Cinema

Pouco mais de um mês após sua estreia, o filme Mulher Maravilha já tem uma sequência confirmada nos cinemas, inclusive com data de estreia garantida. A Warner Bros. anunciou na terça-feira, 25, que o novo filme focado em Diana Prince vai chegar aos cinemas no dia 13 de dezembro de 2019.

 

A data já era reservada pelo estúdio, que não havia divulgado, porém, qual filme iria estrear nesta data. Segundo a companhia, a sequência de Mulher Maravilha também será filmado em IMAX.

 

A confirmação do segundo filme estrelado por Gal Gadot vem depois do grande sucesso do primeiro, que bateu o recorde de ser o filme live-action dirigido por uma mulher com a maior arrecadação do cinema, além de ter se tornado o longa mais assistido do verão norte-americano.

 

Além desta data, antes misteriosa, a Warner Bros. já reservou mais duas datas em 2020 para filmes da DC Comics ainda não especificados, em 14 de fevereiro e 5 de junho. Por enquanto, o próximo longa baseado nos quadrinhos da companhia é Liga da Justiça, que estreia em 16 de novembro, com direção de Zack Snyder (Batman Vs Superman) e Joss Whedon (Os Vingadores).

Deixe seu comentário

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

VEJA NOSSA EDIÇÃO DO DIA

França conquistou seu segundo título mundial em 20 anos (Foto: Reprodução/Instagram)

Copa 2018

Presidente da Fifa se esquivou de perguntas políticas (Foto: Fotos Públicas)

Copa 2018

Jogador admite que na Eurocopa havia um clima de "já ganhou" (Foto: Reprodução/Facebook)

Copa 2018

Croácia faz história e decide título contra a França (Foto FA/Staff)

Copa 2018
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Trabalho do Necrim deve servir de exemplo para todo o País (Foto: Reprodução/TV Globo)

Opinião

Obras paradas atrasam a economia brasileira (Foto: Divulgação/GOVSP/Fotos Públicas)

Opinião

Poder Executivo não deveria inferir tanto no Judiciário. Escolhas de juízes muitas vezes são mais ideológicas e partidárias do que técnicas (Foto: Antonio Cruz/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Paralisação dos caminhoneiros atrapalhou a economia, mas não foi a principal culpada (Foto: Marcelo Pinto/APlateia/Fotos Públicas)

Opinião