16
Sex, Nov

Kane balançou as redes duas vezes de pênalti em jogo contra a Colômbia. Uma no tempo normal e a outra na decisão por penais (Foto: Divulgação/FA Staff)

Copa 2018

O goleiro Pickford colocou a Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. Após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação com a Colômbia, ele defendeu uma cobrança (a outra foi na trave) e garantiu a vitória dos ingleses por 4 a 3 nas penalidades, nesta terça-feira. Bacca e Uribe desperdiçaram para os colombianos.

Após um jogo tenso, nervoso e cheio de cartões amarelos, a Inglaterra se classificou para as quartas de final, quando enfrentará a Suécia, em Samara, no próximo sábado. Será mais um duelo europeu na próxima fase do Mundial. Harry Kane fez, também de pênalti, o primeiro gol da Inglaterra e se consolida como artilheiro do Mundial com seis gols.

Com a vitória, o time inglês exorciza uma fantasma da decisão por pênaltis. Até a decisão desta terça, haviam sido três disputas de pênalti em Copas do Mundo. Os ingleses tinham perdido todas: 1990, 1998 e 2006. Em 2018, o time consegue avançar.

A Colômbia, que teve o zagueiro Mina como artilheiro da equipe, com três gols no Mundial, não consegue repetir a façanha de 2014 quando chegou às quartas de final. Mas conseguiu o empate nos acréscimos do tempo normal e esteve próximo da vaga. O gol foi justamente de Mina, ex-Palmeiras, de cabeça.

A Inglaterra começou melhor, mas não conseguiu se impor tecnicamente como se esperava. Com isso, tentava transformar as jogadas aéreas em motivo de preocupação para a defesa colombiana. Os zagueiros iam sempre para a área rival. Além disso, o time mostrou preocupação defensiva, pois os dois laterais recuavam quando a Colômbia tinha a posse de bola. Os ingleses faziam uma linha com cinco zagueiros. A torcida colombiana, maioria no estádio, vaiava os ingleses em todos os lances. Era como se eles jogassem fora de casa.

A Colômbia tinha dificuldade para atacar com a falta de opções principalmente pelas laterais. James Rodríguez, que não se recuperou de uma lesão muscular, fez falta ao time. A equipe também sentiu falta dos avanços do atacante Miguel Borja, também ficou de fora devido a uma lesão no joelho.

O jogo foi equilibrado, com poucas chances reais de gol. A melhor chance da etapa inicial foi de Harry Kane, completando de cabeça um cruzamento de Trippier, a única grande chance com bola rolando, aos 15. O artilheiro da Copa do Mundo teve poucas chances de finalizar e teve participação discreta na partida no primeiro tempo.

O clima foi quente com inúmeras divididas e discussões entre os jogadores. Foram sete cartões amarelos. Na metade do primeiro tempo, Barrios acertou uma cabeçada no peito de Henderson e levou cartão amarelo; Mina se estranhou com Sterling. Em vários lances, os jogadores ingleses pediram que o árbitro solicitasse o VAR (árbitro de vídeo) para identificar supostas agressões.

Com dificuldades para criar com a bola no chão, a Inglaterra mudou o posicionamento na jogada aérea para ser mais incisiva. Os jogadores ficaram em fila para confundir a marcação colombiana e só se movimentavam quando o escanteio fosse cobrado. Deu certo. Keane se desvencilhou da marcação, mas sofreu pênalti de Sanchez. Na cobrança, o artilheiro do Mundial bateu no meio do gol. Foi seu sexto gol em três jogos. Agora, Keane tem seis pênaltis batidos pela seleção inglesa, com cinco gols e apenas um erro.

Apostando no entusiasmo da torcida, que gritava "Sí, se puede" nas arquibancadas, mas com pouca organização tática, a Colômbia buscou o empate com lançamentos longos. Aos 35, Cuadrado avançou sozinho após contra-ataque, mas chutou mal por cima do gol de Pickford. Nos acréscimos, na jogada aérea que havia funcionado nos outros jogos, mas havia totalmente bloqueada em Moscou, o zagueiro Mina completou empatou após cobrança de escanteio. Foi seu terceiro gol no Mundial.

Na prorrogação, a Colômbia conseguiu recuperar a posse de bola. Os ingleses sentiram emocionalmente o empate sofrido nos acréscimos do tempo normal. Kane desapareceu. Os ingleses só se recuperaram na etapa final. A grande jogada foi uma cabeçada Dier, sozinho na área, para fora. Na decisão por pênaltis, os ingleses voltaram a ser mais eficientes e garantiram a vaga.

VEJA OS DUELOS DAS QUARTAS:

Uruguai x França - Nizhny Novgorod - sexta - 06/07 - 11h

Brasil x Bélgica - Kazan - sexta - 06/07 - 15h

Suécia x Inglaterra - Samara - sábado - 07/07 - 11h

Rússia x Croácia - Sochi - sábado - 07/07 - 15h




FICHA TÉCNICA:

COLÔMBIA 1 (3) x (4) 1 INGLATERRA

COLÔMBIA - Ospina; Arias (Zapata), Mina, Mojica e Davinson Sánchez ; Barrios, Carlos Sánchez (Uribe), Cuadrado e Lerma (Bacca); Quintero (Muriel) e Falcao García. Técnico: Jose Pekerman.

INGLATERRA - Pickford; Walker (Rashford), Stones, Maguire e Trippier; Henderson, Lingard, Young (Rose) e Dele Alli (Dier); Sterling (Vardy) e Harry Kane. Técnico: Gareth Southgate.

GOLS - Harry Kane (pênalti), aos 11, e Mina, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Barrios, Arias, Sanchez, Henderson, Falcao Garcia, Bacca, Lingard, Cuadrado.

ÁRBITRO - Mark Geiger (Estados Unidos).

PÚBLICO - 44.190 pagantes.

LOCAL - Spartak Stadium, em Moscou.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Casais com dificuldade de gerar filho podem contar com ajuda eficaz da ciência (Foto: Divulgação)

Saúde

As mulheres que desejam engravidar e, para isso, necessitam recorrer à ajuda da ciência para atingirem o seu objetivo, devem ficar atentas: desde o final de 2017, o Conselho Federal de Medicina (CFM) atualizou e anunciou nova resolução (n0 2.168/2017) para utilização dos métodos de reprodução assistida. Entre as técnicas mais conhecidas estão procedimentos como fertilização in vitro, inseminação artificial, injeção intracitoplasmática de espermatozoides (Icsi), relação sexual programada e doação de óvulos.

O documento aborda temas como gestação compartilhada, idade máxima para as mulheres passarem pelo procedimento, cessão temporária de útero e descarte de embriões. “Apesar de vários projetos tramitarem no Congresso, não existe legislação no Brasil sobre o assunto”, explica Joanna Porto, advogada do escritório Porto, Guerra & Bitetti Advogados.

Desde 1984 – quando nasceu no Brasil o primeiro bebê gerado via reprodução assistida – o número de procedimentos só tem aumentado. Entre os anos de 2011 e 2016 foram 33.790, de acordo com o relatório do Sistema Nacional de Produção de Embriões (SisEmbrio) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A resolução do CFM permitiu a doação voluntária de gametas; diminuiu o tempo de criopreservação compulsório de embriões de cinco para três anos; entre outros casos”, contou o Dr. Edson Borges Júnior, especialista em Reprodução Humana e diretor científico da Fertility Medical Group. 

Confira os principais pontos que foram atualizados com a resolução do CFM

Idade da gestante: A idade máxima recomendada pelo CFM para as mulheres passarem por técnicas de reprodução assistida é de 50 anos. No entanto, há exceções. Estas serão aceitas baseadas em critérios fundamentados pelo médico responsável e após esclarecimento quanto aos riscos envolvidos à paciente e aos descendentes eventualmente gerados. “A resolução deixa o critério médico como balizador para a indicação ou não do procedimento”, afirma o Dr. Edson Borges Júnior, especialista em Reprodução Humana e diretor científico da Fertility Medical Group.

Quantidade de embriões: A transferência máxima de embriões estará estritamente ligada à idade da paciente, sendo dois – para mulheres com até 35 anos; três – para mulheres entre 36 e 39 anos; e quatro – para mulheres com 40 anos ou mais. “Cada vez mais transferimos menos embriões, tentando minimizar e evitar as gestações múltiplas, principal agravante das Técnicas de Reprodução Assistida”, explica o Dr. Borges. Caso haja uma gravidez múltipla, fica proibida a utilização de qualquer tipo de procedimento que promova a redução embrionária.

Gestação compartilhada: A medida beneficia casais homoafetivos femininos. Neste caso, o embrião obtido a partir da fecundação do oócito de uma mulher é transferido para o útero da parceira, ainda que não exista diagnóstico de infertilidade.

Cessão temporária do útero: Até então, o procedimento era permitido entre mãe, avó, irmã, tia e prima. Agora, filha e sobrinha entram na lista e podem, caso desejem, ceder os úteros de forma temporária, para o procedimento de gestação de substituição. “Quando isso acontece, as partes assinam um contrato, onde a pessoa que cedeu o útero reconhece ser apenas a parte capaz de gestar e não a mãe propriamente dita, já que não possui a intenção de formar família. Por esse motivo, a gestante deve entregar a criança aos seus pais, e estes deverão aceitá­la independentemente de suprir ou não suas expectativas”, afirma a advogada Danielle Bitetti, especializada em Direito à Saúde.

Descarte de embriões: O limite de tempo para descarte dos embriões criopreservados foi diminuído de cinco para três anos.

Alunos que praticam esporte rendem 20% a mais que os que não praticam nenhum esporte (Foto: Divulgação)

Saúde

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Illinois (EUA) mostrou que os estudantes que praticam esportes regularmente têm um rendimento escolar 20% maior do que os outros alunos.

Os exercícios físicos ajudam a aumentar a concentração, fixando melhor o conteúdo estudado. Além disso, o esporte colabora para o convívio social, autoestima, pré-disposição, diminui a ansiedade, melhora a memória e as noites de sono.

Segundo Fabrício Cortezi, coordenador pedagógico do Sistema de Ensino pH, cada aluno tem o seu próprio rendimento e intercalar os estudos com o esporte pode proporcionar maior disposição. “O legal do esporte é poder se despir da mente e exercitar o corpo, assim se tem mais disposição para estudar depois”, afirmou.

Algumas sugestões são: futebol, vôlei, handball, musculação, basquete, natação e corrida ao ar livre. Todos eles podem ser praticados por homens e mulheres gratuitamente, em parques públicos. É importante verificar o condicionamento com um especialista antes de iniciar uma atividade intensa.

Timão faz campanha contra o assédio às mulheres(Foto: Reprodução/Twitter)

Futebol

O Corinthians avançou às quartas de final do Campeonato Paulista após vencer o Mirassol por 1 a 0, na arena em Itaquera, com um gol de um antigo conhecido da torcida: Emerson Sheik, herói do título da Libertadores em 2012. De quebra, o atacante, aos 39 anos, tornou-se o jogador mais velho a fazer um gol com a camisa alvinegra. Agora, a equipe de Fabio Carille espera Ituano ou Bragantino na próxima fase. 

Além de celebrar a classificação, o Timão fez uma campanha para pedir “respeito às minas”, aproveitando o Dia Internacional das Mulheres, comemorado anualmente em 8 de março.

Sheik Daniel Augusto Jr. Agência Corinthians

Sheik comemora seu primeiro gol no retorno ao Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)

Na noite desta quarta-feira, 7, os times masculino e feminino entraram juntos em campo para lembrar a data, além de mostrar uma mensagem de combate ao assédio e à violência contra a mulher.

 Jogadores e jogadoras vestiram a camisa do Corinthians com os dizeres: “#Respeiteasminas”. O clube ainda distribuiu 10 mil tatuagens removíveis com a frase “Não é não”, pois muitas vezes as mulheres são vítimas da insistência dos homens.

Toda comunicação digital da Arena (Painel de Led externo e interno e Telão) também foi ativada a fim de dar mais visibilidade à causa. Antes da partida, Milene Domingues, ex-atleta do Corinthians, ainda foi anunciada como a embaixadora do futebol feminino do clube.

Milene Domingues Reprodução Instagram

Milene Domingues posa com a camisa do Corinthians e participa de campanha contra o assédio às mulheres (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Caruso,Patrícia e Diego eram integrantes do Grupo dos Sete (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fora dos Trilhos

O castigo chegou para os principais articuladores de votos desta edição do Big Brother Brasil. Depois de conseguirem mandar Mahmoud, Gleici e Paula, os três do grupo que não combinaram indicações até aqui, para o paredão, hoje se enfrentam na berlinda Patrícia, Diego e Caruso.

Se somente o público das redes sociais votasse, a única mulher indicada seria a eliminada. Ela foi colocada na guilhotina pela favorita ao prêmio, Gleici, com quem teve uma forte discussão.

Apesar disso, nesse paredão ninguém deve passar ileso: Diego fez várias contas e formulou várias combinações de berlinda. Caruso, com seu jeitão desafiador, já brigou com boa parte dos participantes e também irritou os telespectadores.

Katy Perry fará turnê no Brasil em breve (Foto: Reprodução/ Facebook)

Fora dos Trilhos

Em pleno carnaval, a cantora norte-americana Katy Perry revelou em seu Instagram que havia batido um papo, por meio de uma ligação em vídeo, com a brasileira Gretchen, estrela de um dos seus vídeos - o que apresenta a letra da música "Swish Swish", parceria com a rapper Nicki Minaj.

"Curtindo com minha rainha", escreveu Katy Perry na imagem, acompanhada das clássicas palavras em português que ela aprendeu com os fãs brasileiros: "morta" e "linda". 

Procurada pela reportagem, Gretchen nega que o papo tenha sido para combinar uma participação nos shows de Katy Perry no Brasil, como começou a ser especulado por fãs logo após a publicação da imagem. No dia 17 de março, a cantora americana se apresenta do Allianz Parque, em São Paulo, com a turnê do seu mais recente álbum, "Witness". Katy Perry realiza ainda shows em Porto Alegre, no dia 14, e no Rio de Janeiro, no dia 18. 

"Foi uma conversa informal, muito alegre e tranquila. Conversamos sobre nossa admiração uma pela outra", revelou Gretchen sobre o papo. Ainda segundo a brasileira, as duas, porém, deixaram, "previamente acertado", que vão se encontrar no Brasil. 

De acordo com Gretchen, o papo entre as duas foi gravado pelo programa Fantástico, da Rede Globo, e deverá ser exibido em breve.

Instalação é feita para atletas treinarem em melhores condições (Foto: Marivaldo Oliveira/AE)

Cidade

O muro de vidro, de 2,2 quilômetros de extensão, que deverá liberar a visão para a Raia Olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na Marginal do Pinheiros, está em fase final de construção e deve ser entregue até o fim de março. Nos próximos dias, a atual mureta de concreto deverá ser demolida.


Onde hoje fica a mureta de concreto começará a ser instalada uma calçada verde, com gramado entre as pistas da Marginal, sentido Interlagos, em um trabalho de paisagismo. Haverá um recuo entre a nova mureta transparente e as faixas de rolamento. O vidro é temperado, com dez milímetros de espessura e película de proteção.


O projeto foi apresentado em junho do ano passado. Em maio, inicialmente, a gestão João Doria (PSDB) havia proposto uma grade, mas foi levantado o problema de aumento de barulho e poluição do ar para os atletas que usam a raia. A solução foi a mureta de vidro, orçada em R$ 15 milhões, com custo pago por 12 empresas privadas – entre operadores de saúde e instaladores desse tipo de mureta

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

"Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo?", questionou Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), encerrou intempestivamente uma entrevista coletiva no 1º Distrito Naval, no Rio. O militar da reserva estava sendo perguntado sobre a continuidade dos atendimentos de saúde no Programa Mais Médicos, já que cerca de 8,3 mil profissionais podem deixar o País com decisão de Cuba de interromper a parceria. Bolsonaro respondeu apenas uma pergunta após ser questionado sobre o Mais Médicos - não comentou, por exemplo, a indicação do economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central (BC). O presidente eleito voltou a criticar os termos do acordo com Cuba no Mais Médicos, que prevê o repasse direto ao governo caribenho de 70% dos salários dos profissionais de saúde. Repetiu que a situação dos profissionais de saúde cubanos é "praticamente de escravidão" e questionou a qualidade dos serviços prestados. "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano. Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo? Isso é injusto, é desumano", disse Bolsonaro. O presidente eleito defendeu o exame presencial de validação do diploma dos médicos incluídos no programa. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres. Queremos o salário integral (dos médicos cubanos) e o direito (deles) de trazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis, que estão sendo desrespeitadas", resumiu Bolsonaro antes de encerrar a entrevista, que durou menos de cinco minutos. O futuro presidente do Brasil também prometeu asilo político para todos os médicos cubanos que pedirem. "Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a Medida Provisória (que criou o Mais Médicos), o governo da senhora Dilma (Rousseff) disse, em alto e bom som, que qualquer cubano que, por ventura, pedisse asilo, seria deportado. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui, (que) se justifica pela ditadura da ilha, terá o asilo concedido da minha parte", afirmou.

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião