Novo trajeto deve atender 120 mil usuários por dia (Foto: Lucas Dantas)

Cidade

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) entregou, neste sábado, a Linha 13-Jade da CPTM, que liga a Zona Leste, por meio da Estação Engenheiro Goulart, ao Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos, com parada nas estações Guarulhos-Cecap e Aeroporto-Guarulhos. Esta é a única obra da CPTM para ser entregue este ano.

“Estamos integrando São Paulo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Serão 12,2 km de quilômetros de ferrovia nova, que vai interligar o sistema de trem da CPTM com o Metrô. É uma grande conquista para qualidade de vida da população, estimulando o desenvolvimento”, ressaltou Alckmin.

Neste primeiro mês de funcionamento, a operação será assistida e o trem estará disponível somente aos sábados e domingos, das 10h às 15h. O percurso será feito em cerca de 15 minutos e terá baldeação para a Linha 12-Safira. No segundo mês, a operação ocorrerá no mesmo horário, mas será ampliada para todos os dias da semana. Em ambos os casos as viagens serão gratuitas.

Somente a partir de junho os trens funcionarão das 4h à meia-noite, com tarifa de R$ 4. Neste mesmo mês começará a funcionar o serviço Connect (das 5h às 9h e das 16h às 20h), com trens que sairão do Brás até ao aeroporto sem necessidade de baldeação. A viagem deve durar 35 minutos.

Já em julho começa a funcionar o Airport-Express, serviço que vai ligar a Estação Luz até o aeroporto sem realizar nenhuma parada nas demais estações do trajeto. Serão determinados quatro horários diferentes para cada sentido da viagem e o valor da passagem deve ser definido pela CPTM em breve.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS

Muitos guarulhenses não vão utilizar as estações inauguradas (Foto: Willian Moreira/AE)

Opinião

No meio do caminho tem um trem, tem um trem no meio do caminho entre Guarulhos e São Paulo. Inaugurada no afogadilho do calendário eleitoral, a linha 13-Jade da CPTM, entre a Zona Leste da Capital e o Aeroporto de Guarulhos, é mais uma obra pela metade entregue pelo Governo.

No mesmo trilho do atraso de outros projetos, o ramal atenderá parcialmente as duas maiores cidades do Estado. Guarulhos têm milhares de trabalhadores que se deslocam à Capital, e vice-versa, e o novo trem não chegará a importantes bairros.

O projeto de 2000 ficou restrito à faixa do aeroporto, com outra parada no Parque Cecap. A ligação de 12 quilômetros com a estação Engenheiro Goulart, ao custo de R$ 2,3 bilhões – o dobro do previsto – percorre cinco quilômetros na cidade, dos quais apenas dois atendem usuários. Outros sete quilômetros são sobre o Parque Ecológico e as rodovias Ayrton Senna e Dutra.

Mas a população de Guarulhos não reside no aeroporto. Bairros, como Haroldo Veloso, São João, Presidente Dutra e Pimentas, os mais populosos da cidade, deveriam ser beneficiados pela linha. Esta foi a cobrança ao governador Geraldo Alckmin na apressada inauguração, antes de deixar o cargo para disputar a eleição. Distante de terminais, o passageiro precisa pegar ônibus para acessar o aeroporto. A circulação também é parcial. A operação será em abril apenas aos sábados e domingos, das 10h às 15h, com longos intervalos de 30 minutos.

Com a ampliação dos dias em maio, no mesmo horário, e em junho, das 4h à meia-noite, o passageiro arcará com a passagem de R$ 4. A Prefeitura também não preparou a integração direta de ônibus com o sistema ferroviário de regiões guarulhenses para as duas estações.

Depois de ver desativado, em 1965, o Trem da Cantareira, de 1915, que vinha pela Zona Norte e atendia vários bairros, como Vila Galvão, Gopoúva, Centro, depois a Base Aérea, a cidade recebe o novo trem agora com 1,3 milhão de habitantes – em 1960 eram 100 mil. São as obras hoje em São Paulo, onde tem sempre uma “pedra” no meio do caminho.

Transporte ferroviário pode agilizar locomoção na cidade de Guarulhos (Foto: Lucas Dantas)

Cidade

Em um de seus últimos atos como governador de São Paulo antes da renúncia para disputar a Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB) deve entregar as estações Cecap e Aeroporto, da Linha 13-Jade da CPTM, no dia 31 de março. A informação foi confirmada por Paulo Gonçalves, presidente da CPTM, em apresentação no Instituto de Engenharia.

Estas serão as únicas estações da CPTM a serem entregues neste ano, com investimento, entre obras e aquisição de trens, de aproximadamente R$ 2 bilhões. A linha será responsável por fazer a ligação entre o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos à Zona Leste da Capital, por meio da Estação Engenheiro Goulart.

Como já é praxe, tanto no Metrô quanto na CPTM, a nova linha deve começar a operar de forma parcial, das 9h às 13h, sem cobrança de tarifa. Em meados de abril, a estação deve funcionar normalmente.

Além da viagem regular, entre Aeroporto e a Estação Engenheiro Goulart, a Linha 13 prevê mais duas modalidades de viagem: A Connect e a Airport Express. O primeiro modelo prevê a partida para o aeroporto, a cada 24 minutos, da estação Brás. Já o último modelo terá partida na Luz e só realizará parada no destino final.

Nesta sexta, 2, o governador inaugurou a Estação Eucaliptos do Metrô. 

VEJA NOSSA EDIÇÃO DO DIA

Ator, cantor e compositor, Will Smith foi chamado pela Fifa para encerrar mundial (Foto: Reprodução/Youtube)

Copa 2018

Alemanha não tomou conhecimento da Seleção (Foto: Clayton de Souza/AE)

Copa 2018

Coutinho também poderia estar na final da Champions, mas foi para o Barcelona e já se apresentou a Tite (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Copa 2018

Mesmo com queda na Copa de 2010, Dunga ainda teve mais uma oportunidade na Seleção, mas decepcionou novamente (Foto: Rodolfo Buhrer/AE)

Copa 2018
Ainda não possui um cadastro? Registre-se

ou

Articulistas

Colunistas

Animais são tratados como membros de família e merecem toda a atenção (Foto: Diogo Moreira / A2img/Fotos Públicas)

Opinião

Preço do frete não acompanhou o aumento do valor do diesel (Foto: Marcelo Camargo/ABR/Fotos Públicas)

Opinião

Como advogado-geral da União, Dias Toffoli defendeu que denúncias duvidosas não fossem incorporadas formalmente ao processo (Foto: Reprodução/Flickr)

Opinião

Paulistas criticam parlamentares, mas não mudam voto nas eleições (Foto: Elza Fiúza/ABR)

Opinião