Grid List

Fábio defendeu todas as cobranças do Peixe (Foto: Daniel Oliveira/AE)

Futebol

Maior campeão da Copa do Brasil ao lado do Grêmio, o Cruzeiro sofreu para conseguir para eliminar o Santos e conseguir se classificar à fase seguinte nesta quarta-feira, 15, no Mineirão. Após vencer o primeiro confronto por 1 a 0, na casa do rival, o time mineiro foi derrotado de virada, por 2 a 1, mas venceu o duelo nos pênaltis por 3 a 0 e avançou à semifinal da competição. O time mineiro foi superior em quase toda a partida e chegou ao seu gol com Thiago Neves, logo no começo da p ...

Diego Costa marcou dois dos quatro gols do Atlético (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Em jogo quente, equilibrado e de seis gols, o Atlético de Madrid venceu o Real Madrid por 4 a 2 nesta quarta-feira, na Le Coq Arena, em Tallinn, na Estônia, e sagrou-se campeão da Supercopa da Europa, torneio que opõe o campeão da Liga dos Campeões e o vencedor da Liga Europa da temporada anterior. A partida terminou empatada por 2 a 2 no tempo normal e só foi decidida na prorrogação, com gols de Saúl e Koke. Com boa parte de seus titulares em campo, os rivais espanhóis protagonizar ...

Messi e Malcom balançaram as redes do Boca (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

O Barcelona venceu o Boca Juniors por 3 a 0, nesta quarta-feira, no estádio Nou Camp, em Barcelona, e conquistou a edição de 2018 do Troféu Joan Gamper, torneio amistoso criado para homenagear um dos fundadores do clube catalão. Os gols foram marcados por Malcom e Lionel Messi, no primeiro tempo, e Rafinha Alcântara, na etapa final. O jogo começou morno e Philippe Coutinho teve a primeira boa chance só aos 16 minutos do primeiro tempo, depois de limpar a marcação e chutar forte de for ...

Josep Maria Bartomeu elogiou os brasileiros Arthur e Malcom (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu disse nesta quarta-feira estar otimista para a atual temporada de competições na Espanha e na Europa. O dirigente afirmou que o elenco do clube é capaz de ganhar todas os torneios que disputar. "Vamos aspirar a ganhar tudo. Estamos complementando um elenco excelente. Há uma grande combinação de jogadores com experiência, revelações do clube e novos talentos, todos liderados pelo melhor do mundo (o meia argentino Lionel Messi)", disse Josep ...

Torneio será decidido em jogo único a partir do ano que vem (Foto:Divulgação/Conmebol)

Futebol

A Conmebol anunciou nesta terça-feira, 14, que a final da Copa Libertadores de 2019, em partida única, vai acontecer em Santiago, capital do Chile. Presidente da Federação de Futebol do Chile (FFCh), Arturo Salah, informou que o local escolhido para a realização do jogo foi o Estádio Nacional. A Conmebol também anunciou que a decisão da Copa Sul-Americana de 2019 será realizada em Lima, capital do Peru, também em partida única. Montevidéu, no Uruguai, era uma das concorrentes inici ...

Destino do piloto pode ser a Fórmula Indy (Foto: Reprodução/Instagram)

Esporte

Fernando Alonso anunciou nesta terça-feira que vai deixar a McLaren ao fim deste ano e não vai disputar a temporada de 2019 da Fórmula 1. Sem mencionar se um dia pode voltar a competir na categoria, o piloto espanhol divulgou um vídeo de agradecimento intitulado "Querida F-1...", enquanto que a McLaren publicou uma nota oficial para confirmar a informação. "Depois de 17 maravilhosos anos nesse esporte incrível, é hora de eu fazer uma mudança e seguir em frente. Eu desfrutei de cada mi ...

Atacante agradeceu à torcida pelo apoio depois da derrota contra a França (Foto: Reprodução/Instagram)

Futebol

A Copa do Mundo da Rússia está marcado o fim da carreira de alguns grandes jogadores em suas seleções nacionais. Este é o caso de alguns campeões de 2010 com a Espanha - como Andrés Iniesta, Gerard Piqué e David Silva - e agora do croata Mario Mandzukic. Perto de completar um mês da derrota na grande final para a França em Moscou, o atacante de 32 anos anunciou nesta terça-feira que não vai mais defender a equipe da Croácia. Em uma carta aberta endereçada aos torcedores que foi d ...

Previsão inicial era de que meia ficaria um mês fora dos gramados (Foto: Reprodução/Instagram)

Futebol

O meia Gustavo Scarpa, do Palmeiras, ganhou nesta semana um outro obstáculo à sua evolução. Depois de sofrer nos últimos meses com problemas judiciais pelas brigas com o ex-clube, o Fluminense, o jogador tem pela frente uma inflamação no calcanhar do pé direito, situação que deve tirá-lo de combate pelas próximas partidas como a desta quinta-feira contra o Bahia, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, pela rodada de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Contratado em janei ...

Presidente da Fifa, Gianni Infantino retirou a palavra "corrupção" do Código de Ética (Foto: Kremlin/Fotos Públicas)

Futebol

A Fifa prometeu e cumpriu: não há mais corrupção no futebol. Pelo menos é isso que indica o novo Código de Ética da entidade que, a partir da Copa do Mundo da Rússia, que acabou em 15 de julho, excluiu a palavra "corrupção" de seus artigos. Em junho, em uma reunião confidencial, o Conselho da Fifa aprovou o seu novo Código de Ética e, de forma conveniente, retirou do texto qualquer referência ao termo. Quando o suíço Gianni Infantino assumiu a Fifa em 2016, em meio à pior cris ...

Carille não pretende trabalhar no Brasil tão cedo (Foto: Daniel Augusto/Agência Corinthians)

Futebol

O técnico Fábio Carille foi contratado pelo Al-Wehda com a missão de reformular o clube, que acaba de subir para a primeira divisão da Arábia Saudita. Aceitou o desafio em troca de ótimo salário e da oportunidade de dar início a uma longa e vitoriosa carreira no exterior. Em entrevista ao Estado na Áustria, onde a equipe faz pré-temporada, o treinador de 44 anos revela o objetivo de ficar por muitos anos longe do Brasil e avisa que ainda procura um zagueiro, após Balbuena preferir o ...

Nadador foi o grande destaque brasileiro (Foto: Reprodução/Instagram)

Esporte

Em mais uma competição com bom desempenho de seus nadadores, o Brasil fechou nesta segunda-feira a sua participação no Parapan-Pacífico em Cairns, na Austrália, com 35 medalhas conquistadas. O país teve 15 atletas e faturou 16 de ouro, 13 de prata e seis de bronze. Só Daniel Dias, um dos principais nomes do esporte paralímpico, subiu sete vezes ao pódio, sendo seis no lugar mais alto. Nesta segunda-feira, no último dia de disputas, aconteceu a prova mais rápida da natação: os 50m ...

Ceni acredita que São Paulo de 2018 é parecido com o que ganhou os Brasileiros de 2006 a 2008 (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Ídolo do São Paulo, Rogério Ceni também é líder do Campeonato Brasileiro, mas da Série B, na qual é o técnico do Fortaleza. E vê o seu ex-clube no caminho certo para conquistar a Série A, após a vitória do último domingo sobre o Sport por 3 a 1, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, pela 18.ª rodada, que o manteve no topo da tabela de classificação. Na visão do eterno goleiro-artilheiro do Morumbi, a equipe comandada pelo técnico uruguaio Diego Aguirre tem uma vantagem e ...

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Bolsonaro atraiu filiações ao PSL (Foto:Fernando Frazão/ABR/Fotos Públicas)

Nacional

Apenas partidos pequenos aumentaram o número de candidatos nas eleições deste ano em relação a 2014. Enquanto siglas tradicionais como PT, PSDB, MDB, PDT e PSB reduziram a quantidade total de registrados, houve um aumento expressivo entre as siglas de menor porte. O partido de Jair Bolsonaro, o PSL, é o que mais apresentou candidatos - 1.451, um aumento de 74,4% em relação a 2014. Das 35 siglas existentes, 12 vão ter mais postulantes neste ano do que nas últimas eleições gerais - PSL, PROS, Avante, Podemos, PRB, Solidariedade, PMN, PCO, PSOL, Patriota, PRTB e PPL. Há ainda três partidos que vão estrear nas urnas em âmbito nacional: Rede, Novo e PMB, que, juntos, somam 1.606 candidaturas. Os números têm como base os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É possível que haja pequenas alterações até o dia 20, quando as informações estarão 100% atualizadas. A legenda que registrou a maior variação porcentual no número de candidaturas foi o PCO (142,8%). A sigla, no entanto, é um ponto fora da curva - tinha apresentado somente 49 candidatos em 2014 e, agora, lançou 119. Em seguida, vem o PROS, com 1.018 candidatos, ante 485 em 2014 (aumento de 109,9%, mais que o dobro de um pleito para o outro). Entre os que mais reduziram candidatos, estão PCB (diminuição de 45,2%), PTB (-33,4%) e PSTU (-31,9%). Entre as siglas maiores, PSB (-31,4%), PSDB (-18,3%) e PDT (-16,4%) tiveram os maiores índices de diminuição de candidatos. O PT registrou queda de 6,8% e o DEM, de 5,5%. Segundo o cientista político Marco Antônio Teixeira, da FGV-SP, uma das explicações para este cenário pode ser a cláusula de barreira, que, a partir de 2018, impõe aos partidos desempenho mínimo para que sejam autorizados a ter acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de TV no horário eleitoral. "Os pequenos estão em busca de capilaridade", disse Teixeira. A nova regra exige, para este ano, que as legendas tenham 1,5% dos votos válidos para a Câmara, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação e com 1% em cada uma dessas unidades. A cláusula aumenta gradativamente até 2030 e busca afunilar o sistema partidário brasileiro, altamente fragmentado. Para a cientista política Luciana Veiga, professora da UNI-Rio, a estratégia faz sentido e pode servir à sobrevivência. "Mesmo que não elejam muitos nomes, os partidos com várias candidaturas têm chance de alcançar a cláusula com uma votação mais pulverizada." Um caso mais específico é o do nanico PSL, que, com a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República, atraiu deputados na janela partidária e, agora, busca se consolidar com a ampliação da bancada no próximo pleito. "O PSL não tinha nada, arranjou meia dúzia de deputados e agora precisa crescer (para se manter vivo)", afirmou Teixeira. Conforme o Estado mostrou na quarta-feira, a nova casa de Bolsonaro registrou mais de 13,6 mil filiações em 2018, impulsionadas pela figura do presidenciável. Trata-se de número quatro vezes maior que o dos partidos adversários na disputa pelo Palácio do Planalto. Concentração Quanto aos partidos tradicionais, o motivo da diminuição de candidaturas passa por um uso mais direcionado dos recursos do fundo eleitoral. Com as regras inéditas de financiamento de campanha, as siglas apostam mais em candidaturas viáveis, com pouca abertura à renovação. É o caso do PSB, a legenda tradicional que mais reduziu o número de postulantes. A estratégia, segundo o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, é concentrar os recursos em campanhas com grandes chances de vitória. "O novo fundo não facilita a renovação", afirmou ele. O PSB não tem candidatura própria à Presidência da República e não compõe nenhuma coligação, mas conta com nomes fortes em eleições regionais. "O fundo eleitoral concentra muitos recursos nos grandes. O problema dos maiores não é dinheiro, não é sobrevivência. É otimizar os cargos que já têm", afirmou Luciana Veiga. 

Candidatos ao governo fizeram questão de mencionar presidenciáveis (Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Cidade

Os candidatos ao governo de São Paulo presentes no primeiro debate televisionado, na Band, aproveitaram o último bloco do programa para nacionalizar a discussão. Houve menções ao nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), bem como contra a polarização política no País. O ex-prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho (PT) disse ser, com orgulho, amigo de Lula e candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes. No fim do bloco anterior, Marinho havia feito a primeira menção dele a Lula no debate. Em embate com Rodrigo Tavares (PRTB), ele disse que os governos petistas combateram a corrupção e afirmou que o PT "é a grande esperança" do povo brasileiro. Tavares citou a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), cujo vice, general Hamilton Mourão, é do PRTB. Marinho citou ainda acusações de corrupção contra o PSDB. O tucano João Doria o rebateu nas considerações finais e falou que o petista não pode comparar Alckmin a Lula. "Alckmin tem mais de 40 anos de vida pública ilibada. Lula está preso em Curitiba", afirmou. Ele cobrou ainda "respeito" do petista, que no final do bloco anterior havia mencionado o nome da esposa do ex-prefeito paulistano, Bia Doria. "Ela não é ré como o senhor", disse. Na despedida do público, Rodrigo Tavares também atacou Alckmin. "Ele fez bom trabalho sim no Estado de São Paulo, mas como anestesista. Ele anestesiou o Estado de São Paulo", afirmou. Nos apontamentos finais, Márcio França (PSB) levou novamente a discussão para o nível nacional. Ele disse que a população de São Paulo vê os exemplos do PT, do PSDB e do MDB e que só ele representa a mudança. O governador paulista lembrou também a mediação dele na greve dos caminhoneiros. Paulo Skaf (MDB) encerrou o debate exaltando as escola do Sesi, que ele usou para criticar ensino estadual de São Paulo. Antes disso, coube ao empresário a primeira das duas únicas menções a Deus no debate. A segunda foi de Lisete Arelalo (PSOL), que disse que o povo "deu graças a Deus" pela renúncia de alguns candidatos. Ela afirmou ainda que vai seguir com o legado da vereadora carioca Marielle Franco, assassinada em 14 de março. Marcelo Cândido (PDT) ressaltou a experiência como prefeito de Suzano (SP).

Para a maioria dos eleitores, Bolsonaro e Alckmin são os favoritos para avançarem na disputa (Foto: Daniel Teixeira e Adriana Spaca/AE)

Nacional

Uma nova pesquisa sobre as intenções de voto à Presidência da República, divulgada na quarta-feira, 15, pelo Instituto Paraná, mostra que o deputado Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) devem se enfrentar no 2º turno, caso o ex-presidente Lula (PT) tenha sua candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. Questionados sobre percepção de quais candidatos vão para a segunda fase das eleições, 43,3% apostam em Bolsonaro e 26,7% no tucano. Neste quesito, Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com a expectativa de 21% dos eleitores. Em seguida aparece Marina Silva, com 20,7%, e Fernando Haddad (PT), provável substituto de Lula, tem 10,1% das apostas.  Mas nas intenções de voto, Lula, mesmo preso, ainda lidera com 30,8%, um crescimento de quase 2% na comparação com a pesquisa anterior feita pelo mesmo instituto. No cenário com Lula, Bolsonaro é o segundo colocado, com 22%, e Alckmin, que na pesquisa anterior tinha uma desvantagem de 3% para Marina Silva (Rede), viu a diferença para ela cair pela metade. Marina tem 8,1% das intenções de voto e ele 6,6%. No cenário sem Lula, Bolsonaro lidera com 23,9% das intenções de voto. Com a saída do ex-presidente da disputa, Marina Silva e Ciro Gomes (PDT) parecem receber parte de seu eleitorado, e ficam à frente do tucano. Marina chega a 13,2%, Ciro fica com 10,2% e Alckmin  8,5%. Esta é a primeira pesquisa divulgada após o debate realizado pela Rede Bandeirantes, na semana passada, e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o no BR-02891/2018. O levantamento foi feito com 2.002 eleitores, em 168 municípios brasileiros, entre os dias 9 e 13 de agosto de 2018. A margem de erro, para mais ou para menos, é de 2%.  

Alckmin e França possuem semelhanças em suas carreiras políticas (Foto: Arquivo/MN)

Opinião

Depois que alguns presidenciáveis apresentaram suas propostas para o País, no debate da semana passada, hoje é a vez de sete candidatos ao Governo do Estado de São Paulo fazerem o mesmo na Band, a partir da 22h. É uma grande chance para alguns deles saírem da obscuridade e mostrarem seus programas de gestão e, principalmente, seus rostos, para um eleitorado que não tem dado tanta atenção a eles. É uma brecha aberta inclusive para o governador Márcio França, que, embora no cargo desde abril –, quando Alckmin deixou o posto para concorrer à Presidência –, ainda luta para se fazer mais conhecido entre os eleitores, que podem dar a ele a chance de continuar ocupando o Palácio dos Bandeirantes, como chefe do Executivo. E o que não falta na história política paulista é a figura de vice que conseguiu alçar voo solo e ganhou o papel de protagonista. O próprio Alckmin é um destes, que, com o agravamento da doença de Mario Covas, em janeiro de 2001, assumiu interinamente o governo e, depois, ratificou nas urnas sua permanência. Há semelhanças entre os dois, como o fato de eles terem iniciado na política longe da Capital, sendo vereador e prefeito de suas respectivas cidades natais, depois deputado federal, até serem convidados para comporem a chapa que venceria o governo paulista. Mas, certamente, o desafio de França é bem maior do que aquele encarado por Alckmin, 16 anos atrás. A começar pelo enfrentamento com dois fortes concorrentes, que até outro dia era também seus aliados: Paulo Skaf e João Doria. O emedebista e o tucano lideram com folga a corrida ao Bandeirantes e, se nada mudar até 7 de outubro, estarão no segundo turno. E o problema do atual governador é justamente se interpor entre seus concorrentes. Terá a primeira chance hoje. Para isso precisa mostrar à audiência que é diferente de ambos, e dos demais, e que tem mais a oferecer. Só que do outro lado estarão dois experientes debatedores, já testados em eleições anteriores. Já França faz sua estreia em um programa deste nível. É mais um obstáculo para o político de São Vicente superar, se quiser seguir adiante na disputa.
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Vale a reflexão sobre o desarmamento no Brasil (Foto: Arquivo/ABR)

Opinião

Juntos, os hospitais filantrópicos, como é o caso das santas casas, acumulam uma dívida de R$ 21 bilhões (Foto: Edson Lopes Jr/ (Arquivo) – A2 Comunicações/Fotos Públicas)

Opinião

Excessos nas redes sociais podem ser prejudiciais (Foto: USP Imagens/Fotos Públicas)

Opinião

Alckmin e França possuem semelhanças em suas carreiras políticas (Foto: Arquivo/MN)

Opinião