra para a música de Beto/Miguel. Cacau se reconcilia com Roberval. Clóvis teme que Gorete descubra que Beto Falcão está vivo. Viana ataca Maura em sua sala, e Ionan agride o delegado.

 

Quinta, 12/7

Karola reclama de Valentim ter mostrado a música de Beto/Miguel para Luzia/Ariella. Selma tira satisfações com Viana e acaba presa. Laureta pune Rosa depois de comentar que esteve com Karola, e Ícaro se irrita. Rochelle descobre onde Severo esconde seu dinheiro e chantageia o avô. Ionan discute com Doralice por causa de Maura.

 

Sexta, 13/7

Agenor se desespera com a revelação de Viana e arma um escândalo na delegacia. Manuela implora para Ícaro deixar a casa de Laureta. Maura é expulsa de casa. Karola mente para Ícaro sobre Luzia. Beto/Miguel vê Ícaro sair de sua casa e questiona Karola.  Severo entrega a Rochelle a chave e a senha de seu esconderijo. Cacau se surpreende com Roberval.

 

Sábado, 14/7

Dodô não consegue se explicar para Ionan, que tenta descobrir a verdade com Remy. Katiandrea faz revelações sobre Laureta para Ícaro. Laureta repreende Rosa e discute com Ícaro. Severo toma uma decisão sobre Rochelle e toda a família se surpreende. Ícaro conta para Cacau que Beto/Miguel o está ajudando. Rosa enfrenta Laureta e deixa o bordel.

Segunda, 02/07

Rosa termina o namoro com Valentim e Laureta castiga Galdino por ter ajudado Karola a separar os dois. Roberval ameaça Laureta, que afirma não ter medo do empresário. Rochelle e Acácio se beijam na frente de Manuela, que decide usar drogas novamente. Karen se aplica para o emprego de governanta em uma mansão, mas descobre que o dono da casa é Roberval.

 

Terça, 03/07

Roberval tenta convencer Karen a aceitar trabalhar em sua casa. Rochelle e Severo humilham Karen, que enfrenta a família e decide aceitar o novo emprego. Karola discute com Remy, que jura vingança contra a comparsa. Doralice sente ciúmes de Ionan com Maura. Nice descobre que Maura tem um romance com Selma. Karen confessa admirar Roberval.

 

Quarta, 04/07

Luzia/Ariella esconde a droga que estava com Manuela e livra a filha de Maura. Em uma carta para Beto, Luzia afirma que é casada e pede para o cantor esquecê-la. Remy revela a Rosa que Karola já trabalhou para Laureta. Rosa ameaça Karola e anuncia que volatará a namorar Valentim. Rochelle e Acácio se amam. Gorete garante a Dodô que está gostando de Clóvis.

 

Quinta, 05/07

Rosa e Valentim reatam o namoro. Remy registra em vídeo seu romance com Karola. Luzia encontra Beto e afirma que os dois precisam se afastar. Beto pede que Karola lhe dê uma nova chance e beija a mulher. Rochelle é expulsa do casarão e rompe o relacionamento com Acácio. Rochelle descobre que Karen trabalha para Roberval.

 

Sexta, 06/07

Rochelle ofende Karen na frente de Roberval e diz admirar o empresário. Laureta e Ícaro descobrem que Rosa reatou o namoro com Valentim. Remy ameaça Karola, que pede socorro a Laureta. Laureta e Galdino armam para Remy e o obrigam a apagar seu vídeo com Karola. Dodô flagra Remy escondendo drogas em seu bar.

 

Sábado, 07/07

Acácio se declara para Manuela e a beija. Remy comenta com Rosa que irá procurar por Luzia para se vingar de Karola e Laureta. A família Athayde descobre que Karen trabalha para Roberval, e Severo passa mal. Edgar arma um escândalo na casa de Roberval, e Cacau se decepciona com o noivo. Viana desconfia da proximidade entre Maura e Ionan.

Segunda, 25/06

Ícaro rejeita Luzia e se revolta contra Cacau. Dodô se desespera com a proximidade de Gorete e Naná. Karola revela a Beto que Rosa trabalha como prostituta. Rochelle revela que Severo tem dinheiro escondido. Beto exige que Karola deixe de cultuar a memória de Beto Falcão. Du Love comenta com Rosa a conversa que ouviu de Laureta com Bóris.

 

Terça, 26/06

Um homem entrega um pacote para Remy. Clóvis e Gorete se beijam. Luzia/Ariella aconselha Manuela a marcar um encontro com a mãe biológica. Maura confidencia a Ionan que é lésbica. Laureta descobre o endereço de Luzia e avisa a Karola. Manuela vai ao encontro com a mãe. Ionan e Maura recebem uma denúncia sobre Luzia.

 

Quarta, 27/06

Groa vê a polícia chegar e impede Luzia de sair do carro. Viana assedia Maura, que tenta enfrentar a situação. Beto anuncia para a família que acabará com a memória de Beto Falcão. Ícaro questiona Laureta sobre a denúncia feita contra Luzia. Valentim revela para a família a profissão de Rosa. Luzia vê Manuela falando com Narciso e se preocupa.

 

Quinta, 28/06

Ícaro provoca Rosa por causa de Roberval. Luzia tenta descobrir o paradeiro de Manuela com Edgar. Rochelle organiza sua festa. Rosa conta para Roberval o que descobriu sobre Laureta, e Cacau flagra os dois juntos. Manuela troca agressões com Rochelle. Narciso e Manuela se beijam e Acácio fica arrasado. Laureta ameaça Roberval para que ele encontre Luzia.

 

Sexta, 29/06

Luzia/Ariella salva Manuela de um atropelamento. Severo cogita a ideia de internar a neta. Manuela diz a Luzia/Ariella que não quer mais se aproximar da mãe biológica. Karola convida Rochelle para o aniversário de Valentim. Severo faz um acordo com Laureta. Ícaro conversa com Manuela. Rosa é contratada para um trabalho fora da Bahia e desconfia.

 

Sábado, 30/06

Rosa declara guerra contra Karola, afasta Rochelle de Valentim e sai escondida com ele da festa. Karola ameaça Rosa. Galdino foge de Nestor. Naná questiona Gorete sobre o pai de seu filho. Dodô ofende Remy na frente de Beto e Ionan. Doralice reata com Ionan. Laureta descobre a armação de Galdino e pune o ajudante. Beto exige que Cacau revele o paradeiro de Luzia.

Segunda, 11/06

Luzia decide ficar com Beto/Miguel. Groa avisa a Cacau que Luzia ficou com Beto/Miguel em Boiporã. Karen pede perdão a Manuela. Naná convence Dodô a deixar Remy trabalhar no bar. Severo afirma a Edgar que a culpa pela decadência de sua família é de Roberval e Zefa decide conversar com o filho. Luzia e Beto/Miguel namoram na praia.

 

Terça, 12/06

Manuela confessa a Acácio que não quer que Ícaro fique com Rosa. Rosa apoia que Nice trabalhe fora e aconselha Maura a se entender com Selma. Valentim discute com a mãe e não aceita quando Acácio concorda com Karola. Roberval pede que Selma se esforce para convencer as pessoas de seu sofrimento com a perda de Lourival. Beto/Miguel revela a Luzia que é Beto Falcão.

 

Quarta, 13/06

Luzia fica perturbada com a revelação. Karola implora que Laureta a ajude. Luzia conta para Beto que perdeu o filho que esperava dele. Remy leva Ionan, alcoolizado, para uma boate. Karola tenta descobrir se Beto e Luzia estão juntos. Ícaro se embriaga e Acácio se preocupa quando o amigo vai embora. Ícaro se declara para Rosa, e Laureta se enfurece.

 

Quinta, 14/06

Um cliente de Rosa agride Ícaro, e Laureta o ajuda. Doralice procura Ionan na casa dos sogros. Laureta dopa Ícaro e viaja com o rapaz para o Rio de Janeiro. Ionan flagra o delegado assediando Maura. Os empregados abandonam a casa de Severo por falta de pagamento. Roberval propõe sociedade a Cacau. Valentim se arruma para seu encontro com Rosa.

 

Sexta, 15/06

Karola paga Madalena para não comentar com Beto que ela esteve com Luzia. Ícaro conta para Manuela que está no Rio de Janeiro. Remy desiste de ajudar Karola, que decide se aconselhar com Laureta. Nestor critica Doralice por ser muito ciumenta. Naná exige que Beto desista de Luzia. Beto questiona Karola sobre seu filho com Luzia. Laureta compra roupas para Ícaro.

 

Sábado, 16/06

Beto se surpreende com o conselho que recebe de Valentim sobre Karola. Roberval contrata o motorista de Severo para ser seu espião. Cacau pede um tempo para aceitar o pedido de casamento de Roberval. Doralice não deixa Ionan voltar para casa. Ícaro discute com Rosa, e Laureta se anima. Cacau avisa a Luzia que Ícaro descobriu que ela está em Salvador.

Segunda, 04/06

Roberval propõe um acordo com Laureta contra Severo. Cacau incentiva Luzia a esquecer Beto/Miguel. Karola implora para que Valentim volte para casa. Rochelle esconde drogas no quarto de Manuela para incriminar a irmã e Karen acredita. Manuela deixa a mansão de Severo e Edgar sofre. Lourival acredita que Selma esteja envolvida com Agenor e agride o garçom.

 

Terça, 05/06

Luzia/Ariella apoia Edgar e Manuela decide voltar para a casa do pai. Edgar, Severo e Karen assistem ao vídeo comprometedor na internet. Roberval confessa a Cacau que armou para Edgar. Rosa se desespera com a reação da família à sua aparição no vídeo. Laureta e Severo trocam ameaças. Clóvis descobre a presença de Remy e Naná pede que o filho guarde segredo.

 

Quarta, 06/06

Luzia/Ariella conforta Manuela, que se preocupa com Edgar, Karen e Rochelle. Severo jura vingança contra Laureta. Dodô descobre a presença de Remy em sua casa. Laureta flagra Ícaro e Rosa juntos. Maura descobre o segredo sobre o trabalho de Rosa. Laureta ofende Maura, que lhe dá voz de prisão. Lourival sofre um acidente em sua casa.

 

Quinta, 07/06

Lourival fica preso embaixo de escombros e Selma se desespera. Laureta e Ícaro são presos. Maura consegue livrar Rosa de ficar presa e Ionan desconfia. Cacau consegue tirar Ícaro da prisão, e o sobrinho decide voltar para a casa da tia. Lourival não resiste e Selma acusa a construtora de Severo pela morte do marido. Karen e Edgar se desesperam.

 

Sexta, 08/06

Luzia/Ariella fica atônita ao descobrir que Miguel/Beto está vivo. Cacau questiona se Roberval está envolvido no desabamento do prédio construído por Severo. Remy consegue manipular Beto/Miguel. O prédio construído por Severo é interditado e as famílias são removidas. Laureta chantageia Rosa para ajudar sua família.

 

Sábado, 09/06

Cacau pede que Groa impeça Luzia/Ariella de procurar Miguel/Beto. Didico aconselha a filha a mudar suas atitudes se quiser continuar casada com Ionan. Rosa aluga uma casa para a família e Agenor desconfia. Valentim dança com Rosa e Ícaro agride o rapaz. Ionan e Maura cumprem ordem de busca e apreensão na casa de Severo. Maura confronta Karen.

Segunda-feira 14/05

Dodô revela a Beto que Remy acabou com o patrimônio da família e o cantor decide fazer um show em Aracaju. Ele não consegue embarcar no avião, que cai em um acidente. Remy e Karola convencem Beto a fingir sua morte para recuperar o patrimônio da família. Luzia e Beto se amam e ele decide acabar com a farsa. Ela está grávida, mas encontra Karola procurando o noivo, para contar que está esperando um filho dele.

 

Terça-feira 15/05

Beto se irrita ao ver Karola, mas desiste de mandar a ex­namorada embora ao saber de sua suposta gravidez. Luzia se consola com Groa. Luzia não deixa Beto se explicar e os dois acabam se separando. Ela pede ajuda a Januária para interromper sua gravidez. Laureta descobre que Beto está vivo e chantageia Karola. Groa convence Luzia a conversar com Beto. Ele encontra Edilei na casa de Luzia.

 

Quarta-feira 16/05

Luzia inventa uma desculpa para justificar a Edilei a presença de Beto. Ela leva o ex­marido ao médico e descobre que ele tem uma doença grave. Beto encontra Clóvis ao chegar ao estúdio e descobre que Remy o enganou. Luzia se sente mal na frente de Karola, que desconfia da gravidez da rival. Karola parabeniza Edilei pela gravidez de Luzia. Beto questiona Luzia sobre a paternidade do filho.

 

Quinta-feira 17/05

Luzia afirma a Beto que o bebê não é seu filho. Groa convence Luzia a contar a verdade para Edilei e Beto. Laureta sugere que Karola acabe com a vida de Beto. Roberval descobre o caso de Edgar e Cacau. Ionan descobre que o irmão está vivo e obriga Clóvis a contar a verdade à família. Beto e Luzia se encontram. Edilei vê o casal e acerta a cabeça de Beto, que desmaia. Luzia empurra o ex­marido, que se desequilibra.

 

Sexta-feira 18/05

Edilei morre e Karola convence Luzia a fugir. A família de Beto descobre que ele está em coma e Karola convence todos a manter o segredo do cantor. Karola diz a Luzia que Beto morreu. Laureta denuncia Luzia à polícia e a obriga a fugir com Karola. Karola visita Beto com uma falsa barriga de gravidez e intriga Remy. Luzia tenta sair do esconderijo, mas passa mal e entra em trabalho de parto.

 

Sábado 19/05

Karola mente para Luzia e diz que o bebê não sobreviveu. A vilã avisa à família de Beto que seu filho nasceu. Laureta vai à delegacia e denuncia o esconderijo de Luzia. Groa descobre que a polícia irá capturar Luzia e vai ao encontro da amiga. Groa chega com Luzia a seu bar e pede que a amiga permaneça escondida. Karola se assusta ao encontrar Luzia em casa com o bebê nos braços.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Bolsonaro atraiu filiações ao PSL (Foto:Fernando Frazão/ABR/Fotos Públicas)

Nacional

Apenas partidos pequenos aumentaram o número de candidatos nas eleições deste ano em relação a 2014. Enquanto siglas tradicionais como PT, PSDB, MDB, PDT e PSB reduziram a quantidade total de registrados, houve um aumento expressivo entre as siglas de menor porte. O partido de Jair Bolsonaro, o PSL, é o que mais apresentou candidatos - 1.451, um aumento de 74,4% em relação a 2014. Das 35 siglas existentes, 12 vão ter mais postulantes neste ano do que nas últimas eleições gerais - PSL, PROS, Avante, Podemos, PRB, Solidariedade, PMN, PCO, PSOL, Patriota, PRTB e PPL. Há ainda três partidos que vão estrear nas urnas em âmbito nacional: Rede, Novo e PMB, que, juntos, somam 1.606 candidaturas. Os números têm como base os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É possível que haja pequenas alterações até o dia 20, quando as informações estarão 100% atualizadas. A legenda que registrou a maior variação porcentual no número de candidaturas foi o PCO (142,8%). A sigla, no entanto, é um ponto fora da curva - tinha apresentado somente 49 candidatos em 2014 e, agora, lançou 119. Em seguida, vem o PROS, com 1.018 candidatos, ante 485 em 2014 (aumento de 109,9%, mais que o dobro de um pleito para o outro). Entre os que mais reduziram candidatos, estão PCB (diminuição de 45,2%), PTB (-33,4%) e PSTU (-31,9%). Entre as siglas maiores, PSB (-31,4%), PSDB (-18,3%) e PDT (-16,4%) tiveram os maiores índices de diminuição de candidatos. O PT registrou queda de 6,8% e o DEM, de 5,5%. Segundo o cientista político Marco Antônio Teixeira, da FGV-SP, uma das explicações para este cenário pode ser a cláusula de barreira, que, a partir de 2018, impõe aos partidos desempenho mínimo para que sejam autorizados a ter acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de TV no horário eleitoral. "Os pequenos estão em busca de capilaridade", disse Teixeira. A nova regra exige, para este ano, que as legendas tenham 1,5% dos votos válidos para a Câmara, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação e com 1% em cada uma dessas unidades. A cláusula aumenta gradativamente até 2030 e busca afunilar o sistema partidário brasileiro, altamente fragmentado. Para a cientista política Luciana Veiga, professora da UNI-Rio, a estratégia faz sentido e pode servir à sobrevivência. "Mesmo que não elejam muitos nomes, os partidos com várias candidaturas têm chance de alcançar a cláusula com uma votação mais pulverizada." Um caso mais específico é o do nanico PSL, que, com a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República, atraiu deputados na janela partidária e, agora, busca se consolidar com a ampliação da bancada no próximo pleito. "O PSL não tinha nada, arranjou meia dúzia de deputados e agora precisa crescer (para se manter vivo)", afirmou Teixeira. Conforme o Estado mostrou na quarta-feira, a nova casa de Bolsonaro registrou mais de 13,6 mil filiações em 2018, impulsionadas pela figura do presidenciável. Trata-se de número quatro vezes maior que o dos partidos adversários na disputa pelo Palácio do Planalto. Concentração Quanto aos partidos tradicionais, o motivo da diminuição de candidaturas passa por um uso mais direcionado dos recursos do fundo eleitoral. Com as regras inéditas de financiamento de campanha, as siglas apostam mais em candidaturas viáveis, com pouca abertura à renovação. É o caso do PSB, a legenda tradicional que mais reduziu o número de postulantes. A estratégia, segundo o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, é concentrar os recursos em campanhas com grandes chances de vitória. "O novo fundo não facilita a renovação", afirmou ele. O PSB não tem candidatura própria à Presidência da República e não compõe nenhuma coligação, mas conta com nomes fortes em eleições regionais. "O fundo eleitoral concentra muitos recursos nos grandes. O problema dos maiores não é dinheiro, não é sobrevivência. É otimizar os cargos que já têm", afirmou Luciana Veiga. 

Candidatos ao governo fizeram questão de mencionar presidenciáveis (Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Cidade

Os candidatos ao governo de São Paulo presentes no primeiro debate televisionado, na Band, aproveitaram o último bloco do programa para nacionalizar a discussão. Houve menções ao nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), bem como contra a polarização política no País. O ex-prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho (PT) disse ser, com orgulho, amigo de Lula e candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes. No fim do bloco anterior, Marinho havia feito a primeira menção dele a Lula no debate. Em embate com Rodrigo Tavares (PRTB), ele disse que os governos petistas combateram a corrupção e afirmou que o PT "é a grande esperança" do povo brasileiro. Tavares citou a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), cujo vice, general Hamilton Mourão, é do PRTB. Marinho citou ainda acusações de corrupção contra o PSDB. O tucano João Doria o rebateu nas considerações finais e falou que o petista não pode comparar Alckmin a Lula. "Alckmin tem mais de 40 anos de vida pública ilibada. Lula está preso em Curitiba", afirmou. Ele cobrou ainda "respeito" do petista, que no final do bloco anterior havia mencionado o nome da esposa do ex-prefeito paulistano, Bia Doria. "Ela não é ré como o senhor", disse. Na despedida do público, Rodrigo Tavares também atacou Alckmin. "Ele fez bom trabalho sim no Estado de São Paulo, mas como anestesista. Ele anestesiou o Estado de São Paulo", afirmou. Nos apontamentos finais, Márcio França (PSB) levou novamente a discussão para o nível nacional. Ele disse que a população de São Paulo vê os exemplos do PT, do PSDB e do MDB e que só ele representa a mudança. O governador paulista lembrou também a mediação dele na greve dos caminhoneiros. Paulo Skaf (MDB) encerrou o debate exaltando as escola do Sesi, que ele usou para criticar ensino estadual de São Paulo. Antes disso, coube ao empresário a primeira das duas únicas menções a Deus no debate. A segunda foi de Lisete Arelalo (PSOL), que disse que o povo "deu graças a Deus" pela renúncia de alguns candidatos. Ela afirmou ainda que vai seguir com o legado da vereadora carioca Marielle Franco, assassinada em 14 de março. Marcelo Cândido (PDT) ressaltou a experiência como prefeito de Suzano (SP).

Para a maioria dos eleitores, Bolsonaro e Alckmin são os favoritos para avançarem na disputa (Foto: Daniel Teixeira e Adriana Spaca/AE)

Nacional

Uma nova pesquisa sobre as intenções de voto à Presidência da República, divulgada na quarta-feira, 15, pelo Instituto Paraná, mostra que o deputado Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) devem se enfrentar no 2º turno, caso o ex-presidente Lula (PT) tenha sua candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. Questionados sobre percepção de quais candidatos vão para a segunda fase das eleições, 43,3% apostam em Bolsonaro e 26,7% no tucano. Neste quesito, Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com a expectativa de 21% dos eleitores. Em seguida aparece Marina Silva, com 20,7%, e Fernando Haddad (PT), provável substituto de Lula, tem 10,1% das apostas.  Mas nas intenções de voto, Lula, mesmo preso, ainda lidera com 30,8%, um crescimento de quase 2% na comparação com a pesquisa anterior feita pelo mesmo instituto. No cenário com Lula, Bolsonaro é o segundo colocado, com 22%, e Alckmin, que na pesquisa anterior tinha uma desvantagem de 3% para Marina Silva (Rede), viu a diferença para ela cair pela metade. Marina tem 8,1% das intenções de voto e ele 6,6%. No cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 23,9% das intenções de voto. Com a saída do ex-presidente da disputa, Marina Silva e Ciro Gomes (PDT) parecem receber parte de seu eleitorado, e ficam à frente do tucano. Marina chega a 13,2%, Ciro fica com 10,2% e Alckmin  8,5%. Esta é a primeira pesquisa divulgada após o debate realizado pela Rede Bandeirantes, na semana passada, e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o no BR-02891/2018. O levantamento foi feito com 2.002 eleitores, em 168 municípios brasileiros, entre os dias 9 e 13 de agosto de 2018. A margem de erro, para mais ou para menos, é de 2%.  

Alckmin e França possuem semelhanças em suas carreiras políticas (Foto: Arquivo/MN)

Opinião

Depois que alguns presidenciáveis apresentaram suas propostas para o País, no debate da semana passada, hoje é a vez de sete candidatos ao Governo do Estado de São Paulo fazerem o mesmo na Band, a partir da 22h. É uma grande chance para alguns deles saírem da obscuridade e mostrarem seus programas de gestão e, principalmente, seus rostos, para um eleitorado que não tem dado tanta atenção a eles. É uma brecha aberta inclusive para o governador Márcio França, que, embora no cargo desde abril –, quando Alckmin deixou o posto para concorrer à Presidência –, ainda luta para se fazer mais conhecido entre os eleitores, que podem dar a ele a chance de continuar ocupando o Palácio dos Bandeirantes, como chefe do Executivo. E o que não falta na história política paulista é a figura de vice que conseguiu alçar voo solo e ganhou o papel de protagonista. O próprio Alckmin é um destes, que, com o agravamento da doença de Mario Covas, em janeiro de 2001, assumiu interinamente o governo e, depois, ratificou nas urnas sua permanência. Há semelhanças entre os dois, como o fato de eles terem iniciado na política longe da Capital, sendo vereador e prefeito de suas respectivas cidades natais, depois deputado federal, até serem convidados para comporem a chapa que venceria o governo paulista. Mas, certamente, o desafio de França é bem maior do que aquele encarado por Alckmin, 16 anos atrás. A começar pelo enfrentamento com dois fortes concorrentes, que até outro dia era também seus aliados: Paulo Skaf e João Doria. O emedebista e o tucano lideram com folga a corrida ao Bandeirantes e, se nada mudar até 7 de outubro, estarão no segundo turno. E o problema do atual governador é justamente se interpor entre seus concorrentes. Terá a primeira chance hoje. Para isso precisa mostrar à audiência que é diferente de ambos, e dos demais, e que tem mais a oferecer. Só que do outro lado estarão dois experientes debatedores, já testados em eleições anteriores. Já França faz sua estreia em um programa deste nível. É mais um obstáculo para o político de São Vicente superar, se quiser seguir adiante na disputa.
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Vale a reflexão sobre o desarmamento no Brasil (Foto: Arquivo/ABR)

Opinião

Juntos, os hospitais filantrópicos, como é o caso das santas casas, acumulam uma dívida de R$ 21 bilhões (Foto: Edson Lopes Jr/ (Arquivo) – A2 Comunicações/Fotos Públicas)

Opinião

Excessos nas redes sociais podem ser prejudiciais (Foto: USP Imagens/Fotos Públicas)

Opinião

Alckmin e França possuem semelhanças em suas carreiras políticas (Foto: Arquivo/MN)

Opinião