19
Seg, Nov

Quadra é o primeiro espaço público revitalizado e conquistado por mulheres no Brasil (Foto: Divulgação/Nike)

Esporte

Uma quadra poliesportiva, em pleno centro histórico da cidade de São Paulo, foi palco de muita disputa entre times de diferentes esportes e de ambos os sexos em busca de espaço para a prática esportiva nas ruas da cidade. Agora a Nike, em colaboração com diversos coletivos femininos, devolve a quadra revitalizada ao coletivo de basquete Magic Minas, que conquistou da Prefeitura de São Paulo a preferência no uso do espaço.

Localizada na Rua Major Sertório, 524 (Vila Buarque),  a quadra foi reinaugurada após a intervenção artística do coletivo Efêmera - uma rede de empreendedorismo e valorização do protagonismo feminino na cultura de rua. O evento, realizado no sábado (13), contou com diversas atividades esportivas e culturais voltadas a reforçar o protagonismo das mulheres: roda de conversa com a presença da atleta da WNBA Damiris Dantas; coletivos de arte e poesia; jogo amistoso de basquete feminino entre os times Magic Minas e Rachão das Minas; show do coletivo Slam das Minas; e encerramento com a DJ Mirian Alves, do coletivo TPM.

O projeto de revitalização da Praça Rotary, assinado pelas artistas da Efêmmera, envolveu uma nova iluminação, associada a grafismos e palavras que conectam e reforçam a força do basquete feminino, como fair-play, coletivo, parceria, superação, motivação e força. Para além da arte impactante, a nova quadra é reflexo de como as mulheres estão liderando mudanças no esporte e na arte.

A Praça Rotary transformou-se em um marco na história do basquete feminino após ter sido ocupada, em julho de 2017, por um grupo de mulheres que reivindicaram um espaço público para a prática do esporte. A iniciativa, que contou com o apoio da ex-jogadora Magic Paula, transformou-se no Magic Minas e passou a se reunir todas as semanas na quadra para treinos e jogos de basquete.

Sobre o Magic Minas

Com o objetivo de jogar para construir uma rede de mulheres que querem praticar esporte coletivo, se movimentar e ocupar espaços públicos na cidade, o Magic Minas inspira cada vez mais meninas a se conectarem com o esporte em um ambiente seguro, acolhedor e empoderador.


O nome do time é uma homenagem a ex-jogadora Magic Paula, grande "ídola" da maioria das jogadoras do time, sobretudo para quem tem mais de 30 anos. Ela também se tornou madrinha do time ao se juntar durante a ocupação da Praça Rotary.


Para jogar com o Magic Minas entre em contato com o time pelas redes sociais. Os treinos acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras em São Paulo – e há opções pagas e gratuitas!

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Jogador enfrenta problemas com patrocinadores (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

A pressão dos patrocinadores sobre Cristiano Ronaldo aumentou por causa da acusação de estupro feita contra o astro da Juventus. O português, eleito cinco vezes o melhor jogador do mundo nega ter cometido o delito. De acordo com o portal UOL, executivos da Nike dizem que a tendência é o rompimento entre a empresa e o atleta. 

A Nike tem contrato desde 2003 com o atacante de 33 anos, um dos jogadores de futebol mais ricos e famosos do planeta. O último acordo foi assinado em 2016 e, de acordo com diferentes órgãos de imprensa, tem valor de US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 3,88 bilhões, na cotação atual), sendo que Cristiano Ronaldo deu a entender anteriormente que o acordo era "vitalício".

Mas a empresa expressou preocupação com os detalhes que surgiram em um processo aberto em um tribunal do estado de Nevada, nos Estados Unidos, por uma mulher que afirma que Cristiano a estuprou em Las Vegas em 2009.

"Estamos extremamente preocupados com as acusações perturbadoras e continuaremos monitorando a situação de perto", disse a Nike em um comunicado enviado por e-mail para a agência de notícias The Associated Press.

O capitão da seleção portuguesa também é patrocinado pela EA Sports, empresa de jogos de videogame, entre eles o Fifa, aparecendo na capa da edição de 2019, que foi lançado mundialmente na semana passada.

"Nós vimos o relato perturbador que detalha as acusações contra Cristiano Ronaldo", disse a EA Sports à AP. "Estamos monitorando a situação de perto, já que nossas expectativas são de que os atletas que aparecem Bas nossas capas e nossos embaixadores se comportem de forma consistente com os valores da EA".

Enquanto outros jogadores estão no declínio de suas carreiras aos 33 anos, Cristiano continua sendo cobiçado pela principais por equipes do mundo. Em julho, o português deixou o Real Madrid depois de nove anos para assinar com a Juventus, que desembolsou 112 milhões de euros (R$ 500 milhões, na cotação atual).

Luiza Trajano, do Magazine Luiza, é uma das maiores representantes do empoderamento feminino no Brasil (Foto: Reprodução/Instagram)

Opinião

Em nossa cultura, a ambição econômica, a audácia e a coragem têm sido características atribuídas à identidade masculina e, por esse motivo, muitos entendem ser “masculina” a mulher arrojada e “vencedor” um homem destemido.  

Os 18 anos de pesquisa sobre a inteligência, a liderança e o business ao feminino me levam a concordar que a psique da mulher não tem alguma diferença em relação à inteligência que se apresenta vestida de homem, no que diz respeito à substância do conhecimento e da experiência.


Encontra-se na obra A Feminilidade como Sexo, Poder e Graça, que a psique em si possui uma forma universal, agindo segundo o modo do lugar onde se faz existente. Concluindo-se que: “a música é a mesma, pode-se tocá-la com o violino ou com o violão, ainda que existam discrepâncias técnicas dos instrumentos”.


Passo a passo convém então que nós, mulheres e meninas, aprendamos a usar a nossa inteligência para o crescimento e felicidade de nós mesmas, tornando-nos úteis também para o crescimento dos nossos colaboradores. A obra Psicologia Empresarial refere que no ato de delegar está presente a necessidade do empresário-líder que seus colaboradores cresçam para garantir o primado de sua própria organização. É um fato de economia, pois embora não busque ser substituído, agrada ao líder ver o seu projeto expandir-se por intermédio de tantas mãos que ampliam o espaço da sua ação.


Trazendo o exemplo do filme O Diabo Veste Prada, citado na obra Cinelogia Ontopsicológica, observamos que, ao trabalhar em uma organização, devemos nos assegurar de possuir a capacidade técnica objetiva daquela tarefa para a qual nos apresentamos. O filme evidencia que para uma jovem ambiciosa e capaz participar do time de uma empresa de ponta significa a ocasião de colocar as mãos sobre o arado, a chance de apresentar uma performance de superioridade e competência, ampliando a própria capacidade de saber fazer.


A um certo momento porém, no referido filme, a jovem Andy olhou para trás e desistiu de continuar crescendo. Aproveitar as chances que se apresentam a nós é uma escolha pessoal e a chave para o sucesso.

Alice Schuch é doutora, escritora, palestrante e pesquisadora do universo feminino*

Jesse Williams apagou post, pois, segundo ele, as pessoas não entenderam a mensagem (Foto: Reprodução/Instagram)

Fora dos Trilhos


O ator Jesse Williams, conhecido por interpretar o Dr. Jackson Avery em Grey's Anatomy, publicou um meme para promover um filme que está dirigindo sobre a mãe de Emmett Till, garoto afrodescendente norte-americano assassinado aos 14 anos porque supostamente assobiou para uma mulher branca. Na imagem publicada por Williams, a mãe de Emmett chorava ao lado do caixão do filho. Na legenda, ele escreveu: "Acredite em algo, mesmo que isso signifique sacrificar tudo".

Os seguidores do ator logo o acusaram de fazer uma paródia da campanha de Colin Kaepernick para a Nike. O caso de Kaepernick ficou mundialmente famoso após o jogador de futebol americano se ajoelhar durante a execução do hino nacional, em protesto contra a opressão racial nos Estados Unidos. O atleta acabou deixando a NFL, o que inspirou a frase da campanha.

No Twitter, os internautas criticaram o meme argumentando que são situações diferentes, já que a mãe de Emmett não escolheu sacrificar seu filho. O ator apagou a publicação e se desculpou: "Enquanto alguns claramente entenderam minha intenção e sua conexão com a vida real de Mamie mãe de Emmett, muitos não. Por mais que eu queira mostrar quais eram minhas intenções e o significado dessas imagens, é mais importante primeiro tomar conhecimento de que eu ofendi e possivelmente machuquei algumas pessoas que eu procuro elevar".



Rosell era amigo próximo de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF (Foto: Global Sports Forum/Fotos públicas)

Futebol


O Ministério Público da Espanha pediu 11 anos de prisão e uma multa de 59 milhões de euros (R$ 257 milhões) para o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, sob a acusação de lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo o jornal espanhol La Vanguardia, o pedido foi incluído na acusação apresentada à juíza Carmen Lamela na investigação contra o ex-dirigente. Rosell está, atualmente, preso aguardando o julgamento.

O ex-dirigente é acusado de lavar 19,9 milhões de euros (R$ 72,8 milhões) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e teria ficado com pelo menos 6,5 milhões de euros (R$ 23,8 milhões). A investigação apontou que Sandro Rosell, sua esposa Marta Pineda, o advogado Joan Besolí e outras três pessoas faziam parte de uma organização criminosa que desviava dinheiro da CBF na gestão do presidente Ricardo Teixeira.

O esquema teria lavado 19,9 milhões de euros de comissões ilegais de direitos de transmissão de 24 amistosos da seleção brasileira. Há, ainda, 5 milhões de euros (R$ 18,3 milhões) do contrato de patrocínio da entidade com a Nike.

O Ministério Público pediu 11 anos de prisão e uma multa de 55 milhões (R$ 239 milhões) a Joan Besolí. Já contra Marta Pineda, a solicitação à Justiça foi de sete anos de prisão e multa de 50 milhões de euros (R$ 218 milhões). Também são acusados o cunhado de Besolí, Pedro Andrés Ramón (8 anos de prisão); o libanês ex-sócio de Sandro Rosell, Sahe Ohanessian (7 anos na prisão); e José Colomer, também sócio do ex-presidente do Barcelona (6 anos de prisão).

Para dar a aparência de legalidade à operação fraudulenta, a acusação é de que foi formada uma rede de transferências bancárias a partir de empresas e contas de Andorra. O texto da Promotoria afirma que os acusados, "pelo menos desde 2006, formaram uma estrutura estável, reforçada por vínculos de amizade e parentesco, dedicados à lavagem de capitais em grande escala", tudo comandado por Sandro Rosell, para "permitir a realização de determinadas operações cuja finalidade era a incorporação ao trânsito legal de lucros obtidos em atividades penalmente relevantes cometidas em qualquer país do mundo".

Sandro Rosell, que está preso desde maio do ano passado, foi transferido nesta quarta-feira para o sistema prisional Brians 2, em Sant Esteve Sesrovires, uma província de Barcelona. Ele estava detido na prisão Soto del Real, em Madri.

Loja de São Bernardo reinaugurou espaço exclusivo a calçados (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

Com a presença de influenciadores digitais que entendem de moda e estilo, como a Vanessa Janjacomo, Thanile Caraponale, Gustavo Treze e o DJ Nizz, a rede de lojas Besni retomou a venda de grandes marcas de tênis em toda a sua rede com a reinauguração de um espaço exclusivo para os calçados na loja de São Bernardo, na última sexta-feira, 20.

“A nossa ideia é dar acesso aos nossos clientes para o melhor de todas as marcas. Nos anos 1990 fomos muito fortes em vender tênis, mas depois houve a decisão de investir em moda e agora a ideia é renovar este espaço de tênis”, explicou a compradora da Besni Caroline Malerba, que ressaltou a chegada de produtos da Adidas, Nike, Asics, Mizuno, Fila, Converse e Puma.

A retomada deste segmento visa a atrair um público jovem, principalmente em regiões como São Bernardo, onde o skate, os patins e outros esportes fazem a cabeça da galera. “Aqui, além da especialidade em tênis, teremos ainda as roupas e os acessórios, algo que facilita a vida do cliente que pode comprar e parcelar tudo numa compra só, sem precisar ficar indo de loja em loja”, explicou Alexandre Cavalcante, analista de marketing da empresa.   

Mulheres não podem deixar os seus sonhos no papel (Foto: Reprodução)

Opinião

Tanta coisa mudou desde que foi comemorado, pela 1ª vez, o Dia Internacional da Mulher, em 1911. No Brasil, as mulheres conquistaram o direito ao voto, espaço no mercado de trabalho, a Delegacia da Mulher e uma lei contra a violência doméstica.

Porém, as mulheres ficam atrás dos homens em algumas coisas. Um exemplo é o número de demissões. Por outro lado, a capacidade da mulher em dar a volta por cima é surpreendente. Uma pesquisa revelou que elas empreendem mais.

Afinal, o que é empreender? É ter autonomia e capacidade para criar algo diferente e com valor, comprometimento, dedicação e assumindo riscos financeiros e sociais. Nos últimos anos, o desemprego impulsionou o empreendedorismo, principalmente o feminino.

Por que elas empreendem mais? Acredita-se que a necessidade, ou seja, por estarem desempregadas ou por uma jornada com horários não tão rígidos por conta dos filhos. Lembrando que no Brasil, há muitas mulheres que sustentam a sua família.

São Paulo concentra 1,4 milhão de empreendedoras, o que representa 20,9% das que empreendem no País. Nos últimos dez anos, o aumento foi de 44%. As áreas mais procuradas são serviços (27%), comércio (17%), indústria (3%) e agropecuária (8%). Comparando as empreendedoras e as ocupadas (abrangendo todas as ocupação), as empreendedoras têm uma remuneração maior.

Os profissionais que estudam o mercado de trabalho veem de forma positiva a presença feminina à frente dos novos negócios. As mulheres são criativas, inspiradoras, talentosas e focadas. Temos muitos exemplos de sucesso, Luiza Helena Trajano, dona de uma grande rede de lojas. Ela trabalha desde os 18 anos e, mesmo atuando nos negócios da família, ela passou por todos os setores na empresa até achar uma inovação que a levou ao sucesso. Temos muitas histórias como de Luiza.

Seja qual for o motivo que a leve a caminhar com maior independência, nunca deixe o seu sonho ficar no papel. Para ter algo que você nunca teve, é preciso fazer algo que você nunca fez. Desejo não só um, mas todos os dias de sucesso a nós, mulheres!

*Sandra Tadeu é vereadora de São Paulo (DEM)

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

"Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo?", questionou Bolsonaro (Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil)

Nacional

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), encerrou intempestivamente uma entrevista coletiva no 1º Distrito Naval, no Rio. O militar da reserva estava sendo perguntado sobre a continuidade dos atendimentos de saúde no Programa Mais Médicos, já que cerca de 8,3 mil profissionais podem deixar o País com decisão de Cuba de interromper a parceria. Bolsonaro respondeu apenas uma pergunta após ser questionado sobre o Mais Médicos - não comentou, por exemplo, a indicação do economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central (BC). O presidente eleito voltou a criticar os termos do acordo com Cuba no Mais Médicos, que prevê o repasse direto ao governo caribenho de 70% dos salários dos profissionais de saúde. Repetiu que a situação dos profissionais de saúde cubanos é "praticamente de escravidão" e questionou a qualidade dos serviços prestados. "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano. Será que devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia de que eles sejam realmente razoáveis, no mínimo? Isso é injusto, é desumano", disse Bolsonaro. O presidente eleito defendeu o exame presencial de validação do diploma dos médicos incluídos no programa. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres. Queremos o salário integral (dos médicos cubanos) e o direito (deles) de trazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis, que estão sendo desrespeitadas", resumiu Bolsonaro antes de encerrar a entrevista, que durou menos de cinco minutos. O futuro presidente do Brasil também prometeu asilo político para todos os médicos cubanos que pedirem. "Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a Medida Provisória (que criou o Mais Médicos), o governo da senhora Dilma (Rousseff) disse, em alto e bom som, que qualquer cubano que, por ventura, pedisse asilo, seria deportado. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui, (que) se justifica pela ditadura da ilha, terá o asilo concedido da minha parte", afirmou.

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião