14
Qua, Nov

Uma vitória simples de 1 a 0, na Arena do Grêmio, classificará o Tricolor gaúcho (Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA)

Futebol

O Grêmio lutou até o fim na noite desta terça-feira, 7, mas não conseguiu evitar a derrota por 2 a 1 para o Estudiantes, no estádio Ciudad de Quilmes, em Quilmes, pela ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Os argentinos chegaram a abrir 2 a 0 no placar, mas o Grêmio descontou ainda no primeiro tempo, com gol do zagueiro Kannemann.

No entanto, o time brasileiro não conseguiu aproveitar a vantagem de jogar com um a mais em campo nos últimos 15 minutos da partida, em razão da expulsão de Zuqui. Os brasileiros impuseram pressão, criaram boas oportunidades de gol, mas não tiveram sucesso.

Mesmo assim, o clima não era de desânimo na saída de campo. Com o gol marcado fora de casa, o Grêmio poderá sacramentar a classificação às quartas de final com uma vitória por 1 a 0, diante de sua torcida, na partida da volta.

O novo duelo contra o Estudiantes está marcado somente para o dia 28, na Arena Grêmio. Quem se classificar vai enfrentar nas quartas de final da Libertadores o vencedor do duelo entre o Atlético Tucumán, da Argentina, e o Atlético Nacional, da Colômbia.

O JOGO

Poupando titulares nas demais competições por estar focado na Libertadores, o técnico Renato Gaúcho surpreendeu ao escalar Pepê no setor ofensivo na vaga do machucado Everton, quando a expectativa da torcida era de que ele ficaria entre Marinho e Alisson. André, Ramiro e Luan completavam o ataque.

Favorito no confronto, o time brasileiro não se intimidou com a torcida contra e tomou a iniciativa nos primeiros minutos. Mas, apesar de uma boa chance perdida por André, não chegou a assustar. Sem força no ataque, errou na defesa. E viu o Estudiantes abrir o placar aos 8 minutos, quando Apaolaza, de 21 anos, acertou belo chute de fora da área e balançou as redes.

A resposta gremista foi modesta. Aos 13, Cícero cabeceou com perigo, mas o goleiro Andujar fez a defesa com tranquilidade. Travado em suas investidas, o time gaúcho não conseguia ameaçar. O nervosismo, aumentando a cada minuto, culminou numa breve confusão envolvendo jogadores das duas equipes, sem maiores consequências para ambos.

Exibindo grande precisão em suas poucas investidas no ataque, o Estudiantes ampliou aos 37. Após cobrança de escanteio na área, Campi se antecipou à marcação na primeira trave e cabeceou para as redes. A situação só não ficou mais complicada para o atual campeão porque, aos 43, Kannemann pegou rebote do goleiro, após escanteio, e diminuiu o placar.

Depois dos sustos na etapa inicial, o Grêmio voltou mais aguerrido para o segundo tempo. Aos 3, os gaúchos já desperdiçavam grande chance de empatar. André disparou pela direita, entrou na área e bateu rente ao pé da trave.

Ainda insatisfeito com o rendimento de sua equipe, Renato Gaúcho colocou Jael e Marinho em campo. Aos 21, Cícero desperdiçou outra boa chance dos visitantes ao pegar mal na bola quase na pequena área.

A partir dos 31 minutos, o jogo passou a ser mais favorável para a equipe brasileira. Isso porque o volante Fernando Zuqui levou o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Quase ao mesmo tempo, o Grêmio perdia Luan, machucado. Douglas entrou em sua posição.

E, a partir daí, o time brasileiro se mandou para o ataque na tentativa de arrancar o empate. A pressão durou até os instantes finais. Mesmo com um a mais em campo, o Grêmio não conseguiu buscar a igualdade neste jogo de ida das oitavas de final.

Confira os gols a partida




FICHA TÉCNICA

ESTUDIANTES 2 x 1 GRÊMIO

ESTUDIANTES - Mariano Andújar; Facundo Sánchez, Jonatan Schunke, Gastón Campi e Iván Erquiaga (Fabián Noguera); Fernando Zuqui, Iván Gómez e Lucas Rodríguez; Pablo Lugüercio (Lattanzio), Francisco Apaolaza e Matías Pellegrini (Cascini). Técnico: Leandro Benítez.

GRÊMIO - Marcelo Grohe; Léo Moura, Kannemann, Pedro Geromel e Marcelo Oliveira; Cícero, Maicon, Ramiro, Luan (Douglas) e Pepê (Marinho); André (Jael). Técnico: Renato Gaúcho.

GOLS - Apaolaza, aos 8, Campi, aos 37, e Kannemann, aos 43 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Maicon, Kannemann, Lucas Rodríguez, Erquiaga, Sánchez.

CARTÃO VERMELHO - Zuqui.

ÁRBITRO - Andrés Cunha (Uruguai).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Ciudad de Quilmes, em Quilmes (Argentina).

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Apodi domina bola observado por rival do Nacional (Foto: Sirli Freitas / Fotos Públicas)

Futebol

A Chapecoense começou a segunda fase preliminar da Copa Libertadores da pior forma possível. Quarta-feira, 31, na Arena Condá, em Chapecó (SC), o time catarinense foi derrotado pelo Nacional, do Uruguai, por 1 a 0, e se complicou na briga por uma vaga na terceira e última etapa eliminatória antes da fase de grupos do torneio continental.

O time brasileiro precisa de uma vitória por, pelo menos, dois gols de diferença para avançar na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Centenário, em Montevidéu. O time catarinense até se classifica com uma vitória por um gol desde que marque mais de uma vez (2 a 1; 3 a 2; 4 a 3 e etc.). Os uruguaios jogam por qualquer empate.

Em falha grotesca da Chapecoense, o Nacional abriu o placar aos 28 minutos do segundo tempo. Bergessio escapou pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou pelo goleiro Jandrei e pelos zagueiros Fabrício Bruno e Douglas e sobrou limpa para Romero rolar para o fundo das redes.

 

Para treinador palmeirense, enfrentar o Corinthians é diferente (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

O técnico Roger Machado vai comandar o Palmeiras pela primeira vez em um clássico contra o Corinthians, neste sábado, às 17h, em Itaquera, em jogo válido pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Acostumado com a rivalidade no Rio Grande do Sul, da época em que defendeu o Grêmio como atleta e treinador, Roger afirmou que o dérbi paulistano não pode ser considerado uma partida normal.

“Um jogo diferente, não dá para classificar como um jogo normal. Mas temos de entender que é um clássico de uma fase classificatória do Paulista, podemos ter outros depois ou não. Temos de saber o momento em que está sendo jogado”, analisou..

Roger não quis assumir a condição de favorito e nem quis jogar a responsabilidade para o rival. “Acho que não tem favorito. É o atual campeão paulista e brasileiro jogando em casa contra um adversário que está invicto na competição e tem um grande grupo que planeja coisas boas para o ano. Isso tudo poderia valer em um outro momento, com outro time, mas sabemos que a vantagem acaba sendo tirada no clássico. Não vejo favorito, será uma disputa aberta e qualquer um pode vencer”, avaliou.

Com os prováveis retornos de Borja e Felipe Melo, o técnico disse que houve tempo suficiente para se preparar ao clássico. O Palmeiras ainda não foi derrotado na temporada, com seis vitórias e dois empates no Campeonato Paulista. Depois do dérbi, o Verdão estreia na Libertadores, contra o Junior Barranquilla, na próxima quinta, 1º, às 21h30.

 “A semana de trabalho foi muito boa, demos prosseguimento ao planejamento de treinamento do time. Na semana cheia, a gente costuma trabalhar as correções, mas sempre dando continuidade com relação à montagem da equipe”, concluiu. 

Atleta deve ser inscrito no Paulista e Libertadores, mas não jogará clássico contra o Palmeiras (Reprodução/Instagram)

Futebol

O Corinthians anunciou a chegada do lateral esquerdo Sidcley, de 24 anos, que atuava pelo Atlético-PR, até o final do ano. Pelo atleta, o Timão cedeu, também por empréstimo, o volante Camacho ao time paranaense.

Capixaba, Sidcley, curiosamente, vai disputar uma vaga na equipe titular com Juninho Capixaba, que chegou do Bahia em janeiro. O atual camisa 6 corintiano falhou no último jogo, contra o Red Bull, quando chegou a fazer o gol contra que deu o empate ao time de Campinas.

Com o anúncio nesta sexta, o Corinthians deve inscrever Sidcley no Campeonato Paulista e na Taça Libertadores. No entanto, o atleta não será relacionado para o clássico contra o Palmeiras, neste sábado, 24, em Itaquera. Além do Atlético-PR, o lateral passou por São Caetano e Catanduvense. Foi campeão paranaense em 2016.

Guilherme Romão, até então reserva de Juninho Capixaba e titular na estreia do Timão na temporada contra a Ponte – jogo em que foi expulso -, foi emprestado para o Oeste.  

Atleta foi o principal responsável pela classificação do Vasco (Foto: Reprodução/ Facebook)

Futebol

O goleiro uruguaio Martín Silva evitou um vexame histórico para o Vasco, na noite desta quarta-feira, 21, em Sucre.

Pelo segundo mata-mata da Pré-Libertadores, o time carioca havia vencido o boliviano Jorge Wilstermann por 4 a 0, em São Januário, na semana passada. No entanto, perdeu pelo mesmo placar na Bolívia e precisou dos pênaltis para avançar à fase de grupos da competição continental.

Nas penalidades, Martín Silva brilhou e defendeu três cobranças. Após a atuação de gala, o uruguaio foi “transformado” em santo, herói e até ministro da defesa na web. Confira as imagens:

Martin Silva Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Até o canal Fox Sports se rendeu aos "milagres de San Martín".

Martin Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Martin Vasco Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

 

Atacante marcou 10 gols pelo ABC em 2018 (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians anunciou na manhã desta quarta-feira, 21, a contratação do atacante Matheus Mathias, de 19 anos. 

O atleta, revelado pelo ABC, do Rio Grande do Norte, é o artilheiro da temporada no Brasil, com 10 gols marcados. O vínculo do jogador com o Timão vai até 2022.

“É uma emoção que não tem explicação. Espero fazer o que eu vinha fazendo e dar muita alegria para a torcida”, disse Matheus ao site oficial do clube.

Nesta terça-feira, 20, o Corinthians apresentou o volante Ralf, multicampeão pela equipe entre os anos de 2011 e 2015. Na segunda, o clube oficializou a chegada do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta.

 

 

Defensor atuava pela Ponte Preta e fez gol no Corinthians na final do Paulista - 2017 (Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians oficializou na manhã desta segunda-feira (19) a contratação do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta. Ele assinou acordo para defender o seu novo time por quatro temporadas. O atletar de 25 anos já vinha realizando atividades físicas no CT Joaquim Grava, em São Paulo, e dependia apenas de ser aprovado nos exames médicos para ser confirmado como reforço

O Corinthians pagará R$ 1 milhão por 50% dos direitos econômicos do atleta, que pertenciam ao Cianorte, do Paraná. Revelado pelo Cruzeiro, o jogador comemorou o acerto enquanto assinava os papéis de seu contrato.

"Torcida corintiana, estamos juntos! Estou bastante feliz e mais motivado ainda para vestir essa camisa. Pode ter certeza de que vou dar a minha vida por este clube", afirmou o jogador, por meio de um vídeo reproduzido pelo Corinthians em sua página no Twitter, rede social na qual o atleta também aparece em outra publicação vestindo o uniforme da equipe.

Carioca, Marllon tem 1,86m de estatura e em sua carreira profissional atuou por Cruzeiro, Bangu, Flamengo, Duque de Caxias, Boavista, Rio Claro, Santa Cruz, Capivariano, Atlético Goianiense, Cianorte e Ponte Preta. Os seus principais títulos foram a Copa São Paulo de Futebol Júnior, conquistado com o time flamenguista, em 2011, e a Série B do Brasileiro de 2016, pelo Atlético-GO, quando também foi eleito o melhor zagueiro daquela edição da competição.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

A solução dos problemas começa com um diálogo franco e aberto. Daí ser louvável a reunião agendada para hoje, em Brasília, entre o presidente eleito Jair Bolsonaro e os 27 novos governadores do País. Todos eles têm um grande desafio pela frente, mas, evidentemente, se trabalharem em parceria, e não boicotando o que pode ser bom para o Brasil, haverá grande chance de que os remédios necessários sejam encontrados e o trabalho seja bem feito. Os futuros chefes do Executivo estadual têm muito a contribuir com o presidente eleito. E, politicamente, também têm muito a ganhar, quando o projeto deste novo Brasil der certo. Percebe-se que, aos poucos, as nuvens negras de uma campanha desgastante vão se dissipando, a razão começa a prevalecer e, ao invés de torcer contra, é cada vez maior o número daqueles que preferem alimentar a esperança que a descrença. Aliás, uma célebre frase do escritor latino Públio Siro, diz que “quem perdeu a confiança não tem mais o que perder.” A hora não é para isso. Na verdade, o momento pede que se dê crédito aos novos condutores da Nação e que se guardem as pedras previamente preparadas para serem jogadas na vidraça. E muitos dos novos governadores estão dispostos a ajudar Bolsonaro, inclusive na aprovação da reforma da Previdência, essencial para o ajuste das contas públicas do País. Por sua vez, a maioria das Unidades da Federação também está com suas contas no vermelho, por gastarem mais do que arrecadam, e esperam suporte da União para manter a máquina funcionando. Relatório do Tesouro Nacional, por exemplo, apontou que 16 Estados mais o DF descumpriram a Lei de Responsabilidade Fiscal no ano passado, ao destinar mais de 60% da receita para o pagamento de salários e aposentadorias. Assim, sobra cada vez menos para serviços básicos, como segurança e educação. Os problemas são complexos, daí a necessidade do diálogo e da busca por novas perspectivas. E a reunião de hoje em Brasília, com Bolsonaro e os governadores, oferece exatamente esta oportunidade. Desde agora, a capacidade de cada um deles estará colocada à prova, mas já começam bem, buscando o apoio e o entendimento mútuo, ao invés da divisão pura e simples. No final, quem ganha mesmo com isso é o Brasil e os brasileiros. Ainda bem!

Futuro do Ministério do Trabalho ainda é incerto (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nacional

O ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), disse nesta quarta-feira, em entrevista à Rádio Gaúcha, que a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) trabalha com duas propostas para o futuro do Ministério do Trabalho. Em uma delas, parte das atribuições da pasta será transferia para o futuro ministério da Produção, como deverá se chamar o atual Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Em outra, essas funções seriam herdadas pelo futuro ministério da Cidadania. No primeiro modelo, o atual MDIC, que deve ceder a parte de comércio exterior para o futuro ministério da Economia, abrigaria as funções do Trabalho e também a secretaria de politicas públicas para o emprego. Já a concessão das cartas sindicais, que têm sido um "foco permanente de corrupção", para o futuro ministério da Justiça e da Segurança Pública, que será assumido pelo juiz Sérgio Moro no ano que vem. No segundo modelo, as funções do Trabalho vão para o ministério chamado Cidadania, que vai congregar desenvolvimento social, direitos humanos e ações para recuperar os dependentes de drogas. "Para sair de 30 ministérios para 15 ou 17, tem que fazer essa estruturação, e isso é bem complexo", comentou Lorenzoni.

"Não foi uma indicação de Toffoli. Eu ouço nessa área o general Heleno", disse Bolsonaro (Foto: Jose Cruz /Agencia Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse na tarde desta terça-feira, 13, que não consultou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, sobre a escolha do general da reserva Fernando Azevedo e Silva para ocupar a vaga de ministro da Defesa. Azevedo e Silva é um dos assessores de Toffoli no Supremo. "Não foi uma indicação de Toffoli. Eu ouço nessa área o general Heleno", disse Bolsonaro, referindo-se ao general Augusto Heleno Ribeiro, que será chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Bolsonaro anunciou Azevedo e Silva para a Defesa hoje cedo pelo Twitter. O novo indicado é amigo do presidente eleito desde os tempos do Exército. Governadores O presidente eleito confirmou presença amanhã no encontro que reunirá governadores dos Estados em Brasília. "Vou amanhã ao encontro dos governadores. O que eles querem eu também quero: dinheiro", disse ao chegar nesta tarde ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). Bolsonaro, no entanto, reclamou que o convite para a reunião não foi acertado com ele. "Essa reunião não foi tratada comigo e nem com Paulo Guedes (futuro ministro da Economia). Não sei quem teve a ideia. Acho que foi o governador Doria (João Doria, governador eleito do Estado de São Paulo), mas nós não vamos decepcionar os governadores". O presidente eleito disse que a equipe econômica de seu governo trabalhará pedidos de renegociação de dívida dos Estados, porém destacou que a situação é difícil. "O Orçamento está complicado, mas vamos ver o que for possível fazer nessa questão de renegociação", disse.

Célia será a secretária da Pessoa com Deficiência (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/AE)

Cidade

O governador eleito de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou ontem o primeiro nome tucano de seu secretariado: a deputada estadual Célia Leão (PSDB), da região de Campinas. Ela será secretária da Pessoa com Deficiência na administração estadual a partir de 2019. Célia foi colunista do Metrô News no ano passado, mas se afastou devido à Legislação Eleitoral. Além dela, que encerra seu sétimo mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo (não foi reeleita), Doria anunciou que o desembargador Paulo Dimas Mascaretti, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, será o secretário de Justiça. Dos nomes escolhidos até então para o secretariado de Doria, nenhum era do PSDB, o que gerou críticas do presidente da sigla em São Paulo, Pedro Tobias. “Acho estranho ele não ter indicado ninguém do PSDB. Doria precisa tratar o partido com mais carinho. O PSDB esteve ao lado dele na campanha”, disse o presidente estadual da legenda. Vinte e quatro anos depois de o PSDB chegar ao poder em São Paulo, o governador eleito está montando sua equipe sem consultar o partido, que já está fora dos principais cargos políticos do Palácio dos Bandeirantes.  A sigla tucana deixará de comandar, a partir de 2019, pastas estratégicas como a Casa Civil, que terá como titular Gilberto Kassab, presidente do PSD, e Secretaria de Governo, que terá suas atribuições absorvidas por Rodrigo Garcia (DEM). Na semana passada, Doria anunciou o médico José Henrique Germann, diretor Superintendente do Instituto de Consultoria e Gestão Albert Einstein, como secretário de Saúde, e Gustavo Junqueira, presidente da Sociedade Rural Brasileira, para Agricultura. *Com informações da Agência Estado
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião