Internacional

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a se referir à comoção sobre a interferência da Rússia na eleição norte-americana como "uma grande farsa". Em uma mensagem publicada em sua conta no Twitter neste domingo, o presidente minimizou o significado da interferência e da investigação dos EUA sobre as ações da Rússia.

Trump passou dias tentando tranquilizar o país de que aceita que a Rússia interferiu na eleição de 2016 após ter enfraquecido publicamente o papel das agências de inteligência dos EUA em entrevista coletiva ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Mas, neste domingo, Trump lançou dúvidas mais uma vez sobre o assunto. "Então o presidente Obama sabia sobre a Rússia antes da eleição", disse Trump no Twitter. "Por que ele não fez algo sobre isso? Porque é tudo um grande farsa, essa é a razão." Fonte: Associated Press.
BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

LeBron James iguala marca de grandes lendas do basquete como Michael Jordan (Foto: Reprodução/Facebook)

Esporte

Com 29 pontos e uma cesta decisiva no final do confronto, LeBron James liderou o time que levava o seu nome, em jogo encerrado na madrugada desta segunda-feira (no horário de Brasília), em Los Angeles, na vitória por 148 a 145 sobre a equipe de Stephen Curry nesta que foi a 67ª edição do All-Star Game, o Jogo das Estrelas da NBA.

Cestinha do confronto, o astro do Cleveland Cavaliers foi eleito pela terceira vez o Jogador Mais Valioso (MVP, na sigla em inglês) de uma partida festiva da liga de basquete dos Estados Unidos, igualando os feitos de Michael Jordan, Oscar Robertson e Shaquille O'Neal, também ganhadores por três vezes desta honraria.

Agora, o jogador de 33 anos de idade só está atrás de Bob Pettit e Kobe Bryant, que por quatro vezes cada foram consagrados como os melhores em quadra em uma partida do All-Star Game. Anteriormente, o atleta da equipe de Ohio faturou este prêmio em 2006 e 2008.

LeBron foi eleito MVP em uma edição no evento com formato inédito, no qual ele e Curry, astro maior do campeão Golden State Warriors, puderam escolher como capitães os jogadores de suas respectivas equipes. A NBA optou por abolir em 2018 o velho sistema no qual uma equipe da Conferência Leste encarava uma outra do Oeste, o que vinha ocorrendo desde 1951.

O novo formato foi instituído em uma tentativa de aumentar a competitividade do grande evento que fecha o final de semana de disputas do All-Star Game, que começou na noite da última sexta-feira. Como é de caráter festivo e consequentemente realizado com uma marcação mais frouxa por parte das defesas, o duelo muitas vezes se tornou desinteressante para o público, mas desta vez o que se viu foi uma das partidas mais emocionantes dos últimos anos no Jogo das Estrelas da NBA.

"Acho que eu e Stephen (Curry) assumimos a responsabilidade de fazer desse jogo mais competitivo quando iniciamos este formato para mudarmos a forma pela qual o jogo era disputado. Tentamos enfatizar a parte defensiva do jogo. Temos a melhor liga de basquete do mundo e queremos que ela cresça a cada dia. Decidimos mudar o formato e absolutamente deu certo para todos", comemorou LeBron, que além dos 29 pontos que marcou ainda ajudou o seu time com dez rebotes e oito assistências nos 31 minutos em que esteve em quadra.

No seu time de astros, LeBron atuou em uma formação titular que começou este duelo do All-Star Game com Anthony Davis, Kevin Durant, Russell Westbrook e Kyrie Irving. Já a formação inicial da equipe de Curry contou também com Giannis Antetokounmpo, Joel Embiid, James Harden e DeMar DeRozan. Este último, por sinal, foi o destaque maior do time com 21 pontos, seis rebotes, duas assistências e dois roubos de bola.

Klay Thompson, que é companheiro de equipe de Curry no Warriors, atuou novamente ao lado do astro nesta partida, mas jogou durante apenas 21 minutos e somou 15 pontos e quatro rebotes. Kevin Durant, que também integra o time dos atuais campeões da NBA, desta vez ficou na equipe de LeBron e foi o segundo maior cestinha da mesma, com 19 pontos.

No intervalo do jogo festivo, Shaquille O'Neal, Elgin Baylor, Julius Erving, Kareem Abdul-Jabbar, Jerry West, Magic Johnson e Bill Russell, nomes históricos da NBA, foram aplaudidos pelo público após serem apresentados no centro da quadra.

Depois deste confronto em Los Angeles, o All-Star Game de 2019 acontecerá em Charlotte, na Carolina do Norte, que será palco da 68ª edição do evento

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, números de casos em 2018 são menores do que os de 2017 (Foto: Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil)

Saúde

O Instituto Evandro Chagas apresentou nesta quinta-feira (15), durante coletiva de imprensa no Ministério da Saúde, pesquisa que aponta que o mosquito Aedes albopictus, conhecido como Tigre Asiático, está suscetível ao vírus da febre amarela em ambiente silvestre ou rural. Mosquitos infectados foram capturados, no ano passado, em áreas rurais próximas aos municípios de Itueta e Alvarenga, em Minas Gerais. O instituto é vinculado à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde.

Diretor do Evandro Chagas, Pedro Vasconcelos explicou que, se houver transporte do inseto para áreas urbanas, o mosquito pode vir a servir de vetor de ligação entre os dois ciclos possíveis da doença no Brasil: o ciclo urbano, que não tem sido mais registrado no país desde a década de 40, e o silvestre, que é o responsável pelas transmissões atuais. Essa possibilidade, no entanto, ainda não está confirmada.

“Em princípio, é uma evidência. A gente não pode falar em risco ainda pelo encontro do vírus nesse mosquito Aedes albopictus. Ele é um mosquito que, por sua filogenia, é mais silvestre que urbano ou periurbano. Como ele se adapta bem às áreas florestais, ele pode ter sido infectado por macacos, mas não se sabe ainda qual é a capacidade vetorial dele”, afirmou Vasconcelos.

Agora, o instituto deve trabalhar na avaliação dessa capacidade, pois apenas a presença do vírus não significa que o Aedes albopictus tenha adquirido o papel de vetor da febre amarela. Também será estudado, nos próximos dois meses, se mosquitos do gênero continuam apresentando presença do vírus nas cidades mineiras inicialmente investigadas.

A possibilidade desse mosquito atuar como transmissor intermediário já era investigada, dado que papel semelhante é exercido por várias espécies de Aedes na África, continente que ainda registra também a febre amarela urbana. “O encontro do vírus no mosquito, por si só, não autoriza a ninguém a afirmar que ele seja um transmissor da febre amarela, porque vários mosquitos são encontrados na floresta infectados, mas somente o [Aedes] haemagogus e sabethes é que são os transmissores da febre amarela silvestre”, de acordo com pesquisas já confirmadas.

O ministro Ricardo Barros avaliou que a descoberta “mostra que temos sido diligentes na busca de fatos novos e de entender por que houve aumento de casos [de febre amarela] no ano passado”. Para ampliar o escopo do estudo e a capacidade de avaliação, o ministério aprovou a realização de uma força-tarefa de captura de mosquitos em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia.

“Nós esperamos ter o cuidado e a cautela, como tivemos sempre, de averiguar todas as possibilidades, para que nós possamos controlar todos os episódios de febre amarela no Brasil”, acrescentou Barros. Ele também destacou a importância de a população manter-se vigilante e no combate ao já conhecido Aedes aegypti, que até as primeiras décadas do século 20 foi responsável por transmitir a febre amarela no ambiente urbano.

Número de casos

Na coletiva, o ministro descartou a ocorrência de epidemia de febre amarela neste momento e reiterou que não há registro de febre amarela urbana. O número de casos da doença é, inclusive, menor do que no ano passado. Entre 1° de julho de 2017 e 15 de fevereiro de 2018, foram 407 casos confirmados no Brasil. Em São Paulo, foram 118 até hoje; no Rio, 68; e no Distrito Federal, 1. No mesmo período do ano passado, foram 532 ocorrências.

Quanto aos óbitos, até agora foram 118, contra 166 no mesmo período de 2017. “Nós temos tido menos casos e menos óbitos do que no ano passado. Isso demonstra que as medidas preventivas foram adequadas”, apontou Ricardo Barros.

Mãe afirma que poderá visitar filha quando quiser (Foto: Arquivo pessoal)

Mundo

A menina Gabriella Boutros, 13, sequestrada em 2010 pelo próprio pai e levada ao Líbano, decidiu ficar no país asiático. A mãe, Claudia Dias de Carvalho Boutros, 39, ganhou, no ano passado, na Justiça a guarda da garota.

Em entrevista ao G1, ela disse que Gabriella só quer vir ao Brasil quando terminar os estudos. “Ficou acertado que minha filha passará as férias escolares comigo e depois retornará ao Líbano”, contou.

Desde 28 de dezembro, elas passaram por um processo de readaptação, já que ficaram distantes por sete anos. A menina fala árabe e inglês, o que dificulta a comunicação com a mãe. De acordo com Claudia, ela pode ir visitar Gabriella quando quiser.

Em 2010, o pai, Pedro Boutros, 42, se separou da mãe da menina, quando perdeu na Justiça a guarda da garota. Ele fugiu com Gabriella no mesmo ano e passou a ser procurado pela Interpol, mas o Líbano não é signatário da Convenção de Haia, o que impediu a prisão do homem e a repatriação da menina.

Em outubro de 2017, a Corte de Trípoli atendeu ao pedido feito pela defesa de Claudia e reconheceu que ela deveria ter a guarda de Gabriella. Ela viajou ao Líbano e ficou dois meses com a garota.

Divulgação

Mundo

Mais uma vez, o presidente norte-americano encontra-se envolvido em polêmica. O advogado pessoal de Donald Trump, Michael Cohen, afirmou ao jornal The New York Times na terça-feira, 13, que pagou US$ 130 mil à atriz de filmes pornográficos Stephanie Clifford, conhecida como Stormy Daniels, após ela ter dito que manteve um caso com Donald Trump em 2006, quando este já era casado com a atual mulher, Melania. Cohen disse que usou dinheiro próprio para fazer isso e que não obteve reembolso da campanha de Trump à presidência nem da Trump Organization.

Stephanie Clifford conhecida como Stormy Daniels

"O pagamento para a sra. Clifford foi legal e não foi uma contribuição de campanha nem um gasto de campanha para qualquer um", afirmou o advogado em comunicado ao jornal americano. O Wall Street Journal revelou primeiro sobre a transação financeira secreta em janeiro. Cohen se posicionou com a nota após a entidade que monitora o governo chamada Common Cause entrar na Justiça com a alegação de que o pagamento poderia ser enquadrado como uma contribuição ilegal à campanha de Trump.

Jonny Evans é um dos atletas envolvidos no furto (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Quatro atletas do West Bromwich, lanterna da Premier League, furtaram um táxi em Barcelona após comer no McDonald's, na última quarta-feira (14) segundo informações do site português Record. 

De acordo com a publicação, os jogadores pediram um táxi no hotel para ir até a lanchonete. Quando retornaram ao veículo, encontraram-no vazio e  com a chave na ignição, pois o motorista também havia saído para comer. Então, tiveram a ideia de dirigir o carro até o hotel.

O próprio clube identificou os quatro jogadores responsáveis pelo furto: Jonny Evans, Gareth Barry, Jake Livermore e Boaz Myhill.Eles utilizaram o site oficial do West Bromwich para pedir desculpas ao restante do elenco, à torcida, ao técnico e aos dirigentes pela atitude. 

A equipe é a última colocada do Campeonato Inglês, com 20 pontos, e volta a campo pela competição no dia 24 de fevereiro, quando recebe o Huddersfield. A delegação foi a Barcelona para uma semana de treinamentos.  

Para Unai Emery, histórico mostra que vaga para as quartas da Champions ainda não está definida (Foto: Reprodução/Facebook)

Futebol

Sob pressão no comando do Paris Saint-Germain e criticado principalmente por ter substituído o goleador Cavani pelo lateral-direito Meunier antes de o Real Madrid fazer dois gols e vencer o time francês por 3 a 1, na última quarta-feira, na Espanha, o técnico Unai Emery exibiu confiança ao já projetar o duelo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, no próximo dia 6 de março, na capital francesa.

Em entrevista coletiva concedida na véspera da partida que a sua equipe fará contra o Estrasburgo, neste sábado, em casa, pelo Campeonato Francês, o treinador exaltou a força que o PSG vem mostrando principalmente em seus duelos como mandante para apostar que o time de Neymar irá assegurar classificação às quartas de final da competição continental.

"A equipe teve uma boa partida na quarta-feira, mas, no futebol, às vezes é assim. Você pode ser melhor do que seu oponente durante a maior parte do jogo, mas não é bem-sucedido em concretizar as suas chances. Eles conseguiram marcar em suas melhores oportunidades. Estou convencido de que podemos obter a qualificação. Estou feliz com o trabalho dos meus jogadores, mesmo que não tenhamos conseguido o resultado desejado. O time será mais eficaz na partida de volta", afirmou o comandante.

Emery ainda lembrou do histórico recente de vitórias expressivas sobre grandes adversários em jogos do PSG como mandante na Liga dos Campeões para justificar a sua confiança de que a equipe eliminará o Real Madrid.

"Vencemos este ano todos os jogos em casa. E também vencemos o Bayern de Munique (por 3 a 0, em setembro de 2017) e o Barcelona (4 a 0, em fevereiro do ano passado). Penso nisso e estou convencido de que o time vai mostrar seu valor e vamos passar à próxima fase", completou o treinador, que também recordou o fato de que o clube parisiense já goleou o Real Madrid por 4 a 1, em 1993, em uma partida válida pela extinta Copa da Uefa, que na época tinha o mesmo status que hoje possui a Liga Europa.

O treinador também reforçou a sua confiança em Neymar, que exibiu uma atuação apagada no campo ofensivo em Madri e foi criticado por ter feito uma falta desnecessária que lhe rendeu cartão amarelo, sendo que correu o risco de ser expulso por outras posturas consideradas polêmicas ou imprudentes ao longo do jogo. "Neymar fez uma grande partida. Ele mostrou muitas coisas positivas. Se melhorar em alguns pequenos detalhes, mostrará o grande jogador que ele é", acredita Emery.

Com a cabeça inevitavelmente no duelo de volta contra o Real Madrid, o PSG ocupa a liderança disparada do Campeonato Francês, com 65 pontos, 12 à frente do vice-líder Monaco, que abre a 26ª rodada nesta sexta-feira em jogo contra o Dijon, às 17h45 (de Brasília), em casa.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou