16
Sex, Nov

Nervosa, Gabi Prado saiu chutando banco em A Fazenda (Foto: Reprodução/ PlayPlus)

Fora dos Trilhos

Depois de ser confirmado na roça em A Fazenda, o humorista Evandro Santo voltou para a sede disposto a “causar”. E em seu primeiro ato, fumou dentro do banheiro, o que é proibido pelas regras do jogo. A nova fazendeira, Catia, foi a responsável por ler a punição: os peões ficarão 48 horas sem gás.

O aviso aos confinados gerou indignação em Caíque e Fernanda Lacerda, por exemplo, que aplaudiram ironicamente o agora adversário no reality. Gabi Prado foi além: se descontrolou e chutou um banco localizado na sala de estar da casa. Entre muitos palavrões, ela desabafou gritando. “Ficamos 30 dias falando para não fumar no banheiro. Falta de respeito! Que ódio”, disse, sendo observada pelos outros peões.


Vale lembrar que ela enfrenta sua primeira roça contra o ex-Pânico e que o resultado será anunciado hoje à noite. Enquetes de portais on-line indicam que o rapaz deve continuar no reality. O que pode explicar o apoio do público é o comportamento agressivo e explosivo de Gabi, que já se desentendeu diversas vezes com Rafael Ilha e Nadja Pessoa, tendo até partido para cima dos dois em algumas discussões mais acaloradas.


A votação vai até o programa ao vivo começar, por volta das 22h30. É possível indicar qual peão você quer que fique na Fazenda, votando gratuitamente em http://afazenda.r7.com/a-fazenda-10/votacao.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Após acumular repetidas, colecionadores apostam em troca de figurinhas para completar álbum (Foto: Lucas Dantas)

Copa 2018

Com a chegada do álbum da Copa do Mundo da Rússia, um costume bastante frequente e muito realizado de quatro em quatro anos tomou as ruas de São Paulo: as trocas de figurinhas. Sejam os colecionadores mais novos, na escola, ou mais velhos, no serviço ou na barbearia, tornou-se novamente comum dar uma pausa para verificar o número do cromo e a necessidade dele no seu álbum.

São diversos locais e empreendimentos que organizam as trocas. Duas escolas ouvidas pelo Metrô News já integraram o costume no cotidiano. O Colégio Dávilohn, localizado em Guarulhos, na Grande São Paulo, ficará aberto nos dias 28 de abril, 19 de maio e 16 de junho para a comunidade realizar as “negociações”. “É uma integração de pais, alunos, professores e comunidade, resgatando o a paixão de colecionar álbuns e figurinhas”, disse o professor Alexandre Príncipe.

No Colégio Salesiano Liceu Coração de Jesus, teve gincanas durante os intervalos no início do mês. Havia um grande mapa-múndi, em que os instrutores apresentavam figurinhas de determinada seleção e os alunos apontavam onde fica o país. “Além das brincadeiras, foi uma orientação pedagógica nesse sentido”, afirmou a coordenação.

No Shopping D, localizado na Avenida Cruzeiro do Sul, 1.100, no Canindé, o ponto está instalado até 30 de junho. O local fica na praça de alimentação do piso dois, a partir das 18h de segunda a sexta-feira. De sábados, domingos e feriados, a partir das 16h. Outro espaço que aproveita a época é o bar Cerveja Artesanal São Paulo, na Rua Paracuê, 141, na Vila Madalena. As trocas serão realizadas no sábado, 21, das 13h às 16h.

Bibliotecas dão figurinhas por livros

A Secretaria Municipal de Cultura promove, em suas 54 unidades de bibliotecas, pontos de troca de figurinhas do álbum. Os colecionadores de todas as idades podem se reunir aos sábados, das 11h às 15h. Quem doar um livro em bom estado, ainda receberá 10 figurinhas do espaço. Também em local público, a Praça Charles Miller, em frente ao Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, recebe diversos encontros para trocas aos domingos.

Aos domingos, até 10 de junho, a Brabo Barbearia, na Rua Ermelinda Meletti Teldeschi, 13, no Jardim Guarapiranga, realiza encontros entre os interessados em completar o álbum. A Atlética de Comunicação da FMU organiza, no campus Ana Rosa, às 20h30, encontros para trocar figurinhas. “É uma forma de integrar os alunos e curtir a faculdade”, explicou Lincoln Uehara, presidente da atlética.

Tillerson voltou da África antes do previsto e foi demitido (Foto: Reprodução/Facebook)

Mundo

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira, 13, em sua conta no Twitter que Rex Tillerson está deixando o cargo de Secretário de Estado, que será assumido por Mike Pompeo, atual diretor da CIA.

"Ele (Pompeo) fará um trabalho fantástico! Obrigado, Rex Tillerson, por seus serviços!", disse Trump na rede social.

Trump também informou que Gina Haspel será a nova diretora da CIA, a primeira mulher a ocupar o posto.

A saída de Tillerson veio um dia depois de ele retornar aos EUA de uma viagem abreviada à África. 

Ministro ainda sonha com a Presidência da República (Foto: José Cruz/ABR)

Nacional

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não descartou a possibilidade de ser vice numa chapa com o presidente Michel Temer nas próximas eleições, mas indicou que seu objetivo é ser cabeça de chave na campanha eleitoral pela disputa ao cargo de Presidência da República.

Em Porto Alegre, nesta segunda, onde participou de palestras com lideranças empresariais do Estado, Meirelles preferiu a cautela e não quis confirmar oficialmente o acerto com o presidente Michel Temer para a sua saída do Ministério da Fazenda.

Ele disse que vai decidir no início da semana, mas já respondeu perguntas como candidato sobre vários temas.“Minha consideração para ser candidato é a Presidência [cargo]”, disse Meirelles, sem descartar categoricamente a posição de vice numa chapa com o presidente Temer. 

Apesar de ter acertado com o presidente a sua saída do Governo, Meirelles disse que mandou fazer pesquisas qualitativas para tomar a decisão. Segundo ele, a ideia é entender com as pesquisas o que brasileiro pensa e quer do futuro do País. O ministro disse que não tomará decisão de forma precipitada ou por “vaidade”. “Levo em conta questões partidárias”, disse.

Idade mínima para troca de nome é de 21 anos (Foto: Reprodução/Flickr)

Nacional

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou, por unanimidade, a possibilidade de pessoas transgêneras alterarem nome e gênero em registro civil, independentemente da realização de cirurgia para mudança de sexo.

Os ministros também decidiram, por maioria, que não será necessária decisão judicial autorizando o ato ou laudos médicos e psicológicos para que a mudança seja realizada, como fora proposto pelo relator da ação direta de inconstitucionalidade, ministro Marco Aurélio Mello.

O relator também exigiu a idade mínima de 21 anos para a alteração no registro civil. Apesar de ter acompanhado Marco Aurélio na necessidade de autorização judicial, o ministro Alexandre de Moraes afirmou que a idade mínima para essa alteração deve ser de 18 anos. Ao final do julgamento, não houve fixação de idade.   

Jogador ficou muito tempo parado por imbróglio judicial (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

O presidente do Santos, José Carlos Peres, confirmou nesta quinta-feira a troca do lateral Zeca por Eduardo Sasha, que tem os direitos presos ao Internacional. Na entrevista coletiva convocada para comentar as acusações de casos de pedofilia na base do clube, o dirigente falou sobre a negociação e garantiu que ela teve um final feliz.

"Nós fechamos de vez a troca do Zeca com o Sasha, hoje", afirmou. A negociação vinha se desenrolando nas últimas semanas. De acordo com José Carlos Peres, o Santos vai manter 50% dos direitos econômicos de Zeca, assim como o Inter terá 50% dos direitos de Eduardo Sasha.

"A negociação foi benéfica para o Santos e para o Internacional. O Sasha já está jogando com a gente, tem correspondido. O Zeca é um grande jogador, foi campeão olímpico, teve uma indisposição com a gestão anterior e ficou meses sem jogar. Foi uma 'ginástica' para conseguir fechar esta negociação", comentou.

Zeca chegou a ficar perto de Flamengo e Corinthians, mas os clubes recuaram diante do imbróglio judicial e da promessa do Santos de que cobraria a multa rescisória do jogador. O lateral, então, retirou a ação na Justiça, o que facilitou o desfecho das conversas entre o clube paulista e o Inter.

Assim, Zeca voltará a atuar, após meses afastado pela disputa com o Santos. Por outro lado, o clube alvinegro vai manter o atacante Eduardo Sasha, que se encaixou bem no time e tem realizado boas exibições nesta temporada.

Esta, no entanto, foi a única negociação confirmada por José Carlos Peres. Questionado sobre a possibilidade de o Santos liberar o goleiro reserva Vladimir para o Vitória, por empréstimo, ele desconversou, mas admitiu a necessidade de diminuir o inchado elenco alvinegro.

"Sobre o Vladimir, fiquei sabendo por cima, nada oficial. Não vamos liberar jogador que o outro clube não pague pelo menos 50% dos vencimentos. Temos tentado emprestar, aliviar a folha, que é enorme. Não dá para ficar mandando embora jogador e ficar pagando o salário previsto no contrato", comentou.

Gugu Liberato tem contrato por mais três anos com a Record TV (Foto: Reprodução/Facebook)

Fora dos Trilhos

Hoje eu inicio a minha coluna comentando a demissão de Roberto Justus, da Rede Record de Televisão. A coluna publicou na semana passada que o contrato dele não seria renovado.  A emissora de Edir Macedo optou por demiti-lo em virtude dos maus resultados do apresentador no comando de seus programas, o que já era previsto.

A Record ainda não comunicou oficialmente ao publicitário que virou apresentador. Entretanto, a cúpula da emissora já reafirmou que não tem mais projetos para Justus, que foi uma grande decepção no comando dos programas a ele confiado. Com isso, gradativamente, foram lhe tirando espaço na grade de programação.

Primeiro foi o reality show Power Couple, que, a partir de abril, será apresentado por Gugu Liberato, que continua na Record por mais três anos.  Com a demissão de Justus, a emissora tem duas opções para apresentar A Fazenda:  Marcos Mion ou o próprio Gugu Liberato. Essa decisão será tomada numa reunião ainda hoje, no período da tarde.

Essa demissão de Roberto Justus chega na hora errada para ele que, aos 62 anos, resolveu se dedicar totalmente à carreira artística, abrindo mão definitivamente de comandar a sua agência de publicidade, uma das mais importantes do Brasil. A coluna obteve informações exclusivas sobre essa demissão.

A avaliação dos executivos da Record é que Justus não foi bem como apresentador do reality A Fazenda,  sendo muito criticado pelos internautas, que o consideraram um robô no comando da atração. Com isso, ele foi se desgastando, até porque, quando foi chamado pela direção para reduzir seu salário, que era de R$ 600 mil, ele não abriu mão dos seus direitos.

Com isso, Justus está negociando a compra dos direitos de O Aprendiz. Ele já ofereceu o programa para o SBT, mas os executivos da emissora de Silvio Santos ainda não aceitaram a proposta,  porque temem o desgaste do formato e o alto custo da produção. 

A atriz Maitê Proença, que atualmente está sem contrato, depois de ter sido demitida da Globo, disse no programa do Ronnie Von (Gazeta) que é totalmente contrária ao machismo e que as mães de hoje são as verdadeiras culpadas do problema, em razão da forma como educam e criam seus filhos. Quanto a voltar à TV, ela não tem perspectiva, pois o mercado, no momento, está muito fechado.

O Outro Lado do Paraíso, novela das 21h da Globo, já é considerada o folhetim mais visto nos últimos cinco anos na emissora. Com a audiência crescendo a cada capítulo, a emissora chegou até a pensar em esticar a história, fato esse que só não foi aprovado pela diretoria para não prejudicar a grade de programação.

Frase final :  “Amigo é quem te socorre, não quem tem pena de ti.” 

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

"Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo?", questionou Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), encerrou intempestivamente uma entrevista coletiva no 1º Distrito Naval, no Rio. O militar da reserva estava sendo perguntado sobre a continuidade dos atendimentos de saúde no Programa Mais Médicos, já que cerca de 8,3 mil profissionais podem deixar o País com decisão de Cuba de interromper a parceria. Bolsonaro respondeu apenas uma pergunta após ser questionado sobre o Mais Médicos - não comentou, por exemplo, a indicação do economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central (BC). O presidente eleito voltou a criticar os termos do acordo com Cuba no Mais Médicos, que prevê o repasse direto ao governo caribenho de 70% dos salários dos profissionais de saúde. Repetiu que a situação dos profissionais de saúde cubanos é "praticamente de escravidão" e questionou a qualidade dos serviços prestados. "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano. Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo? Isso é injusto, é desumano", disse Bolsonaro. O presidente eleito defendeu o exame presencial de validação do diploma dos médicos incluídos no programa. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres. Queremos o salário integral (dos médicos cubanos) e o direito (deles) de trazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis, que estão sendo desrespeitadas", resumiu Bolsonaro antes de encerrar a entrevista, que durou menos de cinco minutos. O futuro presidente do Brasil também prometeu asilo político para todos os médicos cubanos que pedirem. "Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a Medida Provisória (que criou o Mais Médicos), o governo da senhora Dilma (Rousseff) disse, em alto e bom som, que qualquer cubano que, por ventura, pedisse asilo, seria deportado. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui, (que) se justifica pela ditadura da ilha, terá o asilo concedido da minha parte", afirmou.

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião