14
Qua, Nov

Ser sustentável, além de tudo, maximiza lucros (Foto:Divulgação)

Economia

Ser reconhecida como uma empresa sustentável não é mais um diferencial. Passou a ser uma obrigação nos dias atuais. Marcas que não possuem certificados de sustentabilidade encontram dificuldades no mercado, cada vez mais competitivo.

O engenheiro de materiais André Cardoso, sócio da HYG Consultoria Ocupacional, afirmou que além da imagem positiva e da necessidade mercadológica, ser sustentável ainda maximiza os lucros das empresas que têm esta mentalidade.

“Ter uma preocupação com o meio ambiente faz com que a marca adquira uma ideologia preventiva, reduzindo os riscos de multas e processos trabalhistas em geral. Sem estes custos, o lucro, com certeza, será maior no final do mês”, argumentou.

Para Cardoso, a Natura é uma marca que entendeu bem o conceito de sustentabilidade. “Conheço casos em que a empresa deixou de usar um material atóxico apenas porque ele foi testado em animais. Isto demonstra um nível de comprometimento com as causas que defende de uma maneira verdadeira e coerente”, exemplificou.

Atuante na área metalúrgica, conhecida por ser agressiva ao meio ambiente, a engenheira de produção Michelle Marie de Souza Bruno citou marcas exemplares no combate à destruição do ecossistema. “Carterpillar e BASF possuem políticas de preservação à natureza muito interessantes. São empresas que entendem a importância da sustentabilidade. Não é só marketing. É necessidade”, afirmou. 

Diretor da Listone, empresa especializada no ramo madeireiro há quase uma década, Rogério Oezau declarou que também preza pela sustentabilidade. "Pensar no meio ambiente é uma obrigação nossa. Trabalhamos apenas com madeiras certificadas e buscamos o melhor aproveitamento das reflorestadas", pontuou. 

Shoppings sustentáveis

Responsável por alguns shoppings na Capital, como o Plaza Sul e o Campo Limpo, a empresa Sonae Sierra Brasil promove uma gestão sustentável da água, da energia e dos resíduos em seus empreendimentos.

De acordo com a gerente de Sustentabilidade e Segurança Patrimonial da Sonae Sierra Brasil, Elizabeth Morita, a mentalidade de respeito ao ecossistema reflete até no comportamento dos clientes que transitam pelos shoppings.

“Sabemos que a atuação social e ambiental responsável traz inúmeros benefícios para a marca, além de contribuir para o fortalecimento do negócio como um todo. Cientes do nosso papel, iniciamos há muitos anos um amplo trabalho em todos os nossos shoppings. Os visitantes dos nossos empreendimentos valorizam cada esforço que fazemos nesse sentido e se sentem um contribuinte do meio ambiente”, comentou. 

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Ao pegar produtos na prateleira do supermercado, consumidor deve verificar as informações contidas na etiqueta (Foto: Tânia Rêgo / ABR/Fotos Públicas)

Saúde

Se o leitor não tem costume de ler a etiqueta de informações nutricionais e a lista de ingredientes dos alimentos que consome, é melhor começar a mudar de hábito. Isto porque toda a embalagem de um alimento industrializado traz informações valiosas, como quantidade de vitaminas, açúcares, sódio (sal), gorduras, corantes, conservantes e outros componentes que mostram quão saudável (ou não) é o alimento em questão.

E estes dados são importantes não só para aqueles que procuram manter uma alimentação saudável, mas também para os que possuem determinados problemas de saúde e, necessariamente, devem seguir uma dieta personalizada para obter melhor qualidade de vida. “A nossa alimentação deve ter como base os produtos mais naturais possíveis. A dica é: desembale menos e descasque mais. Portanto, sempre que houver nos rótulos nomes muito estranhos e um excesso de ingredientes que não se reconhece, é sinal que o produto é altamente processado”, afirma Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da empresa Superbom.

A especialista explica que, na lista de ingredientes, os itens aparecem de acordo com a quantidade. Assim, o primeiro item é o que possui maior quantidade e o último, menor quantidade.  No entanto, em algumas situações, o mesmo ingrediente pode aparecer mais de uma vez, mas com nomes diferentes. É o caso do açúcar e do sódio, que possuem múltiplas designações e são vilões de diabéticos, hipertensos e portadores de doenças cardiovasculares. “O açúcar invertido, por exemplo, é um açúcar de fácil e rápida absorção, muito processado, que causa um pico de insulina muito maior no corpo. É um açúcar que está praticamente digerido”, afirma Cyntia. 

Outro item que está presente em quase todos os alimentos industrializados (sejam salgados ou doces) é o glutamato monossódico, um tipo de sal derivado do ácido glutâmico que tem como função realçar o sabor dos alimentos. Por isso, essa substância aparece em grande quantidade em temperos prontos, congelados, enlatados, macarrão instantâneo e biscoitos. Alguns estudos ligam o consumo exagerado do glutamato a doenças cerebrais e degenerativas da retina. “Na natureza, o glutamato pode ser visto em alimentos como tomate, cogumelos, soja, carnes e queijos e está associado ao sabor que chamamos de umami. Existe muita controvérsia sobre ele, porque não há estudos que digam exatamente os malefícios deste item ao consumidor. No entanto, sabemos que o excesso com certeza vai trazer algum problema. Muita gente fala de enxaqueca e enjoo”, comenta Matheus Motta, nutricionista do Vigilantes do Peso.  

 Corantes e gorduras

Responsáveis por deixar os alimentos com uma aparência mais atraente aos olhos, os corantes não devem ser vistos como meros coadjuvantes. O corante carmim, por exemplo, é proveniente de um inseto chamado cochonilha e faz parte da lista de ingredientes de diversos iogurtes, geleias e sobremesas, nas quais tem a função de dar uma cor avermelhada/rosada quando acrescentado. Como é muito pequeno e costuma ser utilizado em grande escala, são necessários mais de 70 mil destes insetos para fazer cerca de 500 gramas de corante carmim, que, para algumas pessoas, pode causar reação alérgica.

Outro corante bastante assíduo na mesa do consumidor brasileiro é o caramelo IV – presente em refrigerantes tipo cola. “Já é sabido que consumir muito desse corante pode causar doenças como o câncer. E diferente do que ocorre em outros países, no Brasil não há limite para a adição do caramelo IV”, explica Motta, do Vigilantes do Peso, que também faz ressalva à gordura vegetal hidrogenada. Originalmente, este componente está presente na natureza na forma líquida, assim como os óleos e os azeites.

No entanto, cotidianamente, a gordura vegetal hidrogenada é vendida na forma sólida, após ser modificada pela indústria. Dessa maneira, além de garantir um prazo maior de validade, confere uma consistência mais cremosa às receitas que utilizam este ingrediente, que aparece com frequência em sorvetes, congelados e biscoitos recheados.

“O excesso do consumo desse produto pode desencadear doenças cardiovasculares, doença no fígado e obesidade”, alerta o nutricionista. Vale lembrar que gordura vegetal hidrogenada é uma espécie de gordura trans, outro tipo prejudicial ao organismo por elevar o colesterol ruim. No dia a dia, a gordura trans pode ser encontrada em sorvetes, salgadinhos, bolos, biscoitos e margarinas. 

 

Os muitos nomes do açúcar

Glicose
Frutose
Lactose
Xarope de milho de alta frutose
Mel
Melado
Néctar de ágave
Xarope de arroz
Açúcar invertido
Suco de cana evaporado
Maltose
Maltodextrina
Galactose
Malte de cevada
Açúcar mascavo
Açúcar de coco
Açúcar de confeiteiro
Xarope de alfarroba
Dextrose
Etil maltol
Açúcar bruto orgânico
Açúcar de beterraba
Concentrado de suco de fruta
Frutose cristalina
Xarope de bordo
Açúcar dourado
Açúcar demerara

 

Equipe tenta salvar vítimas afetadas pelo vulcão (Foto: Luis Soto/AE)

Mundo

Autoridades guatemaltecas calculam que pelo menos 69 pessoas morreram vítimas do Vulcão do Fogo, mas apenas 17 foram identificadas. A dificuldade em reconhecer os corpos é consequência das temperaturas altas dos detritos vulcânicos, que tornam a maioria dos corpos irreconhecível.

"É muito difícil para nós identificá-los, porque alguns perderam suas características ou impressões digitais", disse o diretor do Instituto Nacional de Ciências Forenses, Fanuel García. "Vamos ter que recorrer a outros métodos e, se possível, coletar amostras de DNA para identificá-los", acrescentou.

A erupção surpreendeu moradores de aldeias remotas na região da montanha, deixando pouco ou nenhum tempo para que os habitantes fugissem para locais seguros.

Na noite da segunda-feira, 4, pessoas choravam sobre caixões enfileirados no principal parque de San Juan Alotenango. Como não há eletricidade nas áreas mais atingidas de Los Lotes e El Rodeo, os trabalhos de buscas param ao pôr do sol.

Trabalhadores utilizam pás e retroescavadeiras para vasculhar os destroços e a lama, enquanto o terreno ainda está quente o suficiente para derreter solas de sapatos. Alguns corpos encontrados estavam tão cobertos de cinzas que pareciam estátuas. Equipes de resgate precisaram usar marretas para atravessar telhados de casas enterradas em destroços e checar se havia sobreviventes no interior das residências.

A guatemalteca Hilda López disse que sua mãe e irmã ainda estavam desaparecidas depois que a mistura de gás quente, cinzas e pedras vulcânicas atingiu sua aldeia em San Miguel Los Lotes, localizada abaixo dos flancos da montanha. "Estávamos em uma festa, comemorando o nascimento de um bebê, quando um dos vizinhos gritou para que nós saíssemos e pudéssemos ver a lava que estava chegando", relembrou. "Nós não acreditamos e, quando saímos, a lama quente já estava descendo pela rua."

Ela relatou que a mãe ficou presa dentro do local. O marido de Hilda, Joel González, disse que seu pai também não conseguiu escapar e acredita que ele tenha ficado enterrado na parte de trás da casa.

O porta-voz da Coordenadoria Nacional para Redução de Desastres (Conred), David de León, informou que o vulcão entrou em erupção por volta do meio-dia de domingo, 3 (15h em Brasília), lançando fumaça e cinzas no céu.

Então, por volta das 14 horas (17h em Brasília), uma explosão maior aconteceu. Depois disso, fluxos de lava, cinzas, rochas vulcânicas e destroços jorraram pelos flancos da montanha, bloqueando estradas e queimando casas. "(Os fluxos) andaram muito rápido. Chegaram às comunidades quando os alertas de desocupação foram enviados", disse León.

Mesmo diante dos efeitos rápidos da erupção, as autoridades locais se esforçaram para emitir avisos. No entanto, em lugares como Los Lotes e El Rodeo, a cerca de 12 quilômetros da cratera, os alertas chegaram tarde demais.

As ruas e residências foram atingidas pelos materiais sólidos que chegaram a 700ºC e pelas cinzas e gases vulcânicos, que podem causar asfixia muito rapidamente. "Assim que recebemos a informação, por volta das 6h (9h de Brasília) de que o vulcão estava em fase eruptiva, o protocolo foi iniciado para verificar com diferentes setores e também para falar com as comunidades e seus líderes", disse León.

Ele acrescentou que especialistas guatemaltecos dizem que é provável que a movimentação vulcânica diminua. "Recebemos a informação de nosso serviço científico, nos dizendo que a tendência é que a atividade diminua", explicou.

Em El Rodeo, soldados armados e usando máscaras faziam guarda para isolar as cenas do desastre. Trabalhadores transportavam corpos para longe dali em macas e a fumaça ainda subia em algumas partes do local, coberto por rochas e outros detritos.

Equipes emergenciais de helicóptero conseguiram resgatar pelo menos dez pessoas vivas que estavam isoladas pelos fluxos vulcânicos. Segundo o Conred, 3,2 mil pessoas saíram de suas casas.

Número de mortos sobe para 69

O número de mortos após a erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala, que expeliu grandes colunas de fumaça e fragmentos em uma área rural do país, subiu para 69 nesta segunda-feira, 4. Ainda de acordo com as autoridades, há um número não determinado de pessoas desaparecidas.

A movimentação vulcânica começou pouco antes do meio-dia (15 horas de Brasília) do domingo, 3, lançando cinzas e rochas a 4,5 mil metros acima do nível do mar. As cidades próximas sofreram com a fumaça pesada e com o fluxo de pedras que desceram pelos flancos do vulcão, atingindo casas e estradas.

Segundo a Agência de vulcanologia da Guatemala, a erupção diminuiu por volta das 22h (1h desta segunda-feira, em Brasília). De acordo com o porta-voz da agência, David de León, os primeiros corpos foram encontrados na comunidade San Miguel Los Lotes. 

Com Vadão e convidadas especiais, Fut-Encontro vai falar sobre Marta (Foto: Divulgação/MoWa Press)

Cidade

O Fut-Encontro, em mais uma edição no Shopping Plaza Sul, vai falar, na próxima terça-feira, dia 7, a partir das 19h, sobre a evolução do futebol feminino após o surgimento de Marta e debater o momento do futebol feminino nacional, que, mesmo com tradição comprovada nos campos mundo afora, ainda caminha a passos curtos.

Marta Vieira da Silveira, alagoana de 32 anos, cinco vezes eleita a melhor jogadora do mundo. Magia, talento e o verdadeiro futebol arte. Uma perna esquerda capaz de desmontar qualquer defesa. Habilidade, genialidade e rapidez no raciocínio e na execução já a fizeram superar a barreira dos 100 gols com a camisa da seleção e ultrapassar o Rei Pelé, autor de 95 em 115 jogos com a amarelinha.

No “país do futebol”, surgem talentos individuais, mas faltam incentivos e melhor compreensão de diversos setores para oferecer estrutura básica para que a modalidade avance. As demandas passam por CBF, clubes, imprensa, calendário, empresas, público.

Nem mesmo os sete títulos da Copa América, as duas medalhas de prata nas Olimpíadas - em Atenas 2004 e Pequim 2008 - e o ouro no Pan-Americano de 2007, no Maracanã, foram capazes de levar o devido apoio às meninas.

A seleção para o bate-papo gratuito está escalada com um quinteto de craques: Vadão, técnico da seleção brasileira; Renata Ruel, árbitra assistente da CBF; Yara Fantoni, repórter da TV Bandeirantes; Gabi Nunes, jogadora do Corinthians e da seleção; e Mayra Siqueira, jornalista mediadora.

É papo de torcedor aliado ao jornalismo esportivo. Atividade gratuita, livre para todas as idades e válida para atividades complementares para alunos do ensino superior.

Sobre o Fut-Encontro

Desde 2012, o projeto debate variados temas relacionados ao esporte. A proposta consiste em oferecer novas experiências ao público e promover a discussão, sempre com a presença de atletas e ex-atletas, jornalistas, músicos e demais personalidades ligadas ao esporte.

Serviço

Debate “Marta, a reinvenção do futebol feminino”

Data: Terça-feira (7/8), a partir das 19h.

Local: Praça de Eventos – piso 1 do Shopping Plaza Sul – Praça Leonor Kauppa, 100 – Saúde – São Paulo.

Mais informações: http://www.shoppingplazasul.com.br/

Siga

www.futencontro.com.br

www.facebook.com/futencontro

www.twitter.com/futencontro

www.instagram.com/futencontro

Roger Guerreiro, ex-Flamengo, Corinthians e Polônia vai compartilhar sua bagagem no Fut-encontro desta terça, 3 (Foto: Reprodução/Flickr)

Cidade

As oitavas de final da Copa do Mundo terminam na próxima terça-feira, 3. Instantes depois do último confronto, a partir das 19 horas, a praça de eventos do Shopping Plaza Sul (piso térreo) recebe um timaço de convidados para debater e analisar o futebol apresentado no mundial da Rússia e, claro, palpitar sobre o desenrolar da competição.

Quem continua vivo na disputa? Como serão os confrontos das quartas de final? Essas e outras questões serão debatidas por craques da bola e da imprensa. O time entra em campo com Juliana Cabral, ex-jogadora da seleção feminina e atual comentarista na Espn Brasil; Roger Guerreiro, ex-jogador de Corinthians, Flamengo e da seleção da Polônia; Leandro Boudakian, repórter da rádio Transamérica; e Fernando Fontana, apresentador da RedeTV!

É papo de torcedor aliado ao jornalismo esportivo. Atividade gratuita, livre para todas as idades e válida para atividades complementares para alunos do ensino superior.

Sobre o Fut-Encontro

Desde 2012, o projeto debate variados temas relacionados ao esporte. A proposta consiste em oferecer novas experiências ao público e promover a discussão, sempre com a presença de atletas e ex-atletas, jornalistas, músicos e demais personalidades ligadas ao esporte.

Serviço

Debate “Raio-X da Copa do Mundo”

Data: Terça-feira (3/7), a partir das 19h.

Local: Praça de Eventos – piso térreo do Shopping Plaza Sul – Praça Leonor Kauppa, 100 – Saúde – São Paulo.

Mais informações: http://www.shoppingplazasul.com.br/

Leandro Guerreiro, ex-jogador de Corinthians e São Paulo, vai participar do debate (Foto: Reprodução/Youtube)

Cidade

Em mais uma edição no Shopping Plaza Sul, nesta terça-feira, 19, a partir das 19h, o Fut-Encontro vai abordar as expectativas em relação à Seleção Brasileira, após um empate decepcionante na estreia da Copa,  e aos principais rivais rumo à taça.

A Copa do Mundo da Rússia começou na quinta-feira, 14, com uma sonora goleada da anfitriã Rússia sobre os árabes. Mas, no contexto geral, quais as seleções chegam com força para levar a taça no 21º mundial da história? Os maiores craques do planeta bola já estrearam pela competição. Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar, Iniesta e tantos outros. As potências Brasil, Argentina, França e Alemanha são as reais favoritas? E a Bélgica, tida como um time competitivo, chega pra brigar de verdade?

Para responder a estas e outras questões, o Fut-Encontro reúne convidados especiais: os ex-jogadores Rosinei e Leandro Guerreiro; o apresentador Zé Luiz, que comanda o programa Balacobaco na Rádio 89 FM; além dos repórteres Gudryan Neufert, da Fox, e Fredy Junior, ex-Rádio Jovem Pan. É papo de torcedor aliado ao jornalismo esportivo. Atividade livre para todas as idades. Válida para horas complementares, no caso de alunos do ensino superior.

Serviço

Debate “Primeiros jogos da Copa: projeções e palpites”

Data: Terça-feira (19/6), a partir das 19h.

Local: Praça de Eventos – piso térreo do Shopping Plaza Sul – Praça Leonor Kauppa, 100 – Saúde – São Paulo.

Mais informações: http://www.shoppingplazasul.com.br/

Variedade de cores e animação são marcas do festival, que terá 16 horas de música (Foto: Divulgação)

Fora dos Trilhos

No dia 2 de junho, a Arena Anhembi vai receber as cores e a sonoridade do Milkshake Festival, que, este ano, já tem mais de 30 atrações confirmadas. A comemoração será feita na véspera da maior parada LGBTQ do mundo e tem previsão de durar 16 horas. Entre os artistas confirmados estão Pabllo Vittar, Preta Gil, Wanessa Camargo, Gretchen e diversos DJs nacionais e internacionais.

Além destes, haverá a volta aos palcos do Balão Mágico, conforme o Metrô News mostrou, com sua formação original, celebrando os 35 anos de criação desta nostálgica turma. Essa é a segunda edição do Milkshake Festival realizada no Brasil e tem o selo Pride Week, criado para designar ações que movimentam a Capital na Semana do Orgulho Gay.

O Live Stage terá capacidade de receber até 15 mil pessoas e será o maior palco montado na arena. Duas sensações da cena LGBTQ que também estarão presentes são a cantora e rapper paulista Gloria Groove e a cantora Lia Clark, famosa pelo hit Boquetáxi. O grupo La Plata é outra presença confirmada no evento.

Com capacidade para oito mil pessoas, o Supertoys Stage será o palco que irá receber os DJs que ditam a batida eletrônica no Brasil e no mundo e será formado por telões de alta definição e um gigantesco robô, que se movimentará ao som das atrações. Entre as estrelas que comandarão as pickups está Valentijn de Hingh, modelo transexual holandesa. Os ingressos para o Milkshake Festival podem ser adquiridos em https://bit.ly/2GeLPAf.   

Concurso Cultural Rainha Drag Queen

O Milkshake Festival continua com inscrições abertas para o Concurso Cultural Drag Queen, que permitirá as cinco melhores colocadas desfilarem no Catwalk Natura: um espaço dentro da edição brasileira.

Para participar, a artista deve gravar um vídeo de até um minuto, realizando uma performance Lip Sync, o que significa fazer uma dublagem labial de uma música em uma gravação sem cortes. Com a produção em mãos, basta enviá-la pelo www.milkshakefestival.com.br/concurso até 24 de maio. Os vídeos estarão disponíveis para votação de 25 a 28 deste mês 

A ganhadora da competição será premiada com uma viagem, com direito à acompanhante, para curtir o Milkshake Festival em Amsterdã, na Holanda, que acontecerá em 28 e 29 de julho deste ano.  

Serviço

Milkshake Festival 2018
Arena Anhembi
Avenida Olavo Fontoura, 1.209
Sábado, 2 de junho, com início às 16h
Ingressos a partir de R$ 180

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a decisão pelo Twitter (Foto: Divulgação)

Mundo

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou há pouco a indicação do embaixador Ernesto Fraga Araújo para o cargo de ministro das Relações Exteriores de seu governo. Diplomata há 29 anos, Araújo é diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. Bolsonaro anunciou a indicação por meio de sua conta no Twitter. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje”, escreveu o presidente eleito, classificando o diplomata como um “um brilhante intelectual.” Com o novo anúncio, sobe para oito os nomes confirmados para a equipe ministerial do governo eleito. Alguns escolhidos atuam diretamente no governo de transição. Nas declarações públicas, Bolsonaro avisou que pretende reduzir de 29 para de 15 a 17 o número de ministérios, extinguindo pastas e fundindo outras. A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

"Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares", disse o presidente eleito (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Saúde

O governo cubano informou nesta quarta-feira, 14, que está se retirando do programa social Mais Médicos do Brasil após declarações "ameaçadores e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou mudanças "inaceitáveis" no projeto do governo. O convênio com o governo cubano é feito entre Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). "Diante desta realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública (Minasp) de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana da Saúde (OPS) e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam esta iniciativa", anunciou a entidade em um comunicado. Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos mais de 11 mil médicos cubanos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência no programa "à revalidação do diploma", além de ter imposto "como via única a contratação individual". O programa Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras. Quando são abertos chamamentos de médicos para o programa, a seleção segue uma ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso sobrem vagas, os médicos cubanos são convocados. "Não é aceitável que se questione a dignidade, o profissionalismo e o altruísmo dos colaboradores cubanos que, com o apoio de suas famílias, presta serviços atualmente em 67 países", declarou o governo. "As mudanças anunciadas impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa, que foram ratificados em 2016 com a renegociação da cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde do Brasil e de Cooperação entre a Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde Pública de Cuba. Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", informou em nota o Ministério da Saúde. De acordo com o governo cubano, em cinco anos de trabalho no programa brasileiro, cerca de 20 mil médicos atenderam a 113.539 milhões de pacientes em mais de 3,6 mil municípios. "Mais de 700 municípios tiveram um médico pela primeira vez na história", disse o governo. Segundo o governo de Cuba, mais de 20 mil médicos cubanos passaram pelo Brasil e chegaram a compor 80% do contingente do Mais Médicos, criado no governo Dilma Rousseff. Cuba anunciou que manteria o programa depois do impeachment da ex-presidente petista, apesar de considerar o afastamento um "golpe de Estado". Bolsonaro critica Cuba O presidente eleito Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar a decisão do governo cubano.  Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018 Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável! — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 14 de novembro de 2018

e temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", questionou Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Nacional

O presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta quarta-feira, 14, que quer preservar o meio ambiente, mas "não dessa forma que está aí". Ele culpou políticas ambientais e indigenistas pelo atraso de algumas regiões do País e disse que "o índio quer ser o que nós somos". Bolsonaro citou como exemplo a situação de Roraima, que disse ter potencial para ser "o Estado mais rico do Brasil". "Se não tivesse problemas ambientais e indigenistas, tinha tudo para ser Estado mais rico do Brasil. Esse é um problema que temos que resolver. O índio quer ser o que nós somos, o índio quer o que nós queremos. Se temos na Bolívia um presidente índio, por que aqui o índio tem que ficar confinado numa reserva?", declarou Bolsonaro . Durante reunião com governadores, em Brasília, Bolsonaro contou que está na iminência de anunciar o nome do seu ministro do Meio Ambiente e afirmou que "não será o que dizem". Lembrou, ainda, que desistiu de fundir a pasta com a Agricultura por orientações do setor produtivo.

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

A solução dos problemas começa com um diálogo franco e aberto. Daí ser louvável a reunião agendada para hoje, em Brasília, entre o presidente eleito Jair Bolsonaro e os 27 novos governadores do País. Todos eles têm um grande desafio pela frente, mas, evidentemente, se trabalharem em parceria, e não boicotando o que pode ser bom para o Brasil, haverá grande chance de que os remédios necessários sejam encontrados e o trabalho seja bem feito. Os futuros chefes do Executivo estadual têm muito a contribuir com o presidente eleito. E, politicamente, também têm muito a ganhar, quando o projeto deste novo Brasil der certo. Percebe-se que, aos poucos, as nuvens negras de uma campanha desgastante vão se dissipando, a razão começa a prevalecer e, ao invés de torcer contra, é cada vez maior o número daqueles que preferem alimentar a esperança que a descrença. Aliás, uma célebre frase do escritor latino Públio Siro, diz que “quem perdeu a confiança não tem mais o que perder.” A hora não é para isso. Na verdade, o momento pede que se dê crédito aos novos condutores da Nação e que se guardem as pedras previamente preparadas para serem jogadas na vidraça. E muitos dos novos governadores estão dispostos a ajudar Bolsonaro, inclusive na aprovação da reforma da Previdência, essencial para o ajuste das contas públicas do País. Por sua vez, a maioria das Unidades da Federação também está com suas contas no vermelho, por gastarem mais do que arrecadam, e esperam suporte da União para manter a máquina funcionando. Relatório do Tesouro Nacional, por exemplo, apontou que 16 Estados mais o DF descumpriram a Lei de Responsabilidade Fiscal no ano passado, ao destinar mais de 60% da receita para o pagamento de salários e aposentadorias. Assim, sobra cada vez menos para serviços básicos, como segurança e educação. Os problemas são complexos, daí a necessidade do diálogo e da busca por novas perspectivas. E a reunião de hoje em Brasília, com Bolsonaro e os governadores, oferece exatamente esta oportunidade. Desde agora, a capacidade de cada um deles estará colocada à prova, mas já começam bem, buscando o apoio e o entendimento mútuo, ao invés da divisão pura e simples. No final, quem ganha mesmo com isso é o Brasil e os brasileiros. Ainda bem!
or
or

Articulistas

Colunistas

Sucesso do agronegócio é fundamental para a economia brasileira e a geração de empregos (Foto: Antonio Costa/Fotos Públicas)

Opinião

Doria é um dos governadores eleitos que já declararam apoio a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Opinião

Tentaram boicotar até um programa que visa a ajudar crianças com deficiência física, o Teleton, apenas por que Sílvio Santos agradeceu e enalteceu o presidente eleito (Foto: Reprodução/SBT)

Opinião

O uso de bicicletas reduz problemas na Mobilidade e na Saúde, como a diminuição da poluição (Foto: Rovena Rosa/Ag Brasil/Fotos Públicas)

Opinião