22
Seg, Out

Danças típicas são comuns no tradicional festival paulista (Foto: Ivo Lindbergh)

Cidade

A 58ª edição do Revelando São Paulo reúne espaços de culinária, artesanato e apresentações culturais de 162 municípios de todo o Estado de São Paulo. Este ano, o evento acontece no Parque do Trote, na Vila Guilherme, até domingo, 23.

Quem passar pelo local poderá degustar um café caipira, torrado e moído na hora e provar refeições como galinhada, feijão tropeiro, entre outros pratos típicos do interior paulista. “Dizem até que este evento se chama engordando São Paulo”, brincou Diego Dionísio, que coordena o evento.

Ao todo, estarão abertos 80 espaços de artesanato, 100 estandes de culinária e 50 fogões à lenha, que estarão em operação o tempo inteiro. A edição desse ano também comemora os 70 anos da Comissão Paulista e Nacional de Folclore. Toda a programação do evento está disponível no Facebook.

Serviço

58º Revelando São Paulo
De 19 a 23 de setembro, das 9h às 21H. Avenida Nadir Dias de Figueiredo, s/n, no Vila + (antigo Mart Center), Vila Guilherme. Entrada gratuita.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Uma réplica em tamanho natural de um barracão de prisioneiros judeus, objetos e peças de vestuários, pôsteres da propaganda nazista. Logo na entrada, a famosa frase do portão do campo de Auschwitz Arbeit Macht Frei (O trabalho liberta, em tradução livre), seguida pela foto de Anne Frank, a garota alemã cujo diário se transformou em uma das mais conhecidas obras do período do Holocausto. Uma exposição inaugurada no último dia 9 em São Paulo vai levar o visitante de volta ao passado para um período importante, embora trágico, da história mundial.

Considerado um dos episódios mais cruéis da humanidade, o Holocausto vitimou durante a Segunda Guerra Mundial mais de 6 milhões de judeus, entre eles 1,5 milhão de crianças, mas ainda é pouco conhecido entre os brasileiros, especialmente os mais jovens. Para preencher essa lacuna, o Memorial da Imigração Judaica inaugurou a exposição permanente sobre o tema e passa a se chamar, a partir da abertura ao público, Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto.

“Essa preservação da memória é fundamental e é feita no mundo inteiro. Há museus do holocausto nas maiores capitais do mundo, então uma capital como São Paulo não podia deixar de ter seu Memorial do Holocausto”, disse o professor de história judaica Reuven Faingold, diretor de projetos educacionais do Memorial.

Desde sua concepção até sua inauguração, a mostra consumiu seis meses de preparação, com um eixo central: além de ser uma exibição de objetos, fotos ou vídeos históricos, é um local que produz um efeito sensorial no visitante. “Tentamos fazer um museu vivo, no sentido de que o visitante sinta na pele um pouquinho do que aqueles prisioneiros sentiram”, diz Faingold.


Vivência – No local há a réplica de um barracão de prisioneiros(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Contato com objetos autênticos

A exposição do Memorial também proporciona contato com objetos autênticos pertencentes às vítimas do Holocausto e doados por seus familiares que hoje residem no Brasil. Outra seção comovente é a que exibe desenhos feitos por crianças prisioneiras dos campos de concentração, que retratam cenas observadas durante a terrível estadia naqueles locais.

A exposição ainda exibe vídeos em uma sala especial que narram episódios da época, como a Noite dos Cristais, quando nazistas lançaram uma onda de ataques a judeus em várias regiões da Alemanha e da Áustria em 1938, ou filmes de propaganda feitos para exaltar o governo nazista de Adolf Hitler.


História – Anne Frank também é lembrada na exposição permanente (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Para que jamais volte a acontecer

Faingold falou também sobre a importância de divulgar a exposição entre alunos e ensinar algumas definições pouco conhecidas pelos jovens brasileiros.

“É preciso falar o que é um genocídio, dar exemplos, e contar o que foi o Holocausto: foi apenas um em toda a história da humanidade, pela brutalidade, pelas etapas e a abrangência do fenômeno, pelo uso e abuso de tecnologias na indústria da morte, por todos esses motivos o Holocausto é diferente de outro tipo de genocídio”, explica. “Nós vamos tratar, dentro do possível, para que escolas estaduais com menos recursos possam vir aqui e visitar nosso memorial”, disse ele.

O Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto, fica na Rua da Graça, 160, Bom Retiro, próximo à Estação Luz do Metrô. A exposição permanente pode ser vista, gratuitamente, de segunda a quinta-feira, das 9h às 17h e, às sextas-feiras das 9h às 15h. Aos domingos, a visitação só ocorre mediante agendamento.


Memória – Mostra expõe objetos originais de vítimas da II Guerra (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Programação sobre Rei do Baião atende crianças e adultos (Fotos: Reprodução/Facebook)

Fora dos Trilhos

O sertão do Brasil é apresentado na programação Fim de Semana em Família, nos dias 31 de março e 1º de abril (sábado e domingo), no Itaú Cultural, por meio da música regional e de seu maior representante, Luiz Gonzaga. Todas as atividades são gratuitas.

A partir das 14h, tem a oficina Chapéu de Cangaceiro, comandada pela atriz Cris Miguel. Mais tarde, às 16h, ela e o artista Danilo Tomic apresentam o espetáculo Sanfona Velha do Fole Furado.

Com atividades lúdicas, as crianças e seus acompanhantes mergulham no universo de Luiz Gonzaga nesta oficina, que ensina os pequenos a confeccionarem um chapéu de cangaceiro, utilizando apenas EVA (espuma vinílica acetinada), cola e tesoura, e apresenta a vida e canções do sanfoneiro conhecido também como Mestre Lua. Esta atividade dialoga com o espetáculo em que bonecos, personagens da peça Sanfona Velha do Fole Furado, interagem com o público.

 A partir das 16h, Cris Miguel e o artista Danilo Tomic apresentam o espetáculo Sanfona Velha do Fole Furado. A peça é realizada em forma de teatro de bonecos e xilogravuras para contar o universo do sertão. Ela faz uma homenagem a Gonzagão, contando a história de Severino do Xaxado, filho de cangaceiro que conhece muito sobre este gênero musical, mas não sabe nada a respeito dos outros ritmos.

Severino se aventura pelo Rio de Janeiro, apaixona-se pelo baião e decide viajar para tocar sanfona. Em sua jornada acaba conhecendo o xote, o baião e o forró. O espetáculo fala ainda sobre a seca no nordeste, Lampião e Maria Bonita. Toda a trilha musical é executada ao vivo com sanfona, zabumba, triângulo e piano.

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca

Como já é tradição no Fim de Semana em Família, a partir das 11h, o público pode começar a se divertir com o Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca.

Uma das sugestões é o livro No meio da noite escura tem um pé de maravilha, de autoria de Ricardo Azevedo. O livro resgata dez contos folclóricos que no passado eram contados de pais para filhos. São histórias que falam da existência, espalham brilho e magia em qualquer lugar ou época, mas, que ainda assim, estão ameaçadas de se perderem no meio da noite escura. Esta e outras histórias podem ser lidas no Cantinho da Leitura, onde estão disponíveis 30 publicações do acervo infanto-juvenil da biblioteca do Itaú Cultural. Uma oportunidade para novos aprendizados e novas descobertas.

Na Feirinha de Troca, os pequenos podem trocar uma obra infanto-juvenil – como livro, gibi e DVD – por outra, escolhida entre os materiais disponibilizados pelo instituto. No espaço, monitores e voluntários estão à postos para ajudar no que for preciso.

Neste final de semana, o grupo Rádio Sucata conta histórias no Cantinho da Leitura. Destaque para o conto africano As panquecas de Mama Panya, que identifica a amizade e o compartilhamento como elementos importantes da vida em sociedade.

 

 

Atriz estava há três anos longe da TV (Foto: Reprodução/Facebook)

Fora dos Trilhos

Hoje eu inicio a minha coluna comentando o processo movido contra o humorista Dedé Santana, na cidade de João Pessoa (PB), desde janeiro deste ano.  O autor é Edvan Araújo, que já foi funcionário da Record e até tentou levar Dedé Santana para a emissora, fato esse que acabou não dando certo por uma série de razões.

O empresário cobra na Justiça R$ 285 mil por perdas e danos morais, pois, segundo ele, anunciou  os shows do humorista, que não apareceu, inclusive nas reuniões que eram marcadas. Dedé não deu as caras. Por outro lado, a coluna teve informações que Vitor Lustosa, responsável pela carreira do humorista, confirmou a ausência dele. 

Lustosa disse que cancelou, em cima da hora, as apresentações do humorista, até porque nem a passagem de volta o empresário teria mandado. Além disso, depois de checar várias informações, ele teve conhecimento de que não havia nenhuma divulgação dos shows e que não haveria público para o humorista.

A bem da verdade, existem muitos aventureiros pelo Brasil que se dizem  empresários de determinados artistas, mas, na real, compra datas, às vezes até de terceiros,  para tentar vendê-las em alguma cidade. Como o artista tem compromisso com o aventureiro, cobra a sustentabilidade do show e, muitas vezes, o aventureiro não tem esse dinheiro para bancar.

Com a primeira entrevista do juiz Sérgio Moro, a TV Cultura fez o Roda Viva bater recorde de audiência, na última segunda-feira, com uma média de 3,8 pontos percentuais, em São Paulo. Em 18 anos no ar, foi a melhor audiência do programa, até pela importância do entrevistado. A emissora deve reprisar o programa no final de semana.

Longe da TV há três anos, a atriz Helena Rinaldi recusou novelas na  Record e agora volta à Globo. Nos últimos anos, a atriz se dedicou só ao teatro, deixando a televisão de lado. Ela retorna protagonizando o seriado Carcereiros, com estreia na Globo em junho deste ano, a partir das 23h, de segunda a sexta-feira.

Silvio Santos continua ganhando da Globo aos domingos com o seu programa. Com muito carisma e bom humor, o Homem do Baú vem mantendo a liderança no horário com suas brincadeiras e os convidados. No último domingo, Silvio disse: “já transei no banheiro do avião”, para a surpresa de todos. Silvio chega na próxima semana dos Estados Unidos, onde curte as férias.

Outro programa que já começa a pontuar bem na Rede TV é o do João Kleber. Trata-se de uma apresentação diferente, com pegadinhas bem humoradas e um elenco diversificado, que vem alavancando a audiência aos domingos, à noite. Na Rede TV, comenta-se que o apresentador ganhará outro programa na emissora.

Frase final:  “Toda força é fraca se não é unida”, Jean de La Fontaine.

Atriz vai conversar com público sobre sua carreira (Foto: Matheus José Maria/Divulgação)

Fora dos Trilhos

A atriz Andréa Beltrão protagoniza a peça Antígona, no Itaú Cultural, de 23 a 25 de março e de 30 de março a 1 de abril (sextas-feiras, sábados e domingos). A entrada é gratuita, mas os espectadores necessitam chegar com antecedência para pegar ingressos (veja mais abaixo). O texto é de Sófocles e foi traduzido por Millôr Fernandes. A produção ainda conta com a direção de Amir Haddad.

Estreada em 2016, a peça Antígona traz Andréa Beltrão como a personagem-título da trama: uma jovem princesa que enfrenta a ordem do rei Creonte de deixar seu irmão, que lutou na guerra, sem sepultura. Ao desobedecer a determinação real, ela paga com a própria vida. É estabelecido, então, o confronto entre o Estado e o cidadão.

 A história se passa em Tebas e foi escrita há 2.500 anos por Sófocles. Fez tanto sucesso na época que o público ateniense ofereceu ao autor o governo de Samos, uma das ilhas gregas. Na Antígona de Haddad e Andréa, ao contrário do autor original, que partiu do mito já conhecido para o teatro, parte-se do teatro para chegar ao mito que dá nome ao espetáculo.

Interação com o público

Andréa Beltrão participa da primeira edição do projeto Camarim em Cena de 2018. Com mediação da jornalista especializada em teatro Maria Eugênia de Menezes, a atriz conversa com o público sobre o momento que antecede o ato de entrar no palco e sobre sua carreira, iniciada no Teatro Tablado, em 1978. A ação ocorre no dia 30 de março, sexta-feira, às 16h. 

Serviço

Antígona

Com Andréa Beltrão

Dias 23, 24, 30 e 31 de março (sextas-feiras e sábados), às 20h

Dia 25 de março e 1 de abril (domingos), às 19h

Duração: 60 minutos

Classificação Indicativa: 16 anos (possui cenas de violência e suicídio).

Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô.

Fones: 11. 2168-1776/1777

Ingressos

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

Público preferencial: 2 horas antes do espetáculo (com direito a um acompanhante)

Público não preferencial: 1 hora antes do espetáculo (um ingresso por pessoa)

Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho, 108

Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural:

3 horas: R$ 7; 4 horas: R$ 9; 5 a 12 horas: R$ 10.

Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.

Teatro na zona oeste da Capital recebe show premiado na Turquia

Fora dos Trilhos

O espetáculo Mato Grosso Dançando Brasil chega ao Teatro J. Safra (Josef Kryss, 318, Barra Funda) nos dias 30, 31 e 1º de abril. A apresentação, de autoria do grupo cuiabano Flor Ribeirinha, foi campeã no festival turco Büyükçekmece, o maior evento sobre folclore do mundo, em 2017. À época, atrações de 97 países diferentes participaram da disputa.

Com ingressos a partir de R$ 12, 50, o show é uma homenagem às manifestações tradicionais do nosso País. Os bailarinos encenam danças tradicionais brasileiras, com várias nuances, personagens, ritmos e gestualidades, compondo um belíssimo repertório. Serão homenageados o Boi Bumbá de Parintins (Norte), a Dança Gaúcha (Sul), o Frevo (Nordeste), o Siriri Cuiabano (Centro-Oeste) e o Samba (Sudeste).


SERVIÇO

Mato Grosso Dançando Brasil
Apresentação: 30, 31 de março e 01 de abril de 2018
Horário: 21h30 (sexta-feira), 21h (sábado) e 20h (domingo)
Classificação: Livre
Duração: 60 minutos

Ingressos
A partir de 12,50 (meia entrada)
Plateia Premium: R$ 50,00
Plateia VIP: R$ 40,00
Mezanino: R$ 30,00
Mezanino com visão parcial: R$ 25,00

Teatro J. Safra
Endereço: Rua Josef Kryss, 318 - Barra Funda - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3611-3042
Abertura da Casa: 2 horas antes de cada horário de espetáculo, com serviço de lounge-bar no saguão do Teatro.
Capacidade da casa: 627 lugares
Acessibilidade para deficiente físico

Estacionamento
Valet Service (Estacionamento próprio do Teatro) - R$ 25,00
Horário de Funcionamento da bilheteria
Quartas – 14h às 21h
Quintas, Sextas, Sábados e Domingos – 14h até o horário dos espetáculos
Vendas on-line: www.teatrojsafra.com.br

Vendas por telefone: (11) 2626-0243
Aceita os cartões de débito e crédito: Amex, Dinners, Elo, Mastercard, Visa e Hipercard. Não aceita cheques.

Catavento já recebeu mais de 4 milhões de visitantes (Foto: Divulgação)

Cidade

O Museu Catavento, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, completou nove anos na última segunda-feira, 26. A programação especial para comemorar a data conta com diversas atividades, para todas as idades, que prosseguem até o final do mês de abril.

A instituição recebeu, no último ano, mais de 560 mil visitantes. O espaço conta com mais de 250 instalações, que incluem um borboletário (tipo de zoológico que preserva espécies de borboletas), sala de realidade virtual, jardim de polinizadores e diversas exposições sobre o universo, a física, a biodiversidade e a anatomia humana. Desde a sua inauguração, em 2009, mais de 4 milhões de pessoas já passaram pelo museu que fica no Centro da na capital paulista.

Para celebrar a data, aos sábados e domingos, das 10h às 16h, as famílias podem participar da “Oficina Desenhando o Catavento” e aprender técnicas de observação, enquanto se divertem explorando o museu e registrando em um caderno utilizado para desenhar rascunhos.

Serviço

Catavento Cultural e Educacional Catavento Cultural e Educacional

Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/n (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro.

Aberto de Terça a domingo, das 9h às 17h

Ingressos: R$ 10 (inteira) / R$ 5 (meia) / Gratuidade para todos os públicos aos sábados.

VEJA NOSSA EDIÇÃO VIRTUAL

Na capital, tucano tem rejeição de quase 40% (Fotos: Reprodução/Twitter e Carlos Bassan/Fotos Públicas)

Cidade

De acordo com levantamento divulgado nesta segunda, 22,  pelo Instituto Paraná Pesquisas, o candidato tucano ao governo do Estado, João Doria, cresceu quase dois pontos percentuais na disputa contra Márcio França (PSB). O ex-prefeito da Capital tem 54,1% das intenções de voto (antes, eram 52,3%). Já o atual governador caiu de 47,7% para 45,9%. Dentre o eleitorado paulistano, 37,6% afirmaram que votariam com certeza em Doria, enquanto 21,7% poderiam votar nele. O índice de rejeição do tucano é de 38,9%. No caso de Márcio França, 31,7% contaram que têm convicção na escolha por ele, 25,8% disseram que poderiam votar e 40% não votariam de jeito nenhum. Ainda segundo a pesquisa, a grande maioria dos paulistas acredita que João Doria será o próximo governador do Estado: 58,5% dos entrevistados têm essa percepção. Apenas 31,6% imaginam que França pode ganhar a eleição.No caso da opção de voto para presidente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 69,1% do eleitorado paulista, enquanto Fernando Haddad (PT) te, 30,9%. Foram entrevistados 2.010 eleitores, entre os dias 18 e 21 de outubro, em 88 municípios do Estado.

Ex-capitão lidera em todas as pesquisas (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Nacional

Nova pesquisa do BTG/FSB, divulgada nesta segunda-feira, 22,  mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) aumentou sua vantagem dentro da margem de erro contra Fernando Haddad (PT). Segundo o levantamento, o ex-capitão conta com 60% dos votos válidos, contra 40% do adversário. A margem de erro continua sendo de dois pontos percentuais. No último estudo, publicado em 14 de outubro, Bolsonaro aparecia com 59% das intenções de voto, contra 41% do petista. No cenário espontâneo, quando o nome dos candidatos não é dito ao entrevistado, o ex-militar caiu um ponto percentual, ficando com 48%, enquanto Haddad cresceu um ponto, chegando a 31%. Os votos brancos e nulos atingem 6%, enquanto 5% responderam “nenhum” e 11% não souberam opinar. Na intenção de voto estimulada, porém, o candidato do PSL cresceu um ponto percentual, de 51 para 52%. Haddad permaneceu com 35%. Votos brancos e nulos somaram 4%, não souberam 4% e 5% responderam que não escolheriam nenhum dos dois. A pesquisa também abordou a decisão definitiva de votos de cada eleitor. Neste momento, 94% dos que votariam em Bolsonaro afirmaram que estão convictos da decisão. Nos eleitores do petista, o índice é de 90%. A rejeição dos candidatos ficou em 52% para Fernando Haddad e 38% para Bolsonaro. Foram entrevistados 2 mil eleitores, entre 20 e 21 de outubro.

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de toda a riqueza produzida no País, foi de 1%. O avanço parece pequeno, mas foi muito comemorado depois de dois anos seguidos de queda. Talvez isso tenha contaminado os especialistas, que começaram 2018 otimistas, apostando que este importante marcador da economia chegaria a 2,7%. Essa percepção foi se atenuando ao longo dos meses e, atualmente, a previsão é de que, ao fechar dezembro, alcance 1,5%, o que não seria desprezível. Até lá, isso é um problema para a equipe econômica de Michel Temer. Mas, e para 2019, com qual margem de crescimento trabalham o estafe dos dois presidenciáveis? O leitor já perguntou isso para o seu candidato? Em meio a campanhas empobrecidas, até aqui os postulantes à Presidência da República não têm dado muita importância à difícil tarefa de oferecer soluções factíveis para os problemas reais da Nação. Certamente um tópico que interessa diretamente a pelo menos 13 milhões de brasileiros é saber qual a meta de criação de emprego para o ano que vem ou para os próximos quatro? Henrique Meirelles, por exemplo, saiu da disputa, mas tornou célebre a promessa de abrir 10 milhões de postos de trabalho durante seu mandato, se fosse eleito. Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, por enquanto, não externaram um número, mas devem saber que esta é uma questão central. Se o tema preocupa a eles, então deveriam responder qual é a receita deles para combater o desemprego. Para isso, não é segredo, vão precisar movimentar a economia novamente. Mas não em marcha lenta, que é o estado em que se encontra atualmente. O País precisa de um motor de crescimento poderoso, e alguém precisará vir a público e explicar se este será o próprio governo, por intermédio de investimento público, principalmente em infraestrutura; o setor privado, apostando no agronegócio ou na indústria nacional; ou simplesmente as famílias, que com uma injeção de otimismo se sentiriam mais confiantes em consumir e, assim, dariam início a um círculo virtuoso, de mais compra, mais fabricação, mais necessidade de mão de obra. E se o assunto é trabalho formal, porque não falar em salário mínimo. A previsão inicial para 2019 é de aumento dos atuais R$ 954 para R$ 1.006. Será confirmada? Tantas perguntas mais importantes para discutir e por enquanto ficamos na sessão de perfumaria.

Candidato do PSL mantém grande vantagem sobre adversário (Fotos: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABR e Ricardo Stucket/Fotos Públicas)

Nacional

A segunda pesquisa Datafolha do segundo turno da eleição presidencial mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) se manteve à frente de Fernando Haddad (PT). O capitão reformado do Exército passou de 58% para 59% das intenções de voto válidas em relação ao levantamento da semana passada, enquanto o petista foi de 42% para 41%. Considerando os votos totais, Bolsonaro tem 50%, contra 35% de Haddad. Brancos e nulos somaram 10% e indecisos, 5%. A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. Rejeição A rejeição ao candidato Fernando Haddad (PT) superou a de Jair Bolsonaro (PSL) no último levantamento realizado pelo Datafolha para o segundo turno das eleições deste ano. Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não votaria de jeito nenhum no petista, contra 41% para o capitão do Exército.Considerando os votos por região, Bolsonaro continua vencendo em todas, exceção feita ao Nordeste, onde Haddad tem 53% das intenções de voto, contra 31% do capitão reformado do Exército. No Sudeste, região mais populosa do País, o presidenciável do PSL bate o petista por 55% a 29%. No sul, a diferença chega a 61% contra 27%.A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018. 
or
or

Articulistas

Colunistas

Apesar de constar no ordenamento jurídico pátrio, o Princípio da Isonomia quase não é observado e aplicado (Foto: Nelson Jr./SCO/STF )

Opinião

Crescimento do número de suicídios revela que sociedade brasileira está doente. Campanha Setembro Amarelo alertou para os riscos (Foto: Leonardo Sá/Agência Senado)

Opinião

Nem o diabo, que é o pai da mentira (Jo 8:44), deve acreditar que existam socialistas cristãos (Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião

Há propostas para reduzir o desemprego? Ao menos 13 milhões de pessoas querem saber (Fotos: Tânia Rêgo/ABR e Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

Opinião