12.4 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022

Conheça o projeto de time europeu que paga seus jogadores em Bitcoin; Descubra os valores

Talvez um dos precursores da “moda” que hoje está presente em grande parte das modalidades Esportivas, o AZ Alkmaar, um dos principais clubes de futebol holandeses conta com um projeto que faz com que seus jogadores, tenham a possibilidade de receber pagamentos em Bitcoin.

Através de uma parceria com a exchange de criptomoedas Bitcoin Meester, o clube passou como uma das cláusulas do contrato a oferecer parte dos salários na principal criptomoeda do mundo.

A Bitcoin Meester além da iniciativa com Bitcoins no AZ, participa diretamente em programas de ativação para a equipe, que na temporada passada disputou a Conference League, a nova competição da UEFA que traz a campo uma reunião daqueles que são considerados o “terceiro escalão” da Europa.

Apesar de pioneiro em um segmento que apesar de interessante e em partes até vantajoso, o AZ até hoje não conta com um dos serviços que atualmente se tornou comum dentro do futebol, os Fan Tokens.

Presentes nas maiores equipes do mundo, os Fan Tokens são uma forma de aproximar a torcida do time do coração, através de iniciativas que promovem a inclusão do público em um ambiente de compra de ativos e Web3.

O AZ conta com a 4° maior torcida da Holanda, atrás dos três gigantes do país e da Europa, Feyenoord, PSV e Ajax. Tema que traz ainda mais a tona o debate do porque o time não possui seu próprio FTO (Fan Token).

Descubra como ficam os salários dos jogadores do AZ em Bitcoins

Apesar de não ter uma das folhas salariais mais valiosas do Campeonato Holandês, muito menos de toda Europa, o AZ tem de bancar seus milhões de Euros anuais para manter seus jogadores.

Assim como a maioria dos times holandeses, o AZ é conhecido por um time jovem, que consequentemente, ganha menos, tendo os medalhões como os mais bem pagos.

Esse é o caso de Clasie, volante da equipe, de 31 anos e com experiência na Premier League e até mesmo na seleção nacional, que conta com o maior salário do plantel.

O atleta ganha anualmente na casa dos 1,1 milhões de euros por ano, mais de 7 milhões de reais segundo conversão atual.

No entanto, se esse valor for transferido para Bitcoins, ficaria algo em torno de 49 BTC (Bitcoin). Semanalmente, que é como costuma se receber no velho continente entre os atletas de futebol, Clasie recebe 0,96 BTC.

Atrás de Clasie está outro “veterano” no elenco, que pode ter a alcunha de mais experiente com apenas 24 anos, em um time de 21 anos como média de idade.

O sueco ganha anualmente 790 mil euros e semanalmente 15 mil. Convertidos para Bitcoins, esses valores iriam para 34 e 0,66 BTCs, respectivamente.

Fechando o top 3 dos salários mais altos do AZ Alkmaar, está Martins Indi, zagueiro de 31 anos que foi titular da seleção holandesa que ficou em terceiro lugar na Copa de 2014 disputada no Brasil.

O jogador ganha 600 mil euros anuais, pouco mais de 3,2 milhões de reais. Semanalmente, 11 mil euros (58 mil reais). Transferidos para Bitcoin, Martins Indi recebe algo em torno de 26,9 BTC anuais e 0,48 Bitcoins semanais.

LEIA MAIS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS