19
Sex, Out

Centroavante brilhou em Assunção (Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras/Divulgação)

Futebol


Felipão, Borja e Libertadores. A combinação começou bastante promissora para o Palmeiras na noite desta quinta-feira. O time mostrou espírito copeiro, poder de decisão e conquistou um ótimo resultado no Paraguai, onde bateu o Cerro Porteño por 2 a 0 e encaminhou a classificação às quartas de final da competição.

No jogo de volta, no dia 30, no Allianz Parque, a equipe alviverde pode perder até por um gol de diferença. O vitorioso deste confronto vai enfrentar nas quartas de final o vencedor do duelo entre Corinthians e Colo-Colo.

A postura séria e decidida da equipe sobre como enfrentar um jogo eliminatório foi testada desde o início. O árbitro mostrou cartão amarelo para Moisés logo no primeiro lance. O Palmeiras mostrou não se enervar com o susto, nem com a crescente pressão de Cerro Porteño.

Na primeira vitória de Luiz Felipe Scolari em seu retorno ao clube paulista, a equipe mostrou maturidade para estudar o adversário e ser letal para marcar os gols quando as chances apareceram.



O mata-mata demorou para começar para as duas equipes. Só teve jogo para valer no segundo tempo. O primeiro tempo foi péssimo, marcado por erros de passes, lançamentos longos e muita marcação. Foi preciso esperar quase 30 minutos para se ter um chute a gol em uma partida em que os times apostavam em esquemas de jogo parecidos, o 4-5-1.

Com esse cenário de futebol tão pobre, o gol só poderia vir de bola parada, como foi o caso. No primeiro minuto do segundo tempo Dudu cobrou falta e Borja, bem colocado, aproveitou sobra da defesa para fazer 1 a 0. O Palmeiras ficou em vantagem logo na primeira finalização certa a gol. Time efetivo e copeiro.

A vantagem deixou o Palmeiras com o jogo nas mãos. O time já havia estudado adversário, neutralizado os perigos e estava à espera de nova chance para definir o jogo. Inteligente e muito efetiva, a equipe teve sabedoria para aguardar nova chance e fazer 2 a 0 aos 25 minutos, com nova finalização de Borja.

Os paraguaios exageraram nas faltas e nas reclamações com a arbitragem. Faltou ter doses maiores de futebol, no entanto. O Palmeiras controlou o restante do jogo sem precisar se esforçar muito. Com qualidade e vantagem, a equipe começou a mostrar no mata-mata a postura decidida de quem quer transformar a melhor campanha da fase grupos em título.


FICHA TÉCNICA:

CERRO PORTEÑO 0 x 2 PALMEIRAS

CERRRO PORTEÑO - Silva; Raúl Cáceres, Marcos Cáceres, Escobar e Acosta (Arzamendia); Palau, Rodrigo Rojas (Haedo Valdez), Jorge Rojas (Benítez), Novick e Ruíz; Churí. Técnico: Luis Zubeldia.

PALMEIRAS - Weverton; Mayke, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Moisés (Thiago Santos), Hyoran (Jean) e Dudu; Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari

GOLS - Borja, a 1, e a 25 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Moisés, Rodrigo Rojas, Palau, Churin e Dudu.

ÁRBITRO - Fernando Rapallini (Argentina).

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Estádio General Pablo Roja, em Assunção (Paraguai).

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Apodi domina bola observado por rival do Nacional (Foto: Sirli Freitas / Fotos Públicas)

Futebol

A Chapecoense começou a segunda fase preliminar da Copa Libertadores da pior forma possível. Quarta-feira, 31, na Arena Condá, em Chapecó (SC), o time catarinense foi derrotado pelo Nacional, do Uruguai, por 1 a 0, e se complicou na briga por uma vaga na terceira e última etapa eliminatória antes da fase de grupos do torneio continental.

O time brasileiro precisa de uma vitória por, pelo menos, dois gols de diferença para avançar na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Centenário, em Montevidéu. O time catarinense até se classifica com uma vitória por um gol desde que marque mais de uma vez (2 a 1; 3 a 2; 4 a 3 e etc.). Os uruguaios jogam por qualquer empate.

Em falha grotesca da Chapecoense, o Nacional abriu o placar aos 28 minutos do segundo tempo. Bergessio escapou pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou pelo goleiro Jandrei e pelos zagueiros Fabrício Bruno e Douglas e sobrou limpa para Romero rolar para o fundo das redes.

 

Atleta foi o principal responsável pela classificação do Vasco (Foto: Reprodução/ Facebook)

Futebol

O goleiro uruguaio Martín Silva evitou um vexame histórico para o Vasco, na noite desta quarta-feira, 21, em Sucre.

Pelo segundo mata-mata da Pré-Libertadores, o time carioca havia vencido o boliviano Jorge Wilstermann por 4 a 0, em São Januário, na semana passada. No entanto, perdeu pelo mesmo placar na Bolívia e precisou dos pênaltis para avançar à fase de grupos da competição continental.

Nas penalidades, Martín Silva brilhou e defendeu três cobranças. Após a atuação de gala, o uruguaio foi “transformado” em santo, herói e até ministro da defesa na web. Confira as imagens:

Martin Silva Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Até o canal Fox Sports se rendeu aos "milagres de San Martín".

Martin Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

Martin Vasco Reprodução Facebook

(Foto: Reprodução/Facebook)

 

Atacante marcou 10 gols pelo ABC em 2018 (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians anunciou na manhã desta quarta-feira, 21, a contratação do atacante Matheus Mathias, de 19 anos. 

O atleta, revelado pelo ABC, do Rio Grande do Norte, é o artilheiro da temporada no Brasil, com 10 gols marcados. O vínculo do jogador com o Timão vai até 2022.

“É uma emoção que não tem explicação. Espero fazer o que eu vinha fazendo e dar muita alegria para a torcida”, disse Matheus ao site oficial do clube.

Nesta terça-feira, 20, o Corinthians apresentou o volante Ralf, multicampeão pela equipe entre os anos de 2011 e 2015. Na segunda, o clube oficializou a chegada do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta.

 

 

Caso Borja seja vetado, Willian Bigode deve atuar como centroavante no clássico (Foto:Reprodução/Facebook)

Futebol

O colombiano Miguel Borja vive a melhor fase desde que chegou ao Palmeiras. Artilheiro do Paulistão, com 5 gols marcados, o centroavante foi poupado no confronto contra a Ponte Preta, neste domingo (18), que terminou em 0 a 0, para fazer um tratamento no joelho. Desta forma, ele é dúvida para o clássico contra o Corinthians, no próximo sábado (24), às 17h, em Itaquera, válido pelo Estadual.

Nas próximas semanas, o calendário dos clubes que disputam a Libertadores começa a ficar mais apertado. O Palmeiras, por exemplo, já estreia na competição continental no dia 1º de março, mas ainda não sabe contra quem e nem o local da partida, já que o adversário será conhecido apenas na próxima quinta-feira (22). Junior Barranquilla (COL) e Guarany (PAR) disputam uma vaga no grupo do Verdão. Na ida, na Colômbia, a equipe da casa venceu o rival paraguaio por 1 a 0. 

 Por conta da sequência desgastante de jogos, o técnico Roger Machado ainda não definiu se escalará o seu camisa 9 no dérbi. Caso Borja seja vetado pelo Departamento Médico, Willian Bigode deve ser a referência no ataque alviverde no clássico. 

Defensor atuava pela Ponte Preta e fez gol no Corinthians na final do Paulista - 2017 (Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians)

Futebol

O Corinthians oficializou na manhã desta segunda-feira (19) a contratação do zagueiro Marllon, ex-Ponte Preta. Ele assinou acordo para defender o seu novo time por quatro temporadas. O atletar de 25 anos já vinha realizando atividades físicas no CT Joaquim Grava, em São Paulo, e dependia apenas de ser aprovado nos exames médicos para ser confirmado como reforço

O Corinthians pagará R$ 1 milhão por 50% dos direitos econômicos do atleta, que pertenciam ao Cianorte, do Paraná. Revelado pelo Cruzeiro, o jogador comemorou o acerto enquanto assinava os papéis de seu contrato.

"Torcida corintiana, estamos juntos! Estou bastante feliz e mais motivado ainda para vestir essa camisa. Pode ter certeza de que vou dar a minha vida por este clube", afirmou o jogador, por meio de um vídeo reproduzido pelo Corinthians em sua página no Twitter, rede social na qual o atleta também aparece em outra publicação vestindo o uniforme da equipe.

Carioca, Marllon tem 1,86m de estatura e em sua carreira profissional atuou por Cruzeiro, Bangu, Flamengo, Duque de Caxias, Boavista, Rio Claro, Santa Cruz, Capivariano, Atlético Goianiense, Cianorte e Ponte Preta. Os seus principais títulos foram a Copa São Paulo de Futebol Júnior, conquistado com o time flamenguista, em 2011, e a Série B do Brasileiro de 2016, pelo Atlético-GO, quando também foi eleito o melhor zagueiro daquela edição da competição.

"É a confiança", diz treinador sobre Borja

Futebol

O técnico palmeirense Roger Machado "encheu a bola" dos colombianos Guerra e Borja após o empate por 2 a 2 contra o Linense, nesta quinta-feira (15), em duelo válido pelo Campeonato Paulista, no Allianz Parque. No entanto, o treinador também lamentou algumas ações defensivas de sua equipe.

"A gente iniciou a partida e logo abrimos o placar. Depois, até o gol de empate, entendemos em algum momento que o adversário ia ceder campo e se entregar, mas eles continuaram firmes. Foi um jogo franco, aberto. O adversário ocupou muito os lados. Talvez hoje tenha sido o jogo em que meus volantes mais fizeram cobertura lateral pela falta de cobertura dos setores laterais. Isso fez com que em alguns momentos a gente se defendesse com seis, e isso não é o que a gente deseja. Preciso ter mais gente defendendo, principalmente recompondo com mais velocidade”, comentou, citando também a etapa final do embate.

“No segundo tempo, a mesma dinâmica. Imprimimos um ritmo forte no começo, fizemos o nosso gol e novamente abrimos mão de continuar pressionando o adversário, entendendo mais uma vez que o adversário ia ceder campo. Mais uma vez, em alguns momentos, defendemos com seis em transição. Depois do empate, com as mudanças, o adversário se retraiu mais um pouco, mas não obtemos o terceiro gol", completou.

Autor dos dois gols do Palmeiras, o atacante Borja foi bastante elogiado pelo treinador. "Ele está começando o ano com o pé direito. No último jogo, em que ele também foi decisivo fazendo gol, ele teve um deslocamento muito grande pelo campo inteiro. Mencionei para o Borja que vou cobrá-lo a partir desse dado. É o dia a dia, o convencimento do atleta do que ele pode fazer, como estruturamos o time, a motivação... É a confiança. Mencionei hoje também na palestra que o gol que ele fez contra o Mirassol mostra que a confiança dele está de volta. Os ângulos estavam fechados e ele jogou a bola embaixo das pernas do goleiro", declarou o técnico, que exaltou a atuação de Guerra no ataque palmeirense.

"O Guerra foi muito bem, deu uma dinâmica boa pelo lado do campo. Disse antes do jogo que ele seria agudo pelo lado, mas também articulando por dentro. Foi assim no gol do Miguel. Ele veio do lado para a parte interna e conseguiu um belo lançamento. Ele se movimentou bem. Enquanto esteve em campo, foi um dos jogadores que alternaram a velocidade do jogo”, finalizou.

 Com o resultado, o Verdão segue invicto e na liderança do grupo C da competição com 19 pontos conquistados. O próximo compromisso do Palmeiras será no domingo (18), às 19h30, contra a Ponte Preta, em Campinas-SP, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. Já no sábado (24), às 17h, será a vez de enfrentar o rival Corinthians, fora de casa, novamente pelo Estadual.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Desde 2013, o Ibope realiza a Pesquisa Brasileira de Mídia, a pedido do governo federal. O objetivo é saber por quais meios os brasileiros se informam. Desde o início, o estudo – que é feito nacionalmente e com uma amostra de cerca de 15 mil pessoas, distribuídas por todas as Unidades da Federação – revela a prevalência da TV sobre os demais meios. Mas, desde 2016 (último ano da análise, publicada em 2017) há evidências do avanço da Internet, que se consolidou como o segundo meio de comunicação mais usado (49% da amostragem), ameaçando inclusive a soberania televisiva (89%). A soma é superior a 100% porque se pode indicar mais de uma opção. E as eleições deste ano reforçam o poder da internet e dos meios digitais. Para o bem ou para o mal, estas formas se cristalizaram como o caminho preferido de muitos brasileiros para o consumo de notícias. E não são poucos aqueles que fazem isso de modo exclusivo, bebendo apenas na fonte de sites, blogues, aplicativos e redes sociais. E, ainda que estes não sejam maioria, dedicam mais tempo nestes acessos. Enquanto o tempo médio em frente à TV é de três horas e 21 minutos, entre aqueles que utilizam a web (segundo a mesma pesquisa Ibope) é de quatro horas e 40 minutos, superando seis horas entre o público de 16 a 24 anos. Mais importante que a quantidade de informação disponível na web e redes sociais são a relevância e qualidade do conteúdo oferecido. Evidentemente, no universo digital há muitas empresas e grupos sérios, que primam pela credibilidade do que oferta. No entanto, há um sem número de virulentos guetos, que servem de fábrica para as fake news. Assim, nunca é demais ressaltar que estar na internet, Facebook ou WhatsApp não representa selo de veracidade. Ainda são os meios tradicionais que têm o compromisso com a verdade, por não sair noticiando o que não foi confirmado. Falta isso nos rincões digitais. E até que se separe o joio do trigo, esta revolução representará não um avanço, mas um retrocesso. Nesta nova era, a verdade já não basta para a formação da opinião pública, nem é antídoto à manipulação. Agora se consome aquilo em que se quer acreditar, acriticamente e ainda que falso, desprezando o que vai contra as próprias convicções. A isso se convencionou chamar de “pós-verdade”.

Mais uma pesquisa dá empate técnico entre os dois oponentes (Fotos: Klaus Silva /TJSP/ Fotos Públicas e Reprodução/Twitter)

Cidade

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) estão tecnicamente empatados na disputa para o segundo turno, aponta a mais recente pesquisa Ibope/TV Globo/Estadão divulgada nesta quarta-feira, 17. Doria tem 52% dos votos válidos - quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos - e Márcio França, 48%. A margem de erro é de três pontos porcentuais. É a primeira pesquisa Ibope para o governo de São Paulo neste segundo turno das eleições 2018. Se considerados os votos totais, Doria tem 46% das menções e França, 42%. Eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou nulo são 10%; 2% não sabem ou preferiram não responder. A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 17 de outubro. Na intenção de voto espontânea, na qual os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Doria aparece com 28% das intenções de voto, também empatado tecnicamente com França, que tem 26%. Neste caso, os indecisos são um quarto dos entrevistados. Outros 15% manifestam a intenção de votar branco ou nulo, e 6% disseram nomes diferentes, que não estão na disputa. A rejeição de Doria é a maior - 32% apontaram que não votariam nele de jeito nenhum. A de França, que vinha se mantendo baixa no primeiro turno - subiu e agora está em 20%. No dia 6 de outubro, véspera do primeiro turno, era de 9%. Também chama a atenção a quantidade de eleitores que não os conhecem - 18% disseram não conhecer Doria o suficiente para opinar. No caso de França, o número é de 28%. A pesquisa ouviu 1.512 votantes e a margem de erro estimada é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95% - esta é a chance de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo sob o protocolo Nº SP-07777/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-BR-07265/2018.

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Confesso que essa batalha do #elenão e #elesim algumas vezes me deixa confuso. Afinal, quem é o seu “ele não”? Ou o “ele sim”? Parece que as pessoas têm medo de falar esse nome que supostamente não pode ser dito. Vejo um enorme questionamento sobre machismo. Geralmente, quem fala isso é uma mulher. Vi, inclusive, a vice do Haddad criticando o machismo e em uma certa frase ela usou a palavra feminismo três vezes. Eu fico confuso: o machismo é proibido, errado, questionado, uma coisa que deve ser totalmente excluída da sociedade, mas o feminismo radical pode? Sempre fui a favor dos direitos iguais. Há dez anos, quando ganhei a guarda definitiva do meu filho, defendia essa postura sem hipocrisia. Eu acho que não existe nenhuma diferença entre homem e mulher. Se fosse há 2 mil anos, quando tudo era à base da força física, faria sim diferença em uma caça, batalha, onde era necessário usar espada, ou armadura pesada para defender uma civilização. Mas hoje, você precisa de uma espada para decidir alguma coisa? Não, uma caneta decide. As mulheres são atuantes nas universidades e ocupam altos cargos. Sei que ainda existe diferenciação, fruto de uma cultura absurda, subdesenvolvida. Afinal, a mulher é tão capaz quanto o homem, e o contrário também, e ambos podem sozinhos gerir uma família, assim como aconteceu comigo. Eu administro as tarefas de ser pai, empresário, profissional e empreendedor. Fiquei com nosso filho porque chegamos a um acordo, o que não significa que eu, naquela situação, era melhor ou pior do que a mãe dele. Quem questiona o machismo, assim como quem questiona o feminismo ou a homossexualidade é tão preconceituoso ou mais do que aquele que está só externando a sua possibilidade ou vontade política. Essa campanha #elesim e #elenão, vou fazer isso ou vou fazer aquilo, é desgastante. Meu filho tem 12 anos e eu o criei sem a ajuda de ninguém, absolutamente sozinho, nem minha família tão pouco a da mãe dele. Sempre eu e ele a vida inteirinha. Basta a gente querer, e deixar o preconceito de lado. Daniel Toledo é Advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios e sócio fundador da Loyalty Miami

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião

Bolsonaro nada de braçada no Estado de São Paulo onde, segundo a última sondagem do instituto Paraná Pesquisas tem quase 70% das intenções de voto do eleitorado local. Daí não ser surpresa o fato de tanto João Doria (PSDB) quanto Márcio França (PSB) desejarem e precisarem dos votos dos correligionários do capitão reformado para vencer a disputa ao Palácio dos Bandeirantes. França até que saiu na frente nesta disputa particular, ao obter de primeiro momento o apoio do futuro senador Major Olímpio (PSL), simplesmente o mais bem votado para o cargo em todo o País. Também obteve a preferência do Major Costa e Silva (DC), aliado de Bolsonaro e quinto colocado na disputa estadual. Mas Doria reagiu rápido. Primeiro atraiu o PRTB, partido do general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro, e, em seguida, buscou uma aproximação direta com o próprio presidenciável, ao tentar um encontro com ele no Rio de Janeiro. Embora não tenha sido recebido, o ex-prefeito paulistano saiu de lá com um excelente recorte de uma declaração mais ampla do pesselista, que logo passou a ser usada na campanha do tucano. “Eu sei que ele (Doria) é uma oposição ao PT. Somos oposição ao PT. E eu sei que o outro lado, o França, tem o apoio velado do PT. Então, no momento eu desejo boa sorte ao Doria”, disse Bolsonaro, depois de destacar sua neutralidade na disputa paulista. França até que tentou descolar a eleição no Estado da polarização nacional, mas sem sucesso. Mas, por fim pode ser sugado pelo sentimento anti-PT que varre o País. Enquanto busca se afastar do seu vínculo histórico, seu adversário faz questão de explorá-lo. Com isso, as propostas vão ficando em segundo plano, mascaradas por ataques e tentativas de defesa de ambos os lados. Desta forma, segundo o Paraná Pesquisas, os dois estão em situação de empate técnico (52,3% de Doria contra 47,7% de França), inclusive com rejeição similar (39,8% contra 37%). Diante de linha tão tênue entre a vitória e a derrota, pode ganhar mais votos aquele que mais endurecer o discurso, ainda que, contraditoriamente, em um momento em que o presidenciável do PSL busca mais equilíbrio em suas falas. Ainda assim, quem conseguir convencer essa parte do eleitorado paulista que pode jogar no mesmo time do ex-militar do Exército certamente não ficará de urnas vazias.
or
or

Articulistas

Colunistas

Decisão do STF preserva direito de trabalho à grávida, mesmo se ela desconhecer a gestação (Foto: André Borges/Agência Brasília/Fotos Públicas)

Opinião

Verdade já não basta para formar a opinião pública, nem é antídoto à desinformação (Foto: Allan White/ Fotos Públicas)

Opinião

Vice de Haddad, Manuela d'Ávila é uma critica do machismo (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em uma disputa acirrada, França e Doria tentam colar suas imagens a Bolsonaro (Fotos: Klaus Silva /TJSP, Fernando Frazão/ABR e Marcos Corrêa/PR

Opinião