17
Sáb, Nov

Projeto chega à quarta edição e busca a verdadeira beleza da mulher brasileira (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

A quarta edição do concurso “Divas”, realizado pela Besni, está em fase de seleção das melhores candidatas. Dessa vez, as moradoras da Zona Leste puderam participar enviando vídeos pelas redes sociais, contando um pouco de sua história e explicando porque gostariam de ganhar a competição, que oferece um book de R$ 2 mil, produzido pelo fotógrafo Jorge Beirigo, e R$ 1 mil em compras nas lojas da marca.

Segundo Alexandre Cavalcante, idealizador da campanha e responsável pelo marketing da rede de lojas, a intenção é valorizar as regiões em que o projeto é realizado. Há quatro anos, o “Divas” já passou por Capão Redondo, Cachoeirinha e Mauá. “É uma emoção muito grande reconhecer a beleza verdadeira da mulher brasileira”, disse.

Depois da seleção, seis vídeos de participantes serão colocados nas redes sociais da loja. As três mais curtidas serão as campeãs. “A gente tem uma receptividade enorme junto às clientes. Conversamos com elas após a campanha e sabemos que se tornam famosas na região onde moram”, contou o criador do projeto.

Para acompanhar o concurso “Divas da Zona Leste”, basta acessar a página da Besni no Facebook (facebook.com/lojasbesni) e ficar ligado nos vídeos que serão postados em breve

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Cinza é a cor que representa modernidade e, ao mesmo tempo, experiência (Foto: Reprodução)

Opinião

Existe um princípio de que tudo é movimento e que nada pode permanecer estático. Daí surgiu a percepção universal de que mudar é a única certeza. Percebe-se isso em diversas situações, como a necessidade de trocar o corte de cabelo, a transformação fugaz da moda ou mesmo em questões fundamentais, como a contínua evolução da tecnologia. Mudar faz bem e é quase sempre imprescindível.

O Metrô News, desde 1974, se insere neste processo e, depois de quase uma década com os mesmos elementos visuais, que o fazem ser carinhosamente conhecido como “o jornal azulzinho do Metrô”, se despiu de sua tradicional cor apostando em novas nuances de cinza. O resultado é um produto mais moderno e atual, com cores que despertam o interesse pelos textos. E isso é essencial para um jornal que é, usualmente, lido entre uma estação e outra. Esta escolha – feita de maneira demorada, minuciosa, testada e sob o crivo de diversas pessoas de diferentes formações – não foi à toa.

Se, por um lado, o cinza está associado a estabilidade e autocontrole, por outro traz a facilidade de combinar com tudo, de tons claros até escuros, casando bem com azul, amarelo, laranja e verde. Na decoração, na tecnologia e na moda, essa cor é considerada futurista, moderna, inovadora e imparcial, conceitos que o Metrô News, como marca e em sua linha editorial, buscam diuturnamente.

O cinza também está associado a experiência (gris é cinza em francês e espanhol, de onde vem grisalho). E, com seus 44 anos de história, não falta bagagem a este jornal, que segue trabalhando para manter bem-informado os seus milhões de leitores, de forma dinâmica e, agora, ainda mais atraente. E não para por aí. Recentemente foi reformulado o nosso site, que foi desenvolvido para atender bem aos usuários de smartphones, tablets e computadores. E, podem aguardar, pois estão sendo preparadas outras novidades. A principal delas é a que deixará este veículo ainda mais perto do seu principal ativo: o leitor.

Neta da lenda do reggae já desfilou para a Calvin Klein (Foto: Reprodução/Instagram)

Fora dos Trilhos

O nome de Selah Marley pode soar desconhecido em um primeiro momento, mas seu sobrenome logo entrega a linhagem estrelada da qual faz parte. Neta de Bob Marley, filha da cantora Lauryn Hill e do ex-jogador de futebol americano Rohan Marley, a modelo e cantora, de 19 anos, faz parte da nova geração de queridinhos da moda.

O cenário, aliás, tem sido recorrente: filhos de personalidades despontando como modelos, embaixadores de grifes e favoritos dos grandes estilistas. Pense em nomes como Lily-Rose Depp, filha dos atores Johnny Depp e Vanessa Paradis; Kaia Gerber, filha da supermodelo Cindy Crawford; e Sofia Richie, filha do cantor Lionel Richie.

Selah, por sua vez, é dona de uma carreira curta, mas notável: já estrelou campanhas de marcas como Calvin Klein e Ivy Park (a etiqueta de roupas esportivas criada por Beyoncé), desfilou para a Chanel e também já fez parte do casting da Yeezy, marca do rapper Kanye West.

Nas redes sociais, a menina faz sucesso com suas fotos glamorosas: somente no Instagram, conta com 106 mil seguidores.

Estilista morreu enquanto dormia (Foto: Reprodução/Facebook)

Fora dos Trilhos

O estilista Hubert de Givenchy, lenda da alta-costura, morreu aos 91 anos, enquanto dormia. O francês, que fundou a casa Givenchy na década de 1950, ficou famoso ao vestir nomes como Jacqueline Kennedy Onassis, Grace Kelly e Elizabeth Taylor. Givenchy nasceu em Beauvais no dia 21 de fevereiro de 1927.

O estilista desenhou o famoso tubinho preto utilizado por Audrey Hepburn no filme "Breakfast at Tiffany's" ("Bonequinha de Luxo"), de 1961. Ele fazia parte do grupo de elite de designers sediados em Paris, ao lado de nomes como Christian Dior e Yves Saint Laurent, que redefiniram a moda após a 2ª Guerra Mundial

A diretora artística de Givenchy, Clare Waight Keller, disse nesta segunda-feira, 12, em sua conta no Instagram, estar "profundamente entristecida pela perda de um grande homem e artista que teve a honra de conhecer"

Mulheres têm gama de opções para o Outono, com destaque especial ao xadrez (Foto: Reprodução)

Fora dos Trilhos

O xadrez deve ser o destaque nas roupas no Outono deste ano, principalmente no figurino das mulheres. A designer de moda Camila Toledo Simões e a professora do Senac São Paulo Jô Souza, especialista em estilo, concordaram que essa é a principal tendência. “Ele deve aparecer tanto em casacos alongados, como nas clássicas camisas”, explicou Camila.


Para Jô, na questão das cores, haverá bastante uso de vermelho, amarelo, verde limão e laranja nas peças. “A cor da estação, no entanto, é a ultravioleta”, disse. “Ela é apontada como a principal, que será evidenciada no uso de celebridades em eventos de luxo”, explicou Camila.


Os materiais em destaque são vinil e a fake furr, uma pele falsa, aplicada em casacos inteiros. Além deles, as plumas também aparecerão nos sapatos, segundo a designer. “Nessa época, o sutiã à mostra e o corpete também devem ser bastante utilizados”, afirmou a professora.


De acordo com Jô, as pochetes retornam com tudo para a estação. “Elas voltam de forma criativa, substituindo as bolsas em algumas ocasiões”, disse. “As ombreiras também são uma tendência bastante grande”, disse. Os laços, de todos os tamanhos, que trazem um visual mais romântico, serão muito usados no cotidiano. “Isso dá muita diferença visual”, explicou Jô.


Para quem deseja um look mais casual, a escolha do jeans escuro é essencial. “Pode combinar com uma botinha branca e um casaco colorido, vai ficar bem legal”, disse a especialista.

Vestidos pretos se adequam aos climas (Foto: MyBasic/Divulgação)

Fora dos Trilhos

O vestido básico é, sem dúvidas, uma opção versátil e prática para se usar nas viagens ao campo. O modelo oferece conforto, beleza e frescor para o clima em meio à natureza. 

Afinal, passar um fim de semana longe da correria das cidades é sempre bem-vindo, mas antes de escolher quais peças tirar do closet, um lembrete: o tempo no campo é imprevisível. 

Nos locais com mata fechada, a temperatura costuma ser mais gelada à noite e mais fresca durante o dia. Se o local for próximo à mata, considere levar roupas com mangas compridas, por causa dos insetos. Ao fazer a sua mala, não se esqueça de levar repelentes e protetores solares, mesmo para os dias nublados. 

Para fazer trilhas, invista em um par de botas com solado antiderrapante que proteja seu pé, leve um chapéu e mochila. Se o objetivo é relaxar e curtir o clima da natureza, confira sugestões de looks com peças versáteis para compor seu estilo na viagem. O conjunto calça, blusa básica, casaco e tênis compõem um look interessante e muito confortável para os passeios ao ar livre. 

Vestido preto se adequa aos climas

O vestido básico Reggio é versátil. Seu comprimento longo protege contra as temperaturas do clima do campo e fica bom em todos os corpos. O modelo Lituânia possui tecido premium, com qualidade superior. Seu design com manga ¾ e caimento que se ajusta no quadril, criando o efeito blusê, fazem desse modelo uma opção leve e sofisticada.

Atriz global ostenta com vestimenta brilhante (Foto: Reprodução/Instagram)

Fora dos Trilhos

Encerrando as comemorações de carnaval, Bruna Marquezine compareceu ao Desfile das Campeãs, na Sapucaí, no Rio de Janeiro, no último sábado, 17. A atriz curtiu a noite no "Nosso Camarote", a convite da Rosa Chá. Ela apostou em um body transparente da marca para a festa, customizado exclusivamente.

Bruna também optou por uma calça legging de paetês, da grife Gucci, para compor a sua produção. 

A peça custa cerca de R$ 7 mil no Brasil. 

Para finalizar, argolas grandes e o penteado de cabelo meio preso deram um toque divertido no visual. 

Bruna Marquezine calça Insta

Marquezine aparece sorridente no sambódromo carioca (Foto: Reprodução/Instagram)

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

"Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo?", questionou Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), encerrou intempestivamente uma entrevista coletiva no 1º Distrito Naval, no Rio. O militar da reserva estava sendo perguntado sobre a continuidade dos atendimentos de saúde no Programa Mais Médicos, já que cerca de 8,3 mil profissionais podem deixar o País com decisão de Cuba de interromper a parceria. Bolsonaro respondeu apenas uma pergunta após ser questionado sobre o Mais Médicos - não comentou, por exemplo, a indicação do economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central (BC). O presidente eleito voltou a criticar os termos do acordo com Cuba no Mais Médicos, que prevê o repasse direto ao governo caribenho de 70% dos salários dos profissionais de saúde. Repetiu que a situação dos profissionais de saúde cubanos é "praticamente de escravidão" e questionou a qualidade dos serviços prestados. "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano. Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo? Isso é injusto, é desumano", disse Bolsonaro. O presidente eleito defendeu o exame presencial de validação do diploma dos médicos incluídos no programa. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres. Queremos o salário integral (dos médicos cubanos) e o direito (deles) de trazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis, que estão sendo desrespeitadas", resumiu Bolsonaro antes de encerrar a entrevista, que durou menos de cinco minutos. O futuro presidente do Brasil também prometeu asilo político para todos os médicos cubanos que pedirem. "Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a Medida Provisória (que criou o Mais Médicos), o governo da senhora Dilma (Rousseff) disse, em alto e bom som, que qualquer cubano que, por ventura, pedisse asilo, seria deportado. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui, (que) se justifica pela ditadura da ilha, terá o asilo concedido da minha parte", afirmou.

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião