14
Qua, Nov

SanSão coloca, frente a frente, Peixe em boa fase e Tricolor em busca do hepta (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Futebol

O Santos anunciou na manhã desta quarta-feira, 12, que os ingressos para o clássico que o time fará contra o São Paulo, no próximo domingo, 16, às 16 horas, na Vila Belmiro, estão esgotados. O confronto será válido pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, no qual o time santista ocupa a oitava posição, com 31 pontos.

O esgotamento dos bilhetes com bastante antecedência já era esperado, pois trata-se de um duelo contra um grande rival e a carga total de entradas foi de apenas 16 mil, sendo 11.500 colocadas à venda e outras 4.500 pertencentes a proprietários de cativas e camarotes. Por isso, as mesmas não podem ser comercializadas pelo clube.

Com uma semana de treinos para encarar o São Paulo, atual vice-líder do Brasileirão, o Santos vem embalado por uma vitória por 2 a 0 sobre o Paraná, obtida no último domingo, em Curitiba, e também contou com casa cheia em suas duas partidas anteriores na Vila Belmiro pela competição.

No primeiro destes duelos em seu estádio, o time comandado pelo técnico Cuca bateu o Sport por 3 a 0, em 18 de agosto. Uma semana depois, voltou a aproveitar bem o seu "alçapão" ao derrotar o Bahia por 2 a 0. E no último jogo que disputou como mandante pelo Campeonato Brasileiro, na quinta-feira passada, no Pacaembu, a equipe alvinegra não conseguiu passar de um empate por 0 a 0 com o Grêmio.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

O técnico Levir Culpi apontou que o clima político do Santos, que passará por eleições presidenciais no fim do ano, vem afetando o desempenho do time dentro de campo. Essa foi a avaliação do treinador após o empate por 1 a 1 com o Sport, na Ilha do Retiro, na noite de quinta-feira, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

“Tenho certeza. Já trabalhei em vários clubes que tinham o mesmo problema. As eleições serão em dezembro e vocês já sabem o que vai acontecer”, afirmou Levir, que não tem permanência assegurada no Santos para 2018 e indicou pessimismo nas suas palavras sobre a possibilidade de seguir à frente do time.

 

Ao mesmo tempo, porém, o treinador assegurou que há boa relação entre jogadores e membros da comissão técnica do Santos, apontando que o time segue firme na briga por uma vaga na edição de 2018 da Copa Libertadores. “O ambiente está bom no elenco, mas nós queremos classificar o time para a Libertadores”, disse.

 

O empate com o Sport foi o terceiro consecutivo do Santos no Brasileirão e o impediu de se aproximar do líder Corinthians, o deixando com 50 pontos, na quarta colocação, a nove do primeiro colocado. Questionado se a equipe ainda tem chances de alcançar o rival, Levir se irritou na sua entrevista coletiva no Recife.

 

“É uma resposta boba. O que você quer que eu responda?. O Corinthians está muito na frente. A gente pode alcançar, é muito difícil, mas é possível. Temos que acreditar no trabalho e buscar a vitória. A pergunta foi inteligente, mas não existe resposta”, concluiu.

 

O Santos voltará a jogar pelo Brasileirão no domingo, quando vai receber o Atlético Goianiense, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada.

Dorival cumprimenta Cueva pós-vitória sobre o CSA (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Esporte

O São Paulo venceu o CSA, de Alagoas, por 2 a 0, em jogo válido pela segunda fase da Copa do Brasil 2018, no estádio Rei Pelé, em Maceió, na noite desta quinta-feira (15). Para o técnico Dorival Júnior, a equipe tem evoluído, apesar do início de ano cansativo. 

Os gols foram marcados somente no segundo tempo pelos meias Nenê (3’, 2º) e Cueva (16’, 2º), garantindo acesso do tricolor na próxima fase do torneio - inédito no museu de troféus do Morumbi. A partida não foi de empolgar, principalmente no primeiro tempo, quando o SP procurava brechas na zaga do time da União e da Força. Porém, na segunda etapa, a equipe voltou mais consciente e conseguiu colocar em prática o que faz nos treinos.

“Voltamos para o segundo tempo mais conscientes. Isso foi importante para ter mais posse de bola. As jogadas que foram treinadas exaustivamente, as triangulações e conseguimos os gols. A marcação estava toda lá atrás, erramos nos passes, mas quando acertamos a movimentação, o Diego Souza saindo e alguém entrando no corredor, com uma marcação individualizada, começamos a atacar o espaço e a criar uma nova condição para o time”, disse Dorival.

Cueva comemorando gol contra o CSA Foto Rubens Chiri

Foto: Rubens Chiri - Divulgação São Paulo FC.NET

O comandante do time do Morumbi destacou o desgaste físico que o início de temporada causa. O São Paulo treinou por 10 dias e fez 8 jogos, o que dá uma média de três partidas por semana e embalou a quarta vitória consecutiva.

“Um jogo como este contra o CSA mostra tudo isso. As dificuldades do primeiro tempo e a mudança para segunda etapa. As críticas vão acontecer. Com 10 dias de treino não existe milagre. Se tem alguém a ser criticado não são os jogadores. Estamos no caminho certo. Vamos fazer um bom Paulista e uma boa Copa do Brasil”, completou o técnico.

O próximo compromisso da agenda do São Paulo é diante do Santos, às 17h, no Morumbi. Rodrigo Caio cumpre suspensão automática e Anderson Martins deve substituí-lo.

Volante fez o gol de pênalti que deu o título do Paulista para o Corinthians (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Após quatro meses de procura por um centroavante, o Corinthians está próximo de acertar a contratação de Roger, do Internacional. Resta apenas o atacante rescindir contrato com o time gaúcho para ficar livre e firmar um acordo com a equipe alvinegra, que tentou contratá-lo no ano passado, mas as conversas não foram adiante.

A informação foi confirmada pelo Estado com pessoas ligadas ao jogador. O Corinthians deve assinar contrato válido até o fim de 2019 com o jogador, mesmo período do vínculo que ele tem com o time gaúcho.

A diretoria do Corinthians busca por um centroavante desde a saída de Jô para o futebol japonês. O clube chegou a contratar Júnior Dutra, mas ele não se adaptou à posição, e ainda trouxe o jovem Matheus Matias, do ABC, mas na visão da comissão técnica, o menino de 19 anos ainda não está pronto para ser aproveitado.

Roger, de 33 anos, iniciou a carreira na Ponte Preta e teve passagens por São Paulo, Palmeiras, Ponte Preta, Al-Nassr, Sport, Fluminense, Vitória, Guarani, Kashiwa Reysol, Ceará, Sport, Atlético-PR, Suwon Bluewings, Chapecoense, Bahia, Red Bull, Botafogo e Internacional.

No ano passado, quando estava no Botafogo, ele deixou o clube após a diretoria alvinegra se recusar a pagar sua cirurgia. No Internacional, ele teve passagem discreta. Foram dois gols em 13 jogos.

Maycon

Por outro lado, o Timão deve mesmo vender o volante Maycon, que nem joga contra o Fluminense, neste domingo. Autor do gol decisivo nos pênaltis contra o Palmeiras, o atleta está próximo do Shaktar Donetsk, da Ucrânia. 

Corinthians, Palmeiras, Grêmio e Flamengo começam a competição como favoritos (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

A espera finalmente está terminando e, a partir deste sábado, às 16h, começa um dos principais torneios de futebol do mundo: o Campeonato Brasileiro. Novamente, como no ano passado, alguns times despontam como grandes favoritos ao título por conta do respeitável poder financeiro ou pela manutenção da espinha dorsal do elenco.

Um caso emblemático é o do surpreendente campeão Corinthians, apontado como a quarta força paulista em 2017. Mesmo não empolgando a torcida no início do ano, o Timão se sagrou bicampeão Paulista neste ano, contra o Palmeiras. O Verdão, aliás, foi também vice do Brasileirão no ano passado e deve vir com tudo para conquistar o certame em 2018.

O Flamengo, apesar de ainda buscar um treinador de peso, manteve bons jogadores, como Éverton Ribeiro e Diego, o que deve dar fôlego para disputar o torneio com afinco.

Campeão da Libertadores do ano passado, o Grêmio, obviamente, não poderia ser deixado de fora da lista. A equipe começou o ano dando susto no Gauchão, mas conquistou a competição com certa facilidade, inclusive vencendo o Internacional por 3 a 0 nas quartas de final.

Na briga pela Libertadores, as apostas do Metrô News são o campeão mineiro Cruzeiro, seu maior rival Atlético, os paulistas São Paulo e Santos, além do Atlético Paranaense, campeão estadual em 2018.

Sul-Americana deve ser alvo de cariocas

Os cariocas Vasco, Botafogo e Fluminense não iniciam a competição entre os favoritos, assim como Internacional e Chapecoense. A expectativa é que estes clubes figurem no meio da tabela, com direito à participação na Copa Sul-Americana. Representantes do Nordeste brasileiro, Ceará, Sport e Vitória não empolgam e devem brigar com Paraná e América-MG para não cair.    

Bahia pode ser surpresa e sonhar alto

Campeão baiano em cima do maior rival, o Bahia tem chances de surpreender no Brasileirão. O Esquadrão de Aço tem na Arena Fonte Nova uma forte arma contra os adversários, além de ser treinado pelo bom técnico Guto Ferreira e ter nomes como o goleiro Douglas e os meias Allione e Zé Rafael no elenco. 

CONFIRA A PRIMEIRA RODADA DO BRASILEIRÃO:

SÁBADO

 16h

 Cruzeiro x Grêmio – Mineirão

 19h

 Vitória x Flamengo –Barradão

 21h

 Santos x Ceará – Pacaembu

 

DOMINGO

 11h

 América-MG x Sport – Independência

 16h

 Corinthians x Fluminense – Arena Corinthians

Inter x Bahia – Beira-Rio

Vasco x Atlético-MG - São Januário

 19h

Atlético – PR x Chapecoense – Arena da Baixada

 20h

Botafogo x Palmeiras – Engenhão

SEGUNDA-FEIRA

20h

São Paulo x Paraná - Morumbi

 

 

 

 

 

Aguirre não contará com Rodrigo Caio e Cueva para o jogo contra o São Caetano, nesta terça-feira, no Morumbi (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Futebol

Com o calendário apertado, o São Paulo já enfrenta o São Caetano na terça-feira, 20, no Morumbi, às 21h, três dias após o jogo de ida, que terminou com vitória do time do ABC paulista por 1 a 0. Chiquinho marcou o gol do Azulão, aos 7 minutos do segundo tempo.

Após a partida do último sábado, 17, no Anacleto Campanella, o treinador Diego Aguirre falou do que o time precisa para avançar às semifinais do Campeonato Paulista-2018.

“Sabemos que o time está com dificuldades e temos que buscar opções com os jogadores que temos. Obviamente, temos que melhorar muito. Temos que trabalhar. A atuação me preocupa e eu sei que não é um bom momento, que temos que fazer muitas coisas para melhorar. Teremos que encontrar o nível de alguns jogadores que individualmente não estão dentro de suas possibilidades e temos que trabalhar com cada um deles para que possam jogar bem”, registrou o uruguaio.

O Tricolor mostrou apatia no jogo, algo que tem acontecido com frequência. Apesar do resultado negativo, o técnico do time do Morumbi acredita que a sua equipe possa melhorar. 

“Fico triste com o que aconteceu, mas é bom estar em campo já na terça-feira e esquecer essa atuação. Faltaram muitas coisas, mas eu preciso falar dos problemas da equipe com os jogadores. Vamos tentar melhorar no próximo jogo. Confio que vamos conseguir. Cada jogo é uma oportunidade para cada jogador, que pode aproveitar ou não”, disse Aguirre.

Cueva e Rodrigo Caio, convocados para suas seleções, desfalcam o SPFC na decisão das quartas de final. Bruno Alves ou Aderllan deve compor o setor defensivo, junto a Arboleda. Nenê deve fazer a função do ausente camisa 10.

O técnico tricolor foi chamado de "burro" por parte da torcida do São Paulo (Foto: Rubens Chiri/ São Paulo FC)

Futebol

O São Paulo foi derrotado para o Santos por 1 a 0, no Morumbi, neste domingo (18), em jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista. Apesar da impaciência de parte da torcida, o técnico Dorival Jr. destacou a evolução o time, deixando “um pouco” de lado o placar e o aproveitamento negativo da equipe em clássicos.

“O maior problema de uma equipe é não criar, mas temos criado e fizemos o mais difícil. Estamos muito próximos de um acerto nesse sentido, por isso continuo confiando no que está sendo desenvolvido. Fizemos um grande jogo, não temos que analisar unicamente o resultado, mesmo que quiséssemos demais. E buscamos”, analisou Dorival após derrota para seu ex-clube.

O tricolor paulista manteve 57% da posse de bola durante os 90 minutos, enquanto os santistas tiveram 43%. O time de Jair Ventura soube se posicionar sem a bola, priorizando a marcação e controlando os espaços do adversário. Gabriel foi feliz ao arriscar um tiro de fora da área e abrir o marcador.

Depois, foi mais do mesmo, o que irritou os 35 mil torcedores que compareceram ao Cícero Pompeu de Toleto. O São Paulo soube trabalhar a bola, mas encontrou dificuldades em furar a zaga bem armada pelo comandante do time da Baixada. A próxima partida do São Paulo é contra o Ituano, no estádio Novelli Júnior, em Itu, na quarta-feira (21), às 21h45.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

A solução dos problemas começa com um diálogo franco e aberto. Daí ser louvável a reunião agendada para hoje, em Brasília, entre o presidente eleito Jair Bolsonaro e os 27 novos governadores do País. Todos eles têm um grande desafio pela frente, mas, evidentemente, se trabalharem em parceria, e não boicotando o que pode ser bom para o Brasil, haverá grande chance de que os remédios necessários sejam encontrados e o trabalho seja bem feito. Os futuros chefes do Executivo estadual têm muito a contribuir com o presidente eleito. E, politicamente, também têm muito a ganhar, quando o projeto deste novo Brasil der certo. Percebe-se que, aos poucos, as nuvens negras de uma campanha desgastante vão se dissipando, a razão começa a prevalecer e, ao invés de torcer contra, é cada vez maior o número daqueles que preferem alimentar a esperança que a descrença. Aliás, uma célebre frase do escritor latino Públio Siro, diz que “quem perdeu a confiança não tem mais o que perder.” A hora não é para isso. Na verdade, o momento pede que se dê crédito aos novos condutores da Nação e que se guardem as pedras previamente preparadas para serem jogadas na vidraça. E muitos dos novos governadores estão dispostos a ajudar Bolsonaro, inclusive na aprovação da reforma da Previdência, essencial para o ajuste das contas públicas do País. Por sua vez, a maioria das Unidades da Federação também está com suas contas no vermelho, por gastarem mais do que arrecadam, e esperam suporte da União para manter a máquina funcionando. Relatório do Tesouro Nacional, por exemplo, apontou que 16 Estados mais o DF descumpriram a Lei de Responsabilidade Fiscal no ano passado, ao destinar mais de 60% da receita para o pagamento de salários e aposentadorias. Assim, sobra cada vez menos para serviços básicos, como segurança e educação. Os problemas são complexos, daí a necessidade do diálogo e da busca por novas perspectivas. E a reunião de hoje em Brasília, com Bolsonaro e os governadores, oferece exatamente esta oportunidade. Desde agora, a capacidade de cada um deles estará colocada à prova, mas já começam bem, buscando o apoio e o entendimento mútuo, ao invés da divisão pura e simples. No final, quem ganha mesmo com isso é o Brasil e os brasileiros. Ainda bem!

Futuro do Ministério do Trabalho ainda é incerto (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nacional

O ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), disse nesta quarta-feira, em entrevista à Rádio Gaúcha, que a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) trabalha com duas propostas para o futuro do Ministério do Trabalho. Em uma delas, parte das atribuições da pasta será transferia para o futuro ministério da Produção, como deverá se chamar o atual Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Em outra, essas funções seriam herdadas pelo futuro ministério da Cidadania. No primeiro modelo, o atual MDIC, que deve ceder a parte de comércio exterior para o futuro ministério da Economia, abrigaria as funções do Trabalho e também a secretaria de politicas públicas para o emprego. Já a concessão das cartas sindicais, que têm sido um "foco permanente de corrupção", para o futuro ministério da Justiça e da Segurança Pública, que será assumido pelo juiz Sérgio Moro no ano que vem. No segundo modelo, as funções do Trabalho vão para o ministério chamado Cidadania, que vai congregar desenvolvimento social, direitos humanos e ações para recuperar os dependentes de drogas. "Para sair de 30 ministérios para 15 ou 17, tem que fazer essa estruturação, e isso é bem complexo", comentou Lorenzoni.

"Não foi uma indicação de Toffoli. Eu ouço nessa área o general Heleno", disse Bolsonaro (Foto: Jose Cruz /Agencia Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse na tarde desta terça-feira, 13, que não consultou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, sobre a escolha do general da reserva Fernando Azevedo e Silva para ocupar a vaga de ministro da Defesa. Azevedo e Silva é um dos assessores de Toffoli no Supremo. "Não foi uma indicação de Toffoli. Eu ouço nessa área o general Heleno", disse Bolsonaro, referindo-se ao general Augusto Heleno Ribeiro, que será chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Bolsonaro anunciou Azevedo e Silva para a Defesa hoje cedo pelo Twitter. O novo indicado é amigo do presidente eleito desde os tempos do Exército. Governadores O presidente eleito confirmou presença amanhã no encontro que reunirá governadores dos Estados em Brasília. "Vou amanhã ao encontro dos governadores. O que eles querem eu também quero: dinheiro", disse ao chegar nesta tarde ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). Bolsonaro, no entanto, reclamou que o convite para a reunião não foi acertado com ele. "Essa reunião não foi tratada comigo e nem com Paulo Guedes (futuro ministro da Economia). Não sei quem teve a ideia. Acho que foi o governador Doria (João Doria, governador eleito do Estado de São Paulo), mas nós não vamos decepcionar os governadores". O presidente eleito disse que a equipe econômica de seu governo trabalhará pedidos de renegociação de dívida dos Estados, porém destacou que a situação é difícil. "O Orçamento está complicado, mas vamos ver o que for possível fazer nessa questão de renegociação", disse.

Célia será a secretária da Pessoa com Deficiência (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/AE)

Cidade

O governador eleito de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou ontem o primeiro nome tucano de seu secretariado: a deputada estadual Célia Leão (PSDB), da região de Campinas. Ela será secretária da Pessoa com Deficiência na administração estadual a partir de 2019. Célia foi colunista do Metrô News no ano passado, mas se afastou devido à Legislação Eleitoral. Além dela, que encerra seu sétimo mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo (não foi reeleita), Doria anunciou que o desembargador Paulo Dimas Mascaretti, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, será o secretário de Justiça. Dos nomes escolhidos até então para o secretariado de Doria, nenhum era do PSDB, o que gerou críticas do presidente da sigla em São Paulo, Pedro Tobias. “Acho estranho ele não ter indicado ninguém do PSDB. Doria precisa tratar o partido com mais carinho. O PSDB esteve ao lado dele na campanha”, disse o presidente estadual da legenda. Vinte e quatro anos depois de o PSDB chegar ao poder em São Paulo, o governador eleito está montando sua equipe sem consultar o partido, que já está fora dos principais cargos políticos do Palácio dos Bandeirantes.  A sigla tucana deixará de comandar, a partir de 2019, pastas estratégicas como a Casa Civil, que terá como titular Gilberto Kassab, presidente do PSD, e Secretaria de Governo, que terá suas atribuições absorvidas por Rodrigo Garcia (DEM). Na semana passada, Doria anunciou o médico José Henrique Germann, diretor Superintendente do Instituto de Consultoria e Gestão Albert Einstein, como secretário de Saúde, e Gustavo Junqueira, presidente da Sociedade Rural Brasileira, para Agricultura. *Com informações da Agência Estado
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião