16
Sex, Nov

Neste feriado, não dependa do dinheiro para curtir atrações culturais na Capital!

Trabalhadores têm o dia 1º de maio como símbolo histórico da busca por melhorias e respeito (Foto: Divulgação)

Nacional

Na próxima terça-feira, 1o, muitos trabalhadores vão estar em casa, descansando, em folga concedida para aqueles que labutam pelo próprio sustento. Mas a história por trás da origem do Dia do Trabalhador é marcada pelo confronto daqueles que lutaram por condições mais humanas e dignas em seus ofícios. Neste rol de eventos encontram-se a greve realizada em Chicago, em 1886, e a instituição do salário mínimo por Getúlio Vargas, no 1º de maio de 1940.

A data foi criada oficialmente em 1889, pelo Congresso Internacional Socialista, em homenagem aos trabalhadores que morreram, em 1886, durante confronto com a polícia em uma greve por melhores condições de trabalho, em Chicago. Nesta época, a jornada destes trabalhadores era de 13 horas. “As manifestações surgiram por influência de ideologias anarquistas, influências das obras publicadas por Karl Marx e Friedrich Engels”, explicou Elton Duarte Batalha, professor de Direito Trabalhista da Universidade Mackenzie. Marx e Engels tratavam temas como a exploração do proletariado pelo patronato e que viam nas classes sociais o resultado de papeis desiguais que as pessoas tinham no processo de produção.

No Brasil, esta data se tornou feriado em 1924, pelo então presidente Artur Bernardes, mas foi Getúlio Vargas, durante o Estado Novo (1937-1940) quem reverteu este momento de reflexão em festas. “Ele decidiu instrumentalizar a seu favor esta data e a cada ano lançava algo para agradar trabalhadores”, afirmou Batalha. Entre as ações feitas por Vargas para a data estão a criação do salário mínimo (1940), da Justiça do Trabalho (1941), além da Consolidação das Leis Trabalhistas (1943).

Momento deve ser de reflexão

Para o professor de Direito, Elton Duarte Batalha, o dia 1º de maio deve servir para discussões sobre temas importantes, como a Medida Provisória que visava a suavizar alguns pontos da reforma Trabalhista. “A questão da mulher grávida, do trabalho intermitente e outros pontos da reforma mereciam ter uma atenção melhor do Governo, que já demonstrou que não vai fazer isso” afirmou.

Segundo Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores, a data deve servir para refletir também sobre os 12 milhões de desempregados do País. “É um contingente maior que as populações de Suécia e Portugal, que está na informalidade ou desempregado”, argumentou o sindicalista. Em uma das ações referentes ao Dia do Trabalhador, a UGT realiza hoje uma conversa sobre propostas para os trabalhadores com os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Aldo Rebelo (Solidariedade) e Afif Domingos (PSD)

Cariocas celebram o Dia de São Jorge na Igreja Matriz no bairro de Quintino (Foto: Reprodução/Facebook Igreja Matriz São Jorge Quintino/RJ)

Nacional

Milhares de fiéis se aglomeraram nas duas principais igrejas de São Jorge no Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira, 23, dia em que se comemora o dia desse santo, com feriado no Estado do Rio.

O movimento na igreja São Gonçalo Garcia e São Jorge, no centro, começou durante a madrugada e deve se estender por todo o dia. Missas campais estão sendo realizadas na Avenida Presidente Vargas desde as 8h, de hora em hora, e ainda ocorrerão às 14h, 15h e 16h. Às 18 horas, dentro da igreja haverá missa solene presidida pelo cardeal Dom Orani Tempesta, e a missa de encerramento será às 20h.

Em Quintino, na zona norte do Rio, a igreja de São Jorge também atrai milhares de fiéis desde a madrugada. Às 5h foi celebrada a missa da Alvorada, com a tradicional queima de fogos. Às 10h, o cardeal Dom Orani celebrou uma missa, e às 16 horas terá início uma procissão. A última missa ocorre às 18h.

Theatro Municipal recebe a Orquestra Experimental de Repertório no domingo, 29 (Foto: Arquivo/MN)

Fora dos Trilhos

Quem não vai viajar durante o feriado prolongado do Dia do Trabalhador pode aproveitar para fazer vários passeios dentro da capital paulista. A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente informou que deixará todos os parques abertos, mas que eles seguirão as suas programações normais. Por isso, antes de sair de casa, é importante verificar o horário de funcionamento no link http://bit.ly/2KaE1mp.

Se a sua praia é exposição, o Metrô News tem duas dicas que vão encher os olhos: a “EX Africa”, que fica no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo, e recebe o público no sábado, 28, domingo, 29, e na segunda-feira, 30. Esta é a maior exposição de arte contemporânea africana realizada no Brasil. A entrada é gratuita.

Outra indicação é a exposição “Saramago”, realizada no Farol Santander. Também com entrada franca, o público pode acompanhar a vida de um dos maiores escritores portugueses, falecido em 2010. Trata-se de um rico material audiovisual, mostrando um ponto de vista de Saramago em primeira pessoa, que pode ser visitado no sábado, 28, domingo, 29, e na terça-feira, 1º.

Para quem curte ópera, no domingo, 29, a Orquestra Experimental de Repertório (OER) interpreta, no Theatro Municipal, com regência do maestro Jamil Maluf, a Sinfonia nº 9 em mi bemol maior, Op. 70, de Dmitri Shostakovich, composta em 1945 e originalmente destinada à celebração da vitória russa sobre a Alemanha nazista, na Segunda Guerra Mundial. Os ingressos custam de R$ 10 a R$ 20. 

Parque Ecológico do Tietê
Sábado, domingo, segunda e terça-feira, das 8h às 17h. Rodovia Ayrton Senna, 70, Tietê.


EX Africa
De quarta a segunda-feira, das 9h às 21h, com entrada gratuita. CCBB (Rua Álvares Penteado, 112, Centro).


Exposição Saramago
De terça-feira a domingo, das 9h às 19h, com entrada franca. Farol Santander (Rua João Bricola, 24, Centro).
Sinfonia no 9 em mi bemol maior, Op. 70
Domingo, 29, às 12h. Theatro Municipal (Praça Ramos de Azevedo, s/no, na Sé).

Craque se recupera em casa de R$ 28 milhões (Foto: Reprodução/Instagram)

Futebol

O atacante Neymar passou por uma cirurgia para reparar uma fratura no quinto metatarso (osso que se conecta ao dedo mindinho) do pé direito, no último sábado, em Belo Horizonte. De acordo com o médico responsável pela operação, Rodrigo Lasmar, o procedimento foi bem-sucedido e o camisa 10 do PSG já recebeu alta.

Enquanto o craque se recupera no Rio de Janeiro, em uma casa avaliada em R$ 28 mi, alguns internautas produziram memes sobre a situação vivida pelo jogador. A atriz Bruna Marquezine, namorada do atleta, e até o anúncio de um “possível feriado nacional” foram utilizados em montagens compartilhadas nas redes sociais.

Marquezine deu vida à pequena Salete na novela “Mulheres Apaixonadas”, que foi ao ar na Globo em 2003. Na trama, a menina, de sete anos, tinha visões ruins e chorava com frequência. Inclusive, ela pressentiu a morte de sua mãe, interpretada pela atriz Vanessa Gerbelli.

Aproveitando as características da personagem de Bruna, um internauta fez uma montagem com Salete e Neymar numa cama de hospital. A criança parece consolar o craque por causa da lesão.

Vale ressaltar que a atriz acompanha o jogador desde a sua chegada ao Brasil. Segundo o jornal Agora S. Paulo, ela até teve folga nesta segunda para visitar o namorado. A assessoria de imprensa da TV Globo negou a informação e afirmou que Marquezine gravou cenas da novela “Deus Salve o Rei”.

meme Neymar 2

Feriado nacional

A repercussão sobre a lesão e a cirurgia de Neymar foi muito grande na imprensa brasileira. O canal de TV fechada, SporTV, da Globosat, chegou a interromper por alguns segundos a transmissão da partida entre Ferroviária x Mirassol, válida pelo Campeonato Paulista, para mostrar a chegada do craque ao hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, na noite da última sexta-feira, 2. Por conta deste alarde, alguns internautas sugeriram que deveria ser feriado nacional no Brasil.

meme Neymar 4

 

meme neymar 5

meme neymar 1

Até uma possível operação de Neymar no SUS virou meme (Foto: Reprodução/Facebook)

Recuperação

A pouco mais de cem dias da estreia do Brasil na Copa do Mundo na Rússia, o jogador mais caro da história do futebol terá uma mansão avaliada em R$ 28 milhões como seu "quartel-general" no início da recuperação da fratura no quinto metatarso do pé direito, lesão sofrida em 25 de fevereiro e que se tornou um empecilho na tentativa de Neymar de conduzir a seleção ao hexacampeonato. 

Foi para essa mansão, localizada em Mangaratiba, no litoral fluminense e a 130 quilômetros do Rio, que Neymar seguiu neste domingo, após receber a alta hospitalar do Mater Dei, em Belo Horizonte, onde foi operado, em intervenção bem-sucedida, realizada no sábado por Rodrigo Lasmar, da seleção brasileira e do Atlético-MG, que cedeu outros dois médicos para a operação. 

Embora tenha sofrido uma lesão assustadora nas quartas de final da Copa do Mundo de 2014 contra a Colômbia, quando fraturou duas vértebras, Neymar agora começa a se recuperar da contusão mais grave da sua carreira, ao menos em tempo de afastamento dos gramados, pois Lasmar, antes mesmo da operação, havia afirmado que ele ficaria entre dois meses e meio e três meses sem jogar.

*Com informações da Agência Estado

Programação sobre Rei do Baião atende crianças e adultos (Fotos: Reprodução/Facebook)

Fora dos Trilhos

O sertão do Brasil é apresentado na programação Fim de Semana em Família, nos dias 31 de março e 1º de abril (sábado e domingo), no Itaú Cultural, por meio da música regional e de seu maior representante, Luiz Gonzaga. Todas as atividades são gratuitas.

A partir das 14h, tem a oficina Chapéu de Cangaceiro, comandada pela atriz Cris Miguel. Mais tarde, às 16h, ela e o artista Danilo Tomic apresentam o espetáculo Sanfona Velha do Fole Furado.

Com atividades lúdicas, as crianças e seus acompanhantes mergulham no universo de Luiz Gonzaga nesta oficina, que ensina os pequenos a confeccionarem um chapéu de cangaceiro, utilizando apenas EVA (espuma vinílica acetinada), cola e tesoura, e apresenta a vida e canções do sanfoneiro conhecido também como Mestre Lua. Esta atividade dialoga com o espetáculo em que bonecos, personagens da peça Sanfona Velha do Fole Furado, interagem com o público.

 A partir das 16h, Cris Miguel e o artista Danilo Tomic apresentam o espetáculo Sanfona Velha do Fole Furado. A peça é realizada em forma de teatro de bonecos e xilogravuras para contar o universo do sertão. Ela faz uma homenagem a Gonzagão, contando a história de Severino do Xaxado, filho de cangaceiro que conhece muito sobre este gênero musical, mas não sabe nada a respeito dos outros ritmos.

Severino se aventura pelo Rio de Janeiro, apaixona-se pelo baião e decide viajar para tocar sanfona. Em sua jornada acaba conhecendo o xote, o baião e o forró. O espetáculo fala ainda sobre a seca no nordeste, Lampião e Maria Bonita. Toda a trilha musical é executada ao vivo com sanfona, zabumba, triângulo e piano.

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca

Como já é tradição no Fim de Semana em Família, a partir das 11h, o público pode começar a se divertir com o Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca.

Uma das sugestões é o livro No meio da noite escura tem um pé de maravilha, de autoria de Ricardo Azevedo. O livro resgata dez contos folclóricos que no passado eram contados de pais para filhos. São histórias que falam da existência, espalham brilho e magia em qualquer lugar ou época, mas, que ainda assim, estão ameaçadas de se perderem no meio da noite escura. Esta e outras histórias podem ser lidas no Cantinho da Leitura, onde estão disponíveis 30 publicações do acervo infanto-juvenil da biblioteca do Itaú Cultural. Uma oportunidade para novos aprendizados e novas descobertas.

Na Feirinha de Troca, os pequenos podem trocar uma obra infanto-juvenil – como livro, gibi e DVD – por outra, escolhida entre os materiais disponibilizados pelo instituto. No espaço, monitores e voluntários estão à postos para ajudar no que for preciso.

Neste final de semana, o grupo Rádio Sucata conta histórias no Cantinho da Leitura. Destaque para o conto africano As panquecas de Mama Panya, que identifica a amizade e o compartilhamento como elementos importantes da vida em sociedade.

 

 

Museu guarda lembranças da Independência, declarada em 1822. Ou seja, local deve ser reaberto 200 anos após o grito de Dom Pedro I (Foto: Ricardo Leocadio)

Cidade

A tão esperada restauração do Museu Paulista, conhecido popularmente como Museu Ipiranga, deve acontecer já no começo de 2019 e terminar em 2022. Ou seja, o prédio tombado deve ser reaberto para visitação, praticamente, nove anos depois de seu fechamento.

O projeto executivo da obra é desenvolvido pela Hereñu + Ferroni Arquiteto e prevê a construção de um mirante no topo do edifício histórico e uma área de exposição no subsolo. A obra deve custar entre R$ 80 milhões e R$ 100 milhões e, segundo a diretora Solange Ferraz de Lima, a expectativa é conseguir arrecadar o dinheiro por meio de parcerias com iniciativa privada e de leis de incentivo.

“O fim do projeto executivo vai dar uma dimensão concreta, o orçamento final. Nós já temos alguns parceiros e a Universidade de São Paulo tem dado aporte financeiro para todas as atividades preparatórias, como o aluguel dos prédios que guardam o acervo, transporte, diagnósticos, e a próxima etapa é esta captação, que já está em andamento”, afirmou Solange.

O acervo de 125 mil unidades, que cobrem desde o século XVII até o XX, deve ser retirado até outubro e só retornará aquilo que ficar para exposição. A expectativa é que o número de visitantes dobre de 350 mil para 700 mil por ocasião da reabertura do museu.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

"Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo?", questionou Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), encerrou intempestivamente uma entrevista coletiva no 1º Distrito Naval, no Rio. O militar da reserva estava sendo perguntado sobre a continuidade dos atendimentos de saúde no Programa Mais Médicos, já que cerca de 8,3 mil profissionais podem deixar o País com decisão de Cuba de interromper a parceria. Bolsonaro respondeu apenas uma pergunta após ser questionado sobre o Mais Médicos - não comentou, por exemplo, a indicação do economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central (BC). O presidente eleito voltou a criticar os termos do acordo com Cuba no Mais Médicos, que prevê o repasse direto ao governo caribenho de 70% dos salários dos profissionais de saúde. Repetiu que a situação dos profissionais de saúde cubanos é "praticamente de escravidão" e questionou a qualidade dos serviços prestados. "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano. Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo? Isso é injusto, é desumano", disse Bolsonaro. O presidente eleito defendeu o exame presencial de validação do diploma dos médicos incluídos no programa. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres. Queremos o salário integral (dos médicos cubanos) e o direito (deles) de trazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis, que estão sendo desrespeitadas", resumiu Bolsonaro antes de encerrar a entrevista, que durou menos de cinco minutos. O futuro presidente do Brasil também prometeu asilo político para todos os médicos cubanos que pedirem. "Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a Medida Provisória (que criou o Mais Médicos), o governo da senhora Dilma (Rousseff) disse, em alto e bom som, que qualquer cubano que, por ventura, pedisse asilo, seria deportado. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui, (que) se justifica pela ditadura da ilha, terá o asilo concedido da minha parte", afirmou.

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião