20
Sáb, Out

Uruguaio Arrascaeta marcou o primeiro gol do Cruzeiro no Maracanã (Foto: Reprodução/Instagram)

Futebol


Organizado, coeso e eficiente, o Cruzeiro surpreendeu o Flamengo no Maracanã na noite desta quarta-feira e abriu boa vantagem no primeiro jogo das oitavas de final da Copa Libertadores. Com gols de Arrascaeta e Thiago Neves, o time mineiro derrotou o rival carioca por 2 a 0 e ficou muito confortável para decidir a vaga em casa no jogo da volta.

O Cruzeiro sobrou no Maracanã e dominou boa parte da primeira partida do mata-mata. O que se viu foi um time maduro, inteligente, compacto e eficaz, que implementou com precisão a estratégia do técnico Mano Menezes do começo ao final do jogo. Ao contrário do Flamengo, que, nervoso, se mostrou uma equipe frágil e deu os espaços que o rival queria para sair de campo com a vitória. Além disso, o time de Barbieri sentiu demais a ausência de Lucas Paquetá, suspenso, que deu lugar ao jovem Jean Lucas. O garoto teve má atuação e recebeu algumas vaias da torcida.



Os dois gols saíram de contra-ataques rápidos que foram iniciados a partir da pressão na saída de bola do Flamengo, que falhou demais individual e coletivamente, permitindo que os jogadores mais talentosos do Cruzeiro tivesse o tempo e o espaço necessários para construir as jogadas dos gols. O primeiro, logo aos seis minutos, saiu dos pés de Arrascaeta, com a tranquilidade de um centroavante ao bater na saída de Diego Alves. O segundo foi marcado por Thiago Neves, em lance de oportunismo, ao desviar chute forte de Lucas Silva já na etapa final.

O jogo da volta que define quem avança às quartas de final está marcado para o dia 29 deste mês, às 21h45, no Mineirão, em Belo Horizonte. Antes disso, os times se reencontram no domingo, às 16 horas, no Maracanã, em duelo da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a ótima vantagem adquirida no Maracanã, o time mineiro pode até perder por 1 a 0 que segue no torneio continental. O Fla precisa vencer por três gols de diferença ou devolver o placar da ida para levar a decisão da vaga às penalidades.

O JOGO - O inteligente Cruzeiro neutralizou o que o Flamengo tem de melhor no primeiro tempo e levou a melhor entre as propostas apresentadas. A estratégia de Mano Menezes, que consistia em marcação em cima da saída de bola para reduzir os espaços do adversário e contra-ataque rápido e, acima de tudo, bem organizado, foi cirurgicamente bem implementada pelos jogadores em campo.

Na frente, a organização do time mineiro, aliada à técnica do quarteto ofensivo e às falhas da retaguarda do time rubro-negro fez a diferença para o placar sair do zero.
Depois de alguns minutos de estudo e pouca ação, o Cruzeiro abriu o placar na primeira oportunidade que teve.

Aos nove minutos, Robinho girou dentro da área e encontrou Arrascaeta nas costas da zaga. O uruguaio, completamente livre, dominou e concluiu no canto direito de Diego Alves com a calma e a frieza de um camisa 9. O gol cedo facilitou a manutenção do plano de jogo da equipe mineira e deixou o Flamengo nervoso e exposto.

O time carioca passou a dar espaços, sobretudo pelo lado esquerdo da defesa. Foi por ali que Arrascaeta arrancou e teve todo o tempo necessário para acionar Robinho em velocidade na segunda trave. O meia tocou de primeira, ajeitando para Thiago Neves, que, quase debaixo do gol, fechou os olhos no cabeceio e mandou no travessão, perdendo um gol incrível.

Acuado e sob pressão, o Flamengo errou demais, tanto defensivamente quanto no momento ofensivo. Facilmente desestabilizado, os flamenguistas erraram passes fáceis no meio-campo e, carente do talento e da criatividade de Paquetá, tomaram decisões erradas quando subiam ao ataque. No lance de maior perigo, Uribe desviou escanteio na primeira trave e obrigou Fábio a ser ágil em sua defesa.

Na etapa final, a superioridade do Cruzeiro foi ainda maior. Enganou-se quem pensou que o Fla voltaria melhor e mais tranquilo. Barbieri até tentou mudar o panorama, colocando Vitinho e o menino Lincoln em campo. Em um time desorganizado e desestabilizado como poucas vezes se viu nesta temporada, os dois, porém, pouco produziram.

O que surtiu efeito foi a entrada de Raniel na vaga de Barcos. O jovem cruzeirense entrou disposto a incomodar a defesa flamenguista e quase marcou em chute de longa distância, que passou rente à trave direita de Diego Alves. Quem balançou as redes foi Thiago Neves. O meia, bem colocado, desviou arremate forte de Lucas Silva dentro da área aos 32 minutos e aumentou o placar. No lance, valeu a pressão dos cruzeirenses para roubar a bola de Cuéllar e ter calma e qualidade até chegar ao gol.

O prejuízo do Flamengo poderia ter sido ainda maior se não fosse Diego Alves. O goleiro foi decisivo e defendeu as conclusões de Raniel e Rafinha em contra-ataques rápidos conduzidos por Arrascaeta nos descontos. O uruguaio, em noite inspirada, deixou os dois companheiros na cara do gol.

No final, vaias da torcida rubro-negra, que entoou o tradicional "time sem vergonha", além de pedir raça e comprometimento aos jogadores.

BOCA EM VANTAGEM - Em outro duelo das oitavas da Libertadores nesta quarta-feira, o Boca Juniors, da Argentina, venceu o Libertad, do Paraguai, por 2 a 0, na Bombonera, em Buenos Aires. Ramon Ábila foi o nome do jogo.

Ex-Cruzeiro, o centroavante fez o primeiro gol e deu assistência para Zárate, em sua estreia pelo Boca, marcar o segundo e definir o placar que coloca o time argentino em boa condição. O confronto da volta será no dia 30 deste mês, às 19h30, no Defensores del Chaco, casa do Libertad, em Assunção, no Paraguai.


FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 0 x 2 CRUZEIRO

FLAMENGO - Diego Alves; Rodinei (Pará), Réver, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Jean Lucas (Vitinho), Éverton Ribeiro e Marlos (Lincoln); Uribe. Técnico: Maurício Barbieri.

CRUZEIRO - Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Rafinha), Thiago Neves (Ariel Cabral) e Arrascaeta; Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes.

GOLS - Arrascaeta, aos nove minutos do primeiro tempo. Thiago Neves, aos 32 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Cuéllar (Flamengo); Thiago Neves, Robinho (Cruzeiro).

ÁRBITRO - Nestor Pitana (Argentina).

RENDA - R$ 3.273.749,00.

PÚBLICO - 41.533 pagantes (45.967 no total).

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Apodi domina bola observado por rival do Nacional (Foto: Sirli Freitas / Fotos Públicas)

Futebol

A Chapecoense começou a segunda fase preliminar da Copa Libertadores da pior forma possível. Quarta-feira, 31, na Arena Condá, em Chapecó (SC), o time catarinense foi derrotado pelo Nacional, do Uruguai, por 1 a 0, e se complicou na briga por uma vaga na terceira e última etapa eliminatória antes da fase de grupos do torneio continental.

O time brasileiro precisa de uma vitória por, pelo menos, dois gols de diferença para avançar na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Centenário, em Montevidéu. O time catarinense até se classifica com uma vitória por um gol desde que marque mais de uma vez (2 a 1; 3 a 2; 4 a 3 e etc.). Os uruguaios jogam por qualquer empate.

Em falha grotesca da Chapecoense, o Nacional abriu o placar aos 28 minutos do segundo tempo. Bergessio escapou pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou pelo goleiro Jandrei e pelos zagueiros Fabrício Bruno e Douglas e sobrou limpa para Romero rolar para o fundo das redes.

 

Atleta deve ser inscrito no Paulista e Libertadores, mas não jogará clássico contra o Palmeiras (Reprodução/Instagram)

Futebol

O Corinthians anunciou a chegada do lateral esquerdo Sidcley, de 24 anos, que atuava pelo Atlético-PR, até o final do ano. Pelo atleta, o Timão cedeu, também por empréstimo, o volante Camacho ao time paranaense.

Capixaba, Sidcley, curiosamente, vai disputar uma vaga na equipe titular com Juninho Capixaba, que chegou do Bahia em janeiro. O atual camisa 6 corintiano falhou no último jogo, contra o Red Bull, quando chegou a fazer o gol contra que deu o empate ao time de Campinas.

Com o anúncio nesta sexta, o Corinthians deve inscrever Sidcley no Campeonato Paulista e na Taça Libertadores. No entanto, o atleta não será relacionado para o clássico contra o Palmeiras, neste sábado, 24, em Itaquera. Além do Atlético-PR, o lateral passou por São Caetano e Catanduvense. Foi campeão paranaense em 2016.

Guilherme Romão, até então reserva de Juninho Capixaba e titular na estreia do Timão na temporada contra a Ponte – jogo em que foi expulso -, foi emprestado para o Oeste.  

Atleta foi o principal responsável pela classificação do Vasco (Foto: Reprodução/ Facebook)

Futebol

O goleiro uruguaio Martín Silva evitou um vexame histórico para o Vasco, na noite desta quarta-feira, 21, em Sucre.

Pelo segundo mata-mata da Pré-Libertadores, o time carioca havia vencido o boliviano Jorge Wilstermann por 4 a 0, em São Januário, na semana passada. No entanto, perdeu pelo mesmo placar na Bolívia e precisou dos pênaltis para avançar à fase de grupos da competição continental.

Nas penalidades, Martín Silva brilhou e defendeu três cobranças. Após a atuação de gala, o uruguaio foi “transformado” em santo, herói e até ministro da defesa na web. Confira as imagens:

Martin Silva Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Até o canal Fox Sports se rendeu aos "milagres de San Martín".

Martin Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Martin Vasco Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

 

Atacante marcou 10 gols pelo ABC em 2018 (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians anunciou na manhã desta quarta-feira, 21, a contratação do atacante Matheus Mathias, de 19 anos. 

O atleta, revelado pelo ABC, do Rio Grande do Norte, é o artilheiro da temporada no Brasil, com 10 gols marcados. O vínculo do jogador com o Timão vai até 2022.

“É uma emoção que não tem explicação. Espero fazer o que eu vinha fazendo e dar muita alegria para a torcida”, disse Matheus ao site oficial do clube.

Nesta terça-feira, 20, o Corinthians apresentou o volante Ralf, multicampeão pela equipe entre os anos de 2011 e 2015. Na segunda, o clube oficializou a chegada do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta.

 

 

Defensor atuava pela Ponte Preta e fez gol no Corinthians na final do Paulista - 2017 (Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians oficializou na manhã desta segunda-feira (19) a contratação do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta. Ele assinou acordo para defender o seu novo time por quatro temporadas. O atletar de 25 anos já vinha realizando atividades físicas no CT Joaquim Grava, em São Paulo, e dependia apenas de ser aprovado nos exames médicos para ser confirmado como reforço

O Corinthians pagará R$ 1 milhão por 50% dos direitos econômicos do atleta, que pertenciam ao Cianorte, do Paraná. Revelado pelo Cruzeiro, o jogador comemorou o acerto enquanto assinava os papéis de seu contrato.

"Torcida corintiana, estamos juntos! Estou bastante feliz e mais motivado ainda para vestir essa camisa. Pode ter certeza de que vou dar a minha vida por este clube", afirmou o jogador, por meio de um vídeo reproduzido pelo Corinthians em sua página no Twitter, rede social na qual o atleta também aparece em outra publicação vestindo o uniforme da equipe.

Carioca, Marllon tem 1,86m de estatura e em sua carreira profissional atuou por Cruzeiro, Bangu, Flamengo, Duque de Caxias, Boavista, Rio Claro, Santa Cruz, Capivariano, Atlético Goianiense, Cianorte e Ponte Preta. Os seus principais títulos foram a Copa São Paulo de Futebol Júnior, conquistado com o time flamenguista, em 2011, e a Série B do Brasileiro de 2016, pelo Atlético-GO, quando também foi eleito o melhor zagueiro daquela edição da competição.

Instalação é feita para atletas treinarem em melhores condições (Foto: Marivaldo Oliveira/AE)

Cidade

O muro de vidro, de 2,2 quilômetros de extensão, que deverá liberar a visão para a Raia Olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na Marginal do Pinheiros, está em fase final de construção e deve ser entregue até o fim de março. Nos próximos dias, a atual mureta de concreto deverá ser demolida.


Onde hoje fica a mureta de concreto começará a ser instalada uma calçada verde, com gramado entre as pistas da Marginal, sentido Interlagos, em um trabalho de paisagismo. Haverá um recuo entre a nova mureta transparente e as faixas de rolamento. O vidro é temperado, com dez milímetros de espessura e película de proteção.


O projeto foi apresentado em junho do ano passado. Em maio, inicialmente, a gestão João Doria (PSDB) havia proposto uma grade, mas foi levantado o problema de aumento de barulho e poluição do ar para os atletas que usam a raia. A solução foi a mureta de vidro, orçada em R$ 15 milhões, com custo pago por 12 empresas privadas – entre operadores de saúde e instaladores desse tipo de mureta

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de toda a riqueza produzida no País, foi de 1%. O avanço parece pequeno, mas foi muito comemorado depois de dois anos seguidos de queda. Talvez isso tenha contaminado os especialistas, que começaram 2018 otimistas, apostando que este importante marcador da economia chegaria a 2,7%. Essa percepção foi se atenuando ao longo dos meses e, atualmente, a previsão é de que, ao fechar dezembro, alcance 1,5%, o que não seria desprezível. Até lá, isso é um problema para a equipe econômica de Michel Temer. Mas, e para 2019, com qual margem de crescimento trabalham o estafe dos dois presidenciáveis? O leitor já perguntou isso para o seu candidato? Em meio a campanhas empobrecidas, até aqui os postulantes à Presidência da República não têm dado muita importância à difícil tarefa de oferecer soluções factíveis para os problemas reais da Nação. Certamente um tópico que interessa diretamente a pelo menos 13 milhões de brasileiros é saber qual a meta de criação de emprego para o ano que vem ou para os próximos quatro? Henrique Meirelles, por exemplo, saiu da disputa, mas tornou célebre a promessa de abrir 10 milhões de postos de trabalho durante seu mandato, se fosse eleito. Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, por enquanto, não externaram um número, mas devem saber que esta é uma questão central. Se o tema preocupa a eles, então deveriam responder qual é a receita deles para combater o desemprego. Para isso, não é segredo, vão precisar movimentar a economia novamente. Mas não em marcha lenta, que é o estado em que se encontra atualmente. O País precisa de um motor de crescimento poderoso, e alguém precisará vir a público e explicar se este será o próprio governo, por intermédio de investimento público, principalmente em infraestrutura; o setor privado, apostando no agronegócio ou na indústria nacional; ou simplesmente as famílias, que com uma injeção de otimismo se sentiriam mais confiantes em consumir e, assim, dariam início a um círculo virtuoso, de mais compra, mais fabricação, mais necessidade de mão de obra. E se o assunto é trabalho formal, porque não falar em salário mínimo. A previsão inicial para 2019 é de aumento dos atuais R$ 954 para R$ 1.006. Será confirmada? Tantas perguntas mais importantes para discutir e por enquanto ficamos na sessão de perfumaria.

Candidato do PSL mantém grande vantagem sobre adversário (Fotos: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABR e Ricardo Stucket/Fotos Públicas)

Nacional

A segunda pesquisa Datafolha do segundo turno da eleição presidencial mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) se manteve à frente de Fernando Haddad (PT). O capitão reformado do Exército passou de 58% para 59% das intenções de voto válidas em relação ao levantamento da semana passada, enquanto o petista foi de 42% para 41%. Considerando os votos totais, Bolsonaro tem 50%, contra 35% de Haddad. Brancos e nulos somaram 10% e indecisos, 5%. A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. Rejeição A rejeição ao candidato Fernando Haddad (PT) superou a de Jair Bolsonaro (PSL) no último levantamento realizado pelo Datafolha para o segundo turno das eleições deste ano. Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não votaria de jeito nenhum no petista, contra 41% para o capitão do Exército.Considerando os votos por região, Bolsonaro continua vencendo em todas, exceção feita ao Nordeste, onde Haddad tem 53% das intenções de voto, contra 31% do capitão reformado do Exército. No Sudeste, região mais populosa do País, o presidenciável do PSL bate o petista por 55% a 29%. No sul, a diferença chega a 61% contra 27%.A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. 

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Desde 2013, o Ibope realiza a Pesquisa Brasileira de Mídia, a pedido do governo federal. O objetivo é saber por quais meios os brasileiros se informam. Desde o início, o estudo – que é feito nacionalmente e com uma amostra de cerca de 15 mil pessoas, distribuídas por todas as Unidades da Federação – revela a prevalência da TV sobre os demais meios. Mas, desde 2016 (último ano da análise, publicada em 2017) há evidências do avanço da Internet, que se consolidou como o segundo meio de comunicação mais usado (49% da amostragem), ameaçando inclusive a soberania televisiva (89%). A soma é superior a 100% porque se pode indicar mais de uma opção. E as eleições deste ano reforçam o poder da internet e dos meios digitais. Para o bem ou para o mal, estas formas se cristalizaram como o caminho preferido de muitos brasileiros para o consumo de notícias. E não são poucos aqueles que fazem isso de modo exclusivo, bebendo apenas na fonte de sites, blogues, aplicativos e redes sociais. E, ainda que estes não sejam maioria, dedicam mais tempo nestes acessos. Enquanto o tempo médio em frente à TV é de três horas e 21 minutos, entre aqueles que utilizam a web (segundo a mesma pesquisa Ibope) é de quatro horas e 40 minutos, superando seis horas entre o público de 16 a 24 anos. Mais importante que a quantidade de informação disponível na web e redes sociais são a relevância e qualidade do conteúdo oferecido. Evidentemente, no universo digital há muitas empresas e grupos sérios, que primam pela credibilidade do que oferta. No entanto, há um sem número de virulentos guetos, que servem de fábrica para as fake news. Assim, nunca é demais ressaltar que estar na internet, Facebook ou WhatsApp não representa selo de veracidade. Ainda são os meios tradicionais que têm o compromisso com a verdade, por não sair noticiando o que não foi confirmado. Falta isso nos rincões digitais. E até que se separe o joio do trigo, esta revolução representará não um avanço, mas um retrocesso. Nesta nova era, a verdade já não basta para a formação da opinião pública, nem é antídoto à manipulação. Agora se consome aquilo em que se quer acreditar, acriticamente e ainda que falso, desprezando o que vai contra as próprias convicções. A isso se convencionou chamar de “pós-verdade”.

Mais uma pesquisa dá empate técnico entre os dois oponentes (Fotos: Klaus Silva /TJSP/ Fotos Públicas e Reprodução/Twitter)

Cidade

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) estão tecnicamente empatados na disputa para o segundo turno, aponta a mais recente pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão divulgada nesta quarta-feira, 17. Doria tem 52% dos votos válidos - quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos - e Márcio França, 48%. A margem de erro é de três pontos porcentuais. É a primeira pesquisa Ibope para o governo de São Paulo neste segundo turno das eleições 2018. Se considerados os votos totais, Doria tem 46% das menções e França, 42%. Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou nulo são 10%; 2% não sabem ou preferiram não responder. A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 17 de outubro. Na intenção de voto espontânea, na qual os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Doria aparece com 28% das intenções de voto, também empatado tecnicamente com França, que tem 26%. Neste caso, os indecisos são um quarto dos entrevistados. Outros 15% manifestam a intenção de votar branco ou nulo, e 6% disseram nomes diferentes, que não estão na disputa. A rejeição de Doria é a maior - 32% apontaram que não votariam nele de jeito nenhum. A de França, que vinha se mantendo baixa no primeiro turno - subiu e agora está em 20%. No dia 6 de outubro, véspera do primeiro turno, era de 9%. Também chama a atenção a quantidade de eleitores que não os conhecem - 18% disseram não conhecer Doria o suficiente para opinar. No caso de França, o número é de 28%. A pesquisa ouviu 1.512 votantes e a margem de erro estimada é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95% - esta é a chance de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o protocolo Nº SP-07777/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-BR-07265/2018.
or
or

Articulistas

Colunistas

Nem o diabo, que é o pai da mentira (Jo 8:44), deve acreditar que existam socialistas cristãos (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Decisão do STF preserva direito de trabalho à grávida, mesmo se ela desconhecer a gestação (Foto: André Borges/Agência Brasília/Fotos Públicas)

Opinião

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião